Por favor, encontrem Lucy Francine Seguir história

drittx Lucas

Um post em um blog contem uma estranha conversa de whatsapp... Um casal de namorados, ou talvez um triangulo, bem, não importa. Algo está errado com o namorado de Lucy e agora ambos estão desaparecidos. Mas ainda assim, tem algo errado com Tomy, como ele pode estar em dois lugares ao mesmo tempo?


Horror Horror teen Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#desaparecimento #psicologico #estranho #Cópia #Clone
Conto
1
3.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo Único

Uma postagem em um fórum de relatos estranhos intrigou boa parte de seus usuários. O post parecia ter sido postado a cerca de quatro anos, nele continha um estranho comentário de alguém que parece ser ’’a mãe de Lucy’’, a menina principal da historia. Em sua mensagem, ela pedia que caso avistassem a garota e seu namorado; ou tivessem noticias; que a comunicasse; pois ela usava muito esse fórum e era bastante conhecida entre os usuários. Além da mensagem, o post contava com alguns prints de conversa de Whatsapp, juntamente com arquivos de áudio.


Terça feira, dia 13 de julho.


- Oiie Tomy! – Ela diz com entusiasmo – Tudo bem?

- Ah, oi Lucy! Estou com saudades – Disse Tomy, também por áudio – Fora a sua falta, eu estou ótimo. E você?

- Melhor ainda, depois de ganhar essas flores lindas!

- Ah, então você anda ganhando flores, não é? Quem é seu admirador secreto? – Respondeu o garoto, com um notável tom de deboche na voz.

- Hahaha, você é incrível. – Lucy percebendo a brincadeira, decidiu prosseguir também – Eu ganhei essas flores de um garoto lindo e cheiroso... Conheci ele no ensino médio, e até agora tenho uma forte intimidade...

- Eu não acredito que você está me fazendo ciúmes, Lucy. – Tomy agora dizia com uma voz mais séria.

- Amor, foi você quem me deu essas flores, não está lembrado? – Disse ela, parecendo meio preocupada agora.

- Para ser sincero... Não. A ultima vez que eu te dei flores foi no seu aniversario, a mais de duas semanas.

- Mas essa aqui você me deu hoje, enquanto comíamos no restaurante japonês. Não é possível que você já tenha se esquecido, Tomy. Faz menos de uma hora!

O garoto visualizou o áudio e ficou em silencio por um minuto, até responder com uma mensagem de texto.

- Olha, você tem que confiar em mim agora, tá legal? Se você realmente foi comigo para um restaurante hoje... Não era eu.

- Como assim não era você? Então eu sai com seu irmão gêmeo e não sabia? – Apesar da piada, a garota estava ficando cada vez mais assustada.

- Meu amor, eu fui visitar minha avó essa semana, lembra? Foi você que me levou lá, inclusive.

Lucy começou a escrever por mensagens agora, ela não sabia bem oque falar por áudio.

- Sim, agora eu me lembro. – Disse ela confusa. – Mas como não foi com você? Era igualzinho, estava vestindo as mesmas coisas e falava do mesmo jeito...

- Só um minuto, vou colocar um chinelo e já abro a porta para você.

- Como assim abre a porta para mim?

- Ué, você está me chamando, então vou te deixar entrar – Disse com um tom sarcástico em sua voz.

- Não abra. Não sou eu. Lucy, não sou eu!

- Eu estou te vendo, você está com aquela blusa vermelha que eu te dei no natal.

# Imagem deletada

- Viu? Eu estou aqui na minha avó ainda, não sou eu, Lucy.

- Mas, como assim? – As batidas ficaram mais fortes, agora a figura a chamava pelo nome.

- Amor, você... quer dizer, essa pessoa está me chamando com uma voz idêntica a sua.

- Calma, eu já estou indo aí, apenas fique calma. Vou pegar o carro de meu avô emprestado e chegarei aí em cerca de cinco minutos.

- Amor! Ele está batendo no portão agora! Oque eu faço?

- Pegue algo para se defender e se esconda em algum lugar, Lucy, por favor, eu já estou a caminho.

- Espero que isso não seja uma brincadeira, Tomas. Estou com aquele taco de beisebol que você me deu, estou no armário... AI MEU DEUS!

- Oque foi Lucy? Me fala!

- Acho que ele derrubou o portão! ELE TA ENTRANDO AQUI

- Calma, fique quieta. Estou a dois quarteirões, apenas espere.

A próxima mensagem possui cerca de cinco minutos de diferença, em relação a anterior.

- Lucy, estou na porta. Você está bem? Estou entrando...

- Sim amor, eu estou bem. Venha aqui, ainda estou no armário.

- Não vejo ninguém pela casa, estou indo para seu quarto agora.

- Ele deve ter ido embora, não entrou aqui. Estou te esperando.

- ... Lucy, meu amor. Pode descer aqui primeiro?

- Acho melhor vir me buscar, ainda estou com medo.

- Lucy, me mande uma foto sua.

- O homem quebrou minha câmera, não posso enviar uma foto.

- Você não me disse que ele não havia entrado aí?

- Eu menti.

- Me mande um áudio, por favor?

- Oi, sou eu amor, pode vir – Lucy disse por mensagem de áudio.

- Ah, certo, desculpe. Estou indo.

Após esta mensagem, a conversa foi encerrada e tanto Tomas e Lucy nunca mais foram vistos. O que mais intriga as pessoas que visitaram o post, é que no ultimo áudio de Lucy, é possível ouvir baixinho um ‘’Amor, não sou eu!’’.

22 de Março de 2019 às 01:34 0 Denunciar Insira 120
Fim

Conheça o autor

Lucas Tudo é literalmente relativo. O amor, a raiva. o desprezo. Qual deles você mais usa contra seu inimigo?

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~