nancy-scarlett1565632961 Nancy Scarlett-Hayalla

Depois de ter sido traída e humilhada na internet, Helena ficou desiludida com a vida, com os homens e consigo mesma... até que um dia, durante uma viagem à Paris, ela conheceu Raymond Acevedo e se tornou a musa inspiradora de um dos seus maiores sucessos.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#Paris-romance-traição-viagem-musica
1
9.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Rainha Helena de Tróia

Foi numa viagem à Paris, onde tudo começou... ou foi devido a uma postagem no Facebook?

A mais ou menos uns dois ou três anos, Helena namorava com Luiz, um lutador de UFC que ela conheceu na academia... o engraçado é que ela não era tipo que frequenta academia e muito menos se envolver com um lutador de artes marciais. Nada contra, mas ela é mais do tipo que passaria o dia inteiro em uma livraria, biblioteca ou em algum evento literário.

Era uma moça culta e sofisticada.

Formada em Ciências Contábeis pela Universidade de São Paulo, a USP, com todas as honras, algo já esperado por sua família e amigos. Mesmo sendo de origem humilde, sempre foi dedicada em relação aos estudos e ao trabalho. Não foi à toa que assim que se formou, conseguiu um emprego numa empresa multinacional da moda... fazendo contas, é claro!

E mesmo tendo um título de bacharel e ocupando um cargo importante em um ótimo emprego, ela tinha muito orgulho de suas origens...

Helena Petropoulos é neta de imigrantes gregos, residentes no bairro do Bom Retiro, em São Paulo. Sempre participa das festas tradicionais gregas e quase todo domingo, vai a igreja ortodoxa grega com sua mãe e com sua avó (por parte de pai). É uma profissional bem-sucedida e segura de si, mas tinha um amor incondicional pelas tradições de seu povo.

Ou seja, ela é muito top!

A tradição já se começa por ela mesma. Seu nome foi dado por seu pai, Constantino Petropoulos para homenagear a Rainha Helena de Tróia. Bom, na verdade, a ideia foi da sua avó, que queria lembrar a força e coragem da mulher grega. Seu nome significa "a reluzente", "a resplandecente". É um nome feminino originário do grego Heléne, a partir de heláne, que significa "tocha". O termo hélê significa "raio de Sol".

E realmente, tanto na aparência quanto na alma, Helena era reluzente. Era o raio de sol da casa, da família e se deixar, de toda a comunidade grega. Era a filha mais velha de três irmãos e única menina da casa. Seus irmãos Heitor e Hermes adoram a irmã, principalmente quando ela os ajuda a sair de encrencas...

Alguns amigos perguntavam de brincadeira, se Helena era a reencarnação de Athena, a Deusa da Sabedoria, referência ao anime Cavaleiros do Zodíaco, do qual ela e seus irmãos adoravam assistir. Até seus pais entravam na onda!

O maior sonho da mãe de Helena, Dona Sophia, é ver a sua única filha casada na tradicional Igreja Ortodoxa Grega de São Paulo, a mesma onde ela se batizou e fez primeira comunhão. E ai dela se isso não acontecer...

Mas ela não quer se casar, pelo menos não agora. Ainda queria fazer muita coisa na vida, como viajar pelo mundo, conhecer outras culturas e quem sabe fazer uma outra faculdade ou uma pós-graduação.

Assim como algumas mulheres, ela até tem vontade de se casar, usar o vestido de noiva, véu e grinalda, como manda a tradição de seu povo, de ter filhos, formar a sua família... e de quebra, também arrumar um gato e um cachorro. Mas ainda quer manter a sua conta pessoal no banco. E não faz a menor questão de ter uma conta conjunta.

_ Bom, ninguém se casa pensando em se divorciar. Mas é sempre bom você ter um plano B, no caso de acontecer, pois não sabemos o dia de amanhã. _ era uma de suas alegações. Era difícil para mulheres como Helena arrumarem um companheiro à sua altura. Infelizmente alguns homens não sabem lidar com mulheres bem resolvidas e independentes. Ela até chegou a arranjar alguém para compartilhar a sua vida, mas parece que o fato de seu salário ser muito acima do dele, meio que atrapalhou o relacionamento e por esse motivo, acharam melhor se afastar, antes que um magoasse o outro.

É o preço que se paga por ser bem sucedida.

Porém ela não pretende desistir do amor assim tão fácil, pois é guerreira. Não que esteja desesperada correndo atrás de alguém, muito pelo contrário. Só não fica procurando. Sabia que quando menos esperar, o amor há de bater na sua porta. Enquanto isso, curte livre, leve e solta, a sua vida de solteira.

É também uma mulher fina e elegante. Não usa roupas de marca, mas todos à sua volta admitiam que ela tem muito bom gosto para se vestir. Sempre discreta, mostra apenas o básico de seu corpo. É bonita sem ser vulgar.

Além disso, ela gosta e muito de ler. É uma verdadeira "rata de biblioteca", nas suas horas de folga, pesquisa sobre livros na internet e possui crédito na maioria das livrarias, sejam físicas ou online. Ela lia de tudo e mais um pouco, mas os seus favoritos eram os romances hot e sempre dá preferência aos livros físicos, mas não via problemas em ler em PDF. Sua estante de livros era maior do que seu guarda-roupa.

_ Se você conhecer uma garota que tenha mais livros do que sapatos, case-se com ela! _ Era uma frase que Luiz sempre dizia em relação à Helena, que por sua vez, nunca entendeu o motivo de não poder conciliar as suas duas paixões, livros e sapatos. Ela adora livros, mas também gosta muito de sapatos... apesar de ter mais livros do que sapatos.

Aliás, muitos se perguntavam como duas pessoas tão diferentes se conheceram e namoraram. Foi mais ou menos assim... ela tem uma amiga de infância, Samantha, que trabalha como personal trainer na academia onde Luiz treina. É professora de Educação Física, especializada em Condicionamento Físico.

Se foi Samantha que apresentou Helena à Luiz? Não. Sam, para os mais chegados, nem falava muito com ele, somente o cumprimentava por educação e o pouco que sabia sobre ele, não era boa coisa...

Luiz era do tipo pegador e a mulherada se jogava em cima dele. Bom, ele realmente é o tipo de homem que encanta as mulheres, alto, forte, moreno, olhos verdes... e sabia como e quando jogar o seu charme. Segundo as más línguas, ele já havia saído com a maioria das alunas da academia.

Não foi à toa que Helena ficou fascinada por ele!

Um dia, por insistência de Samantha, foi à academia para uma aula experimental da amiga e foi fazendo um tour pelo local, que acabou por conhecer Luiz. E ele também não resistiu aos encantos daquela bela morena de cabelo liso, comprido e bem tratado, dona de um corpo bem feito e de sorriso carismático. Para ele, Helena era o máximo da beleza.

E venhamos e concordamos, ela é muito linda, uma joia rara, cobiçada pela maioria dos rapazes, que não resistem aos seus encantos. Não sabe o quanto desperta o desejo nos homens e por várias vezes, isso foi um problema para ela. Mas graças a sua deusa interior, sempre dá o seu jeito de escapar de situações embaraçosas.

Helena nunca se permitiu "perder a cabeça" por causa de homem. Se tem algo que ela não faz em hipótese alguma é correr atrás de homem, pois era muito orgulhosa para se submeter a um papelão desses. Já teve alguns relacionamentos sérios, ficantes e "casinhos" de momento, mas quando via que a relação não tinha futuro, caía fora. Além disso, sempre se colocou em primeiro lugar.

Quando Luiz e Helena começaram a sair juntos, ela contou o quanto gostava de ler. Tanto que quando a pediu em namoro, pediu com um livro. E sempre em época de Natal, dia dos Namorados, aniversário dela ou de namoro, ele dava livros para ela.

_ Nossa amiga, ele é realmente muito apaixonado por você! _ Dizia Samantha, toda vez que Helena ganhava um livro de Luiz: _ A ponto de te dar livros. Não é do feitio dele.

_ Ah ele gosta de me agradar... E a gente vai morar junto...

_ O QUE? COMO? QUANDO? ONDE?

_ Calma Sam, uma pergunta de cada vez! _ Pediu espantada e se divertindo com o susto da amiga: _ já tem um tempo que estamos conversando sobre isso. Ele disse que precisava sair da república...

_ Então ele só quer morar com você para sair da república? _ Concluiu Samantha.

_ Credo, também não é assim! _ Protestou Helena: _ nós queremos unir o útil ao agradável. Parece que ele e os amigos estão tendo problemas com o dono da casa onde moram. Ele precisa de um lugar para morar e por que não morar comigo? Já que ele está sempre lá em casa, então que fique de uma vez.

_ Bom se é assim... mas já pensou no que os seus pais vão dizer?

_ Sim e é isso que me preocupa... vou ter que pedir aos deuses muita coragem para enfrentar os dois. E pedir a minha vó para rezar por mim.

Dona Constantina Vardalos Petropoulos, mais conhecida como Vó Tina ou giagiá Tina na comunidade grega, a matriarca da família, era a pessoa que Helena mais admirava no mundo. Era uma mulher à frente do seu tempo. Claro, era apegada as tradições e as crenças de seu povo, mas sabia ser flexível a certos conceitos da vida, principalmente no que diz respeito ao papel da mulher na sociedade.

Quando a Europa estava sendo devastada pela Segunda Guerra Mundial, ainda menina, Tina fugiu para o Brasil com um grupo de refugiados, depois de perder tudo o pouco que tinha. Ajudou a formar a comunidade grega em São Paulo, se tornando uma espécie de líder comunitária. E mesmo com a idade avançada e sendo mulher, ainda liderava com mãos de ferro.

Graças aos deuses, Helena sempre pôde contar o apoio da sua avó. Quando começou a trabalhar e namorar na adolescência, foi aquele escândalo, mas para sua sorte, a sua avó ficou do seu lado e soube muito bem como contornar a situação. Quando decidiu sair de casa e ir morar sozinha, claro que seus pais foram contra, pois eram muito tradicionais (para não dizer caretas). Acreditavam que os filhos somente poderiam sair de casa apenas para se casarem, de preferência na igreja, principalmente ela, que era filha única e claro, com um homem que seja digno de ser seu marido.

_ Ela não está passando necessidade. Somente quer ganhar o próprio dinheiro e isso é maravilhoso. Mostra que quer ser independente. E ela só está saindo de casa para ter o próprio espaço e porque é mais próxima do seu trabalho, não porque está incomodada com alguma coisa ou porque não ama mais vocês. Ela só quer ser livre!

Eram as sábias palavras da vovó Tina. E ela estava certa, Helena era de um espírito indomável que só queria ser livre. E quando o assunto era sexo, sempre dava certos conselhos que deixava Dona Sophia constrangida.

_ Na sala ou na cozinha, a mulher deve agir como um cordeiro. Deve ser gentil e prendada. Mas no quarto, principalmente na cama, a mulher deve agir como uma tigresa no cio. Deve ser selvagem e fogosa! _ Era o que sua avó sempre lhe dizia.

E Helena sempre seguia os conselhos da giagiá, principalmente o segundo.

14 de Agosto de 2019 às 13:38 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Mensagem Estranha

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 79 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!