Conto
0
2478 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

House of cards

Desacelere o tempo, fique um pouco mais, por favor, por favor baby, se acalme, espere um pouco mais — BTS - House of Cards

...

As luzes do lugar dançavam sob as cabeças que moviam-se as suas formas no ritmo da música pop que tocava alto, reverberando em todo local.

Não era sempre que os sete rapazes tinham a chance de divertir-se sem chamar atenção. Sem causar alvoroço e gritaria. Não era sempre que sentiam-se rapazes normais de sua idade.

Jimin levou o canudo da bebida até seus lábios sugando o líquido azul de seu copo. Seus olhos estavam presos a um único corpo que remexia-se despreocupadamente.

Quem o olhasse daquele ponto acreditaria que estava vendo um anjo. A forma que a luz banhava o rosto de Jungkook deixando sua silhueta e definições mais evidentes, e aparentemente mais sexys, podia ser considerado um crime.

Park não sabia dizer se era a quantidade relativa de álcool que já havia consumido ou se o lugar - mesmo na área privativa onde estavam com a climatização melhor - estava mesmo com a temperatura mais elevada.
Olhar Jeon Jungkook estava sendo sua perdição.

— Isso é uma baba? - Park olha para seu lado encontrando um Namjoom com lábios avermelhados e levemente inchados.
Jimin sabia bem o motivo, já que dois de seus amigos haviam sumido juntos há algum tempo.
— Já pensou em simplesmente... ir lá? - Namjoom diz. Os olhos presos na mesma pessoa que Jimin encarava tão vividamente.

— Eu não sei se consigo, eu...
— Jimin... olha, eu sei que o Jungkook é um cara meio fechado, e que a falta de demonstração pública dele as vezes te afeta, mas, é impossível não perceber como vocês se olham, é recíproco, e você não deve e nem precisa se sentir inseguro com os sentimentos dele.

Os pensamentos do rapaz estavam a mil, seu corpo pedia algo que sua mente naquele momento estava confusa demais para simplesmente fazer.

— Imagine que você não é você... - ele volta a si quando ouve a voz de Namjoom por cima da música, então foca em tentar ouvi-lo — se achar melhor, só por hoje, sinta-se quem você quiser ser, esqueça tudo sobre você e o Jeon, apenas vá até ele é finja que é a primeira vez.

Park olha o amigo que tem um sorriso cúmplice. Namjoom deixa que suas palavras penetrem na mente do mais novo e se afasta.

Jimin olha para seu copo e toma o líquido até o fim em um único gole. A bebida ainda queima em sua garganta enquando suas pernas como se tivessem vida própria o levam até o outro rapaz.

Ele para ao lado de Jeon que o olha enquanto ainda canta a música que está tocando alto.
Right now, I'm in a state of mind, I wanna be in, like, all the time, ain't got no tears left to cry, so I'm pickin' it up, I'm pickin' it up, I'm lovin', I'm livin', I'm pickin' it up...

Jogando a cabeça para trás o rapaz mais novo canta a música tão empolgadamente que acabada arrancando um sorriso despercebido pelo outro.

As luzes que dançavam sobre os rapazes banhavam a pele de Jeon como se fossem feitas exatamente para destacar a cor de sua pele. Os lábios avermelhados e tão, mais tão convidativos...

Comin' out, even when it's rainin' down, can't stop now, shut your mouth - continua a cantar, só que dessa vez com os olhos ainda mais fixos no do outro, como se, cantasse cada palavra, exatamente, para Jimin.

Foi aí, que Park deixou que as palavras de Namjoom surtissem efeito.

(Ain't got no tears left to cry)

Os lábios colados.
Os dois ainda pareciam apenas apreciar a sensação de ter as peles sensíveis uma contra a outra. Ainda um pouco estáticos pelo ato subto.

Foi aí.
Apenas nesse momento que o simples movimento de Jungkook mudou tudo.

Ao contrário do que Jimin pensava, Jeon abriu um pouco mais os lábios dando passagem para que o beijo, finalmente, começasse a se aprofundar.

Os lábios começaram com movimentos leves, os dois apreciavam o momento, como se fosse a primeira vez. Pois sempre era para eles.
Os dois rapazes afundados em suas confusões e cheios de ordem sobre o que podem ou não fazer, estavam afastados há um tempo.
Os dois eram como imãs.
Nenhum deles podia estar muito próximo, pois a necessidade de tocar-se era tão grande, que de uma forma ou outra, mesmo que mínimo, o contato acontecia.
O probleme é que, depois do primeiro beijo, o simples toque de mãos, ou um abraço não os satisfazia mais.
E isso era o que os mantinha distantes.
Querer e não poder.
Porém, a vontade estava lá, o tempo todo. Quando os olhares se encontravam, eram como pedidos silenciosos. As palavras não erão necessárias quando os olhos deixavam tudo tão exposto.

A língua de Jimin tocou o lábio inferior de Jungkook. O gosto da bebida que o rapaz tomava ainda estava lá.

O mesmo podia ser dito por Jeon. O rapaz sentia o gosto do álcool na boca do outro. De olhos fechados ele aproveitava cada sensação.
O toque.
A mão de Jimin em seu rosto.
Os lábios.
Sua mão enroscada nos poucos cabelos da nuca do outro.

(Oh, I just want you to come with me, we're on another mentality)

— Confia em mim? - Jimin sussurrou se negando a abandonar a boca do outro. Como se o ato fosse fazê-lo acordar de um sonho, e ele não estava disposto a arriscar.
— O que? - De olhos ainda fechados Jungkook perguntou de volta, com um sorriso nos lábios ainda juntos.
— Confia em mim?

Os dois pares de olhos se abriram juntos. Encaram-se multuamente. Havia um silêncio ali. Um silêncio ouvido apenas pelos dois rapazes com corações acelerados e peles arrepiadas.

— Confio em você Park Jimin. - Foi o necessário, para Park pegar a mão de Jeon e o guiar pelo meio da área onde estavam.

Jungkook olhou para os amigos.
Yoongi olhou a cena de cenho franzido, porém com um sorrisinho nos lábios.
Namjoom tocou Jin com o cotovelo e apontou discretamente para os dois que saiam.
Taehyung que conversava com Jin na hora, apenas lavantou o polegar em total apoio ao que ele nem sabia que irá acontecer.

Bem, Jimin sentia que suas pernas parariam em algum momento, mas, continuou marchando em direção ao único lugar que sua mente lhe permitiu pensar naquele momento.

A porta estava fechada e quando Jimin levou Jungkook em direção a entrada do banheiro, apenas conferiu se as cabines estavam vazias e trancou a porta com um clique quando virou a chave.

— Jimin, o que est-

Mídia - Coloque para tocar agora •

Em um único movimento, Jimin se aproxima do rapaz. O emprensando contra a parede gélida de cerâmicas brancas que agora tinham uma cor violeta neon pela luz propositalmente posta no centro do teto para que iluminasse todo o cômodo.

Os lábios agora tinham mais urgência. A mão de Jimin tomou conta da nuca de Jeon que soltou um gemido quase inconsciente pelo toque um pouco brusco na área sensível.
De forma apressada e ofegantes, Jimin guiou Jungkook até o balcão da pia.
O beijo era tão desesperado, como se Jimin precisasse provar ao outro que ele o pertencia. Precisava provar a si mesmo que aquele momento era real, e ele pretendia lembrá-lo da melhor forma.

Jeon beijou o pescoço de Park com um pouco de delicadeza, queria que o outro sentisse cada lugar beijado. Queria ver a reação que o simples toque de seus lábios o causavam.

Euforia.

Jeon puxou os fios da parte de trás da cabeça de Jimin deixando área abaixo de seu queixo livre.
O gemido saiu dos lábios fartos de Jimin quando os do outro chegaram a parte próxima a sua clavícula chupando o lugar, que provavelmente, ganharia uma marca.

Os dois rapazes estavam totalmente imersos em seus toques e sensações. Jimin, correu seus lábios deixando beijos na extensão do maxilar de Jungkook indo até o lóbulo de sua orelha e mordendo o local fazendo com que o outro sentisse um arrepio subir por sua espinha.

Os dois voltaram a se beijar, dessa vez ainda mais sedentos. Como se aquele ato fosse mais essecial do respirar. Como se dependesse daquilo para viver.
Os corpos tão grudados como se quisessem fundir-se em um, causava em ambos uma sensação de descontrole, principalmente, quando as virilhas se pressionaram fazendo com que os dois sentissem a semi ereção um do outro.

Jimin sentiu o exato momento em que a mão de Jungkook apertou sua bunda o puxando para ainda mais perto. O mais velho gemeu enquanto mexiam-se juntos um contra o outro.

— Jimin, nós... - Jeon tentou usar a última gota de conciencia que ainda tinha para tentar protestar, mas, não era exatamente o que queria.
— Quer parar?
A pergunta reverberou na mente do mais novo como uma piada. Ele riu, sentindo a respiração quente do outro contra a sua.
É tarde demais. - Disse simples voltando sua atenção aos lábios avermelhados de Jimin, agora inchados e ainda mais convidativos -se é que isso era possível -.
Foi o suficiente, para que Jimin impulsionasse seu quadril, fazendo seu membro roçar contra o de Jungkook por cima das calças justas.

Jimin faz com que Jeon vire-se de costas para ele deixando alguns beijos em sua nuca. É possível ver quando Jungkook aperta os dedos na ponta do balcão tentando aliviar-se da tensão ao sentir o membro de Jimin já rígido contra sua bunda.
O mais novo joga a cabeça para trás apoiando sua cabeça no ombro de Park.

— Eu preciso... - Jimin tenta dizer e dessa vez é Jungkook que bruscamente o imprensa contra o balcão. As mãos do mais novo chegam até a barra da calca, enquanto os olhos estão fixos um no outro. Esbanjando desejo e luxúria que ambos estavam partilhando.

Jimin fechou os olhos, apertando a borda do balcão quando sentiu a mão de Jungkook deslizar para dentro de sua calça, massageando seu membro. Ele soltava gemidos a cada toque e explosão de adrenalina que era descarregada por seu corpo.
Ao deixar-se encarar Jeon mais uma vez, Jimin acompanha cada movimento do outro.
Jungkook ajoelha-se levando com as mãos posicionadas a cada lado da cintura de Park, as calças do mais velho.
Sob a Calvin Klein preta, o membro rígido de Jimin destaca-se, mostrando o quão necessitados estava.
Ainda sem se quer uma palavra ser dita, apenas a música abafada pelas paredes ressoava no ambiente. Fora isso, as respirações ofegantes.
A boxer foi abaixo deixando o membro totalmente exposto de Jimin. O mais velho jogou novamente a cabeça para trás assim que sentiu a mão do outro o envolver.
Jeon umedece os próprios dedos quando passa apenas o polegar na fenda do membro de Jimin. O mais velho aperta a bancada mais uma vez antes que Jungkook ponha a extensão dentro da boca.
Era como se seu sangue fervesse dentro de suas veias. Park sentia-se quente demais.
Ele achava que poderia explodir a qualquer momento.
Uma de suas mãos por instinto chegou aos cabelos negros do mais novo, porém, ele não precisa fazer qualquer movimento, pois, a boca de Jeon estava realizando um trabalho ótimo.
Ao fechar ainda mais a mão nos fios do cabelo de Jungkook, o mais novo gemeu fazendo com que sua garganta tremulasse e levasse uma semi vibração ao membro de Park.

— Jungkook eu acho que vou... - Jeon retira o membro da boca e na tentativa de fazer com que Jimin fosse um pouco mais longe antes de gozar, ele apenas passou a ponta de sua lingua pela extensão. A cabeça já atordoada apenas com a voz do mais velho gemendo seu nome de forma tão necessitada, Jeon usou a mão que não estava no membro para acariciar as bolas de Jimin que também estavam sensíveis pelo momento.
Park olhou para Jungkook que o olhou de volta. Os olhos fixos um no outro, Jimin aguardava o próximo ato e Jeon fez, passou a língua na fenda que estava banhada de pré gozo assim como uma de suas mãos e recolocou a extensão na boca, determinado a finalizar seu trabalho de levar Park ao seu máximo.

Os olhos do rapaz pareciam ainda mais brilhantes sob aquela luz.
Quando Jimin, com um gemido derrotado deixou-se finalmente gozar estava com os olhos fixos em Jungkook, ele nunca entenderia como poderia ter o céu e inferno em um mesmo ser.
Ela não entendia como aqueles olhos poderiam esbanjar tanta doçura mas, em momentos como aquele, a luxúria, o desejo era tudo o que poderia ser visto.
Jeon Jungkook era sua espécie de inferno e paraíso particular.
Park levou sua mão até o queixo do mais novo o fazendo levantar-se, dos dedos de Jimin limparam com facínio resquícios de sua porra que escapava dos lábios finos de Jeon.
O mais novo juntou seus lábios mais uma vez, agora, fazendo com que Jimin sentisse seu próprio gosto em sua boca.
Sorriram entre o beijo.
As pernas do mais velho ainda estavam bambas, mas, ele conseguiu flexionar seus joelhos tirando Jungkook do chão e o pondo sentado no balcão da pia onde a pouco estava encostado.

Jimin olha para o mais novo e desvia o olhar para a ereção que está marcando sua calça imaginando o quanto aquilo deve está o incomodando.
— Acho que vou ter que te ajudar com isso! - Em provocação ele passa os dedos por cima da calça em toda a extensão e Jungkook solta um gemido contido.
As mãos hábeis de Park abrem o botão da calça e deslizam o zíper de forma lenta, fazendo o mais novo suspirar ainda mais a cada toque.
Com ajuda, Jeon deixa a calça na altura dos joelhos e Jimin puxa o membro totalmente duro do outro para fora da boxer.
Posicionando-se entre as pernas do mais novo ele usa uma das mãos para começar uma masturbação lenta e prazerosa que tem a intenção de deixar o mais novo ainda mais louco do que ele foi capaz de deixá-lo. Jimin tenta ignorar a sensação em sua virilha ao ver o mais novo entregue a ele daquela forma. O polegar dele toca a fenda do membro duro em sua mão já melado de pré gozo, e Jungkook segura com firmeza o ombro de Park enquanto morde o lábio inchado.
— Jimin... - As palavras difíceis de formarem algo coerente em sua cabeça. Seu corpo inteiro pulsando apenas com o toque das mãos do outro.
O mais velho apenas levou a boca até o membro quando percebeu que Jeon não aguentaria mais e com a extensão na boca fez o mesmo que o outro, engolindo parte da porra.

Quando sentiu o corpo de Jungkook antes tenso, relaxar sobre o balcão, ele voltou sua visão a maravilha que era Jeon Jungkook com lábios vermelhos e inchados, totalmente sem forças, e gemendo seu nome como se fosse único no mundo.

O mais novo encostou a cabeça no espelho que estava na parede bem atrás de si. Ele pensava que talvez não tivesse forças tão cedo para se mover. O mais velho ainda estava entre suas pernas, na altura perfeita, quando ele abriu os olhos e o encarou.
— Eu não acredito que fizemos isso no banheiro de uma boate! - Murmurou.
— Fizemos, e nossa trilha sonora foi melhor! - Park brincou puxando o outro para si.
House of Cards. Acho que essa música tem um novo significado pra mim!
— Pra nós, toda vez que eu cantar acho que vou te ouvir gemer meu nome!
A mistura das risadas preencheu o cômodo.
— Precisamos voltar... - Jeon murmura demonstrando seu desânimo.
— Precisamos. - Park responde tentando não deixar seu tom afetado.
— Eu... - O mais velho cola os lábios novamente. O beijo mais leve e calmo que deram aquela noite.
Apenas suas línguas se tocando. Sentindo os próprios gostos que seriam lembrados por um longo tempo assim como aquele momento. Naquela noite.

Antes que recomeçassem tudo novamente, os dois tentaram se recompor da melhor forma, mesmo, que os lábios inchados e as pequenas manchas avermelhadas nos pescoços e clavículas fossem os denunciar de qualquer forma.
Saíram do local de mãos dadas tentando inventar desculpas que não seriam aceitas pelos amigos pela demora e tudo mais.
Jimin olhou para Jungkook que caminhava logo atrás dele o acompanhado e sorrio.

Sorrio pois estava em um nível de felicidade que jamais poderia descrever. Sorrio pois estava de mãos dadas com o cara que ama. E sorrio mais ainda ao lembrar das palavras de Namjoom dizendo que se ele quisesse poderia ser quem quisesse, mas, apos ouvir os gemidos do mais novo chamando apenas ele, Jimin não desejou ser mais ninguém a não ser ele próprio

20 de Março de 2019 às 16:08 0 Denunciar Insira 119
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~