Diary of a Mad Man Seguir história

gemini_athena Lady Geminis

Depois da Batalha das Doze Casas e antes da batalha contra Poseidon Saori Kido a reencarnação de Athena se pergunta quais seriam os motivos que levaram o cavaleiro de gêmeos a cometer atos como aqueles, e qual seria a verdadeira face do geminiano, enquanto procura por respostas ela descobre um diário que pode conter essas respostas.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#saint-seiya #cavaleirosdozodiaco #cavaleirosdeouro #Saga-de-Gêmeos #Shaka-de-Virgem #Kanon-de-Gêmeos #Os-cavaleiros-do-zodiaco #cavaleiros-de-ouro #sagadegemeos #kanondegemeos #Aioros-de-Sagitário #aiorosdesagitario #shakadevirgem #Aioria-de-Leão #aioriadeleão
1
2.6mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Diário de Saga.

O Santuário – Pouco Depois da Batalha das Doze Casas:

A apenas algumas semanas as cruéis e sangrentas batalhas das doze casas tinham acontecido, tudo começara quando Saori por meio da Guerra Galáctica que tinha sido planejada por seu avô para atrair a atenção do mal que se escondia no Santuário de Athena e tinha culminado na morte do Cavaleiro de Gêmeos, quem era o tal mal, nos braços da jovem que era a reencarnação de Athena.


A batalha das doze casas fora algo marcante e também inédito no Santuário pelo que a deusa descobrira, não apenas deixara o Santuário em uma bagunça enorme tendo em conta a morte de cavaleiros e servos no recinto sagrado, como fora a primeira vez em séculos que uma revolta de tal calibre aconteceu no templo de Athena, além de ser a primeira vez desde a era mitológica em que alguém havia com sucesso invadido as doze casas.


Porém esse evento não deixara apenas a confusão no Santuário, ou mortos que precisariam ser sepultados, construções restauradas ou então feridos que necessitavam cuidados, também deixara muitas dúvidas na mente e no coração de Saori a jovem reencarnação de Athena na terra que tinha acabado de retornar ao seu Santuário.


Uma desses questões por sua vez envolvia o Cavaleiro de Gêmeos, quem ele era realmente seria ele o homem mal que havia tentado mata-la para obter o controle do mundo e que mergulhara o Santuário em escuridão para cumprir suas ambições, ou seria na verdade um homem bom que se arrependia de seus atos de todo o coração e que tirara sua própria vida para pagar por seus pecados?


Isso era algo que a jovem deusa não sabia responder e que vinha lhe perturbando enquanto assistia a seus cavaleiros na restauração do Santuário, e no tratamento dos cavaleiros de bronze que estavam muitos feridos pelas batalhas que tinham enfrentado, essa perturbação era tão grande que até mesmo Shaka de Virgem lhe recomendara a procurar as perguntas para essas tais respostas.


Foi por isso que naquela noite depois de supervisionar a reconstrução das doze casas que tinham sido avariadas pelos combates e checar como estavam Seiya e os outros com cavaleiro de ouro de touro, Aldebaran, que estava fazendo a vigia para garantir a segurança dos cavaleiros no hospital, Saori decidiu seguir o conselho de Shaka procurando pistas no local onde o cavaleiro de gêmeos habitara nos últimos treze anos.


Não foi difícil para Saori encontrar os aposentos que pertenciam ao Grande Mestre do Santuário, as indicações dos servos eram claras e era notável que aquele canto do décimo terceiro templo era mais sombria do que as outras partes, algo causado em parte pelas longas cortinas que cobriam as paredes e as janelas daquela parte do templo, mas também pelo conhecimento de que por anos o cavaleiro caminhara por aqueles corredores escuros.


Saori quase conseguia imaginar com clareza o cavaleiro de gêmeos utilizado os trajes do Grande Mestre e caminhando por aqueles corredores como se fosse alguma espécie de fantasma macabro, tal ideia lhe causava um arrepio na espinha, mas mesmo assim ela prosseguiu estava decidida a descobrir as respostas a suas perguntas.


A deusa porém se surpreendeu quando abriu a porta que levava aos aposentos privados do Grande Mestre, diferente do que ela imaginava o quarto parecia bastante organizado para alguém que parecia tão caótico quanto o geminiano, em um canto estava uma cama que parecia grande e confortável, um armário que a deusa assumia que deveria ser onde ele guardava suas roupas, uma estante com vários livros, algumas mesas de canto espalhadas em locais estratégicos, um divã em um canto, uma escrivaninha e um espelho que parecia estar quebrado.


Com exceção do do espelho tudo parecia estar tão organizado que se não fosse pela camada de poeira que cobria tudo no quarto ela duvidaria que o mesmo estivesse assim a mais do que algumas horas, o espelho no entanto não era tão estranho já que praticamente todos os espelho no décimo terceiro templo estavam quebrados, sem se atentar nesse detalhe ela começou a procurar pelo quarto.


O armário era apenas o que ela imaginava ali estavam as várias roupas, as quais em sua maioria eram as vestes típicas do Grande Mestre, os livros da estante também estavam bastante organizados, por ordem de idade e conservação, os tomos tratavam de assuntos variados do Santuário, mas haviam um ou dois romances por ali.


Nas mesas de canto não tinha muita coisa, algumas apoiavam vasos ou tigelas, e algumas tinham gavetas com coisas aleatórias guardadas, assim sendo lhe restou apenas a escrivaninha que estava em um canto mais afastado do quarto, a qual tinha chamado mais de sua atenção quando entrara no cômodo.


Em cima do tampo de madeira da mesa estava uma coleção de papeis aleatórios e que aparentemente eram documentos do Santuário, um livro de capa vermelha com uma gravação dourada do simbolo de gêmeos chamou sua atenção, mas decidiu olhar ele mais tarde, um tinteiro cuja tinta já havia secado a algum tempo e alguns peso de papel.


Os papéis estavam em sua grande maioria escritos em grego e com uma caligrafia impecável, aparentemente eram documentos do Santuário de Athena, todos assinados em nome de Shion, quem ela assumiu que seria o verdadeiro nome do Grande Mestre.


Nos documentos não tinha muita coisa a maior parte deles eram respostas e missivas que nunca chegaram a ser enviados a seus remetentes, nas gavetas haviam alguns carimbos, selos oficiais, pesos de papel e abridores de cartas, realmente não parecia ter muito ali.


Sendo assim Saori decidiu finalmente voltar sua atenção para o livro de capa vermelha, primeiro o analisando por fora, a capa parecia ser revestida com couro e aparentemente a gravação dourada era realmente feita de ouro, aparentemente o livro era consideravelmente novo e era possível perceber que algumas páginas estavam avariadas.


Assim que abriu o livro um pedaço de papel caiu de dentro do mesmo, ao pegar esse papel percebeu que se tratava de uma fotografia antiga, o papel estava um tanto amassado e mesmo molhado em alguns cantos, na foto se podia perceber dois meninos extremamente parecidos que não pareciam ter mais de onze anos de idade abraçados, rindo e com pinturas faciais típicas daquelas de pequenas feiras e parques.


Para deusa não foi impossível de notar que ambos os meninos se pareciam muito com Saga, sendo assim aparentemente um deles era o cavaleiro de gêmeos, e o outro aparentemente era seu irmão, considerando a semelhança os dois deveriam ser gêmeos assim como sua constelação, mas isso levantava mais uma questão, onde estava o irmão de Saga?


Sem encontrar mais nada conclusivo Saori voltou sua atenção novamente ao livro, percebendo logo de cara que se tratava de um manuscrito, e também que a caligrafia era bastante semelhante a dos documentos que estavam na mesa, uma passagem rápida pelas páginas do livro e pode perceber que de fato as páginas estavam avariadas.


Algumas pareciam ter se molhado, com que Saori assumira que foram lágrimas, outras manchadas de tinta, e ainda tinham páginas que tinham resquícios do que Saori assumiu que se tratava de sangue seco, a caligrafia também parecia inconstante em algumas páginas as letras estavam bastante clara e bem trabalhada em outras estava errática e mesmo difícil de compreender.


Saori sentindo que talvez aquelas páginas pudessem ter alguma das respostas que ela procurava resolveu começar finalmente a leitura, sentando-se na cadeira que estava posicionada a frente da escrivaninha quase sem perceber, enquanto se concentrava naquelas páginas.


o0o-II-o0o


Páginas do Diário de Saga:


Quem sou eu? Bom? Mal? Divino? Demoníaco? Quem sou eu de fato? Sou o homem bom que sempre tentei ser e aparentei? Ou sou apenas um mentiroso hipócrita que apenas fingia ser bom, como já fui acusado? A verdade é que, já não sei mais dizer qual é a resposta para essas perguntas. Mas quando foi que me perdi tanto? Me lembro quando era jovem, inocente, tolo, ignorante, perguntas semelhantes me foram feitas, e eu estava tão certo das respostas.


Simplesmente já não consigo mais encontrar respostas para essas perguntas por conta própria, e aqueles que talvez pudessem ter essas respostas já não mais estão nesse mundo, mortos ou pelas minhas próprias mãos ou por ordens minhas...


Quando foi que tudo ficou tão difícil? A cerca de três anos quando usurpei a posição do Grande Mestre do Santuário? Ou será que foi ainda antes disso?


Não sei dizer, apenas sei que talvez esteja fazendo um trabalho muito bom em ser um traidor e enganar as pessoas a meu redor, já que nesses últimos três anos ninguém chegou a descobrir que o Grande Mestre não mais é aquele que foi escolhido por Athena e sim eu, Saga de Gêmeos.


Mas ainda sim me pergunto o que aconteceria se algum de meus “companheiros” descobrisse quem sou, ou então por que fiz tudo que fiz, por que não fui capaz de lutar mais com essa voz maligna que se instalou em minha mente...


Será que sentiriam ódio? Medo? Pena? Me julgariam fraco? Diriam que foi justo?


Não sei dizer, e acho que isso é algo que nunca irei poder descobrir, pois mesmo que “Ele” me deixasse contar o que aconteceu, afinal mal permite que alguém veja me rosto e siga com vida, não sei se seria capaz de contar, não depois de tanto tempo escondendo, mentindo, dissimulando e mesmo manipulando.


Pois a verdade é que a visão que meus “colegas” tem de mim como um “semideus bondoso, piedoso e incapaz de qualquer mal” não passa de uma ilusão, uma das infinitas mentiras que já contei para todos a meu redor.


Mas mesmo assim não posso, não consigo mais conviver com isso, com esses segredos, porém como já disse não conseguiria contar tudo depois de esconder por tanto tempo, não teria forças para isso mesmo que “Ele” me permitisse.


Foi por isso que decidi deixar tudo por escrito, mais especificamente nesse relato, pode parecer covarde, sou o primeiro a admitir e provavelmente Kanon deveria estar rindo de mim no outro lado se ele ainda me observa, mas não creio que pudesse mais manter isso escondido.


Não planejo porém que alguém tenha acesso a esse relato até que Athena retorne e eu pague por meus pecados, tanto os que já cometi quanto os que sei que ainda cometerei, mas quando isso acontecer e eu pagar com minha vida por meus crimes farei por onde esse relato seja deixado onde possa ser encontrado.


Também não desejo a piedade ou empatia de quem quer que leia o que registrarei nessas páginas pois isso é algo que alguém como eu não merece, meu único desejo é que aqueles que encontrem esse relato possam aprender com minha história e não cometam os mesmos erros que cometi e que aprendam tudo aquilo que um cavaleiro de Athena não deveria ser.


Mesmo assim também gostaria de deixar um pedido de desculpas, que talvez nunca possa entregar, para todos aqueles que prejudiquei ou machuquei e também que virei a fazer mal no futuro, isso nunca foi meu desejo, mas principalmente eu gostaria de me desculpar com Shion o legítimo Grande Mestre do Santuário, Aioros meu grande amigo e que mesmo depois de tudo ainda pareceu se preocupar comigo e por fim meu querido irmão Kanon a quem eu apenas queria o bem, apesar de tudo...


o0o-II-o0o


O Santuário – Pouco Depois da Batalha das Doze Casas:

Saori estava totalmente absorta na leitura do que aparentemente parecia um diário, ainda não tinha lido muito, mas já haviam algumas coisas que tinha descoberto, Saga dizia ser amigo de Aioros e aparentemente seu irmão gêmeo se chamava Kanon, assim como o arrependimento que tinha em relação a morte do Grande Mestre, que se chamava Shion.


Porém não pode prosseguir mais pois foi interrompida por uma voz que lhe chamou sua atenção.


– Senhorita Athena? – um servo visivelmente preocupado lhe chamou a atenção. – Sinto muito incomodar mas já e está tarde e não creio que seja uma boa ideia ficar aqui, afinal esses eram os aposentos dele.


A jovem deusa após se recuperar do pequeno susto que teve sorriu gentilmente para o servo ao se levantar para responder, sabia que não tinha nenhum motivo para se preocupar com qualquer possível fantasma do cavaleiro de gêmeos, mas mesmo assim não julgaria o servo por seu nervosismo já que foram justamente os servos que graças a sua proximidade com o usurpador que estavam entre os que mais sofreram injustiças.


– Não está incomodando. – respondeu Saori gentilmente. – Eu já estava saindo mesmo, mas agradeço a preocupação.


E com calma deixou o cômodo que já servira de habitação ao cavaleiro de gêmeos e se retirou para seus próprios aposentos levando consigo a fotografia e o livro com capa vermelha, definitivamente continuaria com essa leitura, agora já sabia onde encontraria as respostas para suas questões sobre o cavaleiro, algo lhe dizia que essas respostas se escondias naquelas páginas.

13 de Julho de 2019 às 08:57 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Gêmeos.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas