Feeling Good. Seguir história

paddyyy Amanda Jaques

Lucy só queria viver a sua vida e ter histórias para contar ao seus filhos. "Molly, eu tentei carregar o peso do mundo, mas só tenho duas mãos. Eu gostaria de permanecer jovem para sempre, sem medo de fechar os meus olhos. Um dia você me disse que a vida é um jogo feito para todos e que o amor era o prêmio. Eu quero o prêmio, entretanto, não vou consegui-lo ficando parada e aceitando tudo o que vocês querem."


Conto Todo o público.

#amizade #Família-Weasley #Lucy-Weasley
Conto
0
4.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Lucy Weasley.

Capítulo único.

Lucy Charlie Weasley.


“Olá, family!

Sei que estão fazendo um milhão de perguntas, sei que querem entender o porquê de eu ter fugido, sendo que, para vocês, eu tinha tudo. Bem, hoje – cinco anos depois que fugi e consequentemente o dia em que completo 23 anos – decidi que estava na hora de lhes dar uma explicação.

Sabe, eu lembro daquele dia como se fosse ontem. O sol no céu, iluminando aquele lindo dia: o pássaros voando alto, a brisa passando e todos vocês, dentro de casa, fazendo qualquer coisa chata. Céus, custa muito parem de fazer algo para aproveitar o dia?

Lembro de acordar cedo e olhar para fora. Era um novo amanhecer. Um novo dia. Uma nova vida. Pelo menos, para mim era, e eu estava me sentindo tão bem. Sabia o que ia fazer, sabia que depois todos fossem dormir, eu ia sair pela janela do meu quarto e vagar pelas ruas de Londres. Talvez pegasse um táxi e fosse para o aeroporto e lá escolheria qualquer lugar para ir. Por que não aparatar? Bem, o ministério saberia onde me encontrar e eu não queria ter um destino fixo, queria apenas escolher um lugar e ir; aproveitar o tempo que tenho, conhecer lugares novos, culturas novas.

Eu estava cansada, papai. Estava cansada de tê-lo dizendo tudo o que eu deveria fazer, estava cansada de ter que ser perfeita. Céus, eu nunca pude aproveitar, de fato, meus dias em Hogwarts!

Lucy Weasley deveria ter as melhores notas e para isso, deveria ficar estudando ao invés de ir para Hogsmeade.

Lucy deveria ser da Grifinória.

Lucy devia ser monitora, para isso, deveria fazer as coisas do jeito certo.

Lucy deveria dizer para os primos não fazerem brincadeiras.

Lucy deveria ser o exemplo de menina.

Lucy deveria casar com um sangue-puro.

Lucy deveria trabalhar no Ministério da Magia.

Mas, eu não queria isso! Não queria fazer nada disso, eu só queria ir para Hogwarts e ser feliz. Fazer tudo que diziam ser errado; eu só queria ter momentos e lembranças para contar aos meus filhos. Papai, por que eu deveria ser perfeita? Ninguém é! Nenhuma Weasley teve tanta pressão para ser perfeita como eu tive, nem Rose teve tudo isso!

Elas puderam aproveitar cada dia, cada segundo naquela escola e eu não!

Quando fiz 18 anos pensei: "é agora!".

É agora que vou viver de verdade. Vou deixar tudo isso para trás e viver a minha vida.

Mamãe, eu cansei de tê-la dizendo que sou muito jovem para entender, de dizer que estou presa em um sonho. Cansei de lhe dizer: “acorde-me quando tudo estiver acabado, quando eu for mais sábia e mais velha.”

Molly, eu tentei carregar o peso do mundo, mas só tenho duas mãos. Eu gostaria de permanecer jovem para sempre, sem medo de fechar os meus olhos. Um dia você me disse que a vida é um jogo feito para todos e que o amor era o prêmio. Eu quero o prêmio, entretanto, não vou consegui-lo ficando parada e aceitando tudo o que vocês querem.

Por isso eu fugi, entendem? Fugi porque não me conhecia mais, porque achava que era feliz, mas quanto mais eu tentava forçar isso, mais percebia que tinha que me livrar do controle; deixar acontecer.

Essa viagem que estou fazendo, esse caminho que estou seguindo é apenas uma faísca, entretanto, é o suficiente para que eu continue indo. E quando tudo estiver escuro, ninguém por perto, isso continuará brilhando.

Toda noite, eu tentava ao máximo sonhar que tudo iria mudar e se tornar melhor, que eu teria histórias para contar, mas sempre acordava com a fria realidade de que nada havia mudado.

Mas aconteceu, eu só tive que deixar acontecer. O sal nas minhas feridas não está queimando mais do que de costume, não é que eu não sinta a dor, apena não estou mais com medo de me machucar. E o sangue nessas veias não está pulsando menos do que já esteve e está é a esperança que tenho.

Sabe, eu cansei de ter uma vida planejada, resolvi deixar as coisas acontecerem. Se for para acontecer, acontecerá! Se não for, paciência, continuarei seguindo o meu caminho. Continuarei vivendo essa vida.

Eu conheci coisas novas, conheci outras pessoas, encontrei novos amores e sei que não vou voltar tão cedo.

Eu estou bem.

Amo vocês.

Com amor,

Lucy Charlie Weasley.”


— Acho que é isso. – Falou Lucy pegando sua coruja.

— Vamos para onde, amor? – Perguntou Florence.

— Para onde você quiser, baby!

E enquanto ela seguiam para um lugar qualquer, Morgana, a coruja, levava aquela carta para a família Weasley; assim, se perdendo no horizonte.



[Lucy é interpretada pela Felicia Day e a história foi baseada na música "Feelind Good" do Paramore.]

5 de Dezembro de 2018 às 22:09 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Amanda Jaques A única certeza que tenho na vida é que vim ao mundo destinada a sofrer por shipps que nunca serão canon.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~