Sweet Sin Seguir história

F
Flutt Mela


- Qual é o problema? - Ele levantou o olhar mas logo o dirigiu novamente para o chão. - I-isso é… um livro... - Se embaralhando em meio às palavras ele se concentra em esconder a animação que já alterava seu corpo - Erótico? - Elizabeth solta uma risada fraca - É sim, eu adoro esse tipo de história - Ela se inclina colocando seu rosto na frente de loiro forçando a olhar para ela. - E você? - Eu, eu… - Ele não conseguia mentir, o não estava preso em sua garganta mas algo o impedia de sair Elizabeth não perdeu mais tempo e logo sua língua estava na boca do garoto, ele se movia para trás lentamente mas ela não permitia que a união dos dois fosse desfeita, alguns segundos depois ela separou o beijo e voltou a recostar-se no banco.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#pornografico #erotico #hentai #shotacon #straight-shota #sexo #linguagem-impropria #universo-alternativo #Melizabeth #Elizabeth #Meliodas #The-Seven-Deadly-Sins-Nanatsu-no-Taizai
1
4.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Depois do jogo

   Essa é uma Fanfic hentai que apresentará sexo em todo capitulo. Universo Alternativo e escrita por autora iniciante,  espero que gostem.


DEPOIS DO JOGO


Elizabeth como todos os dias estava sentada no banco que dava vista para um parque e um pequeno campo onde alguns garotos sempre jogavam futebol, mas como sempre, a bela mulher de aparentemente 26 anos, estava focada em sua leitura.

   A partida havia acabado e os garotos se despediram e cada um tomou seu rumo, exceto um, Meliodas que estava curioso para saber o que aquela mulher lia tanto, todos os dias ele a observava e como era sempre o último dos amigos a ir embora, a curiosidade não o deixava.

   “É muito estranho, fazemos tanto barulho, mesmo assim todos os dias ela escolhe ler aqui? Que mulher bonita. O que será que ela tanto lê?”

   Não contendo mais sua curiosidade o jovem anda até a bela mulher, a observando sentada com as pernas cruzadas e focada em sua leitura.

— Com licença. — ele segurava sua mochila em uma das mãos e a bola com a outra, estava envergonhado, mas a curiosidade era maior. Ela olhou para ele que corou, mas fez a pergunta.— O que você tanto lê todos os dias.

— Quer mesmo saber? —  Elizabeth abriu um sorriso largo e sugestivo.

— Sim, por favor.

— Então venha se sentar aqui do meu lado. — ela deu leves tapas e arredou para que ele pudesse sentar.

— Ok! — o garoto respondeu animado e sentou-se ao lado da mulher que começou a ler.

“Eu observava aquela vadia enquanto ofegava sentada, quicando no meu pau, seus peitos pulavam no ritmo de sua respiração, seus gemidos preenchiam a sala e o suor escorria por seu rosto, eu agarrei seu cabelo puxando sua cabeça e a fazendo olhar em minha direção - Você deveria ter me dito antes que era apenas uma putinha, teria me poupado o trabalho de te tratar que nem gente - pude sentir sua buceta apertar ao ouvir minhas palavras.

A garota parou de ler surpresa por não ser interrompida, ao olhar para Hoseok abriu um largo sorriso, o garoto mantinha o olhar baixo e os braços cruzados em cima do quadril. Elizabeth se aproximou ainda mais dele e perguntou com a voz cheia de malícia

- Qual é o problema? - Ele levantou o olhar mas logo o dirigiu novamente para o chão.

- I-isso é… um livro... - Se embaralhando em meio às palavras ele se concentra em esconder a animação que já alterava seu corpo

- Erótico? - Elizabeth solta uma risada fraca - É sim, eu adoro esse tipo de história - Ela se inclina colocando seu rosto na frente de loiro forçando a olhar para ela. - E você?

- Eu, eu… - Ele não conseguia mentir, o não estava preso em sua garganta mas algo o impedia de sair

Elizabeth não perdeu mais tempo e logo sua língua estava na boca do garoto, ele se movia para trás lentamente mas ela não permitia que a união dos dois fosse desfeita, alguns segundos depois ela separou o beijo e voltou a recostar-se no banco.

- Desculpe… eu me empolguei. - Ela lambia os lábios

- Não… não precisa se desculpar. - Ele responde ainda surpreso

- Eu sei. - Ela aponta para a visível barraca armada de seu novo amigo.

- Quer ir até a minha casa? Moro aqui perto.

Ele assentiu com a cabeça, no estado em que estava não conseguia pensar nos riscos, afinal seguir uma mulher estranha não é a melhor das idéias, mas pareceu  ser no momento.

Mal entraram no pequeno apartamento e  Mliodas ouviu Elizabeth trancar a porta atrás de si. O garoto não sabia o que fazer alí e agora tinha quase caído em si, mas quando se virou para a porta  a viu tirando a blusa e ficando apenas de sutiã.

Os olhos se arregalaram e toda noção de perigo sumiu de sua cabeça, nem em revistas ou TV já tinha conseguido ver seios, pois sua mãe e colégio eram muito rígidos. Um nó se formou na garganta dele e sua boca se abriu.

- Ta gostando do que vê? -  Elizabeth perguntou juntando os peitos e brincando com eles se aproximando do garoto.

- S-sim. - gaguejou sem conseguir acreditar no que estava vivendo, o rosto ardia e o corpo formigava, seu pau estava tão duro que lhe dava a impressão de que rasgaria sua bermuda.

- Sei que esta com vontade de apertá-los. Não fique só olhando, venha, pode pegar.

Ela se aproximou pegando as mãozinhas trêmulas do garoto e o fazendo pegar em seus seios, apertar e massagear, soltando gemidos sonoros, virando a cabeça para trás cheia de tesão o deixando louco.

- Oque é isso que estou sentindo, nunca toquei em nada tão gostoso e tão…- Ele não conseguia descrever, mas ela abriu a peça e tirou.

- Vai ficar melhor. Chupa bem gostosinho, com essa sua boquinha linda bebê.

- Não sou um bebê.- era gostoso de tocar, mas ele não entendeu o porque deveria chupar se não era um bebê e com certeza ela não dava leite.

- Faça como eu estou falando.-  Elizabeth puxou a cabeça do menor o afundando contra seus seios e ele se viu obrigado a obedecer.

A boca do garoto se abriu e abocanhou um dos seios redondos e macios a sua frente começando a sugar e era tão gostoso que ele sentia vontade de morder. Ela gemia o apertando entre seus braços e correndo as unhas por seu couro cabeludo, a impressão era que ela iria sufocá-lo, mas ele queria ser sufocado.

- Assim, assim, você sabe chupar muito gostoso, mal posso esperar para sentir essa boquinha em outro lugar.- e gemeu alto, sua buceta escorria tanto que entre suas coxas já estava encharcada.

Aquela chupadinha estava deliciosa para os dois, mas  Elizabeth queria mais e rápido, sabia que talvez não tivesse muito tempo. Ela se afastou e tirou a saia ficando só de calcinha e vendo a expressão do garoto, que não conseguia evitar de apertar seu pau.

- Não aguento mais, ele está muito duro, está doendo.- ele choramingou, nunca tinha ficado naquele estado e ela riu com a situação.

- Já vamos resolver isso. Venha aqui tire o que resta da minha roupa.

- Certo.

Ele obedeceu e tirou a calcinha fio dental vermelha que ela usava, estava tímido, mas curioso.

- Pode  me tocar aqui embaixo. - Elizabeth pegou a mãozinha dele e o fez tocá-la. - Sente como você deixou minha buceta toda molhadinha, quentinha, por dentro ela está pulsando e sabe do que ela precisa?

- Molhadinha? Mas por que? Do que ela precisa?- ele não sabia como reagir, mas sentia como se seu pau fosse explodir.

- Ela precisa que você meta seu pau nela bem fundo e com muita força. Acha que pode fazer isso?

Ele não respondeu apenas segurou seu pau com força e o apertou soltando um gemido, já imaginando entrando naquela buceta quentinha.

- Acha que pode meter seu pau em mim? - ela repetiu em tom de provocação e dessa vez levou a mão ao pênis do garoto ainda por cima da bermuda e o apertou o fazendo apertar os olhos e responder.

- Sim, sim, sim eu posso, eu vou….

- Ótimo, então vamos tirar a sua roupa também.

Ele  ainda não tinha pensado nessa parte, ficou com vergonha, mas já estava excitado demais então deixou que ela tirasse sua roupa toda, não pode evitar de cobrir seu pau com as duas mãos.

- Não precisa ter vergonha. Venha aqui. - ela o prendeu em um beijo dominador, a saliva chagava a escorrer e eles gemeram na boca um do outro e quando separaram ela o arrastou para a cama o empurrando contra o colchão macio com o perfume dela. Subiu sobre a cama e engatinhou até ele segurando seu pau começando a masturba-lo. - Está doendo agora?

- N-Não- ele respondeu entre gemidos enquanto ela brincava com seu pau, escorregando os dedos pela cabecinha molhada o fazendo contorcer.

- Sua mãe devia ter te ensinado a não seguir estranhos.

- Ela me ensinou- Foi cortado por um gemido quando ela moveu uma mão para cima e para baixo e outra lhe acariciou as bolas. - É que você não é estranha, fica lá todos os dias.

- E você sempre é o último dos seus amigos a ir embora.

- É que minha mãe sempre chega muito tarde em casa.

- Isso é muito bom… - Ela riu com a informação e começou a morder a orelha de Meliodas e descer lambidas por todo seu corpo, a mão não parava de masturbá-lo- Quem sabe na próxima podemos brincar na sua casa. - Os gemidos do garoto enchiam o quarto e quando a boca da mulher alcançou a cabecinha de seu pau, ele não pode acreditar no que sentiu.

A língua de  Elizabeth brincou na cabecinha rosada do pau de Meliodas e ele apertou os olhos e trincou os dentes.

- Que sensação é essa? Eu… Eu… É muito gostoso.

Ela riu concentrada no que fazia e engoliu o pau do garoto de uma só vez até o talo arrancando um rugido fanhoso dele, que até lacrimejou de tanto prazer.

    Elizabeth  começou a chupar com toda experiência que tinha fazendo o garoto se contorcer, gemer, pedir mais e mais. horas ela chupava seu pau, horas lambia e chupava as bolas  deixando o pobre garoto louco de prazer.

- Não consigo, não posso mais, alguma coisa vai sair.- ele avisou quase sem voz, mas ela só se animou mais e chupou com vontade, ele teve um orgasmo violento como um tiro e bebeu cada gota.

- Seu gostinho é maravilhoso. Agora é minha vez.

Sem que ele tivesse tempo de raciocinar ela abriu as pernas e se sentou sobre o rosto dele, sua buceta molhada escorrendo contra a boca dele, o cheiro o enlouquecendo.

- Me chupa toda.  Ele obedeceu e começou a chupar, era estranho, mas foi ficando gostoso e quando viu seu pau já estava duro e vibrando. - Você ja está no ponto pra mim. Agora vou experimentar esse pau gostoso. - Ela saiu da posição que estava e  ficou em cima do quadril do menor, sua buceta começando a encaixar na cabecinha, antes de enfiar ela rebolou sentindo bem. - Prepare que minha buceta gulosa vai engolir esse pau gostoso até o talo, eu vou sentar bem gostoso.

CONTINUA…

21 de Janeiro de 2019 às 21:31 0 Denunciar Insira 118
Leia o próximo capítulo No festival

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!