Sozinha outra Vez Seguir história

kelvin-dias1566171058 Kelvin Dias

Sozinha outra vez conta a historia de um drama de uma menina amaldiçoada que passa por grandes problemas desde sua infância até sua fase adulta. Acha que sua vida é ruim? vai pensar nisso duas vezes depois de ler isso.


Drama Para maiores de 18 apenas.

#236
Conto
0
475 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo unico

Dia 29/11, Sasha se levanta e se olha no espelho.

— Ah! Caralho! To parecendo o capeta com esse cabelo, e olha essas orelhas de panda tô (puta) ridícula, não vou para a faculdade nem por um caralho.

Em seguida entra no boxe e começa a tomar banho. Saindo do banho se dirige ao seu quarto para se arrumar e então ir à faculdade. Suas roupas eram bem simples, uma calcinha lacradora de renda, calças de ganga com rasgos nos joelhos, camiseta de banda de ‘rock’ e jaqueta da cor preta. Se dirigindo a sala ela se depara com o relógio, vê o quanto está atrasada e então ela pega as chaves de sua moto junto ao seu (canivete) borboleta e sai correndo.

No meio da estrada indo em direção a faculdade ela percebe o quanto está atrasada e então acelera sem pensar duas vezes, e sem ver direito o que está a sua frente ela passa por um sinal fechado bem ao lado de um jovem estudante que estava atravessando.

— Filha da puta! Grita o rapaz e Sasha aponta o dedo do meio para ele.

— Vai tomar no seu cu monte de merda. Responde Sasha.

Chegando em seu destino, após estacionar sua moto ela segue em direção a sua sala quando um sujeito que apoiado em um carro com uma garota em cada lado chama sua atenção:

— Ai Sasha como se diz peixe bola gato em inglês?

Então Sasha sem pensar puxa seu canivete e sobrepõem sobre o pescoço do meliante, com um sorriso sádico diz.

— Porque não vamos lá perguntar para sua mãe

Contudo, o canalha se borra de medo e sai correndo.

Continuando a seguir. Chegando perto da sala ela se depara com o diretor que a chama atenção:

— Para a minha sala agora, precisamos conversar!

Chegando na sala o diretor começa a dialogar com a mesma.

— Sasha, é a quinta vez que se chega atrasada, não dá para ficar te tratando como uma criança.

— Mas foram só alguns minutos, cara para de ser rabugento. Responde Sasha.

— Você já é adulta. Não tolerarei mais desrespeito comigo e atrasos, estamos entendidos?

— Sim coroa. Finaliza a menina.

O diretor se levanta e abre a porta, então Sasha se ergue em sai.

Seguindo em direção a sua sala ela escuta o sinal e então começa a correr, chegando na porta ela fica presa com um garoto que tenta entrar com ela.

— Deixa eu entrar seu otário. Fala Sasha.

Então o menino responde

— Filha da puta eu sem quem é você, você quase me atropelou sua vagabunda.

Essas palavras acabam fazendo com que Sasha recorde de seu passado

[no passado]

Aprende a cozinhar direito sua filha da puta. Diz seu pai para sua mãe.

e Sasha começa a pensar.

{Sasha} Bom é assim que meu pai trata minha mãe todos os dias, sou apenas uma garota de 15 anos que aparenta ter uma vida normal, pelo menos para mim afinal com tudo que passo em casa não sei mais diferenciar o certo do errado. Acordando cedo todos os dias para ir à escola estudar afinal era tudo que eu fazia mesmo, não tinha muitos amigos, para ser mais exato só tenho um e ele é meu melhor amigo desde pequeno, seu nome é lucas.

— Sasha, Vamos para a sala? Pergunta o Lucas.

— Sim vamos.

{Sasha} Chegando na sala a mesma chata aula de sempre, uma professora de quase 50 anos falando sobre platelmintos e nematódeos, poderia estar vivendo minha vida em altas aventuras e gravando meu nome neste mundo.

— Sasha, a professora está te chamando, presta atenção. Diz Lucas.

A professora então fala

— Garota, lugar de sonhar é na cama, abre já este caderno e comece a escrever, vamos.

— Claro professora desculpa. Responde a.

(Risos da turma)

{Sasha} Tocando o sinal, lucas resolveu ficar na sala desenhando e eu decidi descer para lanchar, passando pelo corredor o garoto mais gato da escola fala

— Ola gata, vem cá.

{Sasha} E eu boba que sou fui até ele, então perguntei

— Po… pode falar moço.

E ele retrucou.

Sai pra lá sua doente, nem estava falando com você, olha para trás aí bobona.

{Sasha} E quando olho pra trás está ela, a garota mais bonita da escola.

— O que essa doida está fazendo aqui? Diz a menina.

— Ela pensou que eu estava chamando ela. Responde o indivíduo.

— Que iludida, tinha que ser uma escrota como essas. Finaliza a mesma.

{Sasha} sai então meio decepcionada e extremamente puta com aquela situação, volto até a sala e chamei o lucas para comer algo na barraca da esquina. Chegando na barraca percebi a merda que eu ia passar, um assaltante apontando a arma para nós pedindo dinheiro e eu já tinha gastado tudo. Lucas então põe a mão no bolso e entrega seu celular, no exato momento tomo a arma das mãos do ladrão e aponto pra ele.

— Parado ou eu atiro

{Sasha} No mesmo momento o bandido empurra o revólver para o lado que acaba atirando na perna de lucas que cai no chão no mesmo instante. O bandido então sai correndo e eu sem pensar duas vezes começo a atirar nele, mas seu revólver tinha apenas uma bala. Depois dessa confusão toda a ambulância foi acionada para o lucas, tive que explicar à polícia o'que havia acontecido e depois de tudo me deixaram em frente a minha porta.

{Sasha} Entrando em casa o mesmo de sempre, meu pai reclamando da comida não estar pronta. Apenas ignoro e vou para meu quarto me deitar.

{Sasha} Depois de dormir um tempo começo a ouvir gritos de minha mãe vindo da cozinha e quando chego lá meu pai pega uma faca e enfia em seu pescoço em minha frente. Logo em seguida ele diz para mim.

— Ela bem que mereceu.

A panela que estava no fogão estava transbordando e caindo sobre o corpo de minha mãe, meu pai então pega o cabo de gás do e aponta para ele com a faca e com um olhar que me assustava ele disse.

— Agora é a nossa vez, vai morrer sem saber a verdade pirralha.

Então ele corta o cabo de gás e causa uma explosão que abala a estrutura da casa de Sasha derrubando escombros sobre todos.

Quando Sasha acorda, ela está toda enfaixada com gesso e agulhas ligadas em seu corpo e a única coisa que ela conseguia ver era um vaso com flores brancas em um criado mudo.

6 meses depois…

Depois de sair do hospital, Sasha foi encaminhada para um orfanato onde ela poderia ser adotada por outra família e recuperar a hipótese de ter uma vida feliz e normal. Os meses foram se passando e as crianças foram sendo adotadas, mas ninguém tinha olhos para a menina que teve uma vida trágica e traumatizada. Depois de 6 meses, perto do fim de ano, o orfanato teve que fechar as portas afinal acabaram ficando sem verbas do governo e a única pessoa que restou lá era Sasha.

Sem ter para onde ir e aonde dormir a menina começou a seguir andando entre ruas e vielas batendo de porta em porta para pedir comida, mas ninguém queria oferecer alimento a uma estranha, suja e com roupas rasgadas. Em uma noite de véspera de fim de ano Sasha se depara com um grupo de moradores de rua que estão sentados em volta de uma fogueira. Ela chega até eles e pergunta.

— Po… posso me juntar a… a vocês?

Em seguida um deles responde.

Claro, menina, sente se aí e coma conosco.

Sasha então se senta ao redor da fogueira e começa a comer. Depois de toda aquela “festa” eles foram se deitar e Sasha sem pensar duas vezes também foi. Após um tempo ela começa a sentir algo encostando nela e quando abre seus olhos um dos moradores está tentando tirar seu short então Sasha gritar acordando outro habitante que quando veem a cena segue imediatamente ao local.

— Por favor me ajuda. Clama Sasha.

— Bom, é um pequeno preço a ser pagar pelo que você ganhou hoje. Diz o mendigo com um sorriso saliente no rosto.

Tirando suas roupas, a menina aproveita e sai correndo no meio da rua pelada e entra em uma alameda que está totalmente escura, começa a chover e Sasha a espirrar. Sem saber o que fazer e sem enxergar nada, Sasha se deita no chão e começa a chorar quando um trovão iluminou a rua mostrando uma silhueta de o que parecia ser uma Pessoa com um guarda-chuva que, posiciona sobre sua cabeça e diz:

— Não se preocupe, vou cuidar de você.

Sua voz era tão doce e seu sotaque tão angelical que fez com que Sasha caísse a tentação. Depois de falar aquilo ele retira de seu corpo um casaco e sobrepõe sobre a estatura da pobre menina contando.

— venha comigo, não precisa ter medo

Algo dentro de Sasha dizia que aquela pessoa é confiável, então ela se levanta e segue as cegas aquele ser que a leva para uma taverna.

Entrando lá ele liga a luz e então consigo ver sua corpulência, ele possui um corpo bem definido, tatuagens sobre seu peito até seu antebraço e sua falta de cabelo. Sasha então começa a espirrar sem parar então o sujeito vai até o que parece ser uma cozinha preparar algo. Depois que volta ele traz consigo um copo com chocolate quente com chantily e Marshmallow. Em seguida ele a leva para o banheiro e diz.

— Me espere aqui por favor.

Ele então sai e quando retorna traz consigo roupas que parecem ser de menino e em seguida ele fala.

— aqui, tome um banho e vista isto, pode deixar meu casaco ali no canto não tem problema.

Então ele fecha a porta e a menina começa a tomar banho, depois de se vestir ela sai do banheiro e o rapaz a leva para um quarto que estava todo arrumado com tudo na cor azul, ele a coloca na cama diz.

— Tenha bons sonhos, menina.

Sasha então pergunta.

— Qual é o seu nome?

e ele Responde.

— Xacobe

— nome engraçado. Retruca Sasha e que então vai dormir.

[Um dias Depois]

Sasha se levanta de sua cama e, ao olhar para o lado vê flores, as mesmas que viu no hospital e isso causa um certo desconforto nela. Depois ela segue em direção ao banheiro, toma um banho escova os dentes se veste e desce para a taverna.

Chegando na mesma ela avista um prato de panquecas com café e um bilhete que dizia 'volto já', então sem pensar duas vezes ela ataca. Depois de comer ela fica no banco descansando e Xacobe chega já dizendo.

— Pelo visto já encontrou o presentinho que deixei para você

E Sasha sem nem ao menos dizer bom dia já pergunta.

— Xacobe, porque seu nome é tão estranho e seu sotaque tão cômico.

Xacobe então se dirige ao seu quarto e busca um violão. Senta se na cadeira e começa a tocar, os olhos de Sasha começam a brilhar e ela fica encantada com o'que ouviu. Xacobe então diz.

— Pequena, sou de Astúrias ao leste de Galiza, por isso falo desse jeito, minha linguá principal era o Galego, e meu nome é comum por lá afinal significa seguidor de cristo.

Sasha então responde.

— Ah! Entendi agora.

Então Xacobe puxa um papel de seu bolso e entrega a Sasha que quando abre começa a chorar de felicidade afinal era um contrato de adoção do antigo orfanato onde ela vivia. Sasha então se levanta e abraça Xacobe pedindo para ele prometer nunca deixar lá.

[Presente Atual]

— Ei! Vai entrar não caralho? Diz o garoto.

— Naã… Não, pode passar, não me sinto bem. Responde Sasha.

Então o garoto entra e Sasha logo em seguida. O professor então fala.

— Sasha e Lucas abrindo o livro na página 18 exercício 8

Sasha então fica olhando para todos os cantos da sala sem pegar seu livro e isto chama a atenção do professor.

— Porque ainda não abriu o livro?

E Sasha sem perceber que quem perguntou isso foi o professor responde.

— To esperando o babaca com meu dinheiro, cuida da tua vida cara ou te sento a porrada.

O professor então Retruca.

— Pois, espere este babaca lá na diretoria.

O professor então expulsa Sasha da sala que fica extremamente puta com a situação. Então em vez de ir à secretaria ela se dirige até o outro lado da faculdade onde se encontra Ross, um nerd gordinho que se encontrava jogando cartas.

— Cadê meu dinheiro Ross? Pergunta Sasha.

— Depende Sasha, conseguiu fazer o que eu pedi? Responde o menino.

— Claro, assustei o babaca já. Corresponde Sasha.

— Como pode mentir para mim, agora pouco ele veio mexer comigo. Dita o menino.

— Fazemos assim então, eu te dou meu canivete e sempre que você ver ele aponta para ele e diz 'conheço a Sasha cuzão, mexe comigo e ela corta seu pescoço', se acontecer algo é só falar comigo. Estamos de acordo?

— Sim. Finaliza o menino entregando um dinheiro a Sasha.

— Nerds são uma figura.

O sinal do recreio toca e Sasha se dirige ao Refeitório, pega sua comida e se senta e logo a 3 cadeira de onde ela se encontra está o lucas, o garoto que ela quase atropelou. Sasha fica olhando para ele e percebe que ele tem muita semelhança com seu antigo amigo e isso deixa ela intrigada. Depois de comer ela se levanta e entrega o prato, então ela vai em direção ao Lucas e quando ela chega perto o recreio acaba.

Sasha então ouve a voz do diretor lhe chamando e sem pensar duas vezes saí correndo para o estacionamento onde está sua moto, monta na mesma e segue em direção para casa. Chegando lá ela se depara com Xacobe sentado na entrada de casa então ela desce da moto e pergunta a ele.

— O que está fazendo aí pista de piolho (criando piada sobre sua careca)

— Você deixou a porta trancada, pintora de rodapé. Responde Xacobe.

— A e sua cabeça de desodorante Roll on.

— Carcereira de gaiola

— Cabeça de serra pelada

— Alpinista de poltrona

— Tá vamos parar por aqui Saitama.

Sasha então pega suas Chaves e abre a Taverna.

Xacobe estressado levanta se e segue em direção a cozinha e Sasha começa a lavar o recinto. Passa pano no chão, lavava a louça secar as mesas para abrir definitivamente a taverna. Depois de limpar tudo as pessoas vão chegando e ela vai atendendo de mesa em mesa e entregando a comida para os clientes enquanto servia a bebida para os clientes do balcão.

— Sua filha é muito ágil. Diz um dos clientes.

— Ela puxou o pai. Diz Xacobe caindo em gargalhada.

Depois de um logo dia de trabalho, a taverna estava para ser fechada, então Xacobe e Sasha começam a limpar tudo para fechar, novamente passando pano no chão, lavando a louça e expulsando os pinguços que ali estavam como, por exemplo, o Billy pinguço que sempre ficava até a taverna fechar.

— Vamos Billy o local já fechou. Diz Sasha.

— O governo não deixa meus ratos fumarem e andarem de ‘skate’. Responde o Bily.

— Vamos bily, para de falar asneiras. Corresponde a Billy.

— Udyr é um estilo de vida. Finaliza o Billy que vai embora abraçado de seu rato de pelúcia.

Depois de um longo dia puxado Xacobe se dirige a sua cama para ir dormir, Sasha vai então para o banheiro tomar um banho, trocar de roupa e caminha até sua cama. De repente ela começa a ter um sonho, neste devaneio ela se encontra em um caminho de rosas-brancas que parece não ter fim por mais que ela corra. Ela então desiste de seguir pelo caminho e começa a ir à direção contrária e aos poucos as flores brancas começam a ficar negras e o lugar aos poucos vai escurecendo e quando ela olha para trás uma luz forte aparece e algo lhe chamar e quando decide voltar.

— Está na hora de acordar. Diz Xacobe.

— Só mais 5 minutos. Diz Sasha já abrindo seus olhos.

— Vamos, levanta logo temos um longo caminho pela frente. Responde Xacobe.

— Aonde vamos. Pergunta Sasha.

— Vamos pescar. Finaliza Xacobe.

Sasha então se dirige ao banheiro para tomar banho e se arrumar, escovar seus dentes e arrumar seu cabelo e quando desce um prato de panquecas e um café o aguarda.

— Vamos conversar e pescar enquanto nos desligamos do mundo. Diz Xacobe.

Depois de comer ela vai em direção a sua moto e Xacobe fala.

— Não, vamos andando

Então ele se dirige a cozinha e volta consigo 2 varas de pescar e assim eles seguem em direção ao lago. Chegando lá Xacobe vai até uma casa de pesca para aluga um barco e quando volta Sasha pergunta.

— Qual a sua real intenção Heisenberg

— Eu só queria te trazer em um lugar calmo para te livrar de tudo que você passa em seu cotidiano, de uma chance. Diz Xacobe.

Sasha e Xacobe entram no barco e vão em direção ao meio do imenso lago e então eles começam a pescar, a menina tenta pegar qualquer peixe, mas sua vara nem se mexe, já Xacobe consegue pegar muitos peixes, mas ele os devolveu para o lago.

— porque tá jogando eles no lago escorregador de moscas? Pergunta Sasha.

— É porque eles ainda são pequenos salva vida de aquário. Responde Xacobe.

Depois de um bom tempo sem pegar nenhum peixe, Sasha fica triste e Xacobe tentando entender pergunta a ela.

— O que foi pequena?

— Sabe, ninguém nunca me levou para pescar ou me ensinou. Responde ela.

— Tem algo que queira me contar pequena? Pergunta Xacobe.

Então Sasha começa a contar de tudo que passou até o momento em que os dois se conhecem e a terríveis coisas que ela passou, então entristecida começa a chorar. Xacobe então puxa Sasha até você, lhe dá um abraço apertado e dita.

— Não precisava ter guardado isso com você por tanto tempo minha querida, isso são coisas do passado, use suas mãos para dividir as memórias que você guardou.

— Estou lutando por você, mas você sozinha decide seu destino, ser feliz não é ter uma vida perfeita e você já sabe muito bem disto, mas é ter algo que ninguém neste mundo tem, marcar seu nome no mundo e ser lembrada para sempre, procure isso. Acrescenta Xacobe.

— Tem um olho na minha lagrima. Finaliza Sasha.

Sua vara de pescar começa a balançar então ela vai até a mesma e começa a puxar, mas o peixe é muito forte então puxa a vara para dentro do lago obrigando Sasha a pular, dentro da água ela procura pela vara e sem sucesso ela volta. Quando está chegando no barco ela sentiu algo passando por entre seus pés e ela agarra sem pensar e quando levanta é um peixão que começa a se bater para tentar fugir, então Sasha joga o peixão para dentro do barco e grita.

— Segura aí o tobogã de abelha.

E Xacobe pula em cima do peixe virando o barco e caindo dentro da água. Sasha então fica preocupada e quando ele levanta esta com o peixe em suas mãos. Mais tarde indo para casa cansado com um peixão entre os braços Xacobe pergunta para Sasha.

— Sasha, preciso saber se você se permite voar o mais alto possível para longe desses corações imundos.

— Que papo é esse Bola de sinuca?

— Eu só quero que me diga que fará de tudo para ser lembrada lenhador de ‘bonsai’.

— Ta faço isso. Finaliza Sasha.

[5 Dias se passam]

Sasha se levanta de sua cama e vai para o banheiro, toma seu banho escova os dentes e se arruma para a faculdade, vai até Xacobe e dá um beijo na testa dele e em seguida pega sua moto e sai para a faculdade.

Chegando na faculdade ela se dirige para a sala de aula e o tempo começa a passar assim como as aulas chatas de matemática, mas algo a incomodava e era o fato do menino Lucas ter aparência e nome igual ao de seu amigo de infância então ela não parava de olhar para ele.

Depois que o sinal tocou e todos os alunos se dirigiram para o refeitório, Sasha decide seguir Lucas que em vez de ir para o refeitório ele segue em direção ao pátio da escola.

— Porque está me seguindo babaca, tá carente é? Pergunta Lucas.

— Desculpa ficar te encarando, é que você parece muito com um amigo que tinha, não o vejo faz muito tempo. Diz Sasha.

— Com certeza não sou o babaca do teu amigo então se toca. Responde Lucas.

— Posso te pedir uma coisa? Pergunta Sasha.

— Tá fala logo doente que tenho que ir para um lugar nesse momento.

— Posso ver sua perna? Pergunta Sasha.

— Claro que não, ta maluca, ta chamando urubu de meu loiro sua doente. Diz lucas indo embora.

Sasha então pega sua moto e volta para casa.

[Enquanto isso]

Xacobe se levanta e sai para fazer compras, chegando no mercado ela dá de cara com uma linda mulher andando com um jarro cheio de flores brancas, a linda moça chega até Xacobe e pergunta.

— Oque um homem bonito como você faz aqui neste mercado

— Vim fazer compras para a minha taverna. Diz Xacobe.

— pode me apresentar ela? Diz a senhorita.

— Claro, pode sim vou abrir logo que chegar, pode ir comigo.

Chegando em casa ela se depara com Xacobe cozinhando com uma mulher misteriosa ao seu lado, mas que parecia ser muito familiar para ela.

— Quem é essa aí? Pergunta Sasha.

— É só uma pessoa que conheci no mercado. Responde Xacobe.

Sasha então segue até o seu quarto e chegando lá ela encontra um vaso com flores brancas como as outras que a seguiam, então ela desce correndo para o bar e grita.

— Quem foi que colocou essas flores em meu quarto?

— Foi a senhora que estava aqui comigo. Diz Xacobe.

— E cadê ela? Pergunta Sasha.

— já se foi. Fala Xacobe.

— Qual é o nome dela Xacobe? Pergunta Sasha.

— Yumi. Responde Xacobe.

— não deixe ela voltar aqui, ela não tem boas intenções com certeza. Finaliza Sasha.

Quando bate meia-noite Sasha se levanta e sai de casa, pega sua moto e segue em direção a um bar para tomar umas bebidas fortes e esquecer o dia pesado que passou, conforme ela ia bebendo mais sua visão ficava turva e depois que ela ficou bêbada o proprietário do bar pediu para ela pagar, mas ela não tinha dinheiro então ele a revistou e pegou as chaves de sua moto. Ela cambaleando pelo bar saiu e quando pisou o pé no lado de fora um homem pôs sobre seu rosto um pano com ketamina (famoso, boa noite Cinderela) e levou ela para dentro de um carro.

Depois de uma viagem longa os homens pegam a Sasha, tiram sua roupa e começa a estuprar la enquanto a espanca até sangrar. Seus braços ficam Cheios de hematomas e sua vagina toda cortada e ela mesmo sem conseguir se mexer direito implorava para que eles parassem.

Depois de um longo tempo de dor e sofrimento, Sasha escuta a voz de uma mulher que diz.

— Parem com isso seus filhos da puta, precisamos dela viva.

E então eles param, pegam ela e levam para dentro do carro e a deixam no meio de um deserto.

Sasha então começa a se arrastar de volta para casa no (breu) sozinha.

Chegando em casa toda ensanguentada e muito machucada ela percebe que a porta está aberta com uma bagunça imensa e muito sangue espalhado pelo chão, então ela vai até à cozinha e pega uma faca e começa a subir as escadas, degrau por degrau e quando chega no quarto de Xacobe ela se depara com ele sentado em uma cadeira, amarrado com milhares de perfurações em seu peito, sua barba tinha sido arrancado à força, suas orelhas cortadas e seus dedos também, mas o que mais assustava Sasha era que Xacobe ainda estava sorrindo mesmo estando morto.

Sasha então com lágrimas nos olhos desce e se senta em um banco quando sons de sirenes começam a tocar e ela escuta um grito bem alto!

— parada filha da puta, levanta a porra da mão se não sento bala nessa tua cabeça e você vai virar paquita do capeta.

O policial então liga o seu rádio e fala.

— Peguei a filha da puta que matou aquele cara mais cedo.

[2 Meses depois]

Sasha é declarada culpada e é transferida para uma prisão de mulheres de nível 2 onde ela vai passar 16 anos cumprindo pena.

Sasha então passou por muitos momentos difíceis, foi usada de capacho e apanhava muito para uma facção que existia dentro do presídio. Todos os dias essa facção a perturbava roubando suas coisas e batendo muito nela.

Ela passava dias sem dormir e sem comer, muito desidratada, mas continuava sua rotina. As detentas a estuprava e ela não podia fazer nada além de ficar quieta e sozinha, aquilo era um verdadeiro inferno na terra.

[2 anos depois]

Uma rebelião começa dentro da prisão feminina, o motim começou quando uma agente precisou tirar uma presa de uma das celas. Estava sozinha e foi dominada pelas detentas. Elas começam a se armar com fuzis e pistolas e começam a causar o terror dentro do complexo. Um guarda chega até a cela de Sasha e então a libera dizendo para ela se salvar e Sasha então sai correndo para a saída, chegando lá ela se depara com lucas e os dois ficam frente a frente quando escombros cai sobre a mesma.

18 de Agosto de 2019 às 23:37 0 Denunciar Insira 0
Continua…

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~