Kekken Genkai Seguir história

teffychan Steffanie Pinheiro

"Sou fruto da relação entre um Uchiha e uma Hyuuga e, como consequência, herdei tanto o Sharingan quando o Byakugan. Fui criada como uma arma de combate humana. Na verdade nunca pensei se desejava ou não ser uma ninja. Não me deram opção de escolha".


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público. © Todos os direitos reservados

#drama #amizade #naruto #personagem-original #sasuke #uchiha #hinata #hyuuga
Conto
1
3.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Pelo Bem do Clã

Notas Iniciais:

Essa história nasceu da minha curiosidade sobre o que aconteceria se um Uchiha e uma Hyuuga tivessem um bebê. Bom, na minha opinião, a criança seria assim.

Boa Leitura


________________________


“A ninja mais poderosa de Konoha. Talvez a mais poderosa do mundo. Uma criança prodígio. Aquela que possui um ataque perfeito e uma defesa impenetrável”. É assim que as pessoas me chamam.

Sou fruto da relação entre um Uchiha e uma Hyuuga e, como consequência, herdei tanto o Sharingan quando o Byakugan. Fui criada como uma arma de combate humana. Na verdade nunca pensei se desejava ou não ser uma ninja. Não me deram opção de escolha. Mas meus pais se orgulhavam muito da minha força e do meu desenvolvimento rápido, então eu não podia reclamar.

No entanto, meu Kekken Genkai era um pouco diferente dos meus pais. Diferente do meu pai, que geralmente tinha olhos negros, mas que se tornavam avermelhados quando ele ativava o poder do Sharingan, o meu olho direito estava o tempo todo vermelho, embora eu só utilizasse o poder do Sharingan quando desejasse. Mas, com meu olho nesse estado, as pessoas nunca sabiam quando eu estava utilizando o poder dele ou não. Já o meu olho esquerdo era completamente azul, igual ao da mamãe, e as veias no meu rosto estavam sempre ressaltadas a partir dele, expostas no meu rosto. Eu também só manifestava o poder do Byakugan quando desejava, mas, assim como o Sharingan, ninguém nunca sabia quando eu estava utilizando seu poder ou não. Eu também conseguia usar o poder de ambos simultaneamente, embora fosse por um curto período de tempo. Isso me deixava exausta, eu ainda precisaria treinar muito para aperfeiçoar essa habilidade.

E como tanto o meu Sharingan quanto meu Byakugan sempre estavam expostos, isso infelizmente dificultava as minhas tentativas de fazer amigos. As outras crianças se afastavam de mim quando eu tentava falar com elas, dizendo que eu poderia usar meu poder para copiar suas habilidades ou espioná-las. Então eu não tinha outros amigos além dos meus companheiros de time. Se bem a mamãe e o papai também nunca tiveram muitos amigos na época da Academia Ninja além dos próprios companheiros de time. Talvez isso fosse de família.

Assim como não me deram direito de escolher ou não me tornar uma ninja, meus pais também não tiveram opção a não ser se casarem. Às vezes eu escutava os adultos da vila cochichando pelas minhas costas e, conforme fui crescendo, comecei a entender que eles estavam juntos por causa de um casamento arranjado pelas famílias Uchiha e Hyuuga. Tio Itachi já tinha garantido a continuação do clã Uchiha, pois tinha dois filhos homens. Pelo que eu entendi, meus avós decidiram que meu pai deveria se casar com minha mãe para manter ambos os Kekken Genkai em uma só família. E deu certo. Eu sou o resultado dessa união arranjada pelos Uchiha e pelos Hyuuga.

Acho que os dois não se amavam quando se casaram. Talvez seja por isso que eu não tenho irmãos. Será que eles se amam agora? Eu ainda escuto muitos boatos estranhos na vila. Os adultos sempre me elogiam, falando sobre a maravilhosa garota prodígio que eu sou, mas sussurram pelas minhas costas. Falam sobre coisas que aconteceram antes de eu nascer que parecem absurdos, mas, ao mesmo tempo, também parecem fazer sentido. E isso me preocupa, não só por eles, mas pelo que poderia acontecer comigo.

Mamãe e papai planejavam fazer comigo a mesma coisa que meus avós fizeram com eles: Um casamento arranjado. Eles queriam que eu me tornasse noiva do filho do Hokage, o que, de acordo com eles, era um ótimo partido. Boruto era meu amigo e o segundo ninja mais forte da vila (absolutamente ninguém podia me derrotar). A ideia era que Boruto e eu tivéssemos um filho que herdasse tanto o Byakugan quanto o Sharingan e que fosse treinado pelo pai de Boruto para se tornar o próximo Hokage da vila, desse jeito Konoha seria a mais poderosa de todas as nações. De acordo com eles, seria uma boa decisão. Mas eu não concordava. Não queria me casar com um amigo só porque meus pais decidiram. Queria ficar com alguém que eu realmente amasse, namorar essa pessoa quando eu crescesse e depois me casar com ela. Eu só tenho doze anos, por que meus pais já estão pensando nisso? Será que foi assim com eles? Será que não se opuseram à vontade dos meus avós e ficaram noivos quando eram crianças e por isso acham que é normal? Papai e mamãe não estavam apaixonados quando o casamento deles foi decidido. Será que estão agora?

— Mamãe — eu chamei quando fui até o quarto dos meus pais antes de ir dormir — Você ama o papai?

— É claro, Ryoko — ela afagou meus cabelos negros, assim como os do meu pai, surpresa com a pergunta — Nós estamos casados e temos você, não é?

— Mas eu tenho escutado boatos estranhos na vila — contei. Precisava contar. Não aguentava mais guardar isso só para mim — Dizem que você era apaixonada pelo Hokage.

Mamãe parou de afagar meus cabelos quando eu disse isso. Alguma coisa na expressão dela mudou, mas eu não sabia o que era.

— Eu realmente já gostei dele, mas isso foi há muito tempo — mamãe contou, apoiando as mãos sobre o colo. Então era verdade… eles estavam certos — Eu tinha a sua idade quando isso aconteceu. Mas, como eu disse, foi uma paixonite de criança.

— Eu também ouvi dizer que a Sakura-san gostava de você, papai — voltei-me para ele. Agora que finalmente consegui tocar naquele assunto, era melhor fazer todas as perguntas que queria.

— Sim, ela gostava — papai confirmou. Aquilo era verdade também. Quantas dessas histórias não passavam de boatos falsos? Será que eram todas verdadeiras? — Mas, como a sua mãe disse, foi apenas um amor de infância. Ela está casada com o Naruto… com o Hokage agora, não é? — ele lembrou, sorrindo para mim. Aquilo era estranho… papai nunca sorria, exceto quando eu completava alguma missão com sucesso ou aprendia algum jutsu novo — Por que está fazendo tantas perguntas sobre isso?

— Eu tenho escutado muitos boatos sobre isso. Principalmente na floricultura Yamanaka — contei — Ino-san disse uma vez que você gostava do Hokage.

— Isso é besteira — papai garantiu, mas estava diferente agora. Um pouco mais rude do que de costume — Não acredite nas mentiras da Ino. Agora vá dormir.

— Boa noite — caminhei a passos rápidos para fora do quarto. Ainda queria fazer mais perguntas, mas papai era assustador quando ficava zangado.

Mas não fui para o meu quarto. E eles também não foram dormir.



— Temos que manter a Ryoko longe da floricultura Yamanaka — Sasuke passou a mão pelos cabelos — Ino tem o péssimo hábito de falar demais.

— Não é só a Ino. Muitas pessoas na vila sabem sobre… bem, sobre a nossa infância — Hinata encolheu os ombros.

— Só precisamos dizer que são boatos. Distorcer a verdade. A Ryoko não precisa saber de nada. Não precisamos de outra pessoa sofrendo com isso — ele respondeu simplesmente, como se isso não importasse — Por que acha que ela começou a fazer essas perguntas de repente?

— Talvez por causa do casamento dela com Boruto — Hinata arriscou, esforçando-se para manter o foco no que realmente importava — Os boatos que Ryoko anda escutando podem estar fazendo ela pensar que não nos amamos porque estamos juntos graças a um casamento arranjado. Se for este o caso, talvez isso faça com que ela não queira se casar com Boruto, porque acha que não vai ser feliz.

— O casamento dela com Boruto será útil tanto para nós quanto para os Uzumaki — Sasuke lembrou — Ela herdou dois Kekken Genkai poderosos. E Boruto é a segunda criança mais poderosa de Konoha e filho do Hokage. Se eles tiverem um filho quando crescerem, essa criança não apenas terá dois Kekken Genkai poderosos, mas também poderá se tornar o próximo Hokage da vila. É uma grande vantagem para ambas as famílias. E os dois já se conhecem bem, são colegas de time. O amor virá com o tempo.

— Foi isso o que os nossos pais disseram para nós quando ficamos noivos, não foi? — Hinata lembrou. Ainda recordava de quando era apenas uma garota tímida quando sua família decidiu que ela iria se casar com um menino com quem ela nunca tinha falado na vida, e que só sabia o nome porque frequentavam a Academia Ninja juntos. Só por causa do Kekken Genkai que o garoto possuía e que sua família tanto cobiçava.

— É, foi sim — Sasuke também se lembrava muito bem do dia em que seu destino foi decidido por seus pais, quando ele ainda tinha apenas doze anos. Quando decidiram que ele iria se casar com alguém que não amava e ficaria preso a esta pessoa pelo resto de sua vida. Pelo bem do clã. E estava prestes a fazer o mesmo com sua filha — O que estamos fazendo, Hinata? Obedecemos às ordens dos clãs e veja o que aconteceu conosco. E agora… estamos agindo como nossos pais.

— Eu não quero que a nossa filha sofra — Hinata baixou a cabeça.

— Mas não podemos simplesmente desmanchar o noivado. Isso envolve o filho do Hokage também — Sasuke lembrou — Felizmente a notícia ainda não se tornou pública, mas teríamos que falar com o Naruto e a Sakura primeiro.

— Então vamos visita-los amanhã.



~~~~~X~~~~~X~~~~~



Fomos visitar o Hokage no dia seguinte. Papai disse que era uma reunião do antigo time sete, mas eu sabia que era mentira. Às vezes Sakura-san o chamava para essas tais reuniões e o papai nunca comparecia. E a mamãe não fazia parte do antigo time sete. Eles provavelmente inventaram isso para conversar sobre aquela história de eu precisar me casar com o Boruto. Sei que os dois conversaram sobre isso ontem à noite, embora não tenha conseguido escutar a conversa direito. Os dois falavam muito baixo e eu precisava tomar cuidado para que a minha enorme quantidade de chakra não fosse detectada.

Boruto estava tão deprimido com isso quanto eu. Simplesmente não fazia sentido fazer com que duas crianças de doze anos ficassem comprometidas. Mamãe disse que era porque eu tinha dois Kekken Genkai poderosos e Boruto era o segundo ninja mais poderoso da vila e filho do Hokage, e que um filho nosso eventualmente poderia se tornar o Hokage mais poderoso de todos os tempos um dia, por isso essa era uma união vantajosa para ambas as famílias. Papai disse para eu não me preocupar, pois, como nós já éramos amigos, o amor viria com o tempo. Foi isso o que o vovô disse para ele. Será que era verdade? Será que ele passou a amar a mamãe com o tempo? Será que, se eu me casasse com Boruto, passaria a amá-lo com o tempo também?

Depois do que pareceram horas esperando no jardim, Sakura-san nos chamou e pediu para entrarmos. Nem sei descrever o tamanho da alegria que senti quando nos contaram que não precisaríamos mais nos casar se não quiséssemos. Parece que o Hokage e a Sakura-san estavam se sentindo culpados pelo que estavam fazendo com Boruto e, para minha surpresa e felicidade, meus pais sentiam a mesma coisa em relação a mim. Eles pediram apenas para que nós continuássemos sendo amigos e estarmos sempre perto um do outro. Nem precisavam pedir isso, éramos colegas de time e grandes amigos, mas, se isso agradaria meus pais, prometi assim mesmo.

Conforme o tempo foi passando e eu fui crescendo, consegui entender a verdade cruel por trás dos clãs Hyuuga e Uchiha. Eles sempre tiveram uma relação respeitosa entre si, talvez até amigável, mas, no fundo o que realmente desejavam era apenas o Kekken Genkai um do outro. E usaram seus próprios filhos para consegui-lo. Atingiram seu objetivo, mas as vidas de duas pessoas foram sacrificadas para isso. Não literalmente, é claro, meus pais não estavam mortos. Mas as vidas dos dois foram roubadas pelos membros mais velhos de ambos os clãs, que decidiram seus futuros no lugar deles, sem lhes dar direito a escolha de nada. Não permitiram que tivessem a chance de se apaixonar por alguém e de ficar com essa pessoa. Se algum deles já se apaixonou de verdade, foi obrigado a abdicar desse amor para viver ao lado de uma pessoa que mal conhecia e que não amava. Tudo pelo bem do clã. Muitos diziam que ter um Kekken Genkai te tornava especial, que era uma verdadeira benção. Para mim era uma maldição. Eu possuía dois e ambos eram fruto do sacrifício de duas pessoas que não tinham vontade própria. Eu gostaria de dizer a eles o quanto lamentava por isso, me sentia culpada às vezes, mas acho que isso só os deixaria ainda mais magoados, então fingia que não sabia de nada. Meu único consolo é que meus pais não repetiram o erro dos meus avós e não me obrigaram a casar com ninguém.

Mas o mais irônico nessa história toda é que acabei mesmo me apaixonando por Boruto alguns anos depois. E, quando crescemos e nos tornamos adultos, nos casamos. Será que foi por isso que nossos pais pediram para ficarmos sempre próximos um do outro? Será que eu teria me apaixonado por Boruto se aquele casamento arranjado tivesse ido adiante? Bem, isso não importava mais. Ficamos juntos porque queríamos isso. Nem preciso dizer o quanto meus pais ficaram felizes por eu ter me casado com Boruto, como eles desejavam. Mas, acima de tudo, estavam felizes por eu ter me casado com alguém que eu escolhi por vontade própria e que realmente amava. Ao contrário do que aconteceu com meus pais.


___________________


Notas Finais:


História também disponível no Nyah! Fanfiction


5 de Abril de 2019 às 18:05 0 Denunciar Insira 119
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~