A Batida Perfeita Seguir história

S


A Batida Perfeita é a história de uma garota que é extremamente apaixonada por duas coisas em sua vida: A Música e a Liberdade. Valentina Ameridan está começando sua carreira musical, e com um pouco de sorte e talento conseguiu embarcar numa turnê que irá alavancar o seu sucesso e ainda lhe trazer algumas verdades.


Ficção adolescente Para maiores de 18 apenas.
0
3.5mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 01

O cheiro do chocolate invadiu as narinas de Valentine Ameridan. A jovem terminava de preparar seu brigadeiro de panela, enquanto remexia seu corpo ao som de Cold water.


Ela conferiu o horário em seu relógio, ainda tinha algumas horas livres antes de ir para seu trabalho. Quando completou seus 22 anos decidiu morar sozinha, - sua mãe relutou no começo, não conseguia imaginar seu “bebê” morando sem ela.


Valentina havia conseguido um emprego no Phoenix, o lugar era um Pub do Rio de Janeiro. Com o dinheiro que recebia a garota pagava o aluguel e seus gastos extras.


Algumas vezes, sentia-se a beira de um abismo, assumir responsabilidades era mais difícil do que ela imaginava. Mas ela zelava por sua “liberdade”.


—Brit... – Ela gritou.


Sua gata, Britney, entrou na sala onde ela estava. A bola de pelos branca, se deitou no sofá ao lado de Val.


—Onde você estava, menina?


Por mais estranho que achasse, Valentine continuava conversando com sua gata. Mas eram apenas algumas vezes.


—Oh, esquece Brit.


Ela tornou a comer seu brigadeiro, sentada ao lado de sua felina. Sentia-se entediada dentro de casa, por isso resolveu ligar para sua irmã.


—Natalie, o que está fazendo?


—Oi maninha, estou fazendo uma faxina nessa casa. Por que? Quer me ajudar?


Valentine sorriu ao imaginar Natalie emburrada, arrumando a casa dos Silva. Devia estar uma bela bagunça, haviam acabado de concluir uma reforma no local.


—Tenho uma ideia melhor, o que acha de largar essa bagunça e ir no Pub hoje comigo?


—Ainda não entendi o porquê de você não ter saído daquele boteco. Val, sua carreira de cantora está decolando, sua agenda de shows e fã só vai aumentar. Largue isso e se dedique a sua cantoria.


Valentine revirou os olhos mais entediada.


—Não seja ridícula Nath, você sabe muito bem que minha carreira começou lá, há um tempo. E alias sempre me lembrarei do Phoenix, devo meu sucesso ao Nathan.


—O.k. Dona certinha, vamos sair sim. Estou precisando. Venha me buscar com a sua Ferrari!


Valentine gargalhou.


—Deixa eu tirar meu pequeno VW Gol da garagem.


Um dos carros mais populares do Brasil. E o de Valentine, já estava bem usado. Alguns amassados e arranhões de suas unhas.


A garota pegou sua amada jaqueta antiga e vestiu, o couro já estava bem desgastado, mas era sua peça “queridinha”. Procurou suas chaves e foi até seu carro.


Ainda se despediu de Britney antes de sair. Valentine enfrentou o congestionamento horrível até a casa de sua família.


Quando finalmente chegou a casa dos Silva, ajeitou seus pertences e escondeu seus cigarros para que sua mãe não lhe desse mais uma bronca. Val gostava de fumar e sua mãe sabia disso, mesmo com as inúmeras discussões sobre o assunto ela não parou.


Bateu na porta e logo deu de cara com Natalie. A irmã mais nova sorriu ao ver Valentine.


Natalie tinha os cabelos louros e lisos, um piercing no nariz e era alguns centimetros mais baixo que a mais velha. Ah, e adorava ler, era seu maior “hobbie”.


—Tiiiineeee! Quanto tempo. Que saudades!


Ambas se abraçaram.


—Onde está minha mãe?


A senhora de cabelos loiros tingidos apareceu na sala. Alexandra tinha algumas rugas e a aparência de seu rosto era de cansaço. Anos de trabalho para sustentar suas duas filhas.


—Estou aqui Val, cheguei agora mesmo. Que milagre a senhorita por aqui.


Valentine suspirou. Entendeu porque fazia tanto drama de vez em quando. Herança de família.


—E não estou incomodando?


A garota colocou as mãos na cintura e sorriu.


—Sabe que é bem vinda aqui. Como estão as coisas?


Pensou em lhe dizer sobre a confusão em sua vida mas preferiu se calar.


—Estão ótimas. E por aqui? Soube que estão fazendo faxina hoje.


Natalie revirou os olhos.


—Mamãe pôs todo mundo para arrumar isso aqui hoje.


Alexa sorriu.


—Esta casa está uma bagunça.


Tine se lembrava bem da época em que morava com sua mãe. A bagunça era pior ainda.


—Eu acho que vou ter que ajudar nisso também, não é?


A garota torceu o nariz quando Alexandra e Natalie se entreolharam e disseram um uníssono “Sim”.


—Certo. Vamos acabar logo com isso. Mas depois que acabarmos, eu e a Nath iremos sair.


Alexa semicerrou os olhos.


—Vão aonde?


—Ao Phoenix.


A mãe permaneceu e silêncio. Nunca gostou de ver sua filha trabalhando naquele bar. As garotas percebiam isso mas continuavam a frequentar o lugar.


—Há algum problema nisso?


Alexa negou. Não iria reclamar, por enquanto.


Todas amarraram o cabelo num coque e continuaram a faxina.


Valentine estava animada. Iria cantar naquela noite. Isso a fazia se sentir bem e era o que importava.



6 de Maio de 2019 às 23:01 0 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Capítulo 02

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!