Pais de primeira viagem Seguir história

abo-dream

Minseok descobriu que estava grávido após desmaiar no meio do expediente, tudo que queria era compartilhar com seu marido Jongdae esta felicidade, mas o alfa entrou em pânico ao saber que seria pai.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#collab #projeto #abo-dream #abo #chenmin #xiuchen #exo #slash #yaoi #mpreg #pais #fluffy #romance
Conto
1
2.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

PAIS DE PRIMEIRA VIAGEM

CAPÍTULO ÚNICO

PORbhlovescye_Avallon




Minseok sabia que não deveria ter saído de casa naquela manhã.

Fazia algumas semanas que o Kim não estava sentindo-se bem, uma tontura aqui, um enjoo ali, mas nada com que tivesse que se preocupar, até aquela manhã. Por algum motivo, ele estava sentindo uma sensação estranha em seu estômago, algo que não era incomum nos últimos dias.

O ômega acreditava ser tudo estresse, afinal, ele trabalhava em uma empresa renomada com centenas de funcionários e sendo o gerente da área de recursos humanos era normal ele ter problemas demais para resolver. Principalmente nessa época, onde a maioria dos funcionários escolhiam tirar férias.

Ele estava apenas procurando algumas pastas de funcionários em seu trabalho, quando desmaiou, caiu no chão do nada, deixando seu melhor amigo, Baekhyun, em pânico, tentando entender o que tinha acontecido. O Byun estava organizando os arquivos em uma prateleira próxima quando percebeu seu amigo dar uma cambaleada e ir direto ao chão.

O outro ômega não pensou duas vezes antes de começar a gritaria no escritório até que um alfa ou beta o ajudasse a levar o Kim para o hospital, pois em seu desespero o Byun não teria forças para levantar o amigo.

A salvação apareceu cinco minutos depois, com mais de 1,80 metros de altura e orelhas protuberantes. Park Chanyeol foi o primeiro a ouvir os gritos do ômega e correu em direção para poder ajudar. A cena que ele encontrou foi Baekhyun ajoelhado no chão com o rosto molhado por lágrimas e Minseok com a cabeça apoiada em algumas pastas.

— O que foi que aconteceu? — perguntou preocupado ao se ajoelhar ao lado dos dois ômegas.

— E-Eu... eu não sei! — chorou o Byun olhando para o amigo estendido no chão — Uma hora ele estava bem e do nada...

Chanyeol imediatamente percebeu que não tiraria mais informações do ômega. Ele colocou a mão nos cabelos do menor em um carinho gentil e tentou falar com o máximo de calmo que podia.

— Está tudo bem, okay? Ele vai ficar bem, mas eu preciso que você se acalme, está bem?

Baekhyun secou as lágrimas com a manga do casaco antes de concordar com a cabeça e levantar do chão. Ao mesmo tempo, Chanyeol passava os braços ao redor do Kim para pegá-lo no colo.

— Vamos levá-lo até o hospital no meu carro porque é mais rápido — disse dando passos largos fazendo que o Byun corresse um pouco para acompanhar.

Não demorou muito para que eles chegassem no estacionamento da empresa. O Park rapidamente destrancou o carro e esperou Baekhyun entrar primeiro para que ele pudesse colocar Minseok em seu colo.

O caminho foi feito em silêncio, tirando os soluços ocasionais do Byun. Chanyeol foi rápido em dirigi-los até o hospital, cortando caminho por dentro da cidade e evitando semáforos fechados.

Eles chegaram ao hospital mais próximo em tempo recorde e Chanyeol pegou Minseok no colo novamente para levá-lo para dentro. Baekhyun já havia corrido até a recepção e pedido por uma maca, pois seu amigo tinha desmaiado no trabalho.

O ômega observou com o coração pesado seu amigo ser levado por várias enfermeiras até um quarto. Ele estava prestes a seguir o Kim quando sentiu uma mão em seu ombro o fazendo parar.

— Eu tenho que voltar para a empresa para avisar o chefe do que aconteceu — explicou enquanto secava os rastros de lágrimas na bochecha do menor — Me mantenha atualizado, okay?

Baekhyun assentiu várias vezes, prometendo ao alfa que o manteria informado. Chanyeol sorriu para o menor e foi embora após bagunçar os fios loiros do ômega. Com as bochechas coradas, o Byun andou até o quarto onde seu amigo estava e sentou-se em uma das poltronas disponíveis para esperá-lo acordar.

O que, felizmente, não demorou para acontecer.

— O que foi? Por que me trouxe para um hospital, Baekkie? — Minseok perguntou assim que acordou, um tanto desnorteado, olhando para os lados e tentando entender o que estava fazendo ali.

— Você desmaiou no trabalho, fiquei preocupado. Os médicos vão fazer exames e saber o porquê de você ter desmaiado do nada e ter ficado mais de uma hora desacordado. — disse feito uma mãe brava, fazendo o amigo rir.

— Eu devo ter passado noites demais dormindo pouco e tive um excesso de exaustão, apenas isso, quer ver?! — disse rindo e sentou-se na cama, encarando Baekhyun que olhava o celular.

Pelo jeitos que seus dedos deslizavam na tela, o Kim assumiu que seu amigo estava conversando com alguém. Curioso, ele puxou o braço do outro ômega para que ele contasse o que estava fazendo.

— O Chanyeol que me ajudou a trazer você aqui. — disse risonho — Agora ele tá me mandando mensagem perguntando se tá tudo bem.

— Você me usou para dar em cima dele? — indagou o Kim em falsa ofensa.

— Claro que não, mas não posso perder nenhuma chance. — disse rindo ainda mais, fazendo Minseok fechar a cara.

— Hey, você não contou para mais ninguém, né? — perguntou com medo da resposta.

Seu medo era de que seu amigo tivesse contado para seu chefe, ou pior, seu marido. Jongdae era um alfa gentil e carinhoso, mas Minseok odiaria interromper seu trabalho só porque ele desmaiou de exaustão.

— Não se preocupa, Chanyeol já lidou com tudo na empresa e uma enfermeira me disse que não é nada grave então não liguei para o Jongdae também.

Minseok respirou aliviado.

Alguns minutos depois o médico voltou.

— Boas notícias, não é nenhuma doença ou virose, você está bem. Mas seu beta hcg deu elevado, — disse sério e fez uma pausa por alguns instantes — O que indica de quatro a cinco semanas de gestação, você está grávido.

Minseok ficou meio zonzo por um momento, sem saber como absorver aquela notícia, mas logo sorriu abertamente, segurando a mão de Baekhyun, que estava com lágrimas nos olhos e quase pulando de alegria.

— Parabéns, Min, tenho certeza que o Dae vai amar a notícia.

— Assim espero. — sorriu e pegou um atestado com o médico, para que pudesse ir pra casa e, com a ajuda de Baekhyun, foi para frente do hospital chamar um táxi.

Baekhyun o ajudou a entrar no carro e após um aviso muito sério para o motorista não ir muito rápido, se despediu do amigo com um sorriso. Lembrando-se da promessa que havia feito mais cedo, o ômega mandou uma mensagem para Chanyeol explicando que estava tudo bem.

Minseok não foi o único ao ter algo para comemorar quando Chanyeol mandou uma mensagem perguntando se Baekhyun gostaria que ele fosse buscá-lo.


∴ ════ ∴ ❈ ∴ ════ ∴


Minseok entrou em casa com um sorriso de orelha a orelha e segurando os exames em mãos, dentro de um envelope branco. O marido era contador e trabalhava em casa, Jongdae nunca gostou muito de trabalhar em empresas grandes e barulhentas, apreciava o silêncio.

Seguiu rumo ao escritório do marido e deu duas leves batidinhas, entrando em seguida.

— Oi, amor, aconteceu alguma coisa? — Jongdae perguntou, estranhando o fato do outro Kim ter chegado mais cedo do trabalho.

Saiu de sua cadeira e foi em frente da mesa, esperando Minseok ir até ele para poder abraçar seu ômega.

— Você não vai acreditar no que eu descobri esta manhã, meu bem. — disse mordendo os lábios e entregando o envelope para o marido, que sorriu de leve antes de abrir.

A curiosidade do alfa estava atiçada com as palavras enigmáticas e o envelope que Minseok estava segurando, porém ele não estava assustado, seu marido estava sorrindo.

— I-isso.. I-isso... temos um bebezinho de um mês em sua barriga? — perguntou ainda boquiaberto, olhando diversas vezes para o marido e para o papel, tentando absorver aquela informação.

— Sim, tenho um bebezinho de um mês. — disse animado, abraçando o corpo do marido — Tudo bem a gente ter um bebezinho?

Jongdae não queria dizer que quase desmaiou ao ler o resultado do exame, não porque não queria ter filhos com seu ômega, mas porque ter filhos o preocupava demais.

— Eu nunca tinha parado para pensar nessa situação, Min e se eu fizer tudo errado? E se eu não conseguir sustentá-lo? Se eu for um pai horrível? Meu Deus, eu acho que estou pânico agora. — disse um tanto atônito, voltando a sentar na cadeira de sua sala e pensando nas mil coisas que vinham em sua cabeça. — Precisamos de um quarto para bebê, precisamos de coisas de bebês, quem sabe uma casa maior... meu Deus! É um bebê.

— Sim, amor, vamos ter um bebê e tudo bem, não precisamos pensar em nada disso

agora, temos oito meses ainda — Minseok disse tentando acalmar seu marido.

— Só oito meses, apenas oito meses para criar outro ser humano, outra vida. Alguém que vai nos culpar até o dia da nossa morte se uma vírgula sair errada. É muita pressão. Eu estou feliz, quero tudo com você, mas não estava pronto para isso agora.

— Tudo bem, meu bem. Vamos ficar bem, vai dar tudo certo.

Minseok ficou um tanto surpreso com aquela reação, não sabia que Jongdae agiria daquela forma, se aquela situação tivesse passado por sua cabeça, certamente faria as coisas um tanto diferente, mas tentou lidar da melhor maneira no momento, sentando no colo do marido e acariciando as costas dele, não tocando mais no assunto por um tempo.

Ele sabia que Jongdae precisava de um tempo para lidar com a situação e se acostumar com a ideia de que em breve eles seriam pais e um bebê estava a caminho.


∴ ════ ∴ ❈ ∴ ════ ∴


Minseok estava em seu terceiro mês de gestação e só conseguia pensar no bebê, estava começando a ficar ansioso com aquela situação, principalmente por não dividir nada do que estava acontecendo com o marido, não queria deixá-lo estressado novamente e ainda tinham tempo para planejar tudo.

Ele não ia mentir e dizer que não estava magoado com a indiferença de Jongdae em relação a sua gravidez, mas ele também compreendia o lado do marido e seu medo de fazer algo errado por isso ainda estava dando um tempo, sem tocar no assunto.

Minseok acordou naquele final de semana com vontade de ir às compras e ver alguns itens necessários de bebê, como móveis, roupas, mamadeiras e entre outros. E não havia ninguém melhor para essa missão do que seu melhor amigo.

— Baekkie, vai no shopping comigo hoje a tarde? — pediu o Kim, fazendo olhos de cachorro sem dono.

— Posso levar o Chanyeol? A gente ia ter um encontro, mas com essa sua cara eu não consigo dizer não. — suspirou e logo depois sorriu

— Fico feliz que você e o Chanyeol estejam se dando bem — o Kim sorriu gentilmente — Se um dia vocês se casarem lembrem de dizer que foi graças a mim que vocês ficaram juntos.

— Okay, senhor casamenteiro, você será lembrado — Baekhyun falou brincando — O que vamos comprar?

— Roupas de bebês. Eu quero muito já comprar as primeiras roupinhas e já ver como vai ser minha vida em seis meses. — sorriu animado.

— Ué, mas o Jongdae tem tanta coisa para fazer que ele não pode tirar uma hora de folga para te levar?

— Não é isso, ele só... eu não falo com ele sobre o bebê, ele reagiu muito mal da primeira vez. — desabafou com o amigo.

Baekhyun sabia do receio de Jongdae sobre a gravidez porque Minseok já havia contado, porém ele não esperava que tivesse sido tão sério a ponto deles não conversarem sobre o filho que iria nascer dali a alguns meses.

— Eu vou matar ele se não quiser esse bebê. — ameaçou fazendo uma expressão fechada.

— Ele quer, mas ele tem medo de dar tudo errado... de não ser um bom pai e eu não sei o que dizer para ele, então como temos tempo, eu vou adiando essa conversa para um momento que realmente não dê para ele fugir.

— Isso tá muito errado, vamos sair com você hoje, mas você vai falar com ele e se houver mais papo furado eu vou acabar com ele.

O Byun estava falando sério. Ter um filho é um momento muito importante para um ômega e Baekhyun não deixaria seu melhor amigo perder esse momento porque Kim Jongdae estava sendo um babaca.

— Você é o melhor amigo do mundo, Baekkie.

Quando Minseok chegou em casa, após seu passeio pelo shopping com o Byun, já eram quase oito horas, bem diferente do seu costumeiro horário de quatro e meia. Jongdae estava sentado no sofá, olhando para a porta e esperando o momento que o marido passaria por ela.

— Minseok, onde você estava? Eu estou morrendo de preocupação. Você foi em algum lugar sem me avisar e está com o telefone desligado, quer que eu tenha um ataque do coração? — disse exasperado, abraçando o ômega em seguida.

Jongdae sabia que não estava sendo muito participativo em relação a gravidez, mas isso não o impedia de ficar preocupado com seu marido sempre que ele se desequilibrava ou demorava para ficar em casa.

— Desculpe, meu bem, eu fui no shopping comprar roupinhas de bebê e como você não quer falar do assunto, eu resolvi não contar para você, não queria lhe deixar mal.

Minseok depositou as sacolas de compra na mesa da cozinha antes de voltar para a sala e continuar a conversar com seu marido. Ele estava determinado a ter "a conversa" naquela mesma noite após ouvir o conselho do Byun.

— Meu bebê, me deixou muito pior fazendo eu me preocupar com você. — puxou o ômega para o sofá, o sentando consigo — Eu te amo e tenho muito medo de não saber cuidar desse bebê. Eu tenho medo de deixar ele cair, de trocar a fralda errado e ele ficar assado ou se sujar todinho... eu não tenho nem ideia do que eu tenho medo porque eu não sei como é ter um filho, cuidar de uma pessoa tão pequena e tão dependente da gente, entende. Mas isso jamais vai significar que eu não o amo ou não quero saber o que vai fazer, muito menos deixar de fazer algo com você, poderia ter me convidado para ir junto. Não queria você sozinho em um momento com esse.

— O Baekkie foi comigo. — disse com um biquinho fofo, que fez Jongdae suspirar e beijar os lábios do marido.

— Da próxima vez eu vou junto... assim posso até me acostumar mais com a ideia.

— Eu prometo que da próxima vez vamos juntos, para escolher as coisas para o quarto do bebê. — o ômega falou animado.

— Hm, pensei em uma coisa ainda melhor... uma casa nova. Precisamos de algo maior para o nosso filho, um bom quintal e eu quero que tenhamos isso.

Minseok não conseguiu conter o sorriso em seus lábios ao ver seu marido falando sobre o futuro e o bebê que iria nascer em breve, tão diferente de algumas semanas atrás.

— Você é o melhor marido do mundo. — sorriu e o beijou, ficando abraçado no corpo de seu alfa.

Eles logo trataram de buscar uma casa em um bairro melhor com todas as comodidades que eles procuravam e que achavam ser melhores para uma pequena família com um bebê.

A mudança não demorou a acontecer, Jongdae não estava falando da boca para fora, queria o melhor lugar de todos para cuidar do seu filho, apesar de estar em pânico com toda aquela situação, também estava feliz, era completamente apaixonado por seu ômega e ter uma família com ele era tudo que mais queria.

Minseok já estava com seis meses quando foram para a nova casa. Estava com a barriga grande e deixando a maioria das pessoas bobas quando o encontrava, não havia quem não caía de amores pela barrigona fofinha do ômega.

— Já disse para não ficar carregando peso. — disse Jongdae, tirando das mãos pequenas uma caixa com coisas para o quarto do bebê.

— Eu não gosto de atrapalhar você, sei o quanto gosta de trabalhar em silêncio e focar, mas eu não aguento mais ficar parado também.

— Eu sei meu amor, mas nada de carregar peso. Deixo você lavar e dobrar todas as roupinhas do bebê de novo.

— Já fiz isso duas vezes essa semana. — fez bico.

Em sua ansiedade em mudar para uma casa nova e a recusa do alfa em deixar Minseok ajudar, o ômega já havia mexido mais do que deveria nas roupas do bebê.

— Eu estava ironizando, se continuar nessa ansiedade ele nem vai ter roupa quando nascer. — disse rindo e largou a caixa no quarto do bebê, segundo as mãos de Minseok — Fica calmo, meu bem, até eu estou me acostumando mais com a ideia, não tenho mais um ataque do coração cada vez que você tem um enjoo ou está tão sonolento e desatento quanto um bêbado. Mas, por favor, mantém ele ai por mais três meses, não sei o que vai ser de mim se esse bebê nascer antes.

— Você é um bobo, vai ser um pai maravilhoso, só tem pensado nesse bebê também, então eu não sei porque ainda não tirou da cabeça esse medo idiota, mas... vamos pedir pizza agora?

Jongdae nem estranhou o fato de seu marido trazer comida para a conversa aleatoriamente. Ficou bem óbvio que os desejos do Kim iam e viam constantemente e ele sempre estava com vontade de comer algo.

— Vamos. — disse rindo e abraçou o marido, o enchendo de beijinhos — Não tirei a ideia da cabeça porque... eu tenho medo de fazer tudo errado, mas é óbvio que eu estou pensando no bebê... deixa eu te contar um segredo amor... — disse baixinho, chegando mais perto e fazendo Minseok sorrir — Meu sonho era ter uma família com você.

O ômega sorriu e beijou os lábio do marido, recebendo vários beijos em seguida.


∴ ════ ∴ ❈ ∴ ════ ∴


Os meses passaram rapidamente e logo o dia do parto de Minseok chegou. Jongdae suava frio, suas mãos tremiam e sentia um nó se formando na garganta, mas não saberia dizer se de felicidade ou pânico.

Andava de um lado para o outro enquanto os médicos preparavam seu marido para a cirurgia, esperando o momento em que poderia entrar na sala e segurar firme a mão do amado, até o tão esperado momento de fato acontecesse.

A bolsa do ômega havia estourado quando eles estavam relaxando em casa e o alfa não pensou duas vezes antes de colocar seu marido no carro e pegar a bolsa do bebê que eles haviam deixado preparada fazia meses. Jongdae nem sabia como tinha conseguido dirigir até aquele hospital e ainda preencher a papelada na recepção.

— Senhor Kim?! — chamou a enfermeira — Seu marido está pronto, vista a roupa esterilizada e já podemos dar início ao parto. — disse a mulher, entregando a vestimenta para Jongdae e esperando que ele a vestisse para que pudessem ir até a sala.

Minseok mordia os lábios e sorriu aliviado quando viu seu alfa ali, estendendo a mão para que ele a segurasse e lhe confortasse, enquanto os médicos davam início ao procedimento que logo traria seu filhote a vida.

A cirurgia mal havia começado e Jongdae já conseguia sentir um tremor nas pernas. Ele segurava a mão de seu marido com força e tentava não olhar para o lado em que o médico estava operando. Seu estômago não iria aguentar estando em um alto nível de ansiedade.

Foi com um alívio que ele ouviu um choro escandaloso e a voz do médico dizer:

— Parabéns, é um menino!

Jongdae respirou fundo e não conseguiu segurar o tremor e o choro quando viu seu bebê nascendo. Foi ele quem apertou mais forte a mão do marido e esperou que os médicos entregassem o pequeno, ainda não tivesse aceitado o pegar no colo, estava feliz demais em conhecê-lo. No momento em que o bebê nasceu, sentiu como se tudo tivesse mudado.

A enfermeira limpou o recém-nascido antes de entregá-los aos pais que tinham um grande sorriso no rosto. Ela o deu para Jongdae segurar, que ficou preocupado em derrubar o bebê, e assim que teve seu filho em seus braços o alfa não conseguiu conter as lágrimas.

— Min, ele é tão lindo, tão perfeito — falou observando as características delicadas do recém-nascido.

Minseok havia começado a chorar desde que o médico anunciou que era um menino, mas parecia que ele ainda tinha mais lágrimas para chorar, pois ver seu marido segurando o bebê deles com tanto amor o fazia ficar emocionado.

Jongdae se abaixou para mostrar o bebê para o Kim, sorrindo ao ver seu marido estender a mão para segurar a mãozinha pequena e que rapidamente agarrou os dedos do ômega.

— Já decidiram o nome? — perguntou o médico.

O casal trocou olhares, já sabendo a resposta em seus corações no momento que colocaram os olhos em seu filho recém-nascido.

— Jinhwan. O nome dele é Kim Jinhwan — anunciou Jongdae.

Não havia dúvidas que aquele nome era perfeito para seu filho, afinal, ele era realmente uma jóia brilhante em suas vidas.

8 de Agosto de 2019 às 15:07 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Projeto Abo Dream Olá, Dreammers! Nós somos o ABO_DREAM. Um projeto de fanfics do boy group EXO. Nossas fanfics são apenas do gênero ABO, hybrid e wolf. Atualmente nossa equipe tem 12 escritores dedicados a crescer o número de fanfics nesse tema que foi deixado de lado por um longo período. Nós temos conta também no Spirit: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/abo_dream E no Wattpad: https://www.wattpad.com/user/ABO_Dream Nós também aceitamos plots: https://goo.gl/BNdVH5 Bjoos ^.~

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~