Paz Seguir história

ariane-munhoz Ariane Munhoz

Eu já vivi o bastante. Agora vou em paz. Finalmente encontrarei Trisha outra vez. - Hohenheim centred.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#drama #familia #angst #deathfic #spoilers #fma #Hohenheim
Conto
0
3.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O preço a pagar pela paz de reencontrá-la é mínimo

Terminei o penúltimo episódio do Brotherhood e sigo sofrida sem saber pra que lado atiro escrevendo fics.


Eu já vivi o bastante. Deixe-me, ao menos, agir como um pai no final.
Van Hohenheim


Não fui uma pessoa digna.

Falhei com todos aqueles que acreditaram em mim quando o Homúnculo que vivia dentro do pequeno frasco usou o meu sangue para conseguir um corpo que o libertasse.

Por muito tempo, as vozes deles me perseguiram, tirando a minha sanidade, galgando pouco a pouco todas as minhas crenças, fazendo-me pensar que não existia esperança mesmo que o mundo fosse tão vasto.

Não soube como ser um bom marido.

Perdido em meus próprios pensamentos, finalmente tomado por um amor tão incondicional que ameaçava me destruir com sua força esmagadora.

Trisha foi a luz no fim do túnel, aquilo que sempre busquei sem nunca me dar conta de que aquela simplicidade que um dia eu perseguira como sonho antes da indesejada imortalidade era tudo o que eu queria. E, como todas as coisas em minha vida, acabei fugindo em busca de uma resposta que jamais chegou a tempo, porque a vida a levou antes que eu pudesse retornar.

Teria sido melhor se eu tivesse ficado? Se tivesse vivido cada mínimo instante ao seu lado antes que o destino a separasse de mim? Decerto, eu não teria suportado.

Não fui um bom pai.

Nunca soube como sê-lo. Perdido demais dentro de mim, das almas que me habitavam, todas as 536.329, com quem aprendi a ter um relacionamento e convívio melhor do que jamais teria com qualquer outro ser humano que não fosse Trisha, a única que era realmente capaz de me entender e aceitar todas as muitas almas que em mim habitavam.

Gostaria de ter sido. De ter tido a coragem de afagar os cabelos de Edward enquanto ele dormia, ou de ter trocado as fraldas de Alphonse sem ter o receio de que explodissem na minha cara como uma granada.

Queria ter presenciado com mais entusiasmo o momento em que os dois aprenderam a caminhar, e ter sorrido na única foto em que tiramos juntos para imortalizar aquele momento. Fui um covarde, incapaz de retornar mesmo quando soube a respeito da morte de Trisha, deixando que meus filhos seguissem para um caminho sem volta ao entregarem seus próprios corpos para tentarem trazê-la de volta quando era minha obrigação dizer a eles que isso era impossível; que o pó volta ao pó e o que está morto não é capaz de reviver se o corpo não mais existe.

Mas, mesmo sem a minha presença ou a de Trisha, eles se tornaram bons garotos, agraciados pela presença de pessoas que sempre olharam por ambos mesmo que tivessem sofrido demais para a pouca idade que possuíam.

Eu não soube como ser um bom pai, mas mesmo assim eles me reconheceram como um, ainda que Ed tenha demorado um pouco mais do que Al.

Gostaria de ter dito o quanto me orgulho deles antes que esse momento chegasse. Gostaria que Edward não tivesse sacrificado sua alquimia, mas sim a minha vida que já estava chegando ao fim; ao mesmo tempo sinto alegria por ele não tê-lo feito, pois isso o discerne daqueles que são levados pela ganância e pelo egoísmo.

Não fui um bom pai, mas vivi o suficiente para agir como um no final Não fui um bom marido, mas tive uma esposa maravilhosa que me aceitou como eu era apesar de tudo. Não fui uma pessoa digna, mas tive muitos amigos que viviam dentro de mim e me ajudaram a chegar até o atual momento.

Podemos dormir agora.

Vamos descansar.

Você fez o seu melhor.

Vamos encontrar Trisha.

Gostaria de ver meus meninos crescerem, mas nem tudo é como desejamos, não é? Sei que eles ficarão bem. Eu já vivi o bastante. Agora vou em paz. Finalmente encontrarei Trisha outra vez.

N/A:


19 de Abril de 2019 às 01:33 0 Denunciar Insira 119
Fim

Conheça o autor

Ariane Munhoz Dona de mim, escritora, louca dos pássaros, veterinária e mãe dos Inuzuka. Já ouviram a palavra Shiba hoje?

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~