Living with the Death — O começo Seguir história

hellicamiranda Hellica Miranda

Uma garota com amnésia, cheia de problemas, mas também cheia de coragem. Ally está vivendo em um apocalipse sem muitas lembranças de como sua vida foi antes disso. Tudo que ela sabe é que precisa lutar para ajudar os outros a sobreviver.


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#zombies #zumbis #twd #thewalkingdead #zumbi #apocalipsezumbi
1
3.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Começar para terminar

O estranho de olhos furados me perseguia a passos cada vez mais rápidos.

Devia estar com fome há muito, muito tempo.

Eu não tinha a menor condição de correr dele.

Outros dois vinham nas direções opostas.

Ok, adeus vida.

O mordedor de olhos furados caiu em cima de mim, se sacudindo.

Me esforcei ao máximo, me arrastando para trás.

Os outros dois estavam cada vez mais próximos.

Quando a mão do mordedor de olhos furados tocou meu pé, eu comecei a gritar.

Tudo que eu sabia estava desmoronando.

Nunca tinha sido tocada por um deles.

Foi quando ouvi um tiro.

O mordedor agarrado à minha canela rolou para o lado.

Outro tiro. E mais um.

Os outros dois caíram no chão, molengos.

Me esforcei para levantar, sem sucesso.

Um homem de olhos azuis se aproximou e me levantou no colo.

- Você está bem? – ele perguntou.

Eu assenti, engolindo em seco.

Olhei ao redor.

Uma prisão.

O homem me carregou até lá, desviando de alguns mordedores.

Um rapaz asiático e uma garota de cabelos curtos fecharam os portões atrás de nós.

Fui colocada com cuidado no chão.

A garota se aproximou de mim e tocou minha testa delicadamente.

- Está tudo bem? – ela perguntou.

Assenti.

A garota pareceu inspecionar todo o meu corpo.

- Foi mordida? Algum arranhão? – o homem que me salvara perguntou, parecendo aflito.

- Não, está tudo bem.

- Como é seu nome? – o homem perguntou.

- Alexia.

- Alexia, eu sou Maggie. E esse é Rick.

- Onde você estava antes de nos encontrar? – Rick perguntou.

- Sobrevivendo.

- Sobrevivendo onde?

- Rick, ela está cansada. E parece doente, cuidamos disso depois.

- Maggie...

- Ela é só uma criança. Gostaria que fizessem o mesmo com Carl?

Rick suspirou.

- Glenn, me ajude aqui.

Um rapaz de aspecto asiático se aproximou.

Maggie e Glenn me carregaram dentro da prisão até um bloco de celas que mais parecia um apartamento.

- Beth, tem alguma cama livre por aqui? – Maggie perguntou para uma garota loira de no máximo dezoito anos.

- Na cela aqui ao lado. – Beth abriu o portão e apontou uma cama.

Maggie e Glenn me colocaram na cama e Glenn nos deixou sozinhas.

- Quer conversar, Alexia?

- Pode me chamar de Ally.

- Ah... Ok, Ally. Onde você estava antes de chegar aqui?

- Em um lugar... Um lugar bem grande. Era... Um acampamento. Tínhamos trailers, casas, barracas, uma cantina e uma casa grande onde nossos líderes moravam. Cercas... Parecia seguro.

- E com quem você estava?

- Muitas pessoas. Muitas pessoas mesmo. Eram centenas de pessoas. Tínhamos muita comida, armas e balas. Tínhamos um posto médico, homens protegendo os arredores. Era seguro até que... deixou de ser.

- O que houve por lá?

- Eram centenas de homens. Mas milhares... milhares daquelas coisas mordedoras. No início... Estava tudo sob controle. Nós tínhamos muros. Mas de alguma forma aquelas coisas entraram. Não era tão seguro andar pelo acampamento, porque eles estavam andando por lá. Vários morreram. Viraram como eles. Eu fui levada para a casa grande com outros sobreviventes. Víamos pela janela nossos conhecidos virarem mordedores. Eles estavam horríveis, foi horrível. E então algumas pessoas começaram a morrer lá dentro da casa grande. Todo lugar era perigoso. Eu era uma das únicas. Não sei o que eles fizeram.

- Como conseguiu escapar?

- Eu não sei. Estava com mais algumas pessoas. Ainda tinham pessoas vivas no acampamento, nas casas, eu não sei como, mas eles estavam sobrevivendo. Algumas das pessoas na casa grande se arranjaram com conhecidos nas casas menores. Eu não tinha nenhum lugar para ir. As casas estavam cheias, e não tinham mais comidas dentro de casa. A dispensa de alimentos estava cercada por aquelas coisas, era arriscado. Estavam controlando comida, água, tudo. Porque estava acabando. Dormi em uma barraca um pouco afastada por uma noite. Tinham algumas coisas enlatadas por lá, então matei minha fome. Quando amanheceu, todos estavam morrendo. O lugar estava uma verdadeira merda, estavam todos virando aquelas coisas, foi assustador. Eu podia ver pessoas me olhando pela janela, mas nenhum deles me ajudou. Eu consegui escapar, correndo, eu não sei como. E corri pela mata até chegar aqui. Corri por tanto tempo... Acho que por um dia todo. Minhas pernas estão pesando.

- E com quem você estava antes de tudo acontecer?

- Com os meus amigos.

- E o que aconteceu com eles?

- Deixaram de ser os meus amigos.

Maggie franziu a sobrancelha.

- Eles morreram.

- Todos eles?

- Sim.

- E sobre a sua família?

- Eu não sei.

- O que?

- Eu estava aqui em férias com alguns amigos. Eu acho.

- Onde os seus pais estavam?

- Eu não sei.

- E você acha que estão vivos?

Eu balancei a cabeça.

Esperava que estivessem, embora não me lembrasse.

- Tudo bem, sweet, tente descansar. Estará segura aqui dentro.

Assim que Maggie me deixou sozinha, eu adormeci.

Estava tão cansada e dormi por muito, muito tempo.










8 de Maio de 2019 às 16:05 0 Denunciar Insira 119
Leia o próximo capítulo Tudo vem de algum lugar

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 8 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!