FLUXUS Seguir história

shogun

01010001 01110101 01100001 01101100 00100000 11101001 00100000 01101111 00100000 01110011 01100101 01101110 01110100 01101001 01100100 01101111 00100000 01100100 01100101 00100000 01110110 01101001 01110110 01100101 01110010 00111111


Conto Todo o público.

#vida #fluxo #conto #cyberpunk
Conto
3
3.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

FLUXUS

Os prédios estendiam-se dezenas de metros acima do chão. Outdoors e telões espalhavam-se por toda a cidade, dando a ela um caráter cyberpunk. As luzes fortes definiam o lugar, o azul predominava dentre todas as outras.

Uma menina de cabelos azuis andava alegre nas ruas, com roupas fechadas e de cores também azuis, e envoltos em seus ouvidos um headset tocava uma melodia de mesmo tom que o humor da garota.


As cores mudam para roxo

Assim como as vestes e cabelos da jovem

A melodia torna-se psicodélica

Ela olha para todos os lados, vê-se em um ambiente vivo, mas vazio.

Não havia ninguém nas ruas, mas a cidade funcionava a todo vapor

A garota para de andar, fecha seus olhos, e, então...


Diversos seres surgem ao seu redor, pelas ruas andavam vestidos em seus casacos de couro, cabelos moicanos e coloridos. Alguns fumavam grandes charutos, outros dirigiam grandes motos alongadas, gritando e rindo sadicamente.


A garota viu-se em um ambiente hostil

Ainda não andava

Pelo passeio homens e mulheres repletos de tatuagens e cabelos pintados

Passavam, e nela trombavam.

Mais e mais humanoides surgiram, esbarravam nela sem parar

Em seu rosto surgiu um semblante cada vez mais desesperado

Foi consumida pela multidão

Não era mais possível vê-la

De súbito, tudo parou

Não havia ninguém mais nas ruas

Nem mesmo aquela menina

Nem mesmo as vibrantes luzes do aglomerado

Nem mesmo os altos sons...

O mundo estava morto

10 de Maio de 2019 às 19:14 0 Denunciar Insira 4
Fim

Conheça o autor

Fernando Avendanha Ó Capitão, Meu Capitão

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~