Desencontro Seguir história

xiuhanic nic furuya

Depois de pouco mais de um mês conversando apenas pelas redes sociais, Minseok e Lu Han estavam ansiosos para se encontrarem pessoalmente e darem um passo à frente naquela relação que tinham, mas o que nenhum deles esperava era que ficariam horas esperando um pelo outro sem perceberem que estavam praticamente lado a lado.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#desencontro #romance #lumin #exo #xiuhan
Conto
5
868 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Lado a lado

Minseok estava um tantinho aflito com a proposta que tinha recebido do carinha com quem estava conversando há pouco mais de um mês pela internet. Não era por medo, afinal, se fosse aceitar se encontrar com ele seria num lugar público e, de preferência, enquanto ainda houvesse a luz do sol, mas tinha um pouco de receio em não ser o que o outro esperava.


Era inseguro em certos aspectos, mesmo que tivesse consciência que chamava a atenção de muita gente por causa do seu charme e beleza, era um puta cagão quando se tratava de pessoas que ele se interessava e Lu Han era tão bonito quanto qualquer outro que já tinha tentado algo. Já tinha visto várias fotos do rapaz e queria muito ver aqueles olhos pequenos e brilhantes de perto, talvez apertar o nariz bem redondinho que combinava muito com os lábios cheios e rosados que tanto queria beijar. Não que tivesse reparado mais que alguns minutos na boca bonita pensando como seria beijar ela durante algumas horas seguidas pffffffff claro que não. Mas não podia negar que o outro era bonito e isso lhe causava certa insegurança.


Tinha um infeliz histórico de caras que tinham o rejeitado quando mais novo e isso tinha abalado um pouco sua confiança. Claro que melhorou muito desde então, mas um encontro marcado pela internet era difícil de lidar, pois sempre existe aquela expectativa de que fulano é como nas fotos e todos sabemos que não é bem assim.


Seu celular vibrou em seu colo e ele o pegou não se surpreendendo ao ver que era Lu Han quem o chamava.


han: minseok!!

han: cheguei agorinha do trabalho, como está?


Minseok achava uma graça como o outro sempre o chamava assim que chegava do trabalho, descobriu que era literalmente a primeira coisa que ele fazia quando chegava em casa.


minseok: estou bem, obrigado por perguntar, mas vai tomar um banho antes de conversarmos

han: olha ele é exigente

minseok: sou muito

han: então você ainda não vai querer me ver né?

han: eu sou o cara mais triste desse planeta

minseok: eu não disse isso

han: isso é um sim?

minseok: vai tomar banho, han!

han: ai ai to indo kk


Riu baixinho da breve conversa e, ao invés de voltar a tentar prestar atenção no filme que antes assistia, entrou no perfil do carinha e começou a rever as fotos que já tinha visto um considerável número de vezes.


Era verdade que estava muito a fim de ver ele pessoalmente, parar com esses flertes virtuais era o que mais queria no momento e, quem sabe, conseguir avançar aos poucos aquela relação que tinha com o chinês. Pensou nos prós e contras e sorriu pequeno ao ver uma foto que julgava ser sua favorita, uma das únicas em que ele sorria aberto. E deve ter ficado um bom tempo devaneando no sorriso alheio, pois seu celular voltou a apitar e viu a notificação com o nome do outro.


han: to cheirosinho agora hein

minseok: nossa queria

han: cheirar meu cangote pra me falar que eu sou um cara cheiroso?

minseok: tomar um banho e ficar cheirosinho, mas já sou cheiroso naturalmente

han: </3

han: fui iludido

minseok: han, ainda está disponível amanhã de tarde?

han: to sim, resolveu aceitar meu convite?

minseok: acho que sim

han: então ta marcado, só não vai furar comigo

minsoek: digo o mesmo pra você



...



Era cerca de duas e meia da tarde e Minseok já estava ficando cada vez mais impaciente enquanto procurava por qualquer pessoa que se parecesse com o chinês atrasado. Tinham marcado de se encontrarem na frente do coreto de uma praça onde era acessível aos dois, mas ele não estava só um pouquinho atrasado, era para terem se encontrado há duas horas!


Minseok não estava acreditando que tinha levado um bolo de Lu Han logo na primeira vez que se encontrariam. Ele já tinha mandado tantas mensagens e tentado ligar tantas vezes que já tinha perdido as contas de quantas foram as formas que tentou de falar com o outro, mas ele não tinha dado um sinal de vida e aquilo o deixava ainda mais puto do que já estava. Suas pernas já estavam doendo de tanto ficar em pé e se achava o maior idiota por ainda estar ali sendo que estava bem claro que o chinês não iria aparecer.


Enquanto isso, do outro lado do coreto, Han cruzava os braços e suspirava derrotado enquanto olhava para os rostos que iam e vinham em sua direção, não reconhecendo nenhum deles como o do cara legal com quem conversava pelo celular.


O chinês não conseguia acreditar que tinha ido até ali para nada. Jurava que Minseok iria aparecer e iam curtir uma tarde juntos para se conhecerem melhor e dar um passo à frente com a relação deles. Tinha até pedido um vale para seu chefe para não ficar dependendo do outro em absolutamente nada; e a situação só se tornava ainda mais frustrante por não conseguir falar com ele já que seu celular tinha descarregado no caminho. Tinha se esquecido de colocá-lo para carregar na noite anterior por causa da ansiedade de encontrar o coreano no dia seguinte, mas mesmo assim estava chateado pelo outro ter furado consigo.


E não demorou muito para que ambos fossem embora, com as cabecinhas fervendo em perguntas sobre o motivo de terem levado um bolo quando, na verdade, estavam apenas a alguns metros um do outro.


Assim que Minseok chegou em casa, cansado demais para querer questionar Han sobre o vacilo que ele tinha dado, resolveu tomar um banho quente para tentar não manter aquele estresse em sua cabeça e gritar com o outro sem motivo. Poderia ter acontecido alguma urgência, nunca se sabe. Mesmo que não custasse nada avisar, não queria parecer histérico ao falar com ele. Foi então que só depois de tomar seu banho e encher a barriga de comida que se dispôs a pegar o celular e reparar que havia algumas ligações perdidas. Han parecia meio desesperado, mas resolveu retornar e saber melhor o que tinha acontecido. Bastaram alguns toques para que ouvisse a voz alheia.


– Minseok? Você está bem? Aconteceu alguma coisa? – disparou o outro, a voz estava claramente preocupada e aquilo só deixou Minseok confuso.


– Estou sim, mas aconteceu alguma coisa com você?


– Não, eu estou bem, só fiquei preocupado contigo.


Minseok arqueou uma sobrancelha e se perguntou do que diabos ele estava falando. Será que ele estava se sentindo culpado por ter deixado ele plantado naquela praça durante horas? Provavelmente.


– Ah, eu 'tô legal – disse com certo desânimo. – Eu só estou com dor nos pés por ter ficado te esperando por tanto tempo lá na...


– O quê? – A voz do outro lhe interrompeu um pouco alterada. – Você foi onde a gente marcou? Na praça?


– Fui – afirmou. – Fiquei te esperando por horas, poderia pelo menos ter avisado que não ia.


– Mas eu fui!


Seu semblante se contorceu em confusão e achou que se fosse para mentir, Lu Han teria que melhorar muito nesse quesito.


– Cara, não precisa tentar concertar isso, já foi e...


– Não, Minseok, eu realmente fui – falou eufórico. – Fiquei te esperando por horas também, mas não consegui te ligar porque meu celular estava mortinho e achei que não teríamos problemas em nos encontrar.


– Então como eu não te vi?


– Eu estou me perguntando a mesma coisa, acredite em mim! Eu cheguei em casa e tinha um monte de mensagens suas me gritando e as ligações me deixaram preocupado, mas como você não citou que tinha ido, pensei que aconteceu alguma emergência e que não conseguiu ir por isso.


Naquele momento, Minseok abaixou a cabeça, encarando o chão e achando toda aquela história a coisa mais engraçada que poderia ter acontecido em sua vida. Tinham apenas se desencontrado e ele estava crente de que o outro tinha perdido o interesse em vê-lo. Sua risada saiu alta e logo ambos gargalhavam em meio a ligação, contando onde estavam e rindo ainda mais por estarem tão perto e nenhum deles ter tido a ideia de caminhar ali por perto para achar um ao outro. Marcaram então de se encontrar de novo e juraram de dedinho que não iriam embora antes de averiguar o local.


Afinal, desencontros acontecem.

2 de Abril de 2019 às 03:42 1 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

nic furuya xiuhan, xiubaek, chanlu e outros | escritora depressiva fugindo da depressão que nem o diabo foge da cruz; eclética em todos os quesitos com preferências peculiares. Tenho uma puta dificuldade em terminar as coisas que começo. Dezenove anos de desonra pro pai, pra mãe e pra vaca. Marvel-fã e Hollander de carteirinha. No céu tem cachaça?

Comentar algo

Publique!
Byun Baekyeollie Byun Baekyeollie
Adorei
12 de Abril de 2019 às 16:02
~