Haunted Hill Seguir história

morikatsu Mori Katsu

Wei WuXian e seus amigos decidem subir a colina na noite de Halloween para explorarem a casa, supostamente assombrada, da família Mo.


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#slash #MoDaoZuShi #hallowink
Conto
3
4.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único



História feita para o desafio de Halloween feito pelo Inkspired. O crédito da imagem que me deram (a mesma da capa) pertence a BSGSTudio. Voce também  pode acha-la  em https://m.imgur.com/ZsoN20S


Para quem não conhece o donghua Mo Dao Zu Shi, novel  Grandmaster of Demonic Cultivation, os personagens possuem um nome e um nome de cortesia. Eu uso dos dois nessa história também.


Lan Zhan/Lan WangJi


Lan XiChen/Lan Huan


Wei WuXian/ Wei Ying.


Esses são os que eu usei aqui.



***



Uma neblina fina cobria a colina, tornando a visão ainda mais limitada durante a noite. Sapos, cigarras e grilos escondidos entre a grama alta e pedras úmidas faziam um coral estridente. De repente, um som ainda mais estridente se sobrepôs a de todos os outros. Soava como o grito de uma garota ao ser atacada no pé por uma barata cascuda.


Mais acima, onde a grama era seca, e as pedras maiores, um par de feixes de luz cortavam a neblina desesperadamente, como se em vez uma barata cascuda no pé uma moça houvesse um animal peçonhento rastejando e se enrolando em seu tornozelo. Na colina abandonada, as chances de ter um encontro infeliz com uma cobra eram altíssimas. Uma terceira luz foi adicionada às outras duas, mas o brilho oscilava.


Durante a noite, um grupo de cinco adolescentes subiu a colina, nenhum tinha mais que doze anos. Em suas fantasias de Halloween, cheios de energia intrépida eles avançaram pouco a pouco.


“Grite mais alto seu idiota, assim a Senhora Mo nos encontrará mais rapidamente!” gritou o penúltimo no grupo, que segurava a lanterna defeituosa com impaciência.


“Você é o único que está gritando agora.” refutou o primeiro, que estava atirado no chão com a perna parcialmente enfiada em um buraco. Ele tinha pisado em falso ao achar que sob uma moita de grama seca havia uma pedra. Em qualquer outro lugar sua reação seria razoável depois de escorregar, mesmo que soasse como o grito esganiçado de uma garota em pânico, afinal, ainda era um púbere em desenvolvimento. “Lan Zhan, me ajude.”


O garoto era o terceiro da fila indiana. O mais próximo de Wei WuXian, o garoto com a perna no buraco, era Wen Ning. Ele ergueu a barra da fantasia de fantasma, revelando seu rosto suave e bonito, ao ver que seu melhor amigo preferia a ajuda de outro, foi difícil não se sentir dispensável. Atrás dele, Lan Zhan se moveu para atender ao pedido, como um cavaleiro de armadura dourada. 


“Você tem que ser mais cuidado, esse não é o seu quintal. Pare de sair correndo por aí e fique próximo de nós.”


O rosto de Lan WangJi foi iluminado por um segundo. Alguns tufos de cabelo escuro escapavam sob o chapéu pontudo. O rosto dele pareceu mais pálido e os olhos mais glaciais que de costume, por mais estranho que fosse, essa expressão fazia o interior de Wei WuXian derreter com uma sensação morna aconchegante.


“Eu quero sua ajuda, não uma bronca.”


“Pare de ser tão ridículo.” cuspiu Jiang Cheng.


“Nunca vi uma fada tão mal humorada.” Wei WuXian já de pé, alfinetou o primo. “Mas sendo a Sininho do grupo, isso não deveria me surpreender.”


“Já disse mil vezes que não sou fada, sou uma LIBÉLULA!”


A caminhada continuou. Lan WangJi e Wei WuXiam seguiam na frente, o bruxo e o diabinho. O fantasma Wen Ning seguia atrás, atento ao terreno acidentado para que não caísse em outro buraco. Por último, o Não Fada e um Conde Drácula pálido e elegante.


A casa no alto da colina era o destino do grupo, a casa da Senhora Mo.


Reza a lenda que a família desapareceu sem deixar nenhum vestígio. Nem a polícia, nem os parentes próximos nem mesmo os vizinhos sabiam o que aconteceu com eles. O lugar ficou abandonado, pois a irmã mais nova da Senhora Mo que recebeu a casa como herança nunca veio à propriedade nem para fazer uma faxina. Dizem que o fantasma da Senhora Mo assombra o lugar, presa nesse plano por carma de suas maldades em vida.


“Libélulas não tem quatro asas?” Wen Ning fez uma pergunta retórica. Sua voz era  suave. Ainda que sua pergunta fosse uma provocação, sua ação conseguia passar por algo completamente inocente. “Então por que você só tem duas?”


Lan XiChen, fantasiado de Conde Drácula não consegui reter o riso, Wei WuXian  conteve-se apenas porque Lan WangJi beliscou seu braço.


“Vou matá-lo, definitivamente.” Jiang Cheng ameaçou ele entre dentes.




Levou apenas mais alguns minutos para chegarem ao topo. A casa da família Mo ainda guardava alguma beleza dos bons tempos, como uma senhora falida que perdeu tudo, menos a elegância. Em frente às portas duplas, colunas que remontavam templos gregos seguravam um pórtico. A parte superior das janelas eram arqueadas, mas todas as vidraças estavam quebradas, restando apenas cacos de vidros encaixados no suporte, como dentes na boca de um monstro. Com algum esforço qualquer pessoa poderia imaginar como aquele lugar um dia foi bonito.


Os cinco pareciam estar fazendo isso agora, imaginando a versão bonita para tornar a visão real menos decadente.


“Agora que chegamos até aqui, vamos embora.” disse Lan XiChen pronto para dar meia volta. “Esse lugar me dá arrepios.”


“Se voltarmos agora, ainda poderemos coletar mais doces na vizinhança, a casa da Senhora Mo é mais do tipo onde se consegue uma facada e uma morte lenta.” comentou Wen Ning.


“Não se esqueça de drogas e sexo barato.” adicionou Wei WuXian sorrindo, mas sua expressão se fechou ao sentir um aperto em seu antebraço. “ Lan Zhan, pare de me beliscar! Assim fica difícil ficar do seu lado.”


Jiang Cheng lançou um olhar desdenhoso para o primo.


“É difícil para ele ficar do seu lado.”


“Isso não é verdade.” para provar que estava certo, ele agarrou o braço de Lan WangJi, colando seu corpo ao dele. “Está vendo? Lan Zhan não me repeliu, ele é meu cavaleiro de armadura dourada.”


“ Ele protegendo você?” Jiang Cheng apontou para um e depois para outro, concluindo sarcasticamente  “ Sua bunda!”


“Jiang Cheng está certo.” a voz de Lan WangJi não continha raiva ou qualquer outro sentimento, mas bastava para fazer os dois pararam de discutir. Ele encarou os olhos escuros de Wei WuXian e completou. “É precisamente a sua bunda que estou protegendo.”


Mais dois pares de olhos se voltaram na direção dos dois. Lan WangJi era o mais calado do grupo, sempre frio e distante, parecendo como um deus que desceu das nuvens. Wei WuXian encarou aquilo com naturalidade, acostumado a ser repreendido pelo outro, as palavras significavam “Estou tentando impedir que você faça alguma besteira e acabe machucando a si mesmo no processo.” O sentido oculto no entanto, foi facilmente distinguido pelos outros três.


“Vamos entrar. Subir aqui e voltar sem uma boa história para contar seria desperdício.” Wei WuXian iluminou os andares superiores, morcegos saíram de dentro de um dos quartos. “Nie HuaiSang e Jin ZiXuan vão se arrepender por não terem vindo com a gente.”


“Lembro claramente deles dizendo de forma enfática, que preferiam a morte a vir até aqui.” lembrou Lan XiChen.


“Não parece grande coisa. Nem é tão grande.” zombou Jiang Cheng.


“A gente pode entrar, ficar por um tempo e depois cair fora. Wei WuXian está certo, seria desperdício.” Wen Ning retirou de vez a fantasia, dobrando-a e colocando na  curva do braço, depois pegou um objeto de dentro de sua abóbora de doces. “Gostaria de tirar umas fotos para o jornal na escola. A Senhora Mo não parece estar em casa de qualquer maneira.”


Ele deu ombros.


Eles planejaram na semana anterior que subiriam a colina hoje, algumas coisas foram preparadas de antemão.


Os irmãos Lan soltaram suspiros pesados. Eles eram tão parecidos que poderiam ser gêmeos, mas seus olhos eram diferentes, Lan XiChen tinha olhos escuros e gentis enquanto Lan WangJi tinha olhos claros tão frios quanto uma lasca de gelo. O pensamento dos dois, era que os outros poderiam ser um caso mental. Era só olhar para aquela casa na qual os três queriam entrar!


“Se vamos fazerem isso, é melhor que seja logo.”


Lan XiChen tomou a frente do grupo, a capa preta com forro vermelho farfalhando atrás como as asas de uma mariposa e seus passos transbordando a confiança arrogante da criança mais velha. As portas da casa provavelmente estavam trancadas de qualquer maneira, mais tarde, nenhum deles iria dizer que foi por falta de tentativa que não exploraram a casa da Senhora Mo. Os ladrilhos dos degraus entre as colunas estalou sob os pés dele, estavam soltas da argamassa, tudo tinha aspecto sujo e deprimente quando iluminado por sua lanterna, verdadeiramente assombroso.


Lan XiChen empurrou a porta, o chiado agudo das dobradiças que ecoou dentro da casa solitária disfarçou seu gemido de desgosto.


“Alguém esqueceu de trancar a porta.” Comentou para os meninos que se precipitaram sobre seus ombros, pelo canto do olho notou que até Lan WangJi estava curioso.


Os cinco se dirigiram para dentro. O hall estava completamente vazio. Partes das paredes revelavam seu lado indecente sem uma pintura ou papel de parede que cobrisse os tijolos antigos. Dos dois lados, passagens levavam aos outros cômodos da casa e no fundo da sala uma lareira produzia um leve silvo com vento que vinha de fora.


“Não tem nada aqui.” Wei WuXian franziu o cenho, decepcionado, alternando a lanterna que tinha pegado com Wen Ning para as passagens adjacentes. Seu corpo magro sem formas, pulsos finos e olhos escuros brilhantes como um par de ônix. Ele olhava para a passagem esquerda, enquanto tateava na outra direção em busca de algo que sabia que estava lá. A manga de Lan WangJi foi agarrada. “Vamos por aqui.”


“Nos filmes de terror, o casal que se afasta para namorar são os primeiros a morrer.” disse Jiang Cheng para Wei WuXian ao vê-lo sumir com Lan WangJi. Ele estalou os dedos para chamar atenção de Lan XiChen, e apontou para a outra passagem. “Nós vamos por aqui.”




Wen Ning começou seu trabalho de fotógrafo do jornal da escola, os flashes esbranquiçados da câmera deixavam mais evidentes os sinais de abandono. Quando fotografou a lareira, percebeu que havia pedaços de madeira ali, esperando por alguém que jamais viria para acendê-las. Mais outra do teto, enfeitado com teias de aranha e das janelas com vidros quebrados. Estava começando a se sentir um fotógrafo macabro, como aqueles que tiravam fotos de pessoas mortas e pintavam olhos abertos em seus rostos para que parecessem vivas.


Eles entraram em um antigo corredor, o espaço além da porta era iluminado com o luar que vinha através das janelas. No decorrer dos anos de abandono, ervas daninhas que cresciam do lado de fora invadiram a casa, apegando-se às paredes. Lan XiChen ao lado de Jiang Cheng, cutucava a asa avermelhada disfarçadamente de vez em quando.


Wen Ning os fotografou também.


“Pare com isso.”


“Eu não fiz nada!” defendeu-se Lan XiChen. “Ei, olhe. No final do corredor tem uma escada.”


De fato havia. A escadaria parecia levar a parte de trás do piso superior. 


Os dois subiram a escada sem olhar para trás. Wen Ning percebeu que não queira segui-los. No final das contas, não importava qual dos dois grupos escolhesse para explorar a casa, a sensação de estar segurando vela ia ser a mesma. Infelizmente, Lan XiChen levou a única lanterna boa, restando para ele apenas o flash de sua câmera.


Não completamente satisfeito com o arranjo das coisas, ele voltou para hall.




“Por que deixaram um espelho para trás?” perguntou Wei WuXian a Lan WangJi. Ambos já estavam no mesmo andar que os outros. Eles testaram várias portas, contudo, até achar a do quarto onde estavam agora.  Ela não estava exatamente aberta, a madeira estava podre e a fechadura, enferrujada demais, eles só precisaram forçar um pouco para destrancá-la. O espelho tinha uma moldura prateada, era bastante largo e comprido, os dois poderiam se ver completamente mesmo que um pouco afastados um do outro se a superfície não estivesse completamente coberta por poeira.


“Acho que era o quarto de uma garota, o espelho é extravagante.” disse Lan WangJi, tateando a borda. Ele percebeu que tinha uma coisa estranha. “Está fundido da parede.”


“Espelhos quebram com facilidade.” Wei WuXian bateu com as costas do indicador a superfície imunda. “Mas este parece bem sólido.”


Wei WuXian observou com espanto Lan WangJi, que tinha mania de limpeza, escrever o próprio nome do espelho. Ele seguiu o exemplo, assinando em baixo.


Lan WangJi


+


Wei Ying


Ele recebeu como sempre, o mesmo olhar frio que o repreendia sempre.


“Apague isso.” disse Lan WangJi, retorcendo os lábios. Para provocá-lo um pouco mais, Wei WuXian adicionou um coração em volta de seus nomes, rindo alto.


Com dedos longos, unhas perfeitas e palma limpa, Lan WangJi estava prestes a esfregar sua mão sobre aquela superfície inunda. Sabendo o quanto ele prezava a limpeza, Wei WuXian se sentiu culpado por obrigá-lo a se sujar.


“Tudo bem, eu apago.” disse ele, detendo o pulso do outro no último instante. “Que chatice, você nem sabe brincar.”


Como se sua mão fosse um apagador, ele removeu seus nomes do espelho de uma vez só. Seu rosto e de Lan WangJi foram revelados, mas quando sua mão retornou sobre a superfície, um único rosto apareceu, e não era de nenhum dos dois.





“Eu já disse para parar com isso.”


Havia uma carranca no rosto de Jiang Cheng, sua raiva elevou-se ao ponto de suas bochechas corarem. Lan XiChen estava puxando suas asas de novo, parecendo uma pestinha do jardim de infância incomodando a garota com tranças.


Estavam em alguma parte da casa, tentando achar a escadaria que usaram anteriormente. O que parecia uma casa pequena por fora, era bastante grande por dentro, Jiang Cheng tinha quase certeza de que estavam perdidos, o tanto que andaram deveria ser suficiente para dar a volta ao redor da casa toda umas quatro vezes!


“Parar com o que?” inquiriu Lan XiChen “ Não estou nem perto de você!”


Para ressaltar seu argumento, ele esticou o braço na direção do outro, para mostrar que não conseguiria tocá-lo mesmo que quisesse.


“Vou chutar suas bolas se puxar minhas asas outra vez.” logo depois ele sentiu um puxão mais forte. “Porra! Qual é o seu problema?”


Ele sempre foi uma pessoa de pavio curto, mas Lan XiChen não esperava que fosse empurrado  contra a parede de modo tão irracional. A lanterna rolou para longe, seu peito doía. Aquilo era uma injustiça, apenas uma vez ele tocou naquela maldita asa de fada, e foi porque achou fofa!


Magoado, ele pegou a lanterna do chão, enquanto via o outro dar pancadas em sua lanterna defeituosa tentando fazê-la pegar. Quando finalmente conseguiu, ele o encarou duramente.


“Não me siga.”




O vento empurrava a porta e o rangido estava começando a dar calafrios em Wen Ning. Vários minutos depois de se separar de seus amigos, ele tinha juntado em sua câmera dezenas de fotos. Sem novos cenários para fotografar, o tédio o abateu, o que levou sua atenção a focar em coisas insignificantes, como o fato de estar sozinho na sala de estar da Senhora Mo. Ele não sentiu o menor desejo de ir atrás de Wei WuXian. Ele, andando sozinho naquela casa escura sem nada para guiá-lo? Nem se lhe pagassem uma nota!


Mas também não queria ficar ali. Nie HuaiSang, seu amigo medroso, foi mais sensato. Para tentar dissipar a sensação esmagadora de medo, ele ligou a câmera para tirar mais fotos, e quem sabe, se distrair até os outros voltassem.




Nunca ocorreu a Jiang Cheng que não encontraria a saída. Nos corredores da casa, na companhia de seus pensamentos apenas, ele estava começando a sentir que não deveria ter enxotado seu melhor amigo para longe.


Arrependido, ele estava pronto para dar meia volta. Quando se virou, vislumbrou o vulto no fim do corredor que sumiu tão rapidamente que apenas o calcanhar de uma bota preta e parte de uma capa escura foi perfeitamente distinguida.


“Lan Huan.” chamou Jiang Cheng com tom rude, mas lá no fundo, estava suspirando de alívio por vê-lo. “Eu disse para não vir atrás de mim.”


Não importava quantas vezes o outro lhe fizesse quase explodir de raiva, em algum momento acabaria por perdoá-lo. Jiang Cheng estava cansado demais para guardar rancor, não mais do que estar dentro daquela casa, ele só queria sentar no sofá com o controle na mão e passar algum tempo assistindo séries de TV.


"Tudo bem, está desculpado." disse ele, erguendo uma bandeira branca. Porém, Lan XiChen não apareceu, como se estivessem tímido e envergonhado por fazer provocações infantis. Jiang Cheng nunca foi alguém muito paciente, apenas os poucos segundos que ficou sem uma resposta bastou para inflamar o pouco de raiva que sentia no peito. Ele odiava ser ignorado.


Ir atrás de Lan XiChen era o mesmo que voltar com o rabo entre as pernas, a raiva inflamada era uma fogueira ardente agora.


"Seu bastardo, vou definitivamente chutar o seu traseiro."


Jiang Cheng resolveu alcançar Lan XiChen apenas com o propósito de cumprir sua ameaça, o objetivo inicial de se juntar a ele para encontrar a saída foi completamente esquecido. Ele dobrou o corredor, o calcanhar e parte da capa preta foi tudo o que consegui flagrar. Lan XiChen o fez comer poeira literalmente, levando-o a correr pelos corredores intermináveis da casa assombrada da Senhora Mo com a boca aberta.


Puxar fôlego ficava cada vez mais difícil, suor caia de sua testa molhando o rosto, e seus pulmões ardiam, como de cada célula estivesse tomada por lava.


Só a cabeça de Lan XiChen poderia aplicá-lo.


Quando estava prestes a desistir dessa brincadeira de gato e rato pelo cansaço, ele viu Lan XiChen entrar em um quarto.


"Te... peguei!"


Seus passos reduziram a velocidade. A lanterna em sua mão estava escorregadia por causa do suor. Ele abriu um sorriso maldoso, quando calmante abriu a porta, seu ato pareceu mais delicado do que suas intenções.


Cada cantinho do quarto vazio foi iluminado com o brilho azulado de lanterna, não havia ninguém ali!


O ar frio tocou a pele suada e quente da nuca dele, como dedos gelados de um morto. Um calafrio subiu sua espinha quando percebeu pelo canto do olho que o quarto vazio não estava realmente vazio. No teto, pregado como uma aranha na parede, a figura distorcida de um garoto usando roupas escuras, velhas e maltrapilhas olhava diretamente para ele.


Olhando, era uma mentira grosseira, no lugar dos olhos havia somente cabides vazias.


O rosto estava completamente virado para as costas, a pele branca como marfim. Os cantos dos lábios dele se esticaram, os dentes eram pontudos como os de um tubarão, tornando o sorriso não apenas cruel, mas também diabólico.


"Te peguei!”



Antes que Wen Ning apertasse o botão na câmera, o flash disparou sozinho várias e várias vezes, até que parecer com a luz de um projetor antigo. 


A câmera foi emprestada da escola. Estando em sua posse qualquer dano no aparelho seria pago com o dinheiro do seu próprio bolso! Wen Ning virou a câmera, a lente apontada para o chão, não importava que o quanto tentasse desligá-la, parecia que estava travada naquele estado, ameaçando ao seu bolso. Felizmente os flash da câmera tornou-se cada mais lento até cessar de vez.


Foi apenas um bug.


Ainda não desistindo de tirar fotos, ele apontou a câmera na direção da lareira.


O que o clarão da câmera mostrou, fez o coração de Wen Ning disparar imediatamente, revelou um estranho parado de frente para ele. Roupas e pele branca manchadas de vermelho, tinha olhos da cor de um amarelo doentio.


A câmera deslizou de sua mão para o chão.


Wei Ning correu para a porta, mas eles se fecharam sozinhas, prendendo-o no hall. A câmera voltou a disparar flashes, Wen Ning viu a criatura andar até ele como se todos os ossos do corpo dele possuíssem alguma deficiência, seus membros distorcidos moviam-se de forma horrível e assustadora, ainda sim, bem ágeis.


Seu grito aterrorizante ecoou pela casa, mas ninguém poderia aajudá-lo.


Wei WuXian e Lan WangJi corriam nos corredores da casa, depararam-se com a mesma situação de Lan XiChen e Jiang Cheng, não só não encontraram o caminho para retornar como também sentiam que estavam dentro de um labirinto. O grito aterrorizante encheu ambos de medo, forçando uma urgência eletrizante em suas pernas.


"Temos que sair daqui!" disse Lan WangJi. Preocupado com o irmão mais velho e com o que havia dentro da cada, a sensação de impotência o massacrava por dentro. "Wei Ying, não saia de perto de mim."


Assim como foi lá fora, Wei WuXian segurou sua mão, um aperto forte incapaz de quebrar.


"Nós vamos encontrá-los." Eles entraram em dos cômodos  que parecia com um salão de festas. Já tinham desistido de tentar entender a planta daquela casa, seus pés moviam-se de acordo com o que consideravam ser o mais seguro porque nada fazia sentido. E eles nem sabiam em qual direção os outros foram! O grito soou como se viesse de todos os lugares e também não servia para guiá-los, tudo o que poderiam fazer era confiar nos próprios instintos. Antes de chegaram a saída alguém entrou pela porta.


"Finalmente encontrei vocês!" Era Lan XiChen, suado e ofegante, o rosto dele estava corado de felicidade. Apressadamente ele puxou seu irmão mais novo para um abraço. Wei WuXian teve que soltar a mão de Lan WangJi. Ele sentiu que estava à margem daquele momento entre os irmãos, tanto que desviou o olhar.


Lan WangJi quebrou o abraço.


"Você viu alguma coisa estranha?"


"Não, por que?"


"Nós vimos a Senhora Mo." disse Wei WuXian antes que Lan WangJi contasse. Como esperado, Lan XiChen expressou incredulidade, mas só porque foi ele quem disse.


"Ela estava no espelho."


Lan WangJi narrou rapidamente o que eles viram no quarto com o espelho, depois como ambos saíram correndo até estarem perdidos dentro da casa. Dessa vez, Lan XiChen acreditou totalmente, ele também ficou perdido procurando uma saída, mas não encontrou nem mesmo janela!


"Parece que a Senhora Mo quer nos selar aqui dentro." Wei WuXian apontou para porta. " O que encontrou por lá?"


"Cômodos vazios e corredores sem janelas." disse Lan XiChen. "Parece que estamos presos aqui dentro."


“Alguém quer a gente preso aqui dentro." disse Wei WuXian reaproximando-se de Lan WangJi. "Vamos achar os outros e cair fora, nós não deveríamos ter vindo aqui. Tinha que ser ideia minha. Porque não me impediram de fazer essa merda?"


No mesmo instante que terminou de falar, a porta por onde Lan XiChen veio explodiu para fora das dobradiças, despencando aos seus pés. Os três ficaram paralisados com a visão de Jiang Cheng e Wen Ning parados do outro lado.


"A-Cheng*?" Lan XiChen fez menção a ir até ele, mas Wei WuXian o impediu com um aperto de aço em volta de seu pulso.


"Não é ele." sussurrou. Wei WuXian convivia faz anos com Jiang Cheng, estava habituado mais que todos os outros com os maneirismos dele. Aquele era seu primo, porém, de alguma forma, ele sabia que lá no fundo não o era. A expressão e a postura dele estava totalmente errada.


Lan WangJi também puxou seu irmão para trás e repetiu a mesma coisa.


"Não é ele."


"A-Xi, venha comigo." convidou Jiang Cheng com um sorriso singelo enquanto estendia a mão, sua voz doce e amável. Havia um buraco na ponta de sua asa esquerda, um rasgo na gola de sua camisa verde, ele parecia frágil. "Eu encontrei a saída."


"Onde está o verdadeiro Jiang Cheng? Onde está meu primo?" Wei WuXian inquiriu.


O sorriso de "Jiang Cheng" morreu, torcendo seu rosto em uma careta.


"Se tivesse usado essa cara desde o começo, a gente nem duvidaria que é realmente ele." disse Lan XiChen. O que quer que fosse aquilo, um fantasma, um demônio ou alucinação, jamais iria enganá-lo, o verdadeiro Jiang Cheng jamais lhe chamaria por um apelido tão doce.


"Não se preocupe, garoto. Seu amigo já está morto!" A voz de Jiang Cheng soou rouca, duplicada. A cor dos seus olhos também mudaram.” Papai, que corpo será a mamãe vai querer?" disse o falso Jiang Cheng ao Wen Ying igualmente falso. “Não tem nenhuma menina entre eles.”


A família Mo estava presa àquela casa, ficaran esperando por possíveis hospedeiros por muitos anos, mas nunca alguém tentou cruzar os limites da propriedade, eles não podiam ser tão seletivos agora que um grupo o fez.


Os três garotos tremeram, Wei WuXian e Lan WangJi ainda mais que Lan XiChen, ele não viu o rosto da Senhora Mo. Larvas saiam de pequenos buracos da bochecha direita, enquanto a outra estava quase completamente escavada e podre, o restante, cada centímetro, era coberto por sangue seco.


A família Mo estava possuindo corpos para assim, tentar conseguir sair da casa.


“Acho que o de vermelho serve.” o patriarca da família Mo no corpo de Wen Ning comentou casualmente.


O único que vestia vermelho era Wei WuXian. Lembrando de como era a aparência da senhora Mo, ele preferia morrer com um cadáver incompleto para não deixar uma casca inteira para o uso dela. Os irmão Lan obstruíram o caminho, ficando entre os possuídos e Wei WuXian. A manga de Lan WangJi sofreu um puxão familiar.


“Seu corpo pertence a minha mãe, o resto pode ir embora.” o filho da Senhora Mo apontou. O rosto bonito de Jiang Cheng não aplacou a arrogância repulsiva que tinha, tornando feio e asqueroso.


“Você quer um corpo?” gritou Lan XiChen. “Então vem pegar!”


Os três saíram correndo na direção oposta. Eles passaram pelo salão de baile, pelo cômodo solitário, seguindo em frente não importava o que tudo atrás deles estivesse explodindo enquanto os possuídos os perseguiam. Gritos que soavam como um coral de dezenas de vozes em todos os lugares, risadas de crianças, baques de pés inumanos contra o chão. As paredes estavam manchadas de sangue, o cheiro era tão repugnante quando a visão.


A casa era a prisão da família Mo, mas também era o seu domínio.


Vários minutos se passaram quando enfim encontram outra escadaria, no final da qual havia uma porta fechada. Lan WangJi segurou com força a mão de Wei WuXian enquanto subiam os degraus, quando olhou para ver se seu irmão na retaguarda estava seguro, suas pupilas dilataram, os possuídos estavam bem atrás dele!


“Irmão!”


Lan XiChen lançou o braço na direção deles, enquanto as criaturas atrás puxavam-no para baixo por sua capa. Wei WuXian consegui agarrar o pulso dele no último segundo, seu corpo sendo lançado com força na mesma direção, ele teria caído se não fosse Lan WangJi segurar sua cintura. O cabo de guerra humano era acirrado, uma das partes era movida por forças sobrenaturais enquanto a outra, pelo desespero e adrenalina.


Lan XiChen gritou de agonia, cada tornozelo foi agarrado por um integrante da família Mo. Seus pulsos ardiam, os ossos dos tornozelos pareciam prestes a quebrar e sua barriga a rasgar, jorrando suas tripas contra os degraus da escada a qualquer momento.


As palmas de Wei WuXian e Lan WangJi estava suada e pegajosa, eles sentiram os pulsos de Lan XiChen deslizarem de suas mãos. Seus olhos escuros, amáveis e gentis pairavam sobre ambos como uma despedida 


“Fujam.”


Então eles não conseguiram mais segura-lo.


Lan XiChen foi arrastado pelos possuídos, levado para longe de seu irmão e de qualquer luz.


Lan WangJi desabou na escada, como se também já estivesse morto.


“Lan Zhan, precisamos ir.” O luz fraca da lanterna que Wei WuXian deixara cair nos degraus, iluminava seu semblante desolado. Os olhos claros não pareciam frios, apenas sem vida. Ele se ajoelhou sobre os degraus e começou a limpar o rosto de Lan WangJi. “ Vamos sair daqui e procurar ajuda. Alguém vai trazê-los de volta. Alguém…”


Ele não percebeu que também estava chorando até sentir o gosto salgado na boca. Wei WuXian colocou o braço de Lan WangJi nos ombros e o forçou para cima sem dizer mais nada. Ele era mais baixo, o peso era enorme, mas se fosse preciso carregá-lo nas costas, Wei WuXian o faria.


A porta no final da escada estava apenas encostada. O último tinha um tamanho real, proporcional ao que eles viram de fora. O espaço não era dividido em cômodos, era como um salão. Só havia uma janela na outra extremidade, tão grande que poderia ser uma porta. O vento frio com cheiro de grama morta e unidade entrou em suas marinas tão suave quanto de flores na primavera.


Eles tinham uma visão ampla, as luzes das casas na cidade brilhavam como pequenos vagalumes. Wei WuXian colou a cabeça para fora, estavam bem sobre o telhado do pórtico.


“Nós podemos pular.” ele empurrou os suportes com cacos de vidros afiados, como se fosse abrir a janela. Ele subiu no parapeito, precipitado-se para o outro lado, pronto para pular para o pórtico quando Lan WangJi tocou sua mão.


“Eu não vou.” disse ele. Wei WuXian arregalou os olhos, incapaz de dizer qualquer coisa.” Não vou abandonar meu irmão. Vá você.”


“Eu não vou.”


“Sei disso. Wei Ying, me perdoe por fazer isso.”


“Se não vier comigo não vou perdoar mesmo .” disse ele, com novas lágrimas brotando nos olhos. Ele sabia que Lan WangJi jamais abandonaria o irmão, quando ele próprio estava evitando pensar no primo. 


“Não precisa me perdoar por isso.”  Lan WangJi limpou as lágrimas de Wei WuXian e beijou a bochecha dele com carinho, antes de empurrá-lo da janela, para fora da casa da Senhora Mo.




Wei WuXian acordou com o coração batendo dolorosamente. O quarto que dividia com Jiang Cheng estava escuro, mas ele ainda conseguia distinguir algumas formas. Todo seu corpo estava rígido, foi tudo um sonho, mas ainda podia ouvir os gritos, lembrar dos rostos distorcidos das criaturas e das larvas saindo do rosto da Senhora Mo com clareza.


E de todos seus amigos morrendo.


Massageando o peito, ele olhou ao redor ainda assustado.


Todos eles estavam ali, dormindo em colchonetes sem indícios de pesadelos assombrando seus sonhos. Eles tinham um passeio pela manhã, para qual precisam sair bem cedo, por isso decidiram todos dormir na mesma casa.


Os irmãos Lan, Wen Ning, Nie HuaiSang e Jiang Cheng, todos, exceto Jin ZiXuan não estava ali.


Ainda tremendo de medo ele se moveu para fora da cama com lentidão, como se temesse que Senhora Mo viesse puxar seu pé.


Ele queria se enfiar na cama de alguém até o medo ir embora, até esquecer daquele sonho horrível. Coincidentemente ou não, Lan WangJi estava ao lado da cama dele, dormindo com a coberta até o meio do peito, sua postura correta até mesmo deitado.  Wei WuXian se ajoelhou no colchonete.


“Lan Zhan.” balançou de leve o ombro dele. “Lan Zhan, acorda.”


O movimento juntamente com a voz suave o despertaram, Lan WangJi não expressou qualquer confusão ao ser abordado no meio da noite por Wei WuXian.


“O que foi?” sussurrou.


“Pesadelos. Posso dormir com você?” ele não esperou a permissão, simplesmente afastou as cobertas e deitou ao lado de Lan WangJi.  Enquanto narrava seu sonho ele foi pontuando certas partes que indicavam ser um sonho. Jiang Cheng usando fantasia de fada, a casa pequena por fora e gigantesca por dentro, o rosto apodrecido da Senhora Mo dentro do espelho. Ele se moveu para deitar de lado, para que pudesse ver o rosto de Lan WangJi, sereno e imperturbável. “ Você me jogou da janela!”


“Esqueça isso e vamos dormir.” disse WangJi, cobrindo-o com edredom.


Nem mesmo um minuto se passou.


“Jin ZiXuan era nosso amigo, embora é claro, ele nos odeie.”


“Ele não nos odeia, só você.” disse Lan Zhan francamente, enquanto puxava o outro para perto dele.


Wei WuXian encostou a cabeça sobre o peito dele, sentindo aquela mesma sensação morna e aconchegante de proteção.


Ele dormiu, e não sonhou mais.



6 de Novembro de 2018 às 22:57 3 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, tudo bem? Como foi participar do desafio, conte-nos! 😊 Nossa, nos divertimos muito com a sua história, e dá até aquela sensação de alívio saber que tudo foi um sonho. Quando os fenômenos paranormais começaram, perdemos o ar até o final. Quantas cenas bem trabalhadas e detalhadas, trazendo aquela sensação de horror real. A forma como tu narrou com tantos detalhes, desde a subida dos meninos pela colina, até quando Wei WuXian acorda, foi tão bem elaboradas, que trouxe mais essa sensação de realidade. Conseguimos notar a imagem todo tempo de narrativa, ela está lá de maneira inteligente. Só algumas observações ao longo da nossa narrativa: Algumas palavras estão trocadas por exemplo "calmante" no lugar de calmamente e assim por diante. Também em alguns parágrafos falta pontuações, como ponto final. Nada que atrapalhe muito a leitura, já que ela é fluída, daquelas que você lê em uma única vez sem perceber. Aconselhamos uma revisão. Parabéns pela história linda! Beijinhos 💚😘
27 de Dezembro de 2018 às 18:53
Katana Kuro Katana Kuro
Uma fanfic de Mo dao Zu shi era tudo que eu precisava. Amei o enredo e sua escrita é ótima. "Tenho culpa se você é a sininho do grupo" foi ótima. Amo o Wei Wu Xian gente. Kissus ❤❤
14 de Novembro de 2018 às 11:14

  • Mori Katsu Mori Katsu
    Obrigada, pelo comentário, se você tiver interesse, tenho outra fic no wattpad. https://my.w.tt/fl6nIYNkQR 14 de Novembro de 2018 às 11:17
~