Welcome, my son Seguir história

seday Seday (JungxChim)

Uzumaki Naruto viveu uma aventura pouco antes de completar seus 20 anos, e agora, estava com as consequências dessa "brincadeira" em seu ventre. Ele não queria um filho, mas também não pretendia abandoná-lo. E quando sua melhor amiga, Sakura, implorou para si querendo criar seu filho como dela, seu coração já tão abalado parecia dividido entre seu filhote e a felicidade de sua amiga. (SasuNaru) • (ABO) •


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#fanfic #yaoi #omegaverse #Universo-Abo # #Universo-A-b-o #shikatema #sasunaru #Sasukealfa #Sakuraômega #ômega #Narutoômega #naruto #mpreg #beta #alfa #abo
0
3.4mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Olá olá, tudo bom? ^^
Eu não faço a mínima ideia do que deveria falar aqui, então só vamos direto pro capitulo, sim? '~'
Podem avisar se encontrarem algum erro, ok? Não tenham pena de mim. Eu revisei, mas algo sempre escapa :3


---------------



Você está bem? - A voz do outro lado soou preocupada, e tudo que Naruto fez foi suspirar. Podia até mesmo imaginar uma careta se formando na face do amigo, e se não estivesse tão em choque, teria rido. - Já percebi que não.

─ Realmente, não estou bem agora. - Suspirou outra vez. Sinceramente, Naruto já tinha perdido as contas de quantas vezes suspirou só naquele dia. No fundo, ele já sabia o que aquelas náuseas e dores significavam. Sabia, mas preferia não acreditar. Por isso não se surpreendeu muito quando o médico deu a confirmação de seu estado. - Não se preocupe tanto, Shikamaru.

Como não? - Desta vez, soou irritado. - Naruto, você é um ômega sem marca, sozinho no mundo e irresponsável ao ponto de engravidar de sabe sei-lá-quem! - Aumentou o tom de voz, como um verdadeiro pai. O loiro sorriu, mesmo que estivesse quase surtando internamente.

Shikamaru era, praticamente, seu pai. Tinham quase a mesma idade mas desde que se conheceram, o beta e sua alfa, Temari, cuidavam de si como verdadeiros pais. Eles o acolheram quando seus pais faleceram, apoiaram em tudo, ajudaram a se tornar independente e agora, estavam ali, do seu lado. Naruto se culpava por preocupá-los tanto, mas no fundo, agradecia por nunca terem desistido de si.

Tudo bem, tudo bem. - Concluiu após o silêncio do loiro, decidindo que aquela realmente não era a melhor hora para se exaltar. - Estou indo te buscar. Temari foi na frente, como sempre. Ela deve chegar aí logo, diga a ela que espere por mim e depois vamos para casa, sim?

─ Tudo bem. - Mordeu o lábio, inquieto. Estava, mesmo, precisando do abraço de Temari. Na verdade, sua mente estava tão nublada que até as broncas da loira pareciam cair bem naquele momento. Só queria distrair-se. Queria que tudo fosse um sonho louco, e que nesse exato momento, acordasse. - Shikamaru… me desculpe.

Não se preocupe, garoto. - Calou-se. Não sabia o que dizer, e não queria abalar ainda mais o seu “filho”. - Eu e Temari… vamos estar sempre contigo.

E foi nesse momento que, finalmente, Naruto soluçou alto o suficiente para que o outro ouvisse. As lágrimas quentes e grossas desciam de seu rosto, como se levassem toda sua calma. O que faria? Como deixou que isso acontecesse? Um criança? Céus, tinha acabado de fazer 20 anos e estava grávido? Nem mesmo sabia quem era o pai!Que diabos faria agora!?

Naruto… - Suspirou, demonstrando todo seu cansaço emocional. E, no momento em que decidiu consolar o loiro, Temari adentrou as portas do hospital.

A loira olhou para todos os lados, correndo assim que viu o ômega loiro agarrando os próprios fios de cabelo, surtando e deixando que suas lágrimas caíssem sem se preocupar. Abraçou o mais novo, alisando seus fios dourados em um carrinho leve e calmo, sussurrando que estava tudo bem. Depois de desligar a chamada e esperar por Shikamaru por pouco menos de cinco minutos, seguiram em direção a casa do casal.

Naruto ainda negou, pedindo para ir a sua própria casa, mas de forma alguma Temari deixaria seu “filho” sozinho daquela forma. E, abalado como estava, o loiro não contestou.


• * '¨ `* •. ¸ ¸. • *' ¨` * •


Com os olhos inchados, a cabeça dolorida e um forte enjoo, o loiro se levantou rapidamente da cama e colocou pra fora o pouco que comeu na noite passada. Temari apareceu em sua porta, massageando suas costas e alisando seu cabelo, como sempre fazia. Naruto apoiou-se no vaso quando a loira saiu, indo buscar uma peça de roupa para si. ,Respirou pesadamente, sentindo as lágrimas se formarem nos contos dos olhos, mas não chorou. Pelo contrário, se levantou do chão e tomou um banho gelado, molhando os cabelos e deixando a água levar todo o peso em seus ombros, mesmo que momentaneamente. Encostou a cabeça no azulejo frio daquele cômodo e ali ficou por uns longos minutos até tomar coragem para sair e vestir as roupas que Temari separou.

Saiu do quarto, desanimado, e seguiu até a sala. Sabia que seus “pais” estariam esperando por si lá, e por mais que quisesse se enfiar no quarto pro resto da vida, seguiu até eles.

─ Bom dia. - Sentou-se no sofá de três pessoas que ali havia, ouvido temari responder um “Bom dia” da cozinha. Estranhou que Shikamaru não estivesse ali, então segue atrás da mãe. - Onde o Shika foi? - Sentou-se em um dos bancos e apoiou os braços no balcão que dividia sala-cozinha.

─ No mercado. Foi comprar algo pro seu enjoo. - Sorriu para o Uzumaki, servindo um pranto com seu café da manhã. - Sabe que vamos conversar, não sabe?

─ Sei. Se não fôssemos, eu enlouqueceria. - Suspirou, remexendo as torradas no pranto sem a menor vontade de comê-las. - Tema… eu sinto muito por isso. Quer dizer, vocês devem estar decepcionados comigo.

─ Estamos, Naruto. Eu não posso negar isso. - Apoiou-se frente ao loiro, encarando-o de frente. - Mas tudo bem. Vamos correr atrás disso, agora. Sei que você jamais abandonaria essa criança, e nem eu nem Shikamaru iremos deixar você fazer isso, então vamos criá-lo.

─ Não precisam se preocupar com isso. Eu vou trabalhar mais, vou juntar dinheiro e me cuidar. - Ditou, sentindo-se determinado. Sorriu para a loira, que retribuiu o sorriso no mesmo instante. - Vou cuidar desse bebê.

─ Eu te criei bem desses anos pra cá, não é? - Aumentou o sorriso, acariciando o cabelo do loiro - Mas sabe… nem pense que vai escapar da minha bronca, sim? Eu tenho muita coisa pra falar. - Puxou os fios, ouvindo a risada de Naruto. Suspirou, contente. Tudo parecia se animar mais depois que Naruto sorria, sem dúvidas.


• * '¨ `* •. ¸ ¸. • *' ¨` * •


Grávido!? - Sakura gritou no telefone, e Naruto pode ouvir o barulho dos carros buzinando irritantemente - Naruto, você engravidou? Quando? Quem é o pai? Meu deus, Naru, como deixou isso acontecer!?

─ Ei, Sakura, se acalme. - Deu um muxoxo, apoiando o celular nos ombros enquanto mexia no controle do videogame com as mãos - É, eu sei. Uma surpresa. Eu não sei quando, mas já estou com uma semana então deve ter sido antes de você ir embora. - Suspirou, encarando a tela de “Game Over” e clicando em “Play Again” - Sobre o pai…. eu não sei quem é.

Você o que!? - Seu grito foi mais alto dessa vez, e Naruto já não ouvia mais as buzinas, deduzindo que Sakura estava andando pela cidade - Meu deus… - Ditou, desacreditada. Naruto até mesmo conseguia imaginar a cara chocada da amiga - Uma semana? Está grávido a uma semana e só me disse agora?

─ Você não atendia minhas ligações, e seus pais me disseram que tinha saído em uma viagem de negócios. - Disse, finalmente desistindo do videogame e segurando o celular. Levantou-se da cama e saiu do quarto, indo até a sala apenas para ligar a tv e voltar a prestar atenção na amiga. - E você está aí com seu noivo, não é? Não queria atrapalhar.

Ah… - Sussurrou, deprimida. - Sobre isso…

─ O que foi? O pretendente de seus pais não é um príncipe encantado? - Brincou, ouvindo-a rir.

Naruto nunca entenderia Sakura. A ômega sempre se negou a seguir os padrões que seus pais colocavam em si, e nunca se importou verdadeiramente com isso. Mas, de um ano para cá, ela havia abaixado a cabeça sem nem explicar a razão. Cortou o cabelo como eles mandaram, terminou com a namorada, Ino, e agora estava em um noivado arranjado com um homem que nem conhecia. Se mudou para Nova York com ele, e ficaria lá até o dia do casório. No fundo, o Uzumaki suspeitava de algo, mas não forçaria a amiga a nada. Se Sakura não contou o que houve, ela tinha um motivo.

Não, não é isso. - O ômega ainda podia perceber tristeza na sua voz, e sentiu o coração aperta só de pensar que Sakura estava infeliz - Ele é ótimo. Um cavalheiro. Não fez nada comigo ainda, como eu pedi. Disse que vai me respeitar, e está fazendo isso.

─ Então o que houve, Saky?

- Suspirou. - Eu acho que sou estéril, Naru


----------------------


Então? Esse pequeno prologo serviu para cativa-los? Espero verdadeiramente que sim.
Ufa, não deveria ter mais de 900 palavras, já que era só 'pra mostrar o começo de tudo, mas olha só ksksks

.

5 de Abril de 2019 às 23:29 0 Denunciar Insira 119
Continua… Novo capítulo Todos os Domingos.

Conheça o autor

Seday (JungxChim) "Olho por olho, e o mundo vai acabar cego"

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~