Sucking Seguir história

monachopsis Amanda Figueiredo

Em que Jungkook ajuda Jimin a ordenhar e lhe dá um pequeno brinde no final. Jikook | Mpreg | PWP | Male lactation


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#yaoi #bts #kpop #jikook #pwp #kookmin #mpreg #male-lactation
Conto
7
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Soaking

 

 

O baixinho aguardava o esposo chegar do trabalho logo após uma pequena sessão de alívio. Estava já no nono mês de gestação, a barriga grande e bonita carregando o bebê de ambos, Jungwoo, e dentre os desconfortos comuns daquela fase, o que mais lhe incomodava era o quanto se sentia cheio. Mas cheio em um outro aspecto, especificamente em seus peitos.

Suas mamas entraram em produção total de leite quando entrara no nono mês e agora as sentia quente e doloridas, inchadas e vazando um pouquinho de leite quando as apertava. Era como se seu corpo soubesse exatamente quando seu bebê iria sair e logo seu leitinho era produzido de forma intensa, preparado para alimentá-lo. Era adorável, menos quando se sentia tão cheio que precisava ordenhar os seios, choramingando durante o processo um pouco doloroso e chato. Ele gostava de fazer aquilo depois do banho quentinho, quando relaxava o suficiente para poder expulsar o leite em excesso, mas acabava desperdiçando aquele líquido gostosinho. Experimentara, claro, o próprio leite e o gosto era agradável, sem surpresas, já que alimentava bebês. Jimin não gostava de ver o fluido branco escorrendo para o ralo junto com a água, então decidiu optar pelo método mais chato: ordenhar sem o auxílio da água quente.

Se sentava calmamente na cozinha, com potinhos ao lado, onde realizava a massagem da mama e expelia o excesso do leite nos mesmos, ficando sem saber o que fazia com eles agora. Não poderia guardar por semanas para Jungwoo, óbvio, então ainda ficava sem utilidade para o líquido. Por enquanto guardara os dois potinhos, um para cada seio, na geladeira, depois descobriria o que poderia fazer com eles.

Ainda faltava um tempo bom até Jungkook chegar do trabalho, então o pequeno desceu o suéter grande e colorido que usava com frequência naquelas semanas – era o que cabia melhor naquela barrigona que ele carregava -, puxando as mangas grandes para cima enquanto pegava algo para comer. Tinha que fazer as coisas em pé rapidamente, pois logo a coluna reclamava e emborcava, o peso que ele carregava era sofrido naquele estágio. Jimin mais ficava sentadinho no sofá, comendo, do que sendo ativo como sempre gostou de ser. Felizmente a cesárea do bebê fora marcada para daqui duas semanas, não precisaria aguentar tanto mais para ter seu bebê em seus braços e um alívio em sua postura.

Carregou o pacote de cookies e uma garrafa de suco de laranja consigo até a sala, andando feito um pequeno pingüim pela alteração no equilíbrio e tentando ser rápido no processo. Logo o baixinho de cabelos róseos estava sentado no sofá macio, gemendo pela melhora na coluna e comendo com vontade o que pegara. Se deixar Jimin assistia a tarde toda programas de maternidade e decorações de casas, se emocionando muitas vezes e fazendo o marido encontrá-lo chorando por algo bobo. Sequer ligava mais de estar sendo piegas, ele quem tinha que lidar com a alteração corporal e hormonal ali, tinha todos os direitos e regalias dentro daquela casa.

As horas passaram sem Jimin ver, zerando o pacote de biscoitos com gotas de chocolate e o suco de laranja. Teve que ir ao banheiro três vezes durante, a bexiga ficava uma droga com todo o peso do seu útero sobre ela, sem contar pressionando sua próstata e lhe dando ereções várias vezes ao dia. E a pior parte é ter sido proibido pela médica de fazer sexo naquele último mês, por conta de um possível risco de estímulo de parto. Jungkook ficara assombrado e boquiaberto durante toda a consulta, travado, enquanto Jimin apenas ouvia as recomendações para aquele último estágio da gestação. Logo quando saíram pode reclamar tudo que queria, odiava ser proibido de fazer as coisas, mas seu marido estava travado, ainda de boca aberta, do seu lado. Precisou dar um soquinho em seu estômago pra ele respirar e acordar para o mundo. Óbvio que Jungkook seria o paciente exemplar e seguiria a risca tudo que a obstetra dissera, mesmo que Jimin desse pití e manha. Às vezes era péssimo ter o Jeon como marido, ele era muito certinho e Jimin muito rebelde para si.

E falando no mesmo, chegara do trabalho bem no fim de um programa de decoração de casa, pegando o seu pequeno fungando no sofá junto com os moradores da casa reformada. A cena era fofa, Jimin sentava em posição de índio, segurando a barriga proeminente, levando as mãozinhas gordinhas ocasionalmente para os olhos, para limpar uma lágrima fujona, prestando muita atenção à TV. Mas agora ele abraçava seu peito, de forma diferente, enquanto possuía uma caretinha resmungona no rosto.

- Oi, amor. – cumprimentou e chamou a atenção do mais velho.

- Kookie! – esticou os braços, querendo um abraço que foi prontamente dado.

Abraçar Jimin era uma coisa deliciosa, a barriga sempre incomodava e atrapalhava o abraço, mas ele estava tão fofinho com gordurinhas a mais que nem ligava, tentando abarcar o corpo pequeno com seus braços. Claro que não poderia falar das gordurinhas a mais em voz alta que ele poderia lhe bater, não entendendo sua fascinação. Então Jungkook apenas apreciava em sentir o corpo quente e macio contra o seu.

- Ai. – Jimin resmungou baixinho, se soltando logo dos braços do marido, que sentou-se ao seu lado.

- O que houve, bebê? – Jungkook perguntou preocupado com alguma contração ou sinal de trabalho de parto.

- Nada não, é só aquilo de novo. – aquilo. O moreno sabia o que era aquilo porque Jimin tinha uma vergonha extrema de falar sobre e ele precisou adivinhar, já que o baixinho não iria soltar a informação facilmente. Era o leite lhe enchendo e causando algumas dores por conta disso.

Inclusive conseguira observar, escondido, um dia, o esposo ordenhando os seios inchados debaixo do chuveiro, algo que ele não contaria, óbvio. Mas a cena ficara gravada a fogo em seu cérebro e lhe enchera de curiosidade e desejos estranhos.

Ao contrário de Jimin, Jungkook poderia lidar com seus desejos nada a ver e fazê-los se realizarem, mas precisava da ajuda do menor para isso.

- Eu posso lhe ajudar. – sugeriu como quem não quer nada.

- O que? – Jimin arregalou os olhinhos, surpreso.

- É, eu posso. – deu de ombros.

- Aish, Kookie, eu tenho vergonha.

- Sorte que eu não tenho. – se fez de sonso e recebeu uma cotovelada merecida no ombro.

- Isso seria esquisito, Kookie. – Jimin comentou, brincando com um fio de lã que escapara do suéter.

- Mas eu quero. – insistiu. Poderia tentar outro modo. Aproximou o corpo do menor, encostando os lábios na orelha dele. – Deixa, Minnie. – sussurrou, mordiscando o lóbulo da orelha e sentindo-o estremecer ao seu lado.

- Kookie, isso é injusto... – ofegou baixinho.

- Vai ser rapidinho, juro de dedinho. – esticou o dedo mindinho na frente do menor, ocasionando uma risadinha do mesmo. – Eu só queria ver e poder te ajudar. – continuou, sendo sua vez de seduzi-lo de forma manhosa.

O baixinho lhe olhou em duvida, mas por fim suspirou, as bochechas gordinhas corando no processo.

- Aish, tudo bem... – levou as mãos até a barra do suéter, se ajeitando melhor no sofá, enquanto levantava o mesmo e revelava o grande objeto de interesse de Jungkook. Ou melhor, os ambos objetos.

A barriga redonda e ampla, o umbigo estufadinho e a pele macia, lisinha e quente, foi a primeira a surgir. Só de vê-la seu coração se apertava de amor, sabia que o bebê de ambos estava ali, bem cuidado e amado, só aguardando o momento certo para sair. Era linda e ele sentiria falta da mesma. E por fim os seios um pouco inchados de Jimin, os mamilos escurecidos e um pouco avermelhados, indicando que estavam bem cheios. O rosado não olhava para si, concentrado em manter o suéter cobrindo parte de seu rosto corado, envergonhado. Jungkook achava bobo porque ele continuava absurdamente lindo em sua visão, mas não questionaria aquilo agora, seu foco era outro.

Levou a mão para a mama esquerda, apalpando-a e sentindo-a quente e firme.

- Kookie, o potinho... – Jimin estremeceu, preocupado, quando ele apertou um pouco mais.

Observou de forma vidrada o leite vazar de seu mamilo marrom avermelhado, a gotinha logo se juntando a outra e escorrendo em um fio até sua mão. Sua boca salivou ao ver aquilo.

- Não vamos precisar de nada, Minnie. – falou, concentrado e levando o tronco até onde sua mão estava.

- Mas Kookie... – Jimin acabou soltando um arfar quando a língua do marido limpou o fio de leite, alcançando seu mamilo e lhe fazendo estremecer com o contato em uma área que estava mais sensível ainda. – Você vai... – não conseguiu terminar, os olhinhos arregalados escapando do esconderijo do suéter, surpresos.

- Eu vou mamar em você agora, amor. – Jungkook foi simples e direto, fazendo o menor quase tremelicar abaixo de si.

A boca se fechou sobre a aréola marrom, capturando o mamilo intumescido e sentindo melhor o gosto do leite que escapara ali antes. Escutou um gemidinho de Jimin vindo acima de seu rosto, mas ignorou, focado em apreciar a pele macia do mesmo em sua boca. Quando sugou pela primeira vez o gemido partiu de ambos, Jimin surpreso e sensível pelo ato e Jungkook pelo gosto do leite que viera em sua cavidade. Era quente e quase adocicado, era mais gostoso do que imaginara. A segunda sugada fora mais certeira que a primeira e um jato mais grosso escapou do mamilo, enchendo sua boca do líquido branco.

Uma mãozinha escapou da barra do suéter e embrenhou nos fios de seu cabelo, fazendo carinho ali e impedindo-o de retirar o rosto. Não que fosse a intenção do moreno, de longe, mas Jimin por um instante temeu que ele parasse tudo. Fora tão ridiculamente bom sentir o marido sugando seu seio, mais ainda do que o normal, que ele não queria parar. Felizmente o sentimento era de ambos e Jungkook continuou mamando e sugando seu leite como queria.

O mais novo apertou a cintura fofinha do esposo contra si, se apoiando melhor durante o ato, apreciando-o com vontade. Ouvir os ofegares e ocasionais gemidos de alívio de Jimin faziam seu pau endurecer, ele nunca teria resistência para aquilo sem ficar com uma ereção entre as pernas, o prazer do marido lhe causava prazer também. E o gostinho do leite era maravilhoso, lhe enchendo a boca e lhe deixando mais esfomeado ainda se possível. A mãozinha em seus cabelos apertou os fios quando sua língua resolveu brincar o mamilo ao mesmo tempo que sugava, o tornando-o mais rígido e gostosinho em seus lábios. O gemido manhoso que escapou de Jimin acertou diretamente o seu pau que incomodava horrores, apertado em seu jeans.

Quando o leite passou a sair em menor quantidade ele parou, liberando o mamilo rígido e molhado de sua boca e limpando os lábios, não deixando escapar uma gota do leite gostoso do esposo. Jimin respirava pesado abaixo de si, mordendo a barra do suéter e mais corado ainda do que antes. Piscou para o baixinho e não perdeu tempo em abocanhar o outro seio que escorria um fio de leite que Jimin nem percebera, tão concentrado na mamada anterior.

- Kookie... – o menor gemeu longamente com o ato, mal podendo se recuperar direito e logo estava tendo a mama sugada avidamente pelo marido.

Jungkook era péssimo e continuava a brincar com seu mamilo, chegando até a mordiscá-lo, o que lhe fez apertar as coxas com firmeza ao sentir seu pênis mais duro ainda. Droga, ele estava muito excitado com aquilo, ter Jungkook mamando em si com tanta vontade e ainda brincando com seus mamilos era demais para o baixinho. O aviso de sem sexo por aquele mês martelava sua mente, lhe deixando sexualmente frustrado porque ele imaginava muito bem aquilo terminando consigo sendo fodido com força naquele sofá. E o pensamento só contribuía para seu pau apertar sua cueca.

Quando Jungkook liberou a outra mama, também esvaziada, Jimin soltou um resmunguinho de excitação. Foi uma perdição perceber que o menor apertava o mamilo do seio que recém-ordenhado, excitado e com a testa brilhando de suor. Por deus, Jimin era uma obra de arte quando estava assim, só lhe deixava com mais vontade de pô-lo em seu colo e fazê-lo quicar sobre seu pau duro. Mas lembrar da proibição da médica foi um grande balde de água fria sobre si – apesar de tudo precisaria de mais para abaixar sua ereção. E a ideia que teve lhe fez sorrir de forma quase maldosa, pelo menos poderia dar mais prazer para seu pequeno.

- Vem cá, bebê. – o moreno se ajoelhou na frente do mais velho, abrindo suas pernas cobertas pela calça de moletom, deixando um Jimin atordoado e confuso. – Ainda não acabou. Levanta o bumbum pra mim. – levou as mãos até o cós da calça e Jimin conseguiu arquear o corpo por alguns segundos até ter a calça fora de seu quadril e coxas. – Eu ainda não estou cheio.

- Mas Kookie, a médica... – o menor começou a questionar, mas foi interrompido pelo mais novo.

- Não vamos transar, Minnie. Mas podemos fazer outras coisas. E eu ainda estou com fome. – o sorriso torto fez Jimin devolver com um completo e feliz, fazendo os olhinhos sumirem naquele sorriso bonito que Jungkook tanto adorava. Ah, o pequeno entendera bem o que o outro queria.

A cueca cor de rosa foi facilmente removida do corpo do menor, lhe deixando semi-nu naquele sofá. A barra do suéter caíra, mas ficara presa acima da barriga grande, o menor sequer ligando para aquilo mais, apenas ansioso para o que viria. O pau pequeno escapara da cueca, quase sendo escondido entre as coxas fartas e a barriga protuberante, o que tornava a cena quase fofa. Tirando o fato que o pênis pingava pré-gozo e estava bem ereto, aí a cena partia para a escala +18.

Jungkook começou beijando as coxas de Jimin, dando algumas mordidinhas na pele suave e branquinha, fazendo o mais velho estremecer quando era um pouco bruto demais. Mas ele não reclamaria, pelo contrário, gostava quando o marido era mais violento consigo, contanto que lhe devolvesse com muito carinho – que obviamente merecia – depois. Jungkook estava verdadeiramente voraz, deixando alguns chupões pelo caminho enquanto se aproximava da virilha do menor. As mãozinhas já encontraram os fios de sua cabeça e nuca, fazendo carinho e ora apertando, indicando que estava gostando do que ele fazia.

A mão grande e longa alcançou o pênis pequeno, se fechando com firmeza sobre o mesmo e começando a bombeá-lo. Jimin gemeu manhoso durante o processo, tentando esticar mais o corpo sobre o sofá e não deixar a barriga grande tampar sua visão, mas, bem, era uma droga estar de nove meses, pois quase perdeu quando Jungkook abocanhou a cabecinha de seu pau, sugando-a como fizera com seus mamilos e ordenhando um pouco mais de pré-gozo de si. Seu gemido foi quase estrangulado ao sentir aquilo, o quão ridiculamente sensível ele estava.

Sentir a boca do marido descer lentamente em seu pau duro, conseguindo colocá-lo por completo em sua cavidade, lhe fez cravar os dedos na cabeça de fios castanhos. Seu corpo começara a ficar uma bagunça com o oral, sem contar que fora ordenhado de forma deliciosa antes, tremia e suava. Jungkook levou a mão livre para seu escroto, massageando e acariciando suas bolas e piorando sua bagunça naquele sofá. Seu marido lhe conhecia tão bem e sabia fazer tudo de forma correta para lhe desestabilizar por completo, nem tinha tempo de ficar frustrado com aquilo. Só conseguia apreciar os lábios subindo e descendo em sua ereção já molhada por saliva e pré-gozo, sentindo a pressão que a língua e paredes bucais faziam em sua extensão.

A pior parte com certeza fora sentir uma carícia descendo para seu períneo, outra área sensível sua, lhe fazendo choramingar. Desistiu de manter as duas mãos sobre a cabeça do marido e levou uma para um de seus mamilos, tão eretos que chegavam a doer, apertando um entre seus dedos. O soluço escapou de seus lábios fartos junto de uma lágrima teimosa, pelo tamanho prazer e diversos estímulos ao mesmo tempo. Um dedo atrevido conseguiu alcançar sua entradinha que piscava, circulando o anel de músculos com delicadeza. Jimin já praticamente deitava sobre o sofá, as coxas apoiadas nos ombros de Jungkook, inquietas e suadas. Quando o dedo lhe penetrou, deixou escapar um grito.

Jimin chorou quando o dedo fora insidioso dentro de si, alcançando sua próstata e apertando-a, não aguentando e finalmente gozando com vontade na boca de Jungkook que ainda descia e subia em seu pau. Juraria que seu coração perdeu uma batida quando gozou forte, as lágrimas escorrendo por suas bochechas e gemidos escapando sem nexo de si. Ainda brincou com seu mamilo, sentindo pequenos choques elétricos pelo estímulo mesmo após gozar. Jungkook recebeu bem sua porra, ou melhor, seu outro leitinho, engolindo-a e limpando seu pênis de qualquer resquício com a língua. Ele realmente tinha o melhor marido.

Agora Jungkook poderia se dizer satisfeito, mesmo com uma ereção presa bastante dolorida dentro de sua calça – quebrar Jimin no sexo era uma das melhores coisas para si.

- Kookie. – Jimin lhe chamou com uma expressão cansada, suada e ofegante, algumas lágrimas ainda em suas bochechas coradinhas, uma imagem deliciosa para si. – Eu também quero seu leitinho. – pediu manhosamente.

Seu pau, dolorido, apenas fisgou em resposta.

 

 

 

17 de Novembro de 2018 às 10:56 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Amanda Figueiredo monachopsis: o sutil, mas persistente sentimento de estar fora de lugar. Jimin bottom e gravidinho squad🐣

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~