Exo Couples - Natal Ano Novo Seguir história

aikimsoo Ai KimSoo

Segunda temporada de Exo Couples: "Os 12 estão reunidos e em época de festividade. Como será que anda o relacionamento dos 6 couples?"


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#exocouples #romance #lemon #yaoi #sexo #gay #aikimsoo #taoris #sulay #xiuchen #hunhan #chanbaek #kaisoo
4
3.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

7 days

7 dias para o natal

Um ano se completara desde que estavam juntos. Por juntos, refiro-me a todos. Os 6 casais continuavam em seu relacionamento e mais felizes do que nunca. Luhan estava animado por estar voltando para a Coréia, afinal, sentia muita saudade de Sehun. Sorriu quando uma voz anunciou que pousariam.

-Animação grande hein? - Lay comentou e ambos sorriram. -Não seja tolo, você está tão ansioso quanto eu. - observou. -Estou com um sorriso idiota estampado no rosto? - perguntou. -Aposto que o que estamos vendo no rosto um do outro é puro reflexo. - Luhan respondeu e sentiram a pequena turbulência do avião pousando.

Lay e Luhan foram os que mais sofreram com a ida para a China. Diziam isso o tempo todo e quando viam Xiumin com Chen ou Tao com Kris, resmungavam e os amigos se afastavam para não tornar tudo difícil para o dois chineses. Ambos eram gratos pela consideração dos amigos e procuravam ficar o mais distante o possível, para não atrapalhar o namoro de nenhum deles, mas nem sempre isso acontecia.

-Ansioso para ver o Sehun né? - Xiumin passou o braço ao redor dos ombros de Luhan enquanto desciam do avião.

-Você não estaria se fosse o contrário? - questionou e o mais velho riu. -Claro que estaria! - respondeu e ambos riram, mas Xiumin reparou que o chinês pareceu nervoso. - Algo te incomoda?

-Não. - mentiu, mas o coreano notou. -O que te preocupa? Não é bom ficar mostrando tanto que está nervoso. - alertou e viu que o chinês desabafaria.

-O Sehun faz muito sucesso entre as mulheres... -Você também. - Xiumin lembrou. -Mas ele é diferente! E se... E se... - não conseguia nem coragem para terminar a frase. -Não seja assim e apenas abrace o mais novo. - Xiumin aconselhou com um sorriso e apontou para a direção que Sehun estava.

-Não posso correr! - Luhan choramingou enquanto tentava caminhar com calma até o mais novo. Luhan sentia o coração pular tanto, que por um momento temeu acabar morrendo de ataque cardíaco. Sehun, o quase sempre inexpressivo, lhe sorria como uma criança animada e Luhan sentiu- se um idiota por ter duvidado do coreano. Quando estavam próximos o suficiente, pensou que Sehun o abraçaria loucamente, mas o mais novo apenas sorriu.

-Finalmente! - foi a única coisa que ele falou enquanto sorria. -Não vai me dar um abraço? - Luhan perguntou um pouco desapontado. -Estamos em público. - respondeu e aquilo pareceu um sinal de alerta para Luhan. Sehun nunca se importou com isso.

-Desde quando... - Luhan deixou as palavras se perderem ao ver que Sehun se afastava. Com um muxoxo seguiu os amigos. Se animou ao lembrar que moravam na mesma casa e que seria fácil encurralar Sehun com perguntas. Estava almejando por isso, quando viu que Sehun caminhou para uma van oposta a dele.

-O que... - tentou ir atrás perguntar, mas foi impedido por Suho. -Ele precisa ir ensaiar e depois fazer uma sessão de fotos. - Suho falou com um sorriso. Luhan nem tinha notado sua presença, mas assentiu e entrou na van preta que os esperava.

Era óbvio que Suho estaria ali. Lay estava tão contente ao poder sentar ao lado de Suho, que Luhan sentiu uma tremenda inveja e tristeza. Não entendia a razão de Sehun ter sido tão frio consigo, era quase humilhante pensar que tinha passado a ser apenas mais um integrante do grupo para seu "namorado". Acabou suspirando pesadamente quando avistou o casarão onde residia em sua estadia na Coréia.

-Nossa, como será que estão todos? - Chen perguntou animado ao ver o carro estacionar. -Estão bem, já disse. - Suho respondeu com ar cansado, mas parecia teatral. -Acho que ele está mais interessado nos casais. - Kris comentou e arrancou um riso coletivo, até mesmo Luhan riu.

-Ah... Bom, quanto a isso... - Suho deixou a frase morrer. -Quanto a isso? - Xiumin indagou. -Vocês vão ver. - apenas disse e foi caminhando para a entrada do lugar. Mais uma vez Luhan ficou triste. Almejara tanto chegar a Coréia, para acabar ficando no meio de 3 casais e ainda enfrentar mais dois casais do lado de dentro. "Era tudo o que eu precisava." pensou ao entrar atrás dos amigos e ver uma almofada voar pela sala.

-EU FALEI PRA NÃO MEXER NA PORCARIA DA PANELA! - ouviu gritarem, Chanyeol correr e então notou que a voz era de D.O.

-Foi sem querer! - Chanyeol gritava de volta e um Kyungsoo revoltado passou correndo atrás dele.

-O que aconteceu aqui? - Kris perguntou tão surpreso quanto todos eles. -Esse foi o Kyungsoo que conhecíamos antes de partir? - Chen questionou e Suho riu. -O D.O era mais calmo quando não falava. Chanyeol o perturba a maior parte do tempo e sabe como tirar sua paciência. - explicou o líder.

-Mas mesmo assim... - Chen insistiu. -Ele ainda continua calmo, quieto e grosso, mas agora se solta mais e reage como nós reagimos aos nossos amigos. Para ele estar gritando e correndo... Chanyeol provavelmente fez alguma besteira grande. - Suho contou.

-Para de correr atrás dele, Soo! O Channie vai limpar! - Baekhyun apareceu. -O problema não é limpar, quer dizer, tem isso também, mas... - e então Kyungsoo interrompeu o que dizia ao ver os amigos parados na porta.

Chanyeol apareceu atrás de D.O e sorriu ao ver os amigos. Baekhyun seguiu o olhar e quase pulou de alegria ao notar a presença alheia no lugar. Os três estavam tão entretidos nos seus problemas rotineiros, que nem haviam notado a presença dos amigos.

-Essa é a festa de boas vindas? - Tao resmungou. -Era pra ser, mas... - D.O voltou a olhar de soslaio para Chanyeol que sorria. -Faz parte da vida. - foi a única coisa que o grandão falou. -Onde está Kai? - Luhan perguntou ao lembrar que o moreno parecia nunca querer desgrudar de Kyungsoo.

-Está ensaiando com o Sehun. - Kyungsoo respondeu e Luhan se sentiu um pouco mal ao perceber que estava agindo como uma criança ao ficar emburrada.

-Se Kai estivesse aqui, eu não poderia estar vivo. - Chanyeol ria enquanto falava. -Ta, agora estou curioso pra saber o que aconteceu. - Lay se pronunciou. -Deixa que eu explico. - Baekhyun avisou e começou a falar. - O Kyung tava fazendo uma janta maravilhosa para comemorar a volta de vocês, mas o cheiro estava tão bom, que Chanyeol aproveitou a distância de D.O e tentou mexer, derrubando tudo no chão. - contou rindo ao lembrar da cena.

-E por isso vocês tiveram uma péssima recepção. - Kyungsoo resmungou e todos riram. -Não se preocupa, a gente compra alguma coisa. - Kris falou após cessar o riso. -Maravilhoso! Viu Soo? Comida de qualidade e de graça! - Chanyeol falou e foi fuzilado com os olhos.

Todos entraram na casa e se abraçaram. Luhan ainda se sentia em baixo astral, queria ter pelo menos abraçado ao Sehun. "Estamos em público" as palavras frias do mais novo ainda rondavam suas memórias. "Desde quando ele se importa com isso?!" Luhan se perguntava e voltou a ficar de mal humor.

Os amigos riam e comentavam que dentro de 3 dias iriam montar a árvore, porque estavam esperando-a chegar. Luhan se animou com a ideia de enfeitar a casa com os amigos e esqueceu dos seus pensamentos voltados para Sehun. Estava extremamente ansioso e sorrindo, quando Kai entrou na casa e estava sozinho.

-Hyungs! - Kai saudou animado e se jogou em cima dos amigos, enquanto Kyungsoo ria. -Não é atoa que é o segundo mais novo. - Kris brincou mexendo nos cabelos de Kai, que se levantou gargalhando.

-Por falar em novo, onde está Sehun? Ele nem nos cumprimentou direito. - Tao reclamou e Luhan apenas fitou o chão.

-Ele teve que ir pra uma sessão de fotos, por isso chegará tarde. - explicou. -Ah... - um coro se seguiu. Luhan estava tão entretido em seus próprios pensamentos, que nem percebeu o que acontecia entre Jongin e Kyungsoo. Teria passado despercebido, se não fosse Chen a perguntar.

-O que aconteceu com vocês dois? -Nada. - Jongin e Kyungsoo responderam juntos. -Duvido! Vocês estão separados e isso não é normal. - Chen retrucou. -Ah... Bom, quanto a isso eu posso explicar. - Baekhyun se pronunciou. - Chanyeol e Kai fizeram uma aposta. Quem conseguisse ficar distante do outro durante 3 dias, ganharia o que quisesse no natal e quem perdesse pagaria um mico.

-E faz quanto tempo? - Xiumin perguntou curioso.

-Começou hoje. - Jongin respondeu e Kyungsoo revirou os olhos. -E se os dois ganharem? - Kris questionou. -Ai vão ter que dar o que o outro quer. Mas isso não vai acontecer. - Chanyeol assegurou. -Por quê? A confiança está reinando em você. - Tao provocou. -Rei do ego é você. - Baekhyun falou e todos riram da cara de sonso do Tao. -Vou explicar as regras. Não podem se tocar, dormir juntos e nem se esbarrarem. Só podem se falar. - Suho explicou.

-Ah... Acho que vou querer apostar em quem perde primeiro. - Chen falou animado e todos riram gostando da ideia. - Você aposta em quem, Luhan? Luhan?

-Eu! - Luhan respondeu surpreso. -Você aposta em quem? - insistiu Chen. -Ninguém. Eu vou dormir, estou cansado do vôo. - murmurou e levantou. Todos o fitaram confusos, mas ele apenas caminhou para o quarto tristonho. Não entendia como os amigos podiam apostar ficar longe do outro, quando na verdade tudo o que ele mais queria era estar com Sehun, que o havia tratado mal. Entrou no quarto, viu que suas coisas permaneciam no lugar, pegou qualquer roupa nas malas e foi para o banheiro. Se banhou, olhou-se no espelho, fitou o relógio e resolveu dormir. Estava triste demais e preferia perguntar as coisas para Sehun no dia seguinte. Jogou-se na cama e apagou muito mais rápido do que pensava.


2 horas depois.


Luhan se sentia incomodado. Estava dormindo bem, até sentir um peso sobre si e alguns barulhos estranhos. Se remexeu na cama e sentiu novamente aquele incômodo. lria virar-se para o lado, quando sentiu algo molhado e macio tocar seus lábios. Permaneceu de olhos fechados tentando entender se aquilo era real e então abriu os olhos. Deparou-se com o rosto de Sehun em sua frente e de olhos fechados, pois parecia apreciar o beijo. Estava prestes a se entregar, quando resolveu afastá-lo para brigar.

-Não pode me abraçar, nem me dar tchau, mas pode chegar interrompendo meu sono após invadir meu quarto? - falou de uma vez e viu o mais novo sorrir.

-Eu invadi seu quarto todas as noites. - o mais novo falou e viu a surpresa nos olhos do chinês, que logo tratou de lembrar que estava irritado com Sehun.

-Não te dei permissão para isso. - retrucou e Sehun sorriu. -Senti saudades. Muita mesmo. - confessou tocando o rosto de Luhan. - Eu queria ter te agarrado no aeroporto, mas se eu fizesse isso... Teria dificuldades em lembrar que somos celebridades e que estávamos em público. - murmurou se aproximando do rosto de Luhan, que permanecia calado e surpreso. - Eu esqueci que você é inseguro. - sussurrou ao pé do ouvido do chinês que se sentia arrepiado. - Não pense que eu vou te trocar. Eu te amo e sou todinho seu. - falou olhando os olhos de Luhan, que estavam marejados.

-Seu idiota. - foi apenas o que Luhan falou e pulou em cima de Sehun. Sehun não teve tempo de entender se "Seu idiota" era para si ou se Luhan tinha xingando a si mesmo, porque o mais velho o enchia de beijos carinhosos. Ambos sentiam saudades um do outro, sentiam falta de cada toque e queriam saciar toda a necessidade que tinham suportado durante um mês.

Luhan teve a blusa arrancada por Sehun, que também arrancara a própria camisa. Antes de qualquer coisa, no silêncio da noite, ambos apreciavam a visão do corpo do outro. Tentavam gravar cada detalhe, como se pensassem que era um sonho e precisavam gravar tudo antes que acordassem. Depois que se olharam, voltaram a juntar os lábios. A saudade era grande demais para se manterem separados.

As mãos exploravam os corpos sem pudor. Ambas peles eram brancas e ficavam vermelhas a cada toque. Sehun passou a beijar o pescoço de Luhan, que gemia baixinho em resposta.

-Ah como senti saudades dessa melodia. - Sehun murmurou e voltou a beijar o pescoço de Luhan.

-Eu senti saudades dessa sua dança sensual com os lábios e o corpo. - Luhan conseguiu falar após Sehun soltar seu pescoço.

-Então vamos matar a minha saudade e a sua. Você faz a melodia que eu tanto gosto, enquanto eu faço nossos corpos dançarem. - falou com a voz rouca e abocanhou o mamilo esquerdo de Luhan, que voltou a gemer de prazer.

Sehun ficou trabalhando a língua nos mamilos de Luhan e então foi descendo os beijos até o cós da calça do mais baixo. O olhou nos olhos e sentiu o amor preencher todo o seu ser. O sentimento que sentia pelo chinês era muito maior do que poderiam imaginar. Puxou o short largo de Luhan junto com a sunga, libertando assim o membro ereto do mais velho. Sorriu e passou a língua pela glande, fazendo Luhan gemer de prazer.

-A melodia está aumentando. Será que consigo fazer ficar mais alta? - perguntou de modo sedutor.

-Só se ah... - Luhan não conseguiu falar, apenas gemeu mais alto ao sentir seu membro ser coberto pela boca de Sehun.

O mais novo estava inebriado com as feições que Luhan fazia. Tinham ficado tanto tempo separados, que Sehun começou a se perguntar se um dia havia sonhado com tudo o que passou junto do chinês, mas agora ele sabia que não e que a realidade era muito melhor do que as lembranças que ele tomara como sonho.

Luhan estava ficando mais excitado a cada chupada. Ouvia o estalar provocado pela saliva e via o sorriso safado que Sehun dava, mas o que o deixava mais afobado, era saber que Sehun não o tinha esquecido durante todo aquele tempo. Sentiu que o orgasmo estava próximo e puxou Sehun para cima, depois o jogou na cama e agora era ele quem ditava as regras.

Primeiro beijou os lábios que tanto amava e depois foi trilhando caminhos pelo corpo de Sehun. Beijou cada canto que estava exposto e então começou a sugar levemente o abdômen que ficava próximo ao cós da calça. Sorriu ao ver a barriga do mais novo encolher e, repetindo o mesmo que o mais novo fizera, puxou a calça junto com a sunga. O membro de Sehun parecia querer explodir de tão duro que estava.

-Se eu te abocanhar, vai acabar gozando na minha boca. - Luhan falou e segurou o membro. -Não vou. Quero fazer isso dentro de você. - Sehun argumentou e ambos sorriram. - Agora para com esse jogo e me toma para si. - pediu e recebeu um sorriso torto de Luhan, que passou a lamber somente a glande do mais novo.

Agora era Luhan que ouvia uma melodia vinda de Sehun e dançava enquanto provocava o corpo do coreano. Viu que o estava torturando demais e então o abocanhou de uma vez, sabem que Sehun não conseguiria conter o impulso de empurrar o quadril para frente. Luhan estava acostumado com isso, por isso sabia o tempo exato de se afastar e não se engasgar. Chupou Sehun como se não houvesse amanhã.

O mais novo ditava os movimentos, uma vez que segurava os cabelos do mais velho. Estava sentindo que em breve gozaria e afastou o chinês. Os dois se beijaram e sentiram os próprios gostos nesse selar. Com cuidado, Sehun deitou Luhan na cama e fez carinho em seu rosto, depois pediu que o chinês chupasse 2 dedos e quando achou que já era suficiente, os tirou da boca do mais velho e percorreu o caminho para a entrada.

Luhan conhecia as técnicas de Sehun e parecia que seu corpo já não se incomodava mais. Sentiu o primeiro dedo penetrá-lo e apenas gemeu de prazer, sentindo um segundo dedo. No começo, o segundo dedo o fazia gemer de dor, mas agora ele gemia mais de prazer do que de dor. Sehun começou a fazer movimentos de tesoura dentro de Luhan, em uma tentativa de alargá-lo para o que estava por vir.

-Sehun... Eu quero... Você. - Luhan falou entre gemidos e o pedido foi logo atentido. Sehun tirou os dois dígitos e pressionou a glande na entrada de Luhan, que o olhava com olhos pedintes. Sehun tomou seus lábios e o penetrou, engolindo o gemido de prazer do namorado. Ficou esperando o tempo para se mexer e com isso aproveitava para beijar Luhan apaixonadamente. Quando percebeu o sinal de que poderia começar a estocar, não hesitou.

Os corpos dançavam diante a melodia produzida por ambos. Sehun encontrou o ponto sensível de Luhan rapidamente e sem pestanejar, continuava estocando ali sempre. Aquele botão era o responsável pela melhor nota musical da melodia que tanto amava. Sentiu o corpo de Luhan estremecer e sabia que o chinês estava chegando ao orgasmo. Começou a estocar mais rápido e sabia que logo seria ele a gozar. Tomou o membro de Luhan com a mão e começou a masturbá-lo com a mesma intensidade que estocava. Foi assim que ambos chegaram ao orgasmo juntos.

-Isso vai acontecer toda vez que eu ficar longe? - Luhan sussurrou ao ouvido de Sehun, que estava deitado sobre si e ofegando.

-Não sei, por quê? - Sehun perguntou depois de recuperar um pouco o fôlego. -Porque se for assim, acho que vou entrar na aposta com o Kai e o Chanyeol. - respondeu e recebeu uma risadinha gostosa como resposta.

-Você perderia em menos de 5 minutos. Eu não conseguiria suportar ficar longe. Estou feliz que vamos passar o natal juntos. - confessou e Luhan sorriu de orelha a orelha.

-Eu te amo muito Sehun. - declarou. -Eu sei. - o mais novo respondeu sorrindo e ambos riram. Aquele era o mundo particular deles. Eles tinham sido separados do tão precisoso mundinho, mas agora estavam juntos e pretendiam permanecer assim para sempre.

13 de Abril de 2019 às 04:34 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo 6 days

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 14 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!