Don't call me baby Seguir história

marisaint Mari Saint

Jungkook odeia Daddy Kink. É ridículo chamar alguém que se tem interesse de “papai”, mas, infelizmente, essa foi a forma que encontrou para aumentar sua renda. O “daddy” em questão se chama Kim Taehyung: um milionário infeliz com seu noivado. Já se encontraram duas vezes e, se a situação fosse diferente, teria gosto em se relacionar com alguém bonito como ele. No entanto, conforme saem juntos, Jungkook percebe que seu daddy está consigo por outros motivos. [ - Psycho Terror Series - ]Ⓡ


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#bts #bangtanboys #bangtansonyeondan #jeonjungkook #kimtaehyung #jungkook #taehyung #kimseokjin #jin #kimnamjoon #namjoon #rm #v #minyoongi #yoongi #suga #junghoseok #hoseok #j-hope #parkjimin #jimin #taekook #vkook #kookv #kooktae #sobrenatural #Seita-Satânica
0
124 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Pronto para avançar?



Tae Daddy


Baby, como está sendo seu dia?

Está ótimo, daddy ♡



Quase vomitou seu almoço ao digitar a resposta. Como alguém pode gostar disto? É nojento e não faz sentido. Tanto fetiche melhor e as pessoas sentindo tesão logo por este. Jungkook pode estar comendo no prato em que cospe, mas não o faz porque quer.

Ser formado em design gráfico e não conseguir emprego na área é como um pesadelo. Trabalhar meio período num empório de roupas só não é mais humilhante que ser despejado do estágio por causa da crise financeira que atingiu boa parte das multinacionais. O salário mixuruca mal paga o aluguel de seu apartamento minúsculo e algo para comer. E, no momento de desespero, teve que correr para a solução mais rápida para conseguir viver bem: ser bancado por gente rica.

Às vezes, o rapaz sente que está se prostituindo. Mas, ao contrário de andar por aí fodendo com qualquer um por poucos trocados, ele pode continuar em sua casa papeando sobre o nada e satisfazendo quem estiver do outro lado. É claro que há sacrifícios, como marcar encontros e fingir ser o que não é, contudo, até o momento tem valido a pena.

Kim Taehyung, seu primeiro daddy, não é exigente. O acordo que fizeram é bem razoável. Conversas todos os dias, uma vez por semana devem mandar fotos um do outro, se encontram para jantar ou, simplesmente, caminhar ao luar, seja em praças, parques ou na praia. O tópico “sexo” foi comentado e Jungkook deixou de se incomodar tanto depois de o conhecer pessoalmente.

Taehyung é jovem, bonito, carismático, inteligente, divertido e, principalmente, rico, muito rico. O cara dos sonhos de qualquer pessoa. Em outras circunstâncias, estaria extremamente feliz por encontrar alguém assim, mas, como ninguém é perfeito, há um detalhe que o estraga: daddy kink. Seria bem melhor ser um “amante tradicional” dele sem essas palhaçadas do que ser seu baby. Quase sentiu remorso por mentir sua idade, por dizer que ainda é universitário e, pior, falar que é virgem. Pareceu uma boa ideia na hora.

Em pesquisas que fez para barganhar consciente no momento do acordo, o levaram a descobrir que quando o daddy deseja relações intimas, geralmente opta por jovens “intocados”. Ficam mais dispostos a agradar seu baby. Então, por que não se aproveitar disto? Está na merda mesmo, sua dignidade já se foi a tempos.



Tae Daddy


Já sinto sua falta

Seus olhinhos de azeitona preta

Sua pele macia

Seus doces lábios

Ah, como eu queria te ter agora

Você pode me ter quando quiser, daddy

Me beijar onde quiser

Passear com suas grandes mãos em meu corpo

Gemer rouco no meu ouvido

Enquanto eu te faço ir do céu ao inferno

Só com o meu rebolar

Eu quero tudo isso, baby

Eu te quero muito

Mas você está pronto?



Jungkook suspirou, revirando os olhos impaciente e se lançando contra a cama. Se Taehyung soubesse que não há mais nada puro nele, ficaria louco. Desde que teve sua primeira vez durante o ensino médio, não parou mais. Em seus anos de universitário, fodeu tanto que já ficou uma semana tendo que sentar torto nas aulas. Bancar o virgem não é para ele, é até curioso que não tenha sido descoberto nas vezes em que se viram. Mas, é claro, é mais um de seus sacrifícios para poder manter seu guarda roupa cheio de peças caras.

O maior problema mesmo é se terá tesão para transar com o Kim. O filho do presidente de um dos maiores bancos do país é um puta gostoso, com pegada firme. Nos encontros mais recentes, chegaram a dar uns amassos bastante quentes a ponto de deixar o mais novo duro, porém, na hora “h”, conseguirá resistir a broxa quando o outro o chamar de “baby”?

A resposta precisa ser “sim”. Não pode desperdiçar quatro meses de trabalho árduo em conquistar um macho cheio da grana. Sua vida mudou drasticamente depois de ter passado um ano sofrendo nas mãos da miséria que o destino lhe reservou. Ele ainda não pode sair por aí esbanjando o dinheiro, mas já pôde resolver suas pendencias e organizar algumas coisas. Estava tão desesperado na época que também colocou “interesse por mulheres” no perfil, mesmo que só goste de piroca. Faria aquele sacrifício, entretanto, Kim Taehyung surgiu para o salvar.



Tae Daddy


Estou pronto sim, daddy

Todo esse tempo juntos me fez entender que eu não tenho mais o que fazer a não ser me entregar

Não aguento mais, quero te sentir dentro de mim

Meu cuzinho chama por você

Porra Jungkook

Assim eu fico duro

Mas essa é a intensão, daddy

Enrijeça que depois eu te faço ficar molinho

Não

Agora não vai dar

Tenho umas coisas para resolver

Que tal nos vermos?

Sexta à noite está bom pra você?

Sim, está perfeito

Ok, depois te passo o endereço

Até, meu chocolate

Tchau, daddy



Sorriu com as últimas mensagens. Ele não me chamou de baby. Se não se conhecesse, diria que está se apaixonando pelo mais velho, o que é ridículo. Ele gosta desse fetiche idiota, bufou para si.

Fora que está noivo e de alguém tão importante quanto ele. Jungkook não sabe ao certo, mas, da forma que o Kim a mencionou, é outra de classe alta e dona de uma empresa grande. Nunca disse nada de ruim sobre ela, deve ser uma boa pessoa, só que infelizmente se casará com um homem que não a ama e ainda a trai antes da troca de alianças. Deplorável, o rapaz definiria se não estivesse ganhando em cima disto.

Se levantou preguiçoso e abriu o armário de roupas. O grande dia de despregar suas pregas já despregadas está as portas, precisa se preparar para a ocasião.




☽ ⛧ ☾




O local marcado era dentro de um complexo de apartamentos luxuosos onde só os podres de ricos moram. Kim Taehyung só pode estar maluco, pensou. Chamar Jungkook para seu próprio apartamento? Está querendo se expor ou o quê? E a noiva dele? Ela mora no mesmo prédio.

Puta que pariu, ele é burro? Que porra, vou ter que procurar outro otário para me bancar.

Tentou não parecer irritado, mas o porteiro deve ter notado a ruga em sua testa, pois lhe lançou um olhar desconfiado.

– Sou um convidado de Kim Taehyung, Jungkook – o homem de meia idade continuou o encarando. – Ele não avisou?

– Avisou sim. Mas é que ninguém entra aqui a pé, garoto.

Eu sou um completo imbecil. Como pode esquecer desse detalhe? Devia ter vindo de Uber e não de ônibus para economizar. Uma vez pobre, sempre pobre.

– Eu estava por perto, então, vim andando. Algum problema? – confrontou-o, arqueando a sobrancelha.

– Sugiro que venha de carro da próxima vez – abriu o portão.

Jungkook se sentiu muito ofendido. Até o porteiro é esnobe. Marchou emburrado para o edifício indicado por seu daddy. O condomínio é imenso, ao longe via um restaurante e um parquinho. Provavelmente, tem um shopping também, não duvidaria.

Chegou ao prédio branco e azul, com varandas largas e uma placa escrito “Clean Sky”. Caminhou cauteloso pelo deserto térreo, estava bem iluminado, porém muito silencioso. Olhou para os lados até se deparar com alguém próximo a si.

– Ah – se engasgou de susto.

– Calma, sou eu – soou a voz grave e risonha de Kim Taehyung. – Está com medo de algo, baby?

– Hã... Sim? – pegou o outro pelo braço e o puxou para um canto, perto de bancos de concreto e uma árvore pequena. – Você mora aqui, vários conhecidos seus também, além da sua noiva.

– Você não é o primeiro homem que vem me visitar – sorriu de lado.

– Ah, obrigado pelo conforto – o garoto bem que quis fingir ciúmes desviando do olhar, mas a verdade é que se incomodou com a declaração.

– Ninguém vai suspeitar, você é homem. Meus amigos sempre vêm aqui. E minha noiva saiu para uma reunião – Kim adentrou a mão na jaqueta preta do mais novo e massageou sua cintura por cima da camisa.

Jungkook foi obrigado a encarar os delineados olhos ferozes do moreno de pele avelã. Ele é bem intenso quando quer, assim como doce. Pensou, ao ver seu perfil no site de sugar daddys, que ele seria insensível e egoísta, mas descobriu da melhor forma como é respeitoso e compreensivo. Até demais.

Sorriu pequeno, imaginando como ele deve foder bem. Talvez sua cama seja king size, com colchão extremamente macio e lençóis acetinados. Tomara que esta ranja bastante já que o rapaz não poderá gemer muito alto na calada da noite, fazendo todos do complexo o ouvirem. Até com isso tem que se preocupar. Como é difícil sustentar mentiras.

Alisou o braço de Taehyung e foi se aproximando para o beijar. Esse cara é gostoso demais para eu broxar por causa de um fetiche.

– Taehyungie – uma voz feminina o chamou.

Se afastaram, mas Jungkook foi tão brusco que deixou óbvio o fato de estarem fazendo algo errado. Uma mulher de cabelos castanhos chocolate ondulados até os ombros dentro de um tubinho verde se achegou sorrindo grande. Meu Deus, não pode ser a noiva – o garoto tremeu na base.

– Noona, voltou cedo. Deu tudo certo? – Kim perguntou da forma mais tranquila que o mais novo já presenciou em vida.

– Infelizmente, um dos acionistas teve um problema, então, cancelaram – ela respondeu parecendo chateada. – Eu estava prestes a pedir um jantar para nós, mas você está com um amigo. Não quero atrapalhá-los.

Seu olhar cintilante não transmitia raiva ou desconfiança. Seus lábios bem delineados no batom vermelho esboçavam uma linha carismática: curiosidade. Isto aliviou o agitado coração de Jungkook, por mais que a situação não estivesse melhor.

– Sem problema. Noona, este é o Jungkook – o indicou, simples. – Esta é a minha noiva, Lilie – apontou para a simpatia em pessoa, que sorria cada vez mais largo.

Ela é muito bonita, pensou a cumprimentando com o curvar da cabeça. Tem um rosto gentil e diferente. Deve ser estrangeira.

– Ouvi muito sobre você – O quê? Kim falou sobre mim? – Parece ser tão jovem – seus olhos amendoados e maquiados não paravam de mirá-lo, aumentando seu desconforto.

Na verdade, sou quatro anos mais velho do que disse ao seu futuro marido, mas a senhorita também parece jovem. Taehyung havia comentado que era mais velha que ele. Quem sabe, está com trinta, já que seu daddy tem vinte e oito. Ela também é baixa, mesmo de sapato de salto alto. É bem fofa, para ser sincero.

– Hum... Que tal jantarmos nós três juntos? – proferiu esperançosa, como uma criança aguardando sua recompensa.

– Ah, Lilie-ssi, não se incomode. Eu já- – não pode terminar de falar, pois foi interrompido pelo mais velho extremamente calmo.

– Acho uma boa ideia – sorriu gracioso para a noiva que se animou.

– Vou ligar para o restaurante. Gosta de frutos do mar, Jungkook-ssi? – indagou, pegando o celular.

– S-sim – concordou aturdido.

Assim que a menor deu as costas aos dois, o mais novo estreitou o olhar na direção de Taehyung. Como ele pôde aceitar? Como está lidando com tudo tão bem? O garoto sabe que o Kim se controla com maestria e o fez nas vezes em que não estendeu os beijos e mãos bobas para o sexo. Mas colocar um amante na mesma mesa que sua futura esposa já é o cúmulo.

– Vamos, Jungkook-ah – soou afável, mas a mão em suas costas o empurrou para o elevador.

1 de Outubro de 2019 às 19:58 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo O prato principal

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!