Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
jpsantsil Jp Santsil

Eu Sou a Perfeição da Essência, denominado Absoluto! Posso ser compreendido como a maior Beleza de todas as belezas! O maior Amor de todos os amores! O mais Alto dos altos e o Ser Maravilhosamente Maravilhoso. A forma arquetípica perfeita, contida dentro do Todo e o Absoluto que constitui a Redenção Universal.


Poesia Todo o público.
Conto
0
5.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O TODO E O ABSOLUTO

Onde me manifesto… sou como o entardecer

Onde o vento passa ao silêncio da morte e as árvores vibram ao ver passar

Se não me manifesto… no nada tudo serei

E assim, serei como o alvorecer

Onde os pássaros cantam ao som da noite que se fez dia

E do sol que se fez presente

Desvirginando o horizonte de um mar inocente

Tal qual um beijo ardente da terra numa semente

Em que algo vem a germinar


Algo que habita e surge sem dogmas e sem preceito

Algo dentro e fora do seio da mãe que ainda não veio


Há de haver belos mistérios…


Belos Mistérios!


Na vida que a sorte é a morte

Que nos ensina a ensinar

Que nos prende ao aprender

Que nos condena a entender

Que entendendo hei de ser algo para viver


Se a vida hei de entender e entendendo hei de ser

Serei somente o entendido que um dia irá morrer


Como posso procurar?

Se na procura hei de achar a busca que nunca acabará…


O vento passa e não há de ser passageiro

Não se sabe se vem ou vai… porque venta o mundo inteiro

As árvores são intactas e o vento que passa as fazem balançar

As árvores não sabem por que balançam

Se intacta elas dançam

Quando o vento vem tocar


O vento que também nada sabe... apenas quando passa

Se bate com galhos, folhas e troncos de cada árvore


Onde se encontra o significado?

Se o significante é o valor do valor de cada homem ou de cada mulher


O chaveiro está diante da porta

Mas a porta não está ao chaveiro

Porque a porta nada mais vale do que a chave do porteiro


O porteiro é o escravo

O seu senhor o chaveiro

A porta é a prisão

A chave o prisioneiro


Eu Sou a Perfeição da Essência, denominado Absoluto!

Posso ser compreendido como a maior Beleza de todas as belezas!

O maior Amor de todos os amores!

O mais Alto dos altos e o Ser Maravilhosamente Maravilhoso


A forma arquetípica perfeita

Contida dentro do Todo e o Absoluto que constitui a Redenção Universal


EU SOU A CHAVE QUE ABRE TODAS AS PORTAS!!!

EU SOU O ÚLTIMO DOS ÚLTIMOS

EU SOU O PRIMEIRO

EU SOU AQUELE QUE FUI

EU SOU AQUELE FOI

EU SOU AQUELE QUE VIM

EU SOU AQUELE QUE VEIO…

27 de Agosto de 2019 às 19:19 3 Denunciar Insira Seguir história
3
Fim

Conheça o autor

Jp Santsil Nasceu em Salvador, capital do Estado da Bahia, tendo se dedicado mais da metade de sua vida a projetos de ativismo social, educacional, cultural e ecológico com crianças e jovens em estado de risco e extrema pobreza nas favelas e comunidades carentes do Brasil e Ecuador. Atualmente vive e é cidadão do Estado de Israel, oriente médio asiático, onde se dedica a projetos ecologicamente sustentáveis. ​

Comentar algo

Publique!
tiago líreas tiago líreas
Me pergunto todos os dias se Ele virá, ou se é, ou há, mas nunca duvidando. Seja como for, muito forte o poema, como um versículo bíblico, só que com analogias parcialmente mais compreensíveis pra seres fracos, como nós leitores kkk
August 30, 2019, 09:53

  • Jp Santsil Jp Santsil
    Acredito que Ele É! Dessa vez virá para reinar, e limpará a terra. Separará o sutil do bruto, peneirará a terra e retirará os galhos, as pedras, e com essa terra colocará adubo e revirará para abastecer sua leira. E um jardim ali será novamente plantado em um clima permanente sustentável. September 30, 2019, 16:15
~