A sombra na arvore Seguir história

black_star Black Star

Ao olhar para uma árvore que fica um pouco distante de minha casa de campo vejo uma estranha sombra de baixo dela. Quando minha visão foca, vejo uma pessoa parada olhando para mim embaixo da arvore.


Horror Histórias de fantasmas Todo o público.

#psicologico #terror #bizarro #horror
Conto
0
761 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo unico


Há duas semanas atrás em uma noite chuvosa, cansada após terminar meu trabalho da faculdade já estava indo dormir, então fui até a janela para fechar. Ao olhar para o horizonte fico espantado, um pouco distante de minha casa ao lado de um pinheiro havia um homem magro e alto com vestes pretas parado olhando em minha direção, não conseguia ver o rosto devido a distancia e a escuridão da noite. O observava em estado de choque, havia tentado ligar para a policia mas morava em um espaço rural em que não há sinal na área em que eu moro, pela minha infelicidade minha tentativa de ligação falhou.

Não restava mais nada a fazer, não conseguia mais olhar naquela direção devido ao meu medo. Fechei rapidamente o vitro do meu quarto e puxei as cortinas azuis, tirei o óculos, depositei-o em cima do criado-mudo localizado ao lado da cama, fui ao lado da porta do meu quarto onde ficava o interruptor, ao apagar as luzes voltei correndo em direção a cama, estendi a coberta e inclinei-me para deitar amedrontado em minha cama. Demorei cerca de duas horas para conseguir dormir.

Ao acordar no dia seguinte sob o cantar dos pássaros, levantei-me da cama, levei minha mão ao criado-mudo, peguei meu óculos e levei-o ao meu rosto, olhei pela janela temendo que aquilo não fosse um sonho, não tinha nada lá, havia o mesmo campo verde em frente a casa e ao lado da árvore que ficara distante da casa não tinha nada. Havia me convencido que aquilo fora um sonho, sai do meu quarto e fui para a cozinha, preparei um café da manhã balanceado como sempre faço e sentei-me na cadeira para comer, a única coisa na qual conseguia pensar era sobre o "sonho".Ao terminar de comer levantei da cadeira com as louças na mão e depositei-as na pia. A inquietação tomou conta de mim.

-Não custa checar - Falei comigo mesma em voz alta.

Sai pela porta da frente em direção a arvore, parei ao lado dela, não havia nada de estranho lá. Estava ficando aliviada. Ao olhar para baixo havia um par de pegadas impregnado no barro que a chuva havia feito na noite passada. Meu corpo entrou em estado de choque. O formato da pegada era de um sapato com um tamanho próximo de quarenta e dois, era muito grande.

Voltei as pressas para minha casa enquanto olhava em volta para ver se tinha alguém me observando de longe ou escondido em algum lugar. Entrei em casa e tranquei a porta da frente e dos fundos. Tentei me distrair com alguma coisa para esquecer aquilo, então passei o resto do dia lendo um livro de romance em meu quarto. A chuva começou a cair a partir do final da tarde mas não me incomodou.

Quando me dei conta já estava a noite, queria conferir com meus olhos se aquela pessoa estaria parada no mesmo lugar, fui então até a janela, e como eu queria que ele estivesse parado no mesmo lugar. Ele estava imóvel sobre o gramado em frente a minha casa olhando para mim enquanto eu o observava da janela, agora conseguia ver ele com mais facilidade devido a distancia menos longínqua.

Ele trajava um paletó negro com uma calça jeans escura e ostentava sapatos sombrios, as gotas trazidas pela chuva repousavam em seus cabelos negros que decaia sob seu rosto apático, a luz do luar revelava sua pele pálida. Ele estava parado olhando para minha direção, mesmo após algum tempo observando, ele continuava lá, parado com sua expressão apática imutável e obscura.

Não consegui fazer nada para afastar ele de minha casa, tentei com todas as ameaças possíveis tirar ele da frente da minha casa, porém em minha ultima ameaça seu rosto foi coberto por um sorriso macabro e seus olhos arregalaram. Comecei a chorar de medo e a gritar mandando ele sair, fechei a janela e puxei as cortinas. Joguei meu óculos no chão, pulei na cama e puxei a coberta. Passei a madrugada acordada chorando em minha cama clamando por uma ajuda divina.
Depois de tanto orar acabei pegando no sono e consegui dormir por duas horas.

Acordei no outro dia assustada, os pássaros não cantarolavam como antes. Levantei-me da cama e fui a cozinha. Peguei um café para acalmar e fui para os fundos da casa que dava acesso mais rapidamente a uma vista bela com um lindo lago, passei a tarde inteira lá refletindo tudo que estava acontecendo. Ao final da tarde, temendo a presença do homem misterioso, entrei em minha casa e fiquei deitada na sala tremendo de medo até anoitecer.

Quando era meia noite fui ao meu quarto olhar a janela amedrontada que ele possa estar mais perto do que antes. Ao olhar pela janela escuto um barulho na cozinha e me lembro que não tranquei a porta dos fundos.

29 de Abril de 2019 às 05:52 1 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Black Star "O verdadeiro inferno reside dentro de cada pessoa"

Comentar algo

Publique!
Diêtra Besson Diêtra Besson
você é romântica!... e tem o meu estilo, tá aí, gostei do seu conto, parabéns. dê uma olhada nos meus mini contos se quiser, um é poético e o outro Got, Fada e Taça.
~

Histórias relacionadas