(2019) Venom Seguir história

chrysiksolemn_ Chrysí K. Solemn

Frank sente falta dela. -- Baseada na música Venom, de Richie Kotzen.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#richie-kotzen #songfiction #spinoff #personagens-originais #original #romance
Conto
3
4.2mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

ÚNICO

Oh You’re everything around me I’ve got no control

Nine

Nine lives forgot about me I’ve got nothing

And Trust

I aint trusting much about me

Lately I’m out of control


Frank bateu com o copo de rum no balcão, e a garçonete responsável pelo bar o repreendeu. Ele não se importou. Nada importava, para falar a verdade. Não naquela noite.

Perdeu as contas de há quantos dias estava naquela de ir ao bar e ficar ali, bebendo, sem destino. A vista turva avisava que era hora de parar, mas insistia. Não sabia o motivo, apenas queria que toda aquela dor em seu peito fosse embora e a bebida o anestesiava.

Ela fez de novo. Lucy foi embora. E ali estava ele, no bar favorito dela, como se esperasse ela aparecer diante de si em um passe de mágica. Era mesmo um imbecil, mas não conseguia evitar. Por mais que soubesse que não era recíproco…

Frank a amava.

Deu uma risada rouca, bebendo mais um pouco. Faltava palavras para descrever sua estupidez. Como podia amar alguém que não o amava? Era insano. Tão insano que sonhava acordado, querendo acreditar que ela voltaria.

Ela sempre volta, convenceu-se.


I’m hooked on your venom you poison my mind

I’m sick from the venom you spit in my eyes


Lucy não voltaria. Tinha certeza que não. Não daquela vez. Estava mais uma vez sozinho, coisa que jamais deveria ter mudado. Que tolo foi de pensar que um monstro como ele pudesse encontrar amor.

Ainda assim, por mais que não quisesse admitir em voz alta… Algo dentro de si insistia em esperá-la. A razão e a emoção brigavam entre si, com a música do bar e as pessoas servindo de plano de fundo. Ele baixou a cabeça, repreendendo sua mente confusa igual a garçonete fez com ele. Precisava levantar; precisava voltar para casa, já ia amanhecer e que os deuses proibissem que fosse visto na luz do dia.

Era grotesco, era essa a verdade.


No

I won’t throw down the gauntlet cause I’ve got no hope

Wine

I’m drinking from your fountain I’m soaking in nothing

More

I aint got enough around me lately I’m out of control



O copo vazio foi cheio mais uma vez, desta vez, com vinho.

Cabalístico.

— Já tem um bom tempo que eu te vi no balcão. Mas só agora criei coragem para dizer “oi”.

Ele conhecia aquela voz.

— Vem sempre aqui?

Frank tentou falar, mas balbuciou; tentou se levantar, mas estava sem força nas pernas. Apenas sentiu aquelas mãos frias, mas firmes, em seu rosto.

Os olhos vermelhos, da cor da bebida, brilharam. Ela parecia estar se divertindo com aquela visão. E como não estaria? Sabia que ela era muito fã de uma ironia do destino. No fundo, Frank sabia que era tudo uma baboseira e, sim, ela estava observando-o desde sua primeira visita ao bar. Mas estava tão feliz em vê-la que não conseguia sequer sentir raiva.

Ele agarrou o pescoço dela e a beijou. Não conseguiu se aguentar.


I’m hooked on your venom you poison my mind

I’m sick from the venom you spit in my eyes

I’m hooked on your venom I see that I’m blind

I’m sick from the venom you spit in my eye




NOTA DA AUTORA: A música é Venom, do cantor Richie Kotzen. Personagens são de minha autoria, fazem parte dessa original aqui. É só que essa música combinou tanto, não me aguentei, quis escrever, haha.

11 de Junho de 2019 às 04:00 2 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Chrysí K. Solemn Taróloga e astróloga aprendiz. Filha de Apollo, aluna de Hades, sol em Touro e ascendente em Sagitário. Viciada em Bayonetta. Escrevo mais angst; desculpe por antecipação.

Comentar algo

Publique!
Camy <3 Camy <3
OIE <3 Hahahaa, eu não me aguentei quando vi que tu tinha postado. Tô real animada com essa original que tá vindo. Bah, eu me apaixonei pelo Frank! Eu senti uma vibe sobrenatural na Lucy. Talvez por causa do ambiente; bar, Frank super dependente dela, essa coisa meio "meu Deus, ela é meu mundo!" que ele passou. Mas, sei lá, a Lucy apareceu e eu pensei: shit, é uma vampira. Aí vi que não tem tag de sobrenatural, mas acho que a analogia ainda permanece. Ela tá sugando coisas dele, ela tá hipnotizando o Frank, ela tem esse poder sobre o personagem que podemos, sim, considerar como vampiresco, mesmo ela sendo humana. Anyway, eu to super animada pra tua original <3 Vou acompanhar quando vier ;) Um beijo no teu core, meu bem <3
10 de Junho de 2019 às 23:14

  • Chrysí K. Solemn Chrysí K. Solemn
    Aaaaaa <3 Obrigada por comentar, bb! Então, eu só sentei e escrevi. Senti a vibe da música e coloquei no papel. Como eu já disse, a Lucy realmente é uma vampira, mas a analogia que você fez vale -- até pq ela não usa os poderes no Frank, mas aí já to entregando demais da história. A relação deles é bem interessante, porque ele é perdidamente apaixonado por ela, mas ela, apesar de também amá-lo, não o ama daquela mesma maneira. Então é meio que um jogo de gato e rato. E a Lucy adora estar no comando, adora provocar, adora essa ideia de ser insubstituível. É bem complicado mesmo. E o Frank é um bebê, ele tem medo de ser abandonado. Mesmo sabendo que a Lucy nunca o deixaria, ele ainda tem medo de estar errado. É complexo. Obrigada por comentar! <3 Faço questão de te avisar quando ficar tudo pronto! <3333 10 de Junho de 2019 às 23:27
~