O ARCO Seguir história

bruna-nunes-ferraz1563373257 Bruna Nunes Ferraz

Já imaginou acordar e não saber quem é você? Uma história cheia de mistérios e surpresas. Você vai se surpreender com a história dessa menina.


Suspense/Mistério Todo o público.
0
1007 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Quem é você mesmo?

Abri os olhos. Que escuridão! Que lugar é este?... Meus pensamentos rodavam tanto quanto minha cabeça, ao tentar me levantar senti uma forte pontada na cabeça, o que me fez olhar para o lado e perceber algumas pessoas ali por perto, um lindo monumento? O que seria aquilo?, a dor era maior, o cansaço, o mal estar, parecia que estava acordando depois de ter sofrido um grande acidente, logo, colocando a mão direita na cabeça em direção á nuca, me levantei e ainda cambaleando tentei pedir ajuda, fui em direção a aquelas pessoas que pareciam ter medo ao me verem, e não compreendiam o que eu dizia, apenas se esquivavam, notando que eles se afastaram decidi dar uns passos para trás e acabei caindo no chão, o que gerou ainda mais medo á aquelas pessoas, então, senti uma mão puxando meu braço, com força, e sem ao menos eu ver de quem se tratava, me levantou e me puxou para longe dali.


Uma casa simples, com pouca luz, eu tentava ver quem era aquela pessoa, mas não consegui, a pessoa estava vestida com um sobre tudo preto, um gorro que tampava parte do seu rosto, e o resto do rosto seu próprio cabelo escondia. Essa pessoa entrou na cozinha, a casa com poucos móveis, diria que quase nenhum, uma TV antiga em cima de um banco, um sofá gasto, logo á frente a porta da cozinha, e da sala, dava para ver uma pia com uma cortina em baixo, uma mesa frágil de madeira fina com 3 cadeiras, e um pequeno armário. Fui em direção a cozinha, e ao entrar, questionei:

- Olá, quem é você, que lugar é... Antes de completar a frase, ouvi sua voz:

-É essa a pergunta que você realmente precisa fazer? É isto mesmo que você quer saber?.

Assustada, e até achando um absurdo o questionamento daquela voz (ta bom, a voz de uma mulher), respondi:

- Eu somente quero saber o que esta havendo, onde estou. E rapidamente ouvi a resposta que mudou minha vida:

- Eu... Eu... Eu... Quem é você mesmo?

Ainda sem vê-la, ela se virou e saiu da cozinha, porem isto neste momento não importa, o importante é saber que me senti totalmente sem repostas. Quem sou eu?. Como eu não poderia saber de nada sobre mim? sim, eu não sabia de nada, não me lembrava de nada, me vi em choque neste momento, fiquei parada olhando para aquele lugar, sem saber o que pensar, sem saber o que fazer, em um susto a batida da porta me alertou, corri até a porta da sala, e percebi que estava trancada, olhei pela janela da sala, que ficava ao lado da porta, a vi saindo do portão, tentei chama-la mas, se sucesso. E permaneci ali, olhando para tudo, sem saber o que fazer, não tive nem coragem de andar pela casa, me deitei no sofá, esperando a noite passar, que horas eram?, não sei, sei apenas que foi uma noite longa, onde o choro me fez adormecer.

Ao acordar, olhando para meus pés, sujos, uma calça jeans suja, uma blusa branca rasgada, e, continuei a sentir aquela dor na cabeça, e decidi tocar diretamente no local da dor, e senti ainda mais dor, meus dedos com um pouco de sangue, então estava claro que havia levado uma pancada na cabeça, provavelmente por este motivo não me lembrava de nada. Olhei a minha volta, e me sentei, estava com muita fome e sede, vi que a casa tinha ainda uma porta, e fui em sua direção, havia um corredor, e de um lado do corredor a porta estava aberta, com um banheiro, e a outra porta estava do outro lado do corredor, assim, tentei abrir a porta, e não consegui, estava trancada. Então fui em direção a cozinha, para tomar uma água, e talvez comer algo, se eu tivesse sorte, conseguiria.

A cozinha era um pouco escura, a luz que iluminava era da sala, que tinha luz, mas por já ser dia, estava iluminada pela luz natural, diferente da cozinha que não tinha janela, ou qualquer luz, então abri a torneira da pia e bebi água com a mão mesmo, ao abrir a cortina que cobria a parte de baixo da pia, vi uma bolacha de água e sal, comi, mas deixei algumas bolachas para outro momento, não sabia o que fazer, não sabia o que pensar, tentar sair daquele local parecia impossível, então resolvi esperar. Lembrei-me da TV, que embora antiga, deveria ter alguma serventia, já que estava ali. Tentei liga-la, demorou um pouco, ver imagens, por conta do sinal fraco, então movimentando os fios na TV, consegui ligar em um canal. E fiquei ali sentada, esperando o tempo passar, ouvia alguns barulhos e olhava pela janela, mas, o muro não me deixava ver muita coisa.

O tempo foi passando e fiquei doida para tomar um banho, então ao chegar no banheiro percebi que não tinha chuveiro, teria que me virar, e usar a mesma roupa. Então fui até a pia da cozinha, e em balde, levei água para o banheiro e tomei um "banho". Ao sentar-me novamente na sala, comecei a pensar em tudo o que estava acontecendo, me sentindo totalmente angustiada, queria sair dali mas, como? Passei o dia assim, pensando, chorando, assistindo TV, e logo fui percebendo que o dia estava acabando, tudo foi escurecendo, então fiquei olhando pela janela, e via que a parte da frente da casa era mesmo um lote muito escuro, sem nada de luz, mas que por cima do muro havia um clarão, provavelmente era a luz da rua. De repente, a luz que iluminava a sala desligou-se, assim como a televisão. Então tudo ficou ainda mais escuro. "Era só o que faltava" pensei. Então ouvi um barulho no portão, e me escondi atrás do sofá, a porta da casa estava sendo aberta, eu só ouvia, não via nada. Então ouvi aquela voz me chamar:

- Boa noite, minha branca de neve... onde você esta?. Não se esconda, trouxe algo para você.

Neste momento, ao reconhecer aquela voz, me levantei, vi que aquela pessoa estava na cozinha, com uma vela na mão, e novamente não conseguia ver quem era aquela pessoa.

- Como você esta? - Me perguntou, continuei em silêncio e ela continuou. -Comeu a bolacha que deixei ontem para você, muito bem. Você esta se virando minha Branca de neve, até banho tomou. Após ouvir o seu riso questionei:

- O que esta havendo?, onde estou? Quem é você? - Fazendo algo na pia, e continuando de costas ela disse:

- Continua fazendo as mesmas perguntas!. Bom, trouxe algumas coisas para você, faça bom uso, até logo.

E saiu em direção á porta, então continuei fazendo as mesmas perguntas indo atrás dela. E quando ela abriu a porta, me contive, pois ainda tinha muito medo daquela pessoa, então ela apagou a vela e disse:

- Por nada Branca de Neve. Você ainda precisa aprender muitas coisas. Boa noite.

E foi embora. Logo quando ouvi o portão se bater, a luz voltou. Então olhei na pia da cozinha, algumas roupas, e umas vasilhas fechadas. Ao abrir vi uma sopa, um bolo e uma fruta. Então comi aquela sopa e deixei as demais coisas para o outro dia, troquei de roupa, vestindo um vestido longo, bem florido. E fui dormir.

17 de Julho de 2019 às 15:52 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo Todas as Segundas-feiras.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~