Amor alem do tempo Seguir história

l_rell L_Rell NL

Vamos descobrir como vínculos de amizade podem ser tão fortes que transcendem o tempo, que podem virar um amor alem de tudo. Nesse universo alternativo temos Bulma e Goku, dois amigos de infância que descobrem juntos a vida, amor, as paixões, as decepções e aprendem que as vezes é preciso mais do que amor pra sustentar uma relação, e a amizade e compreensão vão ser fundamentais para se quebrar as mágoas do passado e reconstruir pontes que foram quebradas num circulo de mentiras, enganos e traições, e juntos, eles descobrem como o amor pode vir de varias formas... universo GoBul


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#romance #hot #amigos #cliche #shoujo #hentai #dragonball #goku #gine #bardock #bulma #medicos #broly #gobul #raditz #jaco
0
774 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um

Existem certas coisas na vida que acontecem de repente.

Sem um mais...

Sem um porquê.

Coisas que as vezes nos trazem arrependimentos, nos ensinam, nos cativam...

Coisas...

Pessoas que se tornam fundamentais, inesquecíveis, únicas...

Às vezes precisamos usar bem mais do que meros olhos cotidianos para ter esse vislumbre, nem sempre o que queremos é o que realmente precisamos, e é fundamental viver e desenvolver essa percepção, nem sempre o certo é o certo. O errado muitas vezes é apenas o medo do incompreendido....

Pense nas chuvas no meio do verão, ou no dia de calor no meio do inverno, são pequenos atos naturais que trazem um efeito imperceptível a curto prazo, mas absurdamente relevante a longo prazo, como o calendário dos plantios e das colheitas....

E em se tratar justamente disso é que a nossa história tem seu início...

Março de 2000

Em uma fazenda no interior da capital, a senhora Briefs penteava o cabelo da filha, Bulma, de 7 anos enquanto guardava os materiais na mochila, achava fundamental os estudos e tinha que admitir sua garotinha era muito esperta e certamente ela não queria aquela vida de fazenda para ela, talvez seu orgulho de mãe tinha um vislumbre de um potencial e acreditava piamente nele. Não demorou muito o amiguinho Goku - que tinha a mesma idade de sua princesinha e era vizinho morando na fazenda ao lado - aparecer gritando como sempre, o gurizinho era filho único de Gine a única mãe solteira das redondezas, uma mulher que parecia dar muito duro na vida e mesmo diante das adversidades não se deixou abater, e a senhora Briefs admitia que até então fizera um bom trabalho ao criar e educar o pequeno sozinha.

Ele aguardava no portão da fazenda a garotinha que sempre fazia o mesmo trajeto todos os dias com ele até a escola, era comum, afinal a escola era longe e ainda tinham que pegar a condução escolar e certamente o ponto mais próximo era longe ainda sim, era muito bom nos dias quentes, dias ventosos, mas quem gostava de caminhar sobre chuva ou neve? Pela vidraça da sala a menina de cabelos cerúleos, avistou o amigo Goku e abriu um sorriso e como sempre saiu ao encontro dele apressada.

— Tchau mãe!– Gritou mal olhando para trás.

— Tchau amor, boa aula! – Disse a senhora Briefs - E boa aula pra você Goku!– Gritou para eles que já passavam do portão. O garotinho de cabelos espetados e desgrenhados só acenou de longe.

Os dois saem pela rua de chão batido completamente cercados pela paisagem de fazenda e plantações que estavam próximas a época de colheita, era uma época infernal, sol escaldante – para secar os grãos mais facilmente para os silos – e muitos insetos atraídos justamente por alimento fácil. O garoto estava um tanto irritado, talvez mais que de costume e Bulma reparou nisso

—O que foi nanico? – Ela pediu o fitando de lado.

Ele por sua vez bufou, odiava ser chamado assim, não que ele fosse grande coisa, mas ela era apenas míseros cinco centímetros mais alta. Como a vida era injusta... Ele abriu a mochila e tirou o que incomodava tanto a mente nada brilhante.

—Eu não entendi nada desse livro que o professor entregou ontem. - Disse folheando ligeiramente um livro de capa laranja.

—Claro que não entendeu, tem que ler e não folhear do jeito que você está fazendo. – Debochou a garota de cabelos azuis rindo da ingenuidade do amiguinho.

— Mas eu gosto de ver somente os desenhos. Detesto ler!– Respondeu ele com um bico teimoso e irritado com aquilo.

— Pois eu adoro ler! Mas se você não ler, nunca vai entender nada. – Ela disse agora parando próxima ao ponto de ônibus com ele.

—Eu leio, mas não consigo entender.– Ele disse coçando a nuca num riso sem jeito.

— Eu te ajudo! – Bulma se prontificou, claro que gibis talvez fossem mais a praia dele -- Primeiro comece pelo texto.

O menino abre na primeira página.

— O-O mundo es-taaa... C-cooommm...

— Ah assim não dá! – Ela se irritou com aquela leitura horrível, era muito irritante. -- Você olha as palavras e repete na sua mente. Depois você fala em voz alta pra poder se ouvir. Foi assim que eu aprendi.

Entraram no ônibus escolar e sentaram-se juntos e Bulma notou a concentração do garoto de cabelos rebeldes em tentar ler. Ele foi colocando em prática o que a amiga ensinou durante todo o percurso. E chegando na escola, cada um foi para a sua sala e logo no recreio lá estava o menino gorduchinho com o livro de capa laranja e a menina de cabelos azuis auxiliando na leitura.

- Viu Goku? Você melhorou.

- Obrigado Bulma! Se você não me ajudasse eu não entenderia nunca.

- É porque eu sou inteligente! Talvez eu seja uma professora quando crescer.

- É sério?

- Claro que sim. Vou ser uma professora muito famosa!

- E você vai me ajudar na escola?– Disse inocente o garoto.

- Claro, Goku!

- Você promete?

- Eu prometo!

- Sempre vai ser minha amiga e me ajudar? De verdade verdadeira e de mindinho pra sempre?

- Prometo ser sua amiga te ajudar de verdade verdadeira e de mindinho pra sempre.

Os dois entrelaçam os mindinhos em sinal de promessa eterna. Juraram levar a amizade para a vida toda.

Abril de 2008

Desde o segundo ano do primário haviam se passado 8 anos. Mais uma vez o adolescente de cabelos rebeldes aguarda a amiga no portão da fazenda, era o ritual diário deles e poucas vezes foi quebrado, fosse porque um ou outro ficou doente ou por outros empecilhos.

- Tchau amor boa aula! Boa aula Goku! – Disse a senhora Briefs.

- Tenha um bom dia senhora Briefs! - Ele grita do portão.

Os dois companheiros de trajeto agora mais crescidos seguem o caminho conversando rumo a aula do ensino médio.

Não que houvesse mudado muito, Goku havia crescido, não tanto quanto queria ainda, pois tinha a mesma altura de Bulma, e definitivamente ainda era gorduchinho, já Bulma era uma garota magricela, não havia mudado muito e talvez a adolescência agora os fizesse bem.

- Vou participar da amostra de ciências. Não é muito a minha área, mas o professor me escolheu. - Diz Goku.

- Que legal! Eu vou levantar mais cedo então no sábado pela primeira vez na vida só pra te apoiar. – Ela sorriu.

- Sério? Você vai mesmo?

- Eu sou Bulma Briefs! Se digo que eu vou, então eu vou! Sem falar que não vai quase ninguém pelo que eu sei.

- É verdade... Acho que vai estar eu e o professor. – Riu o garoto.

- Vai Goku, vocês dois e eu hahaha.

Os dois se misturam aos demais jovens de uniforme azul. Agora cada um tem a sua turma, Goku com os amigos dele que já falavam sobre garotas e a Bulma com algumas meninas que tinham até ficado com alguns meninos e contavam como vantagem.

A azulada se sentia deslocada no meio das colegas, já que nem a BV tinha perdido. Não demora muito e como todos os dias ela é o assunto.

- Bulma você ainda não beijou?

- Ah eu... Eu... Já beijei sim. – Tentou disfarçar aquilo, era uma ingrata ironia. Logo ela?

- Ah é? Então eu quero ver. - Diz a Lunch uma garota de 16 anos que tinha repetido de ano por duas vezes. Tinha extrema experiência quando o assunto era meninos e uma excelente provocadora das demais meninas.

Pediu que a Ângela chamasse o Yamcha e disse que a Bulma pediu para ficar com ele no final da aula. A morena voltou com a resposta positiva pela parte do Yamcha.

- Então Bulma eu quero ver. Hoje você vai mostrar que sabe beijar... Ah não você já beijou né? – Piscou maquiavélica a loira.

- S-sim – Hesitou nervosa a garota de cabelos azuis.

- Meninas hoje vai ter cinema de graça. - Zombou ao se referir a Bulma e Lunch saiu com um pirulito na boca atirando beijo para os rapazes escorados no muro.

- Ela é muito gata... - Diz o Tenshi ao lado do Goku, estavam escorados no muro.

- Ô se é... - Goku suspirou fundo. Não diria ao amigo Tenshi que dias passados conseguiu um espaço e finalmente a beijou. Apenas os garotos mais novos tinham atração pela aluna repetente, os mais velhos já tinham passado por ela e sabiam bem o jeito “corrimão” de ser.

Durante a aula Bulma estava nervosa. No canto da sala com os pés sobre a mesa Lunch percebeu o nervosismo da garota. Ria por dentro o que ela queria mais é que Bulma passasse vergonha.

Por diversas vezes ao pensar na situação que se aproximava conforme o término da aula, pensou em sair correndo, mas sabia que se não fosse aquele dia, seria em outro. Afinal o coração bateu forte ao pensar que Yamcha era um dos garotos mais bonitos e populares e ainda disse sim para ela.

O sinal da saída mostrou que estava na hora de ir pra casa. Ao levantar da cadeira e colocar a mochila nas costas, sentiu as pernas tremerem ao avistar que a Lunch e mais algumas meninas esperavam do lado de fora da sala. Caminhou em passos lentos até a porta.

- E então Bulma? Preparada?

- Cla-claro!

- Ótimo! Vamos meninas. Iremos assistir de longe pra não atrapalhar os pombinhos. E ele beija muito bem. - Disse a Lunch no ouvido da azulada, que sentiu nojo ao pensar que Yamcha beijou a colega loira.

As mãos suavam e lá estava o Yamcha perto do muro atrás do refeitório. Lugar esse destinado só para quem ficava. Bulma caminhou em direção a ele que a esperava ansioso, adorou saber que ninguém na escola tinha ficado com ela. E o motivo de estar ali, era puro ego masculino, não que Bulma fosse de jogar fora, pelo contrario era até bonitinha, com um inha mesmo, lhe faltava curvas no corpo esguio, mas por sorte era compensando pelo belo rosto e par de olhos azuis.

- Oi

- Oi

- Eu sou o Yamcha

- É... Eu sei.

Ele se aproximou dela e passou a mão na nuca sob os cabelos compridos a trazendo mais para si.

Bulma sentiu-se paralisada. Não conseguia se mexer e ao ver a os lábios dele indo ao encontro dela, imediatamente pensou na Lunch e sentiu um nojo misturado com medo. Saiu correndo e deixou Yamcha sozinho.

- Eu hein! que menina doida. - Yamcha saiu pensando na infantilidade da garota e óbvio que ele iria espalhar para todos.

Lunch ria com as demais garotas se deleitando com aquilo. Sabia que a Bulma iria fazer o que fez. A azulada não quis nem esperar pelo amigo para ir de volta pra casa. Fez o caminho todo com o rosto molhado das lágrimas que escorriam. Nunca se sentiu tão humilhada por não ter coragem de beijar alguém.

Goku esperou no portão e viu que a companhia não vinha, Lunch passou rindo com as amigas e escutou algo sobre a cara de choro da Bulma.

Resolveu ir para casa e depois passaria na casa da amiga para vê-la.

Eram extremamente 16:00 quando o garoto de cabelos espetados chegou a casa dos Briefs, precisava saber o que tinha acontecido com a sua melhor amiga.

- Com licença senhor Briefs. – Pediu.

- Oh Goku meu jovem! Que bom que você veio, estava precisando de uma ajuda com algumas caixas pra colocar no carretão. – Disse o homem de cabelos arroxeados.

- Ajudo sim. – Goku sorriu e se prontificou.

Como sempre Goku aparecia e o pai da Bulma sempre encontrava um serviço para o jovem que fazia de bom grado. Na maioria das vezes passava o dia todo sozinho já que a Gine trabalhava fora e vizinhos sempre repararam nele quando criança. Goku colocou a última caixa no carretão do senhor Briefs.

- Oh foi mais rápido do que eu pensei! Obrigado Goku!

- Não tem de quê. E a Bulma?

- Eu não sei... A última vez que a vi tinha ido lá para os fundos, mas vamos entrar e tomar um café.

- Deixa pra depois senhor Briefs, vou falar com a Bulma.

Ele caminhou em direção aos fundos da fazenda. Bem ao longe tinha uma árvore enorme de figueira com o tronco grosso. Sabia que ela estava lá, sempre que tinha alguma coisa errada com a amiga era lá o local que ela estaria.

Vestido de alça florido e um tênis branco era o que ela usava naquele instante. Sentada sob a raiz grande da figueira que poderia esconder até três pessoas ali, ela chorava.

- Bulma... O que aconteceu?

- Ah não foi nada. - Ela limpou as lágrimas tentando disfarçar.

- Eu sou seu amigo. Me fala o que houve?

Ele se sentou ao lado dela, observando cada movimento buscando identificar alguma resposta.

- Ah é que... Que...

- Pode falar.

- A Lunch... Queria que eu ficasse com o Yamcha, mas na hora que eu iria beija-lo senti medo e sai correndo.

- Mas porquê?

- Como porquê? Porque eu nunca beijei oras! - Ela diz irritada e fitando o horizonte verde.

- Ah, mas isso é o de menos.

- Você diz isso porque já ficou com várias garotas, mas eu... Eu nunca fiquei com ninguém. - A azulada se encolheu passando os braços em volta dos joelhos.

- Mas sempre tem a primeira vez... Se quiser eu posso te ajudar - Para ele soava estranha a ideia de beijar a amiga, mas não queria vê-la daquele jeito. Ele também teve medo quando beijou pela primeira vez, mas tirou de letra. Afinal, era normal ficar nervoso.

Bulma olhou para ele e pensou por alguns segundos.

Porque não? Ele era seu amigo... Se fizesse alguma coisa errada ele iria corrigi-la e o melhor é que ele não falaria para ninguém. podia confiar, não deveria ser tão mal assim, não é?

- Tá Goku o que eu tenho que fazer? – Disse vencida no fim.

- Bom, é... Como eu vou dizer...

- Diz o que eu tenho que fazer oras! – Falou com um bico irritado de uma garota imediatalista.

- Só... Deixa acontecer ok?

- Tá legal -- Ela disse.

Bulma colocou os cabelos atrás das orelhas, e respirou fundo. Sentiu o coração acelerar e um frio na barriga. Goku se ajoelhou perto dela e num primeiro instante as cabeças se desencontraram e acabaram se batendo

--Ai! – Ela reclamou – É assim que beijas as meninas?

-- Geralmente elas ficam paradas e não são teimosas e mandonas. – Ele sorriu e então recomeçaram.

E para garantir ele segurou o rosto dela com ambas as mãos. ele olhavava no fundo dos olhos turquesas buscando coragem para fazer aquilo, afinal era a Bulma, a garota magricela que cresceu com ele, que aprontaram juntos, era impensável, ela era quase um garoto aos seus olhos, seria como beijar um irmão, completamente estranho...

Respirou fundo pensando na maldita hora que ofereceu ajuda, e fazendo aquilo rápido como o puxar de um curativo colou os lábios nos dela e começou a mover lentamente tentando achar ritmo naquilo.

-Fecha os olhos – Ele disse entre os lábios dela.

-Porque? – Ela respondeu.

-- É estranho só isso. – Ele respondeu meu irritado.

E ambos fecharam os olhos.

Ele levou uma das mãos a nuca da garota e pediu passagem com a língua, o que a confundiu em um inicio e foi seguido de uma mordida.

-Você me mordeu! – Ele falou se afastando.

-Desculpa! – Ela falou chorosa e exasperada – Eu nem sei como fiz isso, eu sou uma droga, que humilhação! – Escondeu a cabeça nos joelhos.

Goku sentiu que ia se arrepender, mas segurou o queixo dela e ergueu a cabeça e recomeçou aquilo, bom, na segunda vez não foi de um todo mal, se é que pode ser descrito, ao menos ela não o mordeu de novo, mas havia muito a treinar

-- Laranjas! – Disse o garoto num pulo no meio daquilo interrompendo o beijo.

-- Laranjas?! – Perguntou Bulma sem entender.

-- Pode treinar agora que já sabe como é um beijo, chupe laranjas! – Ele disse animado e ela franziu o cenho, sabia que o beijo foi ruim.

-- Foi tão argh! Assim pra você? – Ela disse melancólica.

Ele tornou—se a se abaixar na altura dela e disse:

- É minha melhor amiga, não é que é ruim, é... Estranho, e pra ser sincero eu provavelmente vou ter pesadelos. – Ele sorriu zombando e ela deu um tapa nele.

-Eu concordo, mas valeu o experimento – Ela disse com um sorriso de lado – Então... Laranjas é?

29 de Setembro de 2019 às 22:14 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Dois

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!