Deixe Cair Seguir história

halfhope halfhope ♥

Sooyoung estava prestes a reprovar no teste do debut, quando seu caminho se cruzou com o de Jin. Seis anos depois do ocorrido, ela tem a oportunidade de retribuir a ajuda, já que agora eles serão colegas de trabalho em um show de variedades. Ao conviverem juntos, vão descobrir o lado hostil da indústria do enterternimento, além de sentirem que são vulneráveis um ao outro.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#brotp #amizade #bangvelvet #fama #celebridades #seulmin #btsvelvet #jin #fanfic #hot #smut #joy #redvelvet #bts #jinjoy #jungri #kpop #bangtanvelvet #hetero #ficção
5
893 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Uma dívida

Seul era uma cidade deslumbrante para jovens que vinham de vários lugares da Coreia — e do mundo — para tentar a sorte no mundo artístico. Para a maioria da população aquela parecia ser só mais uma tarde movimentada no centro da capital. Mas para alguns jovens sonhadores, era um dia especial. Alguns candidatos logo iriam de descobrir se estavam perto realizar uma parte de seus sonhos. No entanto, outros deles iriam ter que esperar um pouquinho mais para concretizar seus desejos.

O prédio da S.M. Entertainment estava abarrotado de carros e ônibus. Muitos jovens vinham sozinhos, como era o caso de Park Soo-young. Ela já era treinee da empresa por dois anos. E hoje iria fazer o teste final para saber se iria debutar no próximo girlgroup da empresa. Outros vieram acompanhados, como era o caso de Kim Seokjin. Ele treinou por anos com o seu grupo de dança, mas sem uma empresa definida.

Assim que o micro-ônibus da companhia de dança estacionou perto do prédio, Jin pode sentir a grandiosidade de umas das maiores empresas do ramo. Todos do grupo, assim como ele, ficaram encantados só de entrar na recepção. O salão era tão enorme, que os era possível ouvir o eco do sapato das várias pessoas que passavam por aquele local. O ambiente era simples e elegante, decorado apenas com móveis pretos. O chão e as paredes eram brancos, impecavelmente limpos. Uma secretária levou o grupo de deslumbrados a sala de testes, que ficava no térreo.

Joy entrou no edifício com as pernas trêmulas. Ela tinha resolvido ir a pé até empresa para ver se a caminhada pudesse melhorar seu nervosismo. Porém, parece que tinha surtido o efeito contrário. Ela estava cansada e com calor. Logo depois de se identificar na portaria, ela procurou algum bebedouro para tomar um pouco de água gelada.

Porém, a decisão de ter saído naquele sol a pino as duas da tarde era apenas uma das decisões erradas que ela tinha feito naquele dia. A água gelada, ao entrar em contato com seu corpo quente, acabou resultando numa bela dor de cabeça. Joy se sentou na primeira cadeira que achou a sua frente. Massageando as têmporas, ela rezou de olhos fechados, para que alguma coisa boa acontecesse naquele dia.

— Ei, você está bem? Uma voz masculina a tirou de seus pensamentos.

Joy se deparou com o rapaz sentado ao seu lado a observando, preocupado. Ele parecia ser alguns anos mais velho que ela. Estava vestindo uma calça preta de moletom e uma camiseta branca. Ela não conseguiu distinguir muito bem, mas a camiseta era estampada com um logotipo. Provavelmente era um uniforme de algum grupo de dança. Joy lembrou que estava sozinha e seu estômago se revirou de arrependimento. Ela deveria ter trazido pelo menos uma de suas irmãs mais novas para distraí-la.

— Oh, estou bem, obrigada! Só acabei fazendo basteira ao virar o copo de água gelada de uma vez. Bobagens que a gente faz quando está nervosa – Joy suspirou, lamentando sua decisão.

Ele suspirou, aliviado. Joy notou que ela parecia muito sereno, enquanto ele relaxava o corpo na cadeira. Provavelmente ele já tinha feito o teste. A curiosidade acabou vencendo o seu nervosismo e ela acabou perguntando como foi o teste.

— Foram apenas duas provas. Uma de canto e uma de dança. A de canto você escolhe a música. Já a de dança, a música foi uma música estrangeria, de maneira aleatória. Acho que fazem isso pra testar seus reflexos. — Jin sugeriu.

— Ai, acho que já vou perguntar quando é que tem o próximo teste... — Joy suspirou. Ela odiava improvisos. Nunca sabia o que fazer. Resolveu então aceitar que aquele não era o dia dela e esperar pela próxima vez.

— Ei, calma! O segredo dessas provas é você passar segurança no olhar, mesmo que esteja com medo. Sabe, fazer uma performance. — Jin tentou tranquilizá-la, quando viu que ela se encolheu na cadeira, deprimida.

— Como você faz pra se sentir tão seguro? Ela perguntou, sincera. Não conseguia acreditar que ele parecia tão calmo em meio uma prova que poderia definir seu futuro. O olhos dela entregavam a sua insegurança.

Jin então lembrou que sua avó tinha lhe dado um amuleto para proteção. Sabia que aquilo era bobagem para muitos, mas na hora do desespero, qualquer coisa poderia fazer a diferença. E poderia ajudar aquela garota.

— Tome, pra te dar sorte! — Jin tirou a mão do bolso e sinalizou para que estendesse a mão. Na palma dela surgiu uma pedrinha rajada, nas cores preta e amarela.

— Qual pedra é? — Joy analisou a rocha, curiosa.

— Olho de tigre. É para proteção. Minha avó me deu para o teste hoje — Ele respondeu um pouco tímido. Não que tivesse vergonha de sua avó, mas não queria passar a impressão que era mimado e superprotegido.

— Não posso aceitar! - Joy rebateu, devolvendo a pedra — Não posso ficar com o presente dado por outra pessoa!

— Você pode me devolver depois. — O rapaz a tranquilizou. A garota resolveu então aceitar. Estava tensa demais e uma discussão ali, na frente da sala de espera, poderia deixá-la ainda mais nervosa.

— Certo, como faço pra te devolver depois? — Ela cedeu.

— Fique calma. Não vai faltar oportunidade pra isso! Com certeza vamos nos esbarrar nesses corredores todos os dias — Ele deu uma piscadinha, transmitindo confiança.

— Você está tão seguro assim que vai passar?

— Estou confiante que nós vamos passar sim! — A alegria na entonação dele era contagiante.

— Park Soo-young! - Chamou uma mulher da sala de testes.

A treinee se levantou rapidamente. Enquanto ela caminhava em direção da porta, se deu conta que não tinha nem perguntado o nome do rapaz. Virou-se rapidamente e perguntou:

— Ei, qual o seu nome?

— É Jin! — ele respondeu antes dela entrar na sala.

Jin significava dourado, assim como aquela pequena pedrinha que estava na sua mão. Ela apertou a pedra com força, antes de colocá-la no bolso. Que sorte a dela, garota tão insegura encontrar alguém autoconfiante. Não poderia ser apenas consciência. Um pouco mais tranquila, Joy cumprimentou os jurados que estavam na bancada. Ela se apresentou e cantou, sem auxílio instrumental, a música que tinha ensaiado: You and I, da IU. A música tinha sido um dos maiores sucessos daquele ano.

— Muito bem senhorita Park. Agora vamos fazer o teste de dança. – Sinalizou uma das juradas que estavam na bancada.

Essa parte do teste era a mais difícil para ela. Institivamente, ela tentou chutar qual seria a música colocada, para já ir pensando numa coreografia. Mentalizou que iriam colocar uma música estrangeira, sem uma coreografia definida, justamente para testar a capacidade de improviso dos treinees. Um fragmento de memória surgiu em sua mente: seu professor de dança dizendo para que ela conversasse com a música, ao invés só de repetir uma coreografia.

A jurada então apertou o play. Para a surpresa da de Soo-young Part of Me, da Katy Perry, começou a tocar. Apesar de ser uma das músicas mais tocadas no momento, ela não sabia o que fazer. Não conseguia imaginar uma coreografia para aquela música, que tinha uma letra tão dramática. Porém, se aquela música falasse, ela seria um drama. Então, ela resolveu tentar colocar sentimentos na coreografia. Atuar enquanto dançava. Quando a música terminou, ela encarou os jurados, que cochichavam entre si. Depois de chegarem a um consenso, um deles falou:

— Você foi a única que atuou enquanto dançava. Esse diferencial é o que o grupo precisa.

— Então isso quer dizer que?...— Soo-yooung estava incrédula. Ela iria mesmo debutar? Ela precisava ouvir claramente essa afirmação da boca de um dos jurados antes de cair em si.

— Sim, você passou. Parabéns! – O jurado que estava sentado no meio respondeu, com um sorriso.

Soo-young saiu da sala ainda trêmula, sem acreditar. Ela realmente tinha conseguido. Depois de anos treinando, ela ia debutar. Ela abafou um grito de alegria enquanto passava pela sala de espera. Muitas pessoas ainda iam fazer o teste, e ela iria respeitar a ansiedade deles. Cansada e agitada, ela disse para si mesma que o rapaz já tinha ido embora. Que ela iria achá-lo no dia da assinatura de contratos. Hoje, tudo que ela queria fazer é surtar de felicidade em casa, junto a sua família.

Na semana seguinte, ela foi assinar o contrato com a SM. Na sala estavam presentes alguns meninos, e mais três meninas. Provavelmente seriam suas colegas de trabalho. Todas elas pareciam alegres e gentis. Joy não tinha treinado junto com as meninas do SM Rookies, e então torceu para que a primeira impressão fosse verdadeira. Assinou os contratos já com seu nome artístico, dado por seu professor de dança. Soo-young realmente era uma garota alegre quando se sentia segura, seu pseudônimo era totalmente adequado.

Porém, não achou Jin no meio dos recém-contratados. Ela se sentiu triste, pois eles não iriam se esbarrar nos corredores como ele previu. Soo-young apertou então a pedrinha no seu bolso, rezando para que ele debutasse em alguma outra empresa. Assim, ela iria poder devolver aquela pedra para ele algum dia.

Alguns meses depois ela soube que Jin tinha debutado, naquele mesmo ano, em um grupo chamado BTS. O grupo era de uma empresa menor e não teve tanta visibilidade. Joy vibrou feliz, esperando pelo dia em que pudesse devolver aquela pedrinha. Finalmente ela poderia ficar em paz, sem ter mais aquela sensação de que devesse algo a ele.

Em agosto de 2014, o tão seu tão aguardado debut aconteceu. Porém, para seu desespero, não foi nada parecido com o que ela tinha sonhado. A SM estava em uma fase ruim. Vários escândalos pessoais de alguns artistas tinham vindo sido expostos. E todo aquele clima também foi refletido as atividades profissionais na empresa. Por ter sido feito em um prazo apertado, o diretor artístico do clipe de Happiness pegou colagens semi-prontas para finalizar o clipe. As imagens, que eram colagens de efeitos de explosões inclusive de guerras, acabaram prejudicando o grupo logo no debut.

Na apresentação do final de ano, Joy encontrou Jin pela primeira vez. Porém, ela se sentia insegura. A imagem do grupo estava manchada, e ela não conseguiu ter coragem para abordá-lo. Em 2015, a chegada de Yeri foi um presente para Joy, que apesar de já estar introsada com as outras meninas, agora teria uma integrante novata, em uma situação parecida com a dela. Porém, no mesmo ano, devido ao estresse das incertezas, Joy acabou ganhando um pouco de peso. Novamente ela se sentia vulnerável.

Em 2016, Soo-young entrou para We got Married. Por questões contratuais, ela não poderia interagir por muito tempo com outros homens que não fossem o Sungjae. A desculpa era que produtores queriam dar veracidade a reality, e por isso ela não era autorizada a interagir com outros idols masculinos. Ela só conseguia acenar para Jin de longe.

A partir de 2017, o grupo que ele participava explodiu mundialmente. Eles foram cercados de seguranças e managers por todos os lados. Eles se tornaram praticamente intocáveis. Vivendo o auge de sua carreira, era nítido o controle pessoal que os empresários tinham sobre eles. Pra manter a imagem de "propriedade das fãs", apenas idols masculinos eram vistos interagindo com eles. Joy se sentia feliz em ver o sucesso dele, porém triste de nunca ter tido uma real oportunidade de aproximação.

orém, depois de alguns anos, a chance chegou. Quando Joy recebeu a proposta para assinar como MC do reality, não soube quem iria trabalhar com ela. Porém, jamais imaginava que um dos escolhidos seria Kim Seokjin. Ela deu uma breve olhada para ele, que estava sentado um pouco a frente. Na mesa daquela mesa de vidro também estavam sentados os produtores, diretores e roteiristas do programa.

O rapaz estava tentava disfarçar a ansiedade. Aquele era o primeiro grande projeto que ele se envolvia individualmente, então, o nervosismo era compreensivo. Jin já tinha feito pequenas participações como MC de premiações e programas musicais. Porém, era sua estreia em um programa fixo.

Um apresentador masculino e uma feminina iriam formar uma dupla, que desafiaria dois participantes convidados. Cada episódio seria um desafio de um tema diferente, que irá desde dança até culinária, enquanto o Ho Dang, que era um apresentador veterano, mediaria os desafios. A ideia não era nada inovadora, estava dentro dos padrões de shows de variedade do momento. Apesar de ser um programa simples, o fato dele ser o único estreante o deixava ansioso. Ho Dang era famoso por "Running man". Joy estrelava seu terceiro show — já tinha apresentado o "Sugarman", e o "Pijama Friends".

O primeiro dia de leitura do roteiro era sempre uma reunião constrangedora. Ali, havia o primeiro contato do elenco, onde o silêncio era quase inevitável. E sempre que havia silêncio, Jin usava a estratégia de contar piadas ruins para amenizar o clima. Ele tinha plena consciência que os trocadilhos eram ruins, mas era uma situação infalível quando estava com os meninos.

— Como você diz 'Don't pass gas' (Não passe gás) em inglês?" — Jin perguntou e a equipe não soube responder.

— Ton Katsu — Jin respondeu. O nome desse prato tem qual a pronúncia em coreano parecida com "Don't gás" em inglês.

Porém o plano que era infalível com os meninos, falhou com toda a produção do reality. Ninguém riu do trocadilho e o silêncio constrangedor tinha voltado. Joy percebeu que ele ficou vermelho de vergonha. E ela sabia muito bem o que era ficar constrangida. Para tentar tirar o foco dele, ela resolveu falar a primeira piada ruim que tinha passado em sua mente:

— Quem me conhece fala que sou muito explosiva, pois vim da Ilha de Jeju. — Sua terra natal era uma ilha conhecida pelas belas paisagens, e pelo carvão vulcânico, que é muito utilizado a fabricação dos cosméticos.

Alguma pessoa do final da mesa puxou o riso e Joy suspirou aliviada quando percebeu que todos estavam rindo. Ela já tinha ouvido aquela piada várias vezes que acabou pegando raiva. Mas quem diria que aquele trocadilho horrível iria salvar sua pele um dia?

Kang Ho Dong, também começou a contar piadas ruins. Assim que ela percebeu que olhares tinham desviado para Ho Dong, Joy resolveu dar uma olhada discreta para Jin. Ele parecia aliviado, e deu uma piscadinha a ela. Foi um gesto simples, mas fez Soo-young soltar um sorrisinho de satisfação. Tinha finalmente, pago sua dívida.

Pouco tempo depois, um coquetel foi servido, para comemorar o final da primeira reunião. A mesa estava cheia de bolinhos coloridos. Os Gyeongdan eram salgados. Feitos de arroz enrolados em pó de soja. Já os kkultteok eram bolinhos doces, também feitos com arroz, porém recheados com mel.

Tentando ser o mais discreta o possível, Joy decidiu encher um prato de Kkultteoks. Ela se sentia desconfortável pegando tanta comida assim em um evento cheio de gente, mas ela realmente gostava desses doces. Ela estava tão distraída com a comida que nem notou Jin se aproximar.

— Parece que somos cúmplices do assalto. — Jin tentou puxar assunto brincando. Exibiu o pratinho que ele também tinha feito. Estava bem cheio, porém com os bolinhos salgados.

Ela acabou se assustando e derrubou alguns bolinhos de volta na mesa. Joy suspirou aliviada por eles não terem caído no chão. Além de desperdiçar a comida, ia chamar a atenção de toda a equipe. E ela já tinha se envergonhado o suficiente por hoje. Sem saber o que responder, ela começou a recolocar os bolinhos no prato.

— Desculpa por te assustar! Eu só queria te agradecer por você ter me salvado hoje. — Jin parecia realmente grato. Ele percebeu que ela estava envergonhada por ter derrubado a comida e começou a se afastar

— De nada. Eu estou te devendo uma desde aquele teste pra debutar. — Joy retrucou rapidamente, só para continuar a conversa, assim que percebeu que ele se afastava.

Dessa vez foi Seokjin que ficou sem jeito. Demorou um tempo para processar aquela frase. Então quer dizer que ela também se lembrava daquele dia? Jin estava muito confiante que iria assinar com uma das big3. Aquela foi a primeira decepção da sua carreira. Por muito tempo o dia do teste da SM foi uma lembrança dolorosa pra ele. Porém, hoje em dia encarava aquilo de outra forma. Estava satisfeito onde tinha chegado. E feliz por ter debutado em um grupo que praticamente era sua segunda família.

— Ah, aquele dia foi horrível. Se eu pudesse, gostaria de esquecer. Nem ter feito aquele teste, pra falar a verdade. Já teria ido diretamente a Big Hit. — Ele confessou.

— Se você não tivesse me dado aquela pedra naquele dia, eu acho que não teria passado. Foi um verdadeiro amuleto. - Joy soou sincera. Jin então reparou que os olhos de Soo-young brilhavam. Pareciam sinceros, como naquele dia. Ela era o tipo de garota que conversava com o olhar. Não era a toa que era uma intérprete talentosa.

— Aliás, eu a tenho até hoje. Vou te devolver amanhã, já que temos gravação... — Ela continuou.

— Não se preocupe! Com certeza ela ficará melhor com você do que comigo. Eu vivo perdendo as coisas...Mas se você quiser passar seu número em troca, eu aceito. — Jin brincou.

O coração de Joy parou por alguns segundos. Ele estava flertando com ela? Ela deve ter ficado vermelha, pois ele logo em seguida tentou amenizar a frase:

— O seu número vai ser muito útil! Vamos ter que nos falar sempre, já que somos colegas de trabalho. — Ele tentou disfarçar.

— Claro. Colegas de trabalho. — Soo-young repetiu aquela parte como um mantra para si mesma. A relação deles era apenas profissional e iria acabar logo depois do encerramento das filmagens. Eles então trocaram os respectivos números de celulares.

— Jin, vamos indo? Temos uma entrevista marcada para hoje a noite – Disse o gerente de Jin, chamando da porta.

— Bom, até amanhã! — Despediu-sede Joy.

— Até amanhã! — A morena repetiu enquanto ele saia rapidamente, acompanhando o manager A garota encarou o celular, se perguntando se o gerente não tinha aparecido só para interromper a conversa.


N/A: Comentários e curtidas são muito importantes para mim! A opinião de cada um de vocês importa muito pra mim.

27 de Março de 2019 às 22:44 0 Denunciar Insira 3
Leia o próximo capítulo Aquilo que escondemos

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 13 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas