War Dragons Seguir história

karinlima Ana Karine

Há muito se contava sobre histórias de dragões que viviam na terra e batalhavam ao lado dos homens. Diziam os sábios, que estes dragões eram extraordinários, fortes e capazes de coisas inimagináveis e que o Homem ao qual ele era destinado nunca seria derrotado em uma batalha. Os dragões escolhiam seu companheiro ainda jovem, quando estavam protegidos pela casca dura de seu ovo, e que uma vez que encontrassem aquele a qual era destinado, eclodiam e viviam ao lado dele até que a morte os separassem. Aquele que se tornava um cavaleiro de dragão ficava reconhecido nos quatro cantos do grande País do fogo, e todos lhe honravam com presentes e muitos ofereciam suas filhas como noivas. Feliz e abastada era a casa que possuía um cavaleiro.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#naruhina #medieval #sasusaku
2
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo


 
A natureza jamais havia polido uma pedra como aquela. Na superfície não havia uma falha sequer, era azul-escura, exceto pelas finas veias brancas que se espalhavam sobre ela como uma teia de aranha. A pedra era fria e não produzia atrito quando tocada, como seda endurecida.
Cristopher Paolini - “Eragon”


Prólogo

A centelha verde


Sasuke lembrava muito bem de sua primeira luta de espada. Uma luta de verdade, não apenas um treino. Lutou contra um soldado renegado do país da névoa, nesse tempo ele ainda era bem jovem, possuía apenas nove anos. O reino de Konoha estava sendo atacado por um grupo relativamente grande de soldados inimigos, só que esses logo pereceram pelas mãos dos soldados do rei. Entretanto antes disso, Sasuke e sua família estavam escondidos no grande porão do castelo Uchiha, onde seu pai Fugaku — o rei — vive. Sasuke, seu irmão e sua mãe haviam se escondido ali por proteção, mesmo sobre os protestos do irmão mais velho, Itachi que queria lutar, entretanto o esconderijo – não se sabe como — foi descoberto, e dois soldados inimigos os atacaram para matar.

Sasuke estava com uma espada pequena, feita especialmente pra ele e Itachi estava com uma outra maior e apropriada para a idade dele. Naquele dia o Uchiha mais novo mal conseguiu desferir um golpe contra um dos soldados, acabando sendo ferido. Seu irmão sozinho derrotou os dois inimigos e foi elogiado e considerado o herói que salvou a rainha, Sasuke apenas ficou com o título de criança chorona.

Foi por aquele episódio e muitos outros que sucederam que o jovem príncipe viu que a espada não seria uma aliada.

De certa forma, fora um alívio para ele saber desde cedo que eu não seria bom o suficiente naquilo que lhe era devido, visto suas obrigações de príncipe. Ser filho do rei sempre lhe trouxe muitas responsabilidades.

Foi educado desde sempre a saber agir como se espera de alguém como ele, que apesar de ser o segundo filho, tinha tanto ou mais deveres do que o primogênito.

Esperava-se que fosse o braço direito do irmão – o futuro rei —, e que comandasse o exército de Konoha. Só que não poderia fazer isso se não soubesse manejar uma espada, entretanto, por mais que não houvesse muita predisposição da parte dele, em aprender o prático, Sasuke tentava compensar no teórico.

Ao longo dos seus dezesseis anos, o Uchiha já havia lido boa parte dos livros e pergaminhos da biblioteca real. Tinha conhecimento de todos os tratados, todas as artes marciais e de guerras e a maioria das línguas faladas nos diversos países, mas, ele sabia que não era o bastante. O que ele sabia de teórico não compensava a prática, e por não treinar o físico, não havia adquirido a estatura que seu irmão já possuía quando tinha a sua idade, e hoje Itachi era um homem grande com seus vinte anos, já possuía o porte de um guerreiro o qual ele era, Implacável. E Sasuke sabia, nunca chegaria a se aproximar da grandeza que o futuro rei era, e não que não quisesse, mas preferia a quietude e a tranquilidade de uma biblioteca e as únicas batalhas ao qual participava, eram as gravadas nos livros e pergaminhos que lia, no qual ele se encontrava concentrado no momento, quando teve que interromper a leitura para atender o chamado da criada a porta.

— Alteza, vossa majestade solicita vossa presença.

Apenas acenou com a cabeça, e a jovem moça de cabelos curtos saiu tão rapidamente e silenciosamente como havia chego.

Suspirou, sabendo que o rei estaria querendo questionar o relatório de Ibiki sobre seus rendimentos nos treinos, e já sabia que os castigos viriam.

Guardou o livro e seguiu para os aposentos de seu pai, quando chegou à frente da porta, bateu e esperou a autorização para entrar.

O monólogo que se seguiu foi o mesmo da semana anterior:Teria que se dedicar mais, pois era seu dever como segundo filho, comandar o exército do reino.

Ele ouvia calado, e no final de tudo, concordava e dizia que ia se esforçar.

Só que na semana seguinte ele estava naquele quarto novamente.


...


A chuva castigava o céu aquela noite, raios e trovões desconcentraram o jovem príncipe que, imerso em uma leitura de um livro de magia antiga, não ouviu a chuva, apenas quando um vento frio passou pela janela aberta, que começou a incomodar. Sasuke levantou-se para fechá-la antes que acabasse ficando doente por causa da friagem.

Ao fitar a janela, seus olhos ficaram presos na imagem de inúmeros raios caindo no horizonte, nas montanhas que se erguiam a sua frente. O espetáculo de riscos brilhantes cortando o céu escuro o encantou e o prendeu ali por mais tempo do que o previsto, e quando ele percebeu isso tratou de se afastar e fechar a janela. Entretanto, antes que ele conseguisse fechá-la por inteiro, mais uma raio cortou o céu, acompanhado de um trovão que lhe causou calafrios.

O raio possuía uma cor esverdeada, constatou, e era possível ainda ver o rastro que o fenômeno deixou, como uma roda de carruagem que anda sobre a neve.

Mesmo intrigado fechou a janela e se virou para seguir até a cama, só que ao fazer isto sentiu uma vertigem, o quarto começou a girar em seu campo de visão, e precedido de um arrepio sentiu suas forças se esvaírem e sua mente se apagar, indo ao chão seguida, desmaiado.

Ao mesmo tempo, um brilho verde desconhecido surgiu ao seu lado, se desfazendo em seguida, surgindo no lugar um objeto em formato oval, esverdeado e que emitia um brilho suntuoso.

10 de Novembro de 2018 às 17:57 1 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Eclosão

Comentar algo

Publique!
Isza Map Isza Map
Ja me conquistou apenas por ter dragões, amo histórias com dragões! Mas quem não ama!??? Haha Sua escrita é muito cativante, e pode ser apenas um prólogo, mas tenho certeza que War Drangons vai virar umas das minhas queridinhas.
20 de Agosto de 2019 às 17:35
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 5 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!