O Lado de Fora Seguir história

gabrieljakutis Gabriel Jakutis

Kaya. Aquele era seu primeiro e único nome. Não era uma coisa incomum no Lado de Fora, afinal, ninguém daquele local nascia com sobrenome. Todos eram obrigados a viver na miséria, em casas frágeis construídas apenas com madeira. No meio da floresta, sobreviviam com o que a natureza fornecia. E ainda eram obrigados a enfrentar os Sem-Caras, aqueles que vinham de um local desconhecido para raptar as crianças indefesas daquela sociedade. Leyrdalag. Mais conhecido como Leyr. Aquele também era seu primeiro e único nome, contudo, no Lado de Dentro todos haviam sobrenomes. Ele era diferente. Era obrigado a esconder sua verdadeira identidade. O Insurgente mais procurado do Estado resistia contra o governo, seguindo os ideais que acreditava: todos estavam sendo manipulados pela sobrevivência. Estavam usando crianças para criar remédios e vacinas sem o devido consentimento. Estavam explorando outro povo sem que as outras pessoas soubessem. Leyr descobriu a verdade e está disposto a enfrentar qualquer perigo para revelá-la. A probabilidade dessas duas pessoas se encontrarem era nula. Porém, isso acabou mudando quando os Sem-Caras sequestraram o irmão de Kaya. Agora, a garota estava disposta a fazer de tudo para recuperá-lo. E o garoto com toda certeza iria ajudá-la.


Ação Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#future #tecnologia #cidade #metropolis #divergente #futuro #ficçãocientifica #scifi #distopia #detroitbecomehuman
1
870 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

PRÓLOGO

Os saltos de Lynn produziam ruídos que ecoavam pelo espaço. Ela sempre se sentia desconfortável naquele ambiente. Era uma sala ampla, sem janelas, com o piso de granito escuro e as paredes pintadas de preto. Existia apenas um lugar iluminado: o laboratório dentro de um bloco de vidro, no centro da imensidão negra. O resto não precisava de iluminação, afinal, sem o laboratório, aquele hall seria apenas uma grande sala escura.

Lynn nunca entendera o motivo de o laboratório principal ficar em uma sala escura. Não fora ela quem havia decidido isso. Não pôde nem opinar sobre. Quem cuidaria dos principais laboratórios era ele, então ela deveria ficar de boca fechada.

Assim que chegou perto da vidraça, a porta do laboratório se arrastou para o lado. A mulher adentrou com seus saltos ecoando ainda mais alto na parte de dentro do bloco. Richard era o único cientista ali, porém ele estava acompanhado de Hock, que ainda vestia seu traje de combate e tinha um fuzil pendurado nas costas. Ambos estavam de costas, mas o barulho dos sapatos os fez virar.

Lynn olhou entediada para Richard.

— Espero que dessa vez você realmente tenha encontrado algo — ela falou. — Estamos ficando sem tempo. Você sabe disso.

O cientista ainda era jovem. Tinha 23 anos, mas aparentava ter ainda menos. Entretanto, era um dos mais inteligentes de toda a instituição. O problema de Lynn com ele era o ocorrido de duas semanas atrás, onde jurara que Hock havia encontrado o garoto certo, mas, na verdade, era apenas um erro cometido por digitação que mudou todo o código genético da criança testada. Richard e Hock se afastaram dois passos um do outro, deixando o balcão atrás deles visível para Lynn. Nele, ela conseguiu ver um microscópio, um projetor e uma pequena máquina com um cilindro de vidro. Era um leitor de DNA — por mais que fosse quase impossível de se enxergar, Lynn conseguiu ver um fio de cabelo castanho dentro do cilindro.

— Bem... eu... — começou Richard, hesitante. Ele sabia que se errasse mais uma vez, seu destino seria as ruas. — Ainda estou fazendo alguns testes, mas tenho quase certeza de que é ele.

Então, sua mão se ergueu até o projetor e ele apertou o botão para ligá-lo. Uma imagem se acendeu contra o vidro, parecendo um holograma flutuante. A imagem era uma estrutura de DNA com um amontoado de letras que formavam o código genético. Richard apertou outro botão no projetor e a imagem mudou para um texto cheio de termos técnicos e biológicos sobre o indivíduo dono do fio de cabelo.

— É DNA nuclear, parece que a raiz estava intacta... — disse o cientista. — Conseguimos bastantes informações sobre. Mas, infelizmente, esse código genético não corresponde com nenhum outro que já registramos. Isso significa que...

— O garoto ainda está do Lado de Fora — concluiu Lynn, concentrada em sua leitura.

Aquilo não podia ser real. Aquele fio de cabelo correspondia a tudo que eles estavam procurando há anos. Anos!

— O fio estava na roupa de um dos garotos que raptamos ontem — explicou Hock. — Acho que se chama Tomás ou algo assim. Porém, o fio de cabelo não pertence a ele.

Lynn se virou para o soldado e sorriu, esperançosa.

— Onde vocês o pegaram? — ela indagou.

— Área 4, senhora. Perto de uma das Praças do Lado de Fora — ele respondeu.

— Ótimo! — exclamou a mulher. — Voltem para lá.

Um movimento aconteceu em suas sobrancelhas, quase como uma expressão de dúvida. Não durou muito tempo.

— Hoje?

— Agora.

Enfim, ele assentiu e marchou em direção à porta com as mãos atrás das costas, como um cachorro obediente. Assim que saiu, Richard olhou para Lynn com uma sobrancelha erguida.

— Não quero criticar suas ordens ou faltar com respeito, senhora, mas... não está cedo demais? — ele disse, meio hesitante. No instante seguinte, pareceu se arrepender de ter pronunciado isso: — Quer dizer, eu ainda não analisei direito e...

— Richard, pessoas estão morrendo — ela o interrompeu. — Cada dia que passa, isso tudo parece piorar. Já se passaram anos. Essa é a nossa segunda chance para salvar a humanidade e... E eu estou sentindo que será a última.

O silêncio pairou no laboratório. Os dois ficaram apenas se encarando.

— Isso é urgente. Precisamos encontrá-lo — ela continuou, virando-se para encarar a projeção com as mãos na cintura. Pensativa, sussurrou para si mesma: — Quem é esse garoto?

2 de Novembro de 2019 às 06:10 1 Denunciar Insira 2
Continua… Novo capítulo Todos os Sábados.

Conheça o autor

Gabriel Jakutis Olá! Meu nome é Gabriel Jakutis (Jakutis?! Que tipo de sobrenome é esse?) e tenho 18 anos. Estudo Design Gráfico na faculdade e trabalho com marketing digital atualmente. Meu lado criativo sempre foi muito forte dentro de mim e, quando criança, eu sempre tinha muitas histórias em mente e que gostaria de compartilhar com outras pessoas. Minhas primeiras experiências com o mundo da literatura foram com os livros de J.K Rowling, onde desde meus três anos (pelo menos, minha mãe afirma que foi com essa idade que conheci os filmes) sou viciado na saga Harry Potter. Sim, fiz minha mãe me levar na pré-estreia do último filme, fiz ela comprar todos os livros da saga, tentei colecionar as peças de xadrez bruxo e tenho duas varinhas que guardo com muito carinho e amor (só espero um dia conhecer os estúdios em Londres ou o parque em Orlando... ou os dois, rs). Meus autores preferidos no universo são: J.K Rowling (óbvio), Liane Moriarty e Veronica Roth. Não costumo ler muitos livros aqui no Wattpad pelo fato de não ser acostumado a ler pelo celular/computador/tablet, mas se quiser tentar me mandar sua história pra ver se eu me interesso, pode mandar. Observação: não sou de fazer críticas e acho que não sou a melhor pessoa para betar uma história. O máximo que meu lado crítico é capaz de fazer é comentar: "aaaaaa adorei", ou "não gostei muito, não é meu tipo de história". Nem acredito que Sinistra tem mais de 200 mil visualizações! Sempre amei muito essa história que criei e me emocionei ao descobrir que eu não era o único! <3 Bom, eu sempre quis ser escritor e agradeço muito o Wattpad por me dar a chance de ter um começo esplêndido! E-mail: gabrieljakutis@hotmail.com Instagram para divulgação: https://www.instagram.com/invisivellivro/

Comentar algo

Publique!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá, Gabriel, tudo certo? Estou aqui para parabenizá-lo pela Verificação da sua história e deixar um comentário sobre minhas impressões com relação ao capítulo. A sinopse da sua história já dá uma boa base sobre o que poderemos encontrar ao longo da narrativa. Na minha opinião, está bem completa e atrativa. Com relação a escrita de modo geral, achei tudo bastante coerente e com uma fluência incrível. Enquanto lia, conseguia imaginar toda a movimentação dos personagens, o que é muito bacana. Além disso, também achei a construção dos personagens muito boa e suave(claro, levando em conta que tem apenas um capítulo). Quando a primeira fala surgiu, não ficou estranho, porque tive aquele sentimento de uma passagem suave, mas ao mesmo tempo bem marcada pela frase que mostra a personagem olhar para Richard. Foi uma sacada e tanto! O cenário também ficou muito bacana, apesar de não ter sido priorizado no texto. Ainda assim, consegui imaginar o local em que estavam. Quanto a gramática e ortografia, você está de parabéns também! A única coisa que aconselho dar uma olhadinha é a passagem que diz "bastantes informações" em vez de "bastante informações". Fora isso, seu texto está impecável e muito cativante. Parabéns mais uma vez, autor! Espero que faça muito sucesso com ela e que haja novas atualizações logo. Um abraço!
~

Histórias relacionadas