Bota a mão na cabeça Seguir história

luraywriter Luray Armstrong

Histórias de Carnaval são sempre meio aleatórias, né? Se envolver um bêbado e um policial, piorou. Mas e se o bêbado for Naruto Uzumaki e o policial for Sasuke Uchiha? Capa: Bárbara Vitória


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#carnaval #yaoi #naruto #narusasu #sasunaru #BlocodaFNS
Conto
6
3.7mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo único

Notas iniciais: Alô minha galera, preste atenção: essa fic é do desafio Amor de Carnaval do grupo Fanfics Naruto Shippers. Eu escolhi a música Rebolation -Parangolé ❤❤.


Notas iniciais: Alô minha galera, preste atenção: essa fic é do desafio Amor de Carnaval do grupo Fanfics Naruto Shippers. Eu escolhi a música Rebolation -Parangolé ❤❤.

Essa fic é quase uma crackfic, bem curta, boba e aleatória. Nem é necessariamente uma comédia como as que eu faço, eu nem pensei nisso na hora de escrever. É bem crack mesmo. Mas taí. 




— Sasuke, caralho, te acalma!

— Mas é crime e eu sou um policial. Eu fiz algo errado?

— Não tô dizendo que tá errado, imbecil. Tô dizendo que se for para prender todo mundo que tá usando droga por aqui é melhor colocar uma caixa de som em cima do camburão e guiar todo mundo para delegacia assim! É Carnaval!

— É, infelizmente, é Carnaval.

— Tá, tu odeia Carnaval. Pau no seu cu, você tá trabalhando e vai fazer direito. A gente só tem que garantir a segurança das pessoas, mas o pessoal tá usando droga e transando e não adianta porra nenhuma a gente se ligar muito nisso que não dá em nada, caralho! 

— É, eu sei.

— Não tá parecendo que sabe! Agora se liga naqueles caras ali que eles tão cheirando alguma coisa e…

— A gente não devia ignorar as drogas?

— Não se as drogas estiverem sendo colocadas escondido no copo de mulheres distraídas. Que é o que eu acho que eles vão fazer, fica de olho. 

Então, Sasuke se focou naquilo.

Odiava Carnaval. E odiava calor. O uniforme que tanto o orgulhava era um grande incômodo debaixo daquele sol. 

Ele nem sabia que música estava tocando. Seguiam um bloco famoso pelas ruas debaixo do sol forte, mas havia tantos outros lugares tocando diferentes músicas que era quase impossível escutar só uma. Todas tinham uma batida envolvente e animada, que fazia a multidão, que no momento odiava, entretanto devia proteger, pular e gritar. 

Sasuke era o tipo de policial que gostava de seguir cada letra da lei. Seu pai foi um policial também, agora aposentado, e a primeira vez que o viu chorar foi quando um de seus grandes amigos foi pego em um grande esquema de drogas e corrupção. Assim, Sasuke adicionou ao seu sonho de ser policial mais um meta: ser incorruptível, o máximo possível. 

Nunca seria o tipo de cara que fez seu pai chorar.

O que fazia do Carnaval um momento complicado. Havia crimes sendo cometidos por toda parte, mas como Suigetsu disse, havia alguns aos quais ele simplesmente devia fechar os olhos, porque era Carnaval. Devia focar no que realmente importava. O que era muito difícil para ele, que  em geral não conseguia simplesmente ignorar um crime. Suigetsu liberou todas as pessoas que tentou prender por uso de drogas.

Sasuke achava que não aguentaria muito mais, mas era só domingo e ele trabalharia todos os dias de Carnaval.

Além de todo o estresse já citado, ele ainda tinha um problema a mais: a pele muito clara. Claro, usou protetor ao sair de casa, todavia estava sentindo a pele queimar e estava sentindo que amanhã estaria ardendo onde o uniforme não o protegia. Esperava já não estar parecendo um camarão. 

— Ei, cara, eu realmente preciso de um refrigerante. Água não tá dando mais. Acho que preciso de um banheiro também. 

— Eu preciso é sair daqui. Mas você quer ir?

— Tô te chamando, né, porra?

— Então bora, caralho.

Se afastando do camburão, os dois homens fardados procuraram um bar com banheiro. Sasuke sabia que Suigetsu ia se aproveitar da farda e dar um jeito de conseguir ir ao banheiro de graça. Não impediria o amigo, contudo não faria o mesmo, definitivamente não. 

Quando Suigetsu escolheu o bar, entrou com ele e tomou o refrigerante sentado com o amigo, se levantando para esperar enquanto ele ia no banheiro do lado de fora.

De repente, reparou em algo.

Dois homens corriam da multidão para um canto mais vazio e ali começaram a brigar, muito perto de agredir um ao outro fisicamente. Sasuke se aproximou devagar, sem chamar atenção cedo demais para que não corressem. Estava sozinho e não tinha por que se precipitar ainda.

Quando próximo o suficiente, abordou:

— Mão na cabeça todos dois. Encosta na parede.

Em época de Carnaval, o melhor era sempre revistar antes de qualquer coisa nesses momentos.

Com cuidado, averiguou o homem moreno. No entanto, quando tentou fazer a revista do homem loiro, ele estava de mãos abaixadas.

— Eu disse: mão na cabeça. 

— Que vai começar o rebolation.

Sasuke não precisava da piadinha para ver que o cara estava bêbado, e a reboladinha não ajudou a situação dele. Reparou que em algum dos caixas de som ali por perto tocava a dita música. 

Como ele colocara as mãos na cabeça, fez a revista, com certa dificuldade já que ele fazia questão de se esfregar em si. 

Okay, ele tinha uma bunda linda, contudo Sasuke não estava particularmente interessado naquele momento.

Em pé atrás do homem, de certa forma próximos, Sasuke sentiu o corpo dele colar ao seu quando ele deu um passo para trás. 

— Seu policial, na verdade eu acho que eu fiz algo muito ruim. Você vai ter que me prender.

— Se cometeu algum crime e vai confessar, é, vou ter que te prender.

— Naruto, por favor, você vai ser preso de verdade. — O homem moreno argumentou, suspirando.

— Cala a boca, Kiba. — o homem falou para o amigo sem olhar para ele. — O senhor vai me prender, policial? Vai me algemar? Por favor…

Sasuke revirou tanto os olhos naquele momento. Tinha gente que não podia ver um cara fardado.

Quase se afastou do homem também suado, entretanto as mãos que antes estavam na cabeça dele deslizaram para seu pescoço, ele colou mais o corpo e rebolou contra Sasuke. 

Gostaria de saber qual música ele estava seguindo. Bem, o cara estava bêbado, podia muito bem não estar seguindo ritmo nenhum.

Viu pelo canto do olho o outro cara bater no próprio rosto, como se esse tipo de atitude inconsequente fosse característica do amigo.

Então o loiro que aparentemente se chamava Naruto se virou de frente e o beijou.

E, claro, Sasuke podia ter evitado boa parte disso há um bom tempo. Mas talvez, só talvez, ele não estivesse tão a fim de evitar.

Por isso, beijou o homem de volta, descendo a mão para a bunda do homem, coberta por um shortinho florido.

Okay, Sasuke poderia facilmente ser engolido pela boca grande e os lábios grossos, mas não se incomodava. O homem beijava com gosto, os braços envolvendo a sua nuca num abraço firme.

Deuses, ele sequer sabia seu nome.

Apertou forte a bunda pequena do homem, ouvindo um gemido baixinho. Sentiu o pênis duro do outro catucar sua barriga e riu durante o beijo. 

Caralho, estava beijando um bêbado desconhecido numa rua fedida no meio de seu expediente no Carnaval. Isso definitivamente não era algo que ele esperava. Será que tinha algo naquele refrigerante?

A realização de tudo aquilo o fez rir mais, e por algum motivo o bêbado o acompanhou. 

Sasuke soltou a boca de língua sedenta, afastando sua mão da bunda que gostara tanto de apertar.

— Iai, senhor policial, vai me algemar?

— Pode contar sobre isso para ele amanhã? Isto é, se você se lembrar. Acho que é uma história e tanto para ele esquecer. — Sasuke disse, olhando para Kiba.

— Não vou esquecer de você, policial.— Naruto afirmou.

— Você nem sabe meu nome.

— Me ensine seu nome quando eu precisar gemer ele.

— Então parece que você vai morrer sem saber meu nome, não é mesmo?

Naruto riu e puxou Sasuke para um beijo novamente. 

Dessa vez, o policial não deixou, se afastando. 

— Podem me dizer o que aconteceu aqui? — Perguntou, como se nada tivesse acontecido.

— Nós ficamos.

— Foi uma quase briga. Mas somos amigos, seu policial. Não foi nada demais.

— Posso deixar irem já que nada muito sério aconteceu. — A voz de Suigetsu sondava sua mente, sabia bem que aquele era mais um caso para se ignorar e, no máximo, ficar de olho. — Mas estou de olho em vocês dois.

— Certo. Vamos vazar, Naruto.

O homem conhecido como Naruto se aproximou de novo, agarrando a nuca do policial com uma mão.

— Não vai mesmo me prender?

— Você tem uma fantasia com caras fardados, não é?

— Tenho. — ele confirmou, rindo e se aproximando mais.

— Não vou prender você.

— Que pena.

— Se continuar com isso, vou prender você por assédio ou desacato. De verdade.

— Mas você me beijou de volta, não faz sentido.

— Vou abusar do meu poder.  Só porque eu quero.

O próprio Sasuke sabia que não parecia convincente dizendo aquilo, porque não  era desse tipo de policial. 

— Não vai fazer isso. Você não é esse tipo de policial, parece um policial certinho.

E Sasuke não sentiu um pingo de ironia naquela frase ou no tom de Naruto. Das várias coisas estranhas do dia, o fato dele ter ficado emocionado com esse comentário foi a mais estranha.

Mas ser um bom policial era seu sonho, afinal. Ser reconhecido por isso era difícil, contudo mexia muito com ele.

Assistiu o homem loiro ir embora com o amigo o carregando. Ele ainda virou, mandando um beijo e um aceno com a mão para Sasuke.

Que homem estranho. Bêbados eram estranhos. Que momento mais estranho. 

Deve ser coisa do Carnaval. Ou talvez ele tivesse mesmo levado muito sol.

28 de Fevereiro de 2019 às 12:10 2 Denunciar Insira 7
Fim

Conheça o autor

Luray Armstrong Perfil também disponível no Wattpad. Facebook: Luray Armstrong . SNS ❤ TODOKIRIBAKUDEKU ❤ KageHina ❤ Solangelo/Pernico ❤ Sheith ❤

Comentar algo

Publique!
AS Amanda Santos
AMEIIIIIIIIIII
2 de Outubro de 2019 às 17:58
AS Amanda Santos
AMEIIIIIIII❤️❤️❣️❤️❣️❤️❣️❤️❣️❤️❣️❤️❤️❣️❤️❣️❤️❣️❤️
2 de Outubro de 2019 às 17:58
~