Vizinhos Seguir história

jeonssexual bia baby

Jimin nunca imaginou que os seus novos vizinhos pudessem ser tão escandalosos, era horrível ter que ouvir as brigas entre eles todos os dias, as vezes era madrugada e então começava a gritaria, porém um certo dia o que Jimin ouviu na calada da noite não foram gritos.


Fanfiction Todo o público.

#jeon-jungkook #park-jimin #jikook #kookmin #bts #jungkook #jimin
Conto
0
4145 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Eu nunca tive problemas na vizinhança, ela sempre foi calma. As ruas eram largas e a maioria das casas não possuíam muro, apenas uma cerquinha para delimitar o terreno. Mas o que me deixava mais encantado na vizinhança era a pequena praça que tinha na esquina da rua da minha casa. Sempre que eu estava entediado eu ia até o local para observar as crianças brincando tão felizes, era reconfortante.


Eu sempre gostei de morar ali, os vizinhos não eram barulhentos e nem fofoqueiros. Cada um vivia a sua vida sem demais problemas. Isso até uma nova família se mudar para a casa do lado.


O senhor e a senhora Jeon não eram o problema, este era o casal de filhos que eles tinham: Jeon Jungkook e Jeon Soyeon. Ambos viviam brigando, gritando, batendo e – raramente – rindo.


Por as casas serem coladas, eu sempre ouvia tudo o que acontecia na casa ao lado, o que as vezes me fazia delirar de tanta raiva. Sério! Era tão difícil assim falar mais baixo? Ou andar mais suave? E quando eles batiam as portas após brigarem?! Céus parecia que a casa iria cair!


Eu acho que, na minha situação atual, eu preferia mil vezes mais ouvir a briga dos irmãos do que o gemido extremamente alto – e gostoso de ser ouvido – do irmão mais velho. Eu sabia que os nossos quartos eram colados, mas não imaginava que ouviria algo tão íntimo.


Rolo na cama, tentando pegar no sono, mas eu simplesmente não consigo. Olho as horas no meu celular e vejo que já passa da meia-noite. Ugh! Eu tenho que acordar cedo amanhã! Qual é?! O que custa gemer mais baixo? Seus pais não estão em casa? Aposto que se estivessem com certeza iria ouvir o barulho do filho.


Parei de pensar na atual situação do vizinho e apenas me levantei rapidamente para pegar o meu fone que eu havia deixado na mesinha do meu quarto após chegar da aula. Assim que me deito na cama, com o fone plugado no celular, dou play em uma música calma, a deixando em volume máximo para, logo em seguida, fechar os olhos e esperar o sono chegar.


Queria eu que o único problema teria sido o de dormir naquela hora, porém fui acordado por alguém aos gritos na casa ao lado.


– Você é um idiota! Meu Deus, não acredito que confiei em você! Sai daqui! – Eu ouvia a voz da menina, Jeon Soyeon, e ao que parecia, ela estava no quarto do irmão, por a voz estar tão nítida.


– Soyeon esse é o meu quarto – Ouvi a voz do menino – que estava mais para homem. Pelo seu tom de voz ele parecia cansado e sem paciência – Eu quero dormir, por favor sai daqui – Dava para perceber que ele estava tentando manter a calma para não explodir com a irmã.


– Tá bom, tá bom, tchau, seu idiota! – Ela gritou antes de bater a porta com tudo. Após o breve desentendimento dos Jeon eu consegui dormir até a manhã chegar sem mais fortes emoções na casa ao lado.


Ao acordar no outro dia eu estava totalmente quebrado. Tinha dormido muito mal pois fiquei acordando de cinco em cinco minutos, mal deixando eu descaçar. Depois de terminar de me arrumar eu desci, indo até a cozinha para tomar o meu café da manhã.


– Bom dia mãe – Disse logo indo em direção à geladeira para pegar o leite. – Dormiu bem? – Coloquei meu leite em uma taça, colocando o açúcar e o sucrilhos em seguida.


– Bom dia Jimin. Dormi sim. – Ela respondeu de bom humor – Pelo jeito você não dormiu muito bem, parece cansado... – Apontou.


– Realmente não consegui dormir direito, os vizinhos discutiram ao lado do meu quarto de novo... – Eu omiti o fato de ter ouvido os sons do vizinho, até porque eu queria esquecer disso, mas ainda iria conversar com o Jeon sobre, para ele tomar cuidado não acontecer novamente, já que é constrangedor para ambos os lados. Terminei de engolir o café da manhã e caminhei até minha mãe. – Enfim, eu tenho que ir para o colégio, até mais tarde. – Dei um beijo em sua testa, pegando a mochila e saindo de casa.


°°°°°


Depois de chegar da escola eu fui para casa e tomei um banho, tinha resolvido falar com o Jeon agora para resolver logo esse problema e ver se eu conseguia ter uma boa e completa noite de sono para tentar descansar. Bati na porta da casa vizinha e não demorou muito para que o senhor Jeon me atendesse.


– Boa tarde senhor Jeon! Tudo bem com o senhor? Eu sou o vizinho, Jimin... – Fui simpático e me apresentei, mesmo que eu já o conheça de vista.


– Boa tarde Jimin! Estou bem! – Me respondeu, sendo simpático também. – Precisa de algo? – Ele perguntou. Certamente ele acertou em cheio. Eu nunca havia entrado na casa dos Jeon, apesar de nos conhecermos.


– Ah... Na verdade sim... Seu filho... Ele está? Eu queria conversar com ele... – Disse calmamente, mesmo que por dentro eu esteja morrendo de ansiedade. E se algo desse errado?


– Ele está sim, venha, vou te levar até o quarto dele. – Sorriu docemente, deixando um espaço para eu passar antes de fechar a porta atrás de mim e começar a me guiar pela casa até parar um frente a uma porta, onde eu imaginei ser o quarto do filho. Bateu à porta, esperando pela resposta do filho.


– O que é? Eu já te disse para me deixar em paz Soye- – Sua voz raivosa morreu após abrir a porta e ver que não era a irmã ali. – Ah... Oi pai... – Ele disse mansinho e eu quase deixei uma risada escapar.


– Tenha mais educação com as pessoas, Jungkook. Principalmente com a sua irmã. – O senhor Jeon deu um leve esporro em seu filho e então continuou: – O filho da senhora Park disse que precisava falar contigo. Trate-o bem. – Disse e saiu, deixado eu e Jungkook a sós.


– O que quer, Park? – Ele perguntou após fechar a porta do quarto comigo lá dentro. – O gato comeu sua língua ou eu sou muito bonito e por causa disso você ‘tá com vergonha?


Que abusado!


– Olha aqui seu abusado! Eu vim aqui reclamar dos teus barulhos! – Acusei logo de cara. Eu estava irritado. – Você é um pervertido!


– Eu? Por quê? – Fez uma cara confusa.


– Você fica aí fazendo barulhos de madrugada. Poxa! Daí eu quero dormir e não posso porque o bonito ‘tá batendo uma! – Okay, eu tinha perdido a paciência de vez. Ele possuía uma cara de espanto. – Vai me dizer que por acaso você não sabe que dá para ouvir tudo o que você faz aqui do seu quarto no meu? – Fiz uma cara de deboche.


– Olha me desculpa eu realmente não sabia – Ele tenta ser legal – Você é silencioso, não dá para ouvir nada daqui...


– Deve ser porque eu sei como é ruim ficar ouvindo a vida dos outros! – Eu estava levemente alterado, aquela calmaria toda de Jungkook me deixava mais irritado ainda – Ah! Talvez se você parasse de gritar com a tua irmã você ouvisse alguma coisa! – Cruzei os braços. – Eu não quero ouvir mais nem um gemido ou briga essa noite, estou cansado. Até mais!


Saí do quarto e desfiz o caminho que tinha feito na ida. Encontrei os pais de Jungkook assistindo televisão na sala e dei meu melhor sorriso:


– Muito obrigado senhor Jeon, já resolvi o problema. Tenham uma boa tarde!


°°°°°


Já era noite e eu estava animado. Não havia ouvido nenhum grito desde quando saí da casa dos Jeon, o que tinha me deixado muito feliz. Eu estava levemente arrependido por ter gritado com ele, mas quando eu pensava na raiva que passei, me sentia melhor, pois achava que ele tinha merecido.


O problema todo teria se resolvido se Jungkook tivesse me ouvido, porém ele não o fez. Naquela mesma noite, eu voltei a ouvir gemidos no quarto ao lado. Isso me deixou possesso. Sentia a raiva correndo nas minhas veias.


Me levantei naquela mesma hora e coloquei apenas um casaco por cima do meu pijama e fui direto bater na porta da casa ao lado, esperando uns três minutos até ser atendido.


– Boa noite senhora Jeon. – Tentei fingir que estava calmo. – Eu posso conversar com o Jungkook novamente? – Sorri.


– Claro, ele está no quarto! Já sabe onde fica, certo? – Assim que eu assenti ela fechou a porta atrás de mim e toda aquela calmaria ao falar com a mãe do Jungkook tinha se esvaído, dando espaço apenas para o ódio.


Subi as escadas respirando fundo, para ver se eu me acalmasse. No fim não adiantou de nada mais além de fazer barulho. Ao chegar na frente do quarto, pude ouvir os gemidos baixos vindo de dentro do quarto.


Soquei a porta, com toda a delicadeza que habita meu ser, no caso nenhuma. Não parei com o barulho até ver Jeon sair do quarto com raiva, vestido apenas com um short.


– Soyeon eu vou te matar! – Ele disse antes de olhar diretamente para mim. Pelo menos ele não gritou, será que estava tentando não gritar assim como eu tinha o pedido mais cedo?


– Olha eu sou o passivo mas isso ainda não me fez virar mulher. Seu idiota! – Gritei e empurrei ele para dentro do quarto, para podermos conversar melhor. – Olha aqui! Eu não tinha pedido para você parar com essa porra de gemer de noite?


– Seu baixinho abusado! Eu ‘tô gemendo baixo! – Rebateu. – Por acaso você está me proibindo de me masturbar? Agora eu não posso mais sentir prazer porque a princesa vai se incomodar?


– Eu ‘tô proibindo sim! Se isso vai fazer você parar com o barulho! – Respirei fundo, tentando me acalmar pelo menos um pouco. – E não me chame de princesa, já disse que eu ainda não virei mulher para você ficar usando o feminino comigo.


– Tá bom então, senhor perfeito. Mas eu também mereço me descontar meu estresse em algo! – Se defendeu. – Podemos fazer um trato, o que acha?


– Depende, qual as tuas condições?


– Eu posso fazer barulho até as dez da noite, depois disso você tem todo o direito de fazer o que quiser. – Eu ponderei sobre aquele trato e, no final achei que a gente poderia tentar.


– Tudo bem, eu aceito.


– Certo.


°°°°°


Naquele dia eu consegui dormir bem e até dormi mais do que geralmente durmo. Lembro que ontem quando voltei da casa de Jungkook era por volta de meia noite. Sorri, pensando no que eu poderia fazer.


Eu segui minha manhã normalmente: Tomei um banho, desci para o café e assisti um pouco de Brooklyn 99. Quando a tarde chegou, logo depois que eu terminei meu almoço eu peguei um balde com água e gelo. Em seguida mandei uma mensagem para o Jeon, pedindo para ele vir aqui em casa. Havia pego seu número ontem, depois de concordar com o trato. Por sorte a janela do meu quarto era logo em cima do portão.


Ouvi aquela voz irritante de Jungkook me chamando e então me encostei na janela, apoiando o balde no parapeito da janela.


– Jungkook! – O chamei, esperando que ele olhe para cima, para jogar toda a água presente no balde em cima da cabeça dele.


O garoto soltou um som surpreso, olhando para mim. Ele estava todo molhado. Senti um leve arrependimento ao ver a carinha dele toda cabisbaixa, mas no fundo eu me sentia satisfeito.


– Isso foi por ontem! Você estava fazendo barulho eram onze horas. Você disse que eu poderia fazer o que quisesse...


Sorri satisfeito e entrei com o balde, fechando a janela.

17 de Dezembro de 2018 às 21:11 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

bia baby lovely bae

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~