Semelhante a seus sonhos! Seguir história

gabriel-ramos1566592340 Gabriel Ramos

Sophia e Anthony, dois adolescentes com um passado em comum que seguem normalmente suas vidas fingindo que nada aconteceu há 5 anos atrás. Mas quando Sophia volta para a cidade e Anthony entra em sua nova escola, as coisas acabam se ligando e esquecer o passado não é mais uma opção.


Romance Suspense romântico Para maiores de 18 apenas.

#romance #drama #mistério
0
401 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sophia I: O Garoto do semáforo!

Meu celular desperta e eu acordo, extremamente cansada, mesmo após três longos meses de ferias, não consigo aceitar ter que voltar a escola. Tenho alguns motivos para essa desmotivação, não é só por pura preguiça sabe, apesar de ser um pouco disso também, mas eu tenho algumas questões a resolver hoje. Meu amigo Kaio me pediu em namoro no último dia de aula do ano passado, eu recém tinha me mudado de volta para a cidade e não tinha nenhum amigo, ele esteve comigo desde que cheguei, fez um grande esforço para ser meu amigo e eu admirada com tanta insistência achei que ele merecia que eu fosse mais flexível do que costumo ser e ao final do ano ele fez o pedido.

Sabe, ele me pediu para passar as férias pensando e que me esperaria, eu não sei o que exatamente chamou a atenção dele para mim, o cara é extremamente simpático, se da bem com todo mundo, vive em festas, tem garotas em cima o tempo todo, mas desde que eu cheguei à escola, ignora todos pelo esforço de ficar perto de mim. Eu pensei muito nas férias, mas no final das contas acabei não decidindo nada, eu já tenho 16 anos e apesar de nunca ter me imaginado com outra pessoa além "dele" eu talvez deva seguir em frente, sou tão nova e não deveria me prender pelo resto da vida ao passado.

Chegando à cozinha para o café da manhã, resolvi perguntar para minha mãe o que ela achava, não costumo me abrir com ninguém sabe, e costumo tomar minhas decisões sozinha, mas isso faz parte da minha nova tentativa para este ano, mudar um pouco, me aproximar mais das pessoas e acredito que depois de tudo que eu e minha mãe passamos, seria um grande passo ter essa conversa com ela.

Mãe: Bom dia! vai tomar café? Pronta pra voltar pra escola?

Eu: Bom dia mãe! Vou sim, mas pode deixar que eu faço meu café...Sobre a escola, bem, eu tenho que conversar algo com a senhora...

Mãe: Ta tudo bem? Você só fala algo comigo quando é coisa ruim, da até medo!

Eu: Não, não, dessa vez é sobre um garoto sabe, ele me pediu em namoro no último dia de aula do ano passado e eu to pensando em aceitar...

Minha mãe abriu um sorriso gigantesco, foi fácil notar a alegria em eu ter compartilhado aquilo com ela. Nós tivemos uma relação extremamente conturbada e cansativa quando eu era criança, mas ano passado tudo mudou e ela passou a se esforçar mais por mim, mas eu ainda assim resisti um pouco, não é fácil perdoar tão rápido o que ela me tirou na infância, mas acho que merece uma chance de se redimir, é minha mãe e eu devo isso a ela. Minha mãe se sentou na mesa e abandonando tudo que estava fazendo agiu como se fosse minha melhor amiga, extremamente curiosa, me pediu para contar tudo sobre o Kaio e após eu explicar o contexto ela prontamente disse que eu me preocupava demais e que a decisão era mais do que obvia:

Mãe: Você pensa demais, anda muito sozinha, esse garoto parece realmente gostar de você e talvez seja o que te faltava quando morava com seu irmão. Você não quer passar o resto da vida rejeitando todo mundo, né? Dê uma chance a ele, se der errado faz parte, só não viva de arrependimentos igual a sua mãe!

Fique curiosa quanto a parte de arrependimentos, parecia se referir a mais do que apenas os acontecimentos envolvendo a mim, mas não ia ficar cutucando as feridas dela, agradeci o conselho e simplesmente sai, sem nem tomar o café porque não deu tempo. No meio do caminho, porém, veio as paranoias: Será que Kaio ainda ta solteiro? Ele disse que me esperaria, mas três meses é muito tempo para alguém popular como ele, talvez tenha achado que eu não dava valor a ele e encontrou alguém que dava. Se ele aparentemente se interessou por mim desde a primeira vez que me viu, pode ter visto alguém mais interessante. E quem além da burra aqui, rejeitaria uma pessoa maravilhosa daquelas por tanto tempo? Eu deveria ter olhado o Facebook dele antes de sair de casa para procurar por algo do tipo...

Comecei a desistir por um momento, toda a coragem que ganhei após a conversa com minha mãe se foi em questão de segundos, maldito cérebro que não me deixa em paz, não me deixa fazer nada sem pensar em todas as possibilidades antes e me causa toda essa desconfiança quanto a tudo. Kaio demonstrou de todas as maneiras que gosta de mim, mas eu ainda não sou capaz de confiar nisso.

Não! Chega! A coisa agora vai ser diferente, eu prometi a mim mesma e vou cumprir, se tiver com outra pessoa eu supero e sigo em frente, ele prometeu que esperaria e se não esperar não é culpa minha, é um erro dele, mas eu entenderia ainda assim. Ao chegar na escola, lá estava ele, conversando com duas garotas lindas, minha autoestima foi lá em baixo ao pensar na concorrência, fiquei um minuto parada olhando para ele até ter coragem de caminhar em sua direção. Quando me aproximava, uma das garotas me viu e me apontou, falou algo pra ele e todas saíram de perto, comecei a pensar que era alguma pegadinha. Mas sabe, Kaio não é assim, mas também o conheço a tão pouco tempo que poderia ser tudo enganação desde o começo.

Mas pela primeira vez vi ele nervoso, não conseguia sequer me encarar e, diferente das outras vezes que me via chegando na escola, não veio correndo me abraçar, perguntando como eu tinha dormido e porque demorei para o responder no Facebook, até porque ele disse que me daria tempo pra pensar e isso incluiu não conversarmos nas redes sociais. Ao chegar perto dele eu perguntei como estava e como tinha sido as férias, ele me respondeu com muito nervosismo, quase gaguejando, que tinha sido tranquilo, mas que sentiu minha falta. Aquele não era nervosismo de quem estava fingindo, ou ele era muito bom ator. Então, quase na mesma hora, os dois disseram:

- Sobre aquele assunto das férias....

Ambos nos assustamos por ter dito aquilo ao mesmo tempo e em um segundo de extrema coragem minha, antes que ficasse com medo de algo dar errado ou duvidasse da minha decisão, antes que ficasse com vergonha de algo, antes que meu cérebro me traísse e num milésimo de segundo pensasse em um motivo para recuar, eu disse - SIM! – Alto e claro, colocando todos estes sentimentos de angustia, medos, paranoias e tudo mais pra fora, independente da reação dele aquilo era o que mais queria dizer naquele momento. A reação dele foi um gigantesco sorriso, parecia que não acreditava que eu tinha dito sim, Kaio imediatamente olhou para as meninas que conversavam com ele antes de eu chegar e só consegui pensar que era realmente uma pegadinhas....

Mas não, elas comemoraram também, e vieram todas correndo para dar os parabéns e fizeram coro pedindo para nos beijarmos. Eu, sempre tão discreta, sempre tão cautelosa, estava sendo vista por aquele monte de gente enquanto beijava? Foda-se! Isso é o passo pra uma nova eu, e foi o que fiz, pela primeira vez tomei uma atitude em relação ao Kaio que até aquele momento era o único que se esforçava por nós dois, e o beijei, com toda a vontade do mundo enquanto só ouvia reações de histeria a minha volta. Estas vozes... Elas forem sumindo aos poucos, me perdi no beijo e parece que fui pra outro mundo, muito mais que um beijo, foi uma descarga de diversos sentimentos de uma vida inteira de medo. Não foi meu primeiro beijo, claro, mas foi quase como se tivesse sido devido ao meu renascimento como pessoa.

Após encerrarmos os beijos, todas aquelas pessoas que adoravam o Kaio, mas provavelmente nem sabiam quem eu era, vieram e abraçaram a nós dois, dando os parabéns. Na sala de aula, até os professores já sabiam e nos deram parabéns:

- Parabéns Kaio e Sara!– Disse um, claramente não tendo ideia de quem eu era.

- É Sophia, professor! – Disse Kaio, rindo, sempre de bom humor.

Mas eu não me importo, nunca liguei pra ser conhecida, até prefiro o anonimato, assim consigo sair dos lugares sem que fiquem me perguntando por que, consigo faltar a aula sem que fiquem me questionando, simplesmente posso desaparecer em paz. Não mais, andar com o Kaio é diferente agora que namoramos, antes ninguém me notava mesmo que já passasse bastante tempo com ele, que até tentou me apresentar para todas as pessoas que conhecia, mas sempre que ele tentava algo do tipo eu me isolava para evitar passar por essas situações, eu via que as pessoas não estavam nem ai pra mim assim como eu não me importava em quem eram elas, o único que ligava era o Kaio, que queria que todos fossem meus amigos também, mas agora que namoramos posso fazer esse esforço de fingir que me importo.

Ao terminar o primeiro dia de aula, eu estava zonza, muita coisa tinha acontecido, mas eu estava feliz mesmo assim, cansada, mas feliz. Fomos até a esquina do colégio juntos e, como dois adolescentes, ficamos lá nos beijando. Eu sei que somos adolescentes sabe, mas eu nunca fui de ficar fazendo esse tipo de coisa, sempre achei meio infantil, mas não me importava mais, porque bem, eu já disse que to mudando, né? Vai ficar repetitivo. Após longos minutos, finalmente nos despedimos, não havia mais ninguém da escola na volta, e já estava quase na hora de Kaio ir trabalhar e dessa vez eu que não queria que ele fosse embora.

Indo embora, algumas ruas de distância da escola, um sinal fechou. Do outro lado da rua, esperando para passar também, estava um garoto, o semáforo demorava 40 segundos para abrir novamente e era uma rua movimentada, não dando para passar antes. Durante os 40 segundos me peguei olhando para o garoto, que por algum motivo me chamava atenção, ele era bonito, mas não era por isso que fiquei olhando. Era errado olhar, será? Eu acabei de começar a namorar! Em certo momento ele claramente ficou sem jeito e começou a disfarçar, mas também olhou para mim durante uns 10 segundos, começou então a chover mais forte e enquanto muitas pessoas abriram seus guarda-chuvas, ele continuou lá parado. Eu me mudei da cidade a alguns anos e voltei, será que era algum colega antigo? Ou será que era "ele"? Não, eu o reconheceria, não podia ser...O sinal abriu e eu continuei parada, estava travada mesmo com toda a chuva. O garoto, um pouco sem jeito devido a eu não parar de olhar para ele atravessou a rua, estava de mochila, provavelmente indo para escola.

Eu acabei esquecendo aquilo, estava super feliz por causa do meu mais novo namorado e só pensava nele, cheguei em casa e, novamente, como se fossemos melhores amigas, comemorei com minha mãe, que já planejou uma tarde cheia de comida para quando Kaio fosse conhecer ela.

Mãe: Traga ele aqui amanhã se puder! Quero conhecer o rapaz que conseguiu te deixar com esse sorriso incontrolável no rosto!

Fui para o meu quarto e fiquei extremamente ansiosa, esperando que Kaio saísse do serviço para que pudéssemos conversar. Olhava de cinco em cinco minutos se estava online e quase ficava brava pela demora pra me responder, mesmo sabendo que ele tinha um bom motivo para isso. Mas após algumas horas, em que distrai comendo minhas balas de menta com que gasto quase todo dinheiro que meu irmão me manda todo mês, recebi a mensagem dele, conversamos por horas, esqueci até de jantar, só não viramos a noite porque ele estava cansado e teve que dormir para ir a aula no outro dia de manhã. Eu, como sou vagabunda e não faço nada a tarde, acabei tirando uma soneca enquanto esperava ele me responder, demorei mais pra dormir e me perdi nos pensamentos. Comecei a lembrar do garoto que vi e tentando entender porque aquilo me incomodou tanto, porque eu travei, perdi o sono. Quem ele me lembrava? Quem possui cabelo preto e curto? Quem se vestia daquela maneira? Quem usava óculos? Não da para saber, fiquei cinco anos fora da cidade, as pessoas que eu conhecia na época mudaram muito, não deveria reconhecer ninguém, mas eu também estou completamente diferente e ele ficou me olhando também, talvez também tenha me reconhecido, bem, só pode ter sido isso, pela minha aparência é que não seria sabe...

Depois de quase uma noite acorda, em que mesmo quando o sono bateu não consegui dormir pensando naquele garoto, eu me lembrei de um detalhe que vi, no braço esquerdo dele, havia uma cicatriz, eu acho, não prestei muita atenção, mas lembro de que "ele" também tinha uma, talvez seja só meu cérebro querendo me enganar, me sabotar, agora que estou feliz e namorando minha mente fica forçando ele na cabeça, uma espécie de autossabotagem, de qualquer maneira fiquei curiosa e decidi que amanhã passarei por aquela rua, e irei parar no mesmo sinal para ter tempo de olhar o braço dele e tirar minha dúvida, mesmo que tenha medo da resposta.

Segundo dia de aula, quase a mesma coisa que o primeiro, andar com alguém como o Kaio é cansativo, mas desta vez optamos por nos esconder num canto da escola, lá ficamos o tempo todo... bem, você sabe rsrs. Ao ir embora, ele disse que poderia chegar um pouco mais tarde naquele dia, pois seu pai iria ao médico e abriria o mercado meia hora mais tarde, mas isso faria com que eu perdesse o garoto no caminho. Segundo dia de namoro e já estou trocando meu namorado por uma mera curiosidade? Sou tão idiota, realmente não sei dar atenção pra quem merece e insisti para ele que teria que ir embora no mesmo horário. Ele não gostou muito, pela primeira vez me contrariou, mas a razão disso é que ele gosta de ficar perto de mim e não posso me incomodar com isso.

Chegando naquela rua, lá estava, de novo, o mesmo garoto, que pareceu extremamente surpreso ao me ver, quase como se tivesse visto um fantasma. Será que o assustei o encarando ontem? Não importa, só quero ver seu braço, sua cicatriz, se é que ele possui ou era coisa da minha cabeça. Mas ele estava de casaco, fazia um pouco de frio, algo incomum naquela época do ano, mas o tempo aqui é meio variado, mesmo assim o sol estava forte e tantos segundos parado da calor, então ele levantou as mangas do casaco, quase quando estava abrindo o sinal e eu já estava desistindo e lá estava ela, era real, no mesmo braço, no mesmo lugar, no mesmo formato, automaticamente meus olhos começaram a escorrer lágrimas, e hoje não dei sorte de estar chovendo, mas não me resta dúvidas, é "ele"....

26 de Agosto de 2019 às 01:11 3 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Anthony I: O Espírito da Garota de Touca!

Comentar algo

Publique!
TQ Tudo Que eu nunca
aaah, Sophia com ph fica bem mais bonito! <3 Gostei!

  • Gabriel Ramos Gabriel Ramos
    Hah também acho. Espero que se escolher ler goste da história também não só do nome. Abraço! 3 weeks ago
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 17 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!