Our own way Seguir história

xixisss Isis

O que sentem um pelo outro é tão parte de quem são, tão natural, que mesmo que não devam, faz com que queiram que todos vejam, os levando a expor seu amor da sua própria maneira.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público. © Os membros do BTS são pessoas reais (e incríveis) e essa é apenas uma obra de ficção.

#lgbt #bts #fluffy #jikook #kim-namjoon #universo-original #park-jimin #jeon-jungkook #jimin-jungkook
Conto
1
4473 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Expostos

Notas: Essa história se passa logo após o último show da turnê do BTS pela Europa, em Paris, no dia 20/10/2018. 

Deem amor ao BTS. 

Jikook namora. 


pjm jjk


O cansaço do corpo era enorme. No momento em que a adrenalina começou a baixar, Jungkook conseguiu sentir os efeitos do ritmo quase sem pausa de trabalho. Suas costas doíam. Mesmo bebendo litros e litros de água sua garganta ainda parecia seca. O corpo todo clamava por relaxamento.

Era a melhor sensação do mundo.

Se precisasse, Jungkook não conseguiria descrever a intensidade dos sentimentos ao fim dessa primeira parte da turnê mundial. Tudo tinha sido incrível. Tantos sonhos realizados e portas abertas para realizar outros mais. Tanto carinho recebido.

O cansaço e as dores pareciam pequenos em comparação com toda a energia que os fãs passaram em cada show, cada programa, entrevista, apresentação. Mais do que a sensação de dever cumprido, Jungkook tinha a sensação de bênçãos recebidas. Sabia bem como foi importante pra cada ARMY poder vê-los mais de perto e esperava que cada fã soubesse também o quanto importa para si.

Por isso se doou ainda mais na última apresentação em Paris. Por todos os fãs, pelos seus amigos, mesmo não estando em sua melhor condição - porque o corpo cobra, e as pessoas às vezes falham, e tudo bem -, foi até um pouco além do que deveria. Não podia ser diferente. Jungkook sempre dava tudo de si. E dessa vez isso tinha sido verdade não apenas em termos de seu canto, sua dança, ainda discreta por causa da lesão no pé, e suas palavras. Mas também de seus sentimentos. Na noite de 20 de outubro de 2018, seu coração estava exposto para quem quisesse ver.

Talvez exposto demais. Mas a verdade é que já há algum tempo o maknae de ouro não consegue ser tão discreto sobre o que sente. E a avalanche de sentimentos numa noite que marcava uma espécie de fim o deixou ainda menos cuidadoso. Quando dava por si, já tinha agido. Sinceramente? Não se arrependia de nada, nem por um instante.

E era por não ter arrependimento e por se sentir tão bem, mesmo com todo o cansaço, que o Jeon tinha um sorriso pregado no seu rosto no momento em que entrou no carro que os levaria de volta ao hotel. E uma das grandes razões de Jungkook estar tão preenchido de bons sentimentos já o esperava dentro do veículo.

Jimin já tinha se sentado ao lado da janela e se acomodado o mais confortável que podia no banco. Jungkook se sentou a seu lado e logo pousou a mão na coxa do mais velho.

— Cansado?

— Muito.

— Com dor?

— Um pouco.

— Feliz?

O sorriso de Jimin pareceu ainda mais brilhante na pouca luz do interior do carro de vidros escuros. Ele já seria resposta o suficiente, mas o Park completou mesmo assim.

— Demais.

O sorriso de Jungkook se alargou ainda mais e ele não resistiu em levar a mão para acariciar o rosto de Jimin. Estavam mesmo numa sintonia surreal. Jungkook se interrompeu no meio do movimento de chegar ainda mais perto do seu hyung ao notar a movimentação na porta do carro.

Taehyung estava entrando no veículo para ir junto com Jimin e Jungkook para o hotel, como de costume. Os três mais novos do grupo são mesmo inseparáveis e estavam ainda mais nos últimos dias, desde que V começou a se sentir doente e triste por não poder dar o seu máximo - situação pela qual Jimin já tinha passado brevemente durante a tour, por suas dores no pescoço, e com a qual Jungkook continuava lidando desde o machucado no calcanhar.

Porém, antes que Tae entrasse no carro, Namjoon chamou sua atenção.

— Taehyung, será que posso trocar de lugar com você hoje?

— Podemos ir nós dois aqui, hyung, tem espaço.

— Sim, eu sei, mas você poderia ir no outro carro? Hm, acho que ouvi Hoseok dizer que queria que você fosse com eles e aí eu aproveito pra ir aqui e…

Namjoon se deteve, mas Taehyung entendeu. A situação estava cada vez mais comum, afinal. Olhando de relance para os dois que já estavam dentro do veículo e prestavam atenção na breve conversa, V assentiu para RM.

— Tudo bem, claro. - antes de se afastar e ir para o outro carro, parado um pouco mais a frente, Taehyung ainda completou. — Só não seja tão duro com eles, por favor.

Namjoon sorriu e concordou. Não queria mesmo reprimir demais, mas precisava falar. O líder então entrou no carro e aproveitou a posição dos bancos para se sentar de frente para os outros dois.

— Tudo bem? - foi Jimin quem perguntou.

— Sim. Hoseok e Yoongi queriam ir com o Tae hoje, mas vocês sabem como ele são, não queriam falar nada, então eu vim trocar de lugar.

Jungkook viu Jimin acenar em concordância, sem responder de outra forma. Os dois ainda estavam bem próximos e não fizeram a menor questão de mudar isso só por ter a companhia de Namjoon no carro.

Ainda ficaram alguns minutos parados, tempo passado em silêncio. Quando o carro enfim começou a se mover, Jimin foi o primeiro a falar.

— Ah, enfim. Não vejo a hora de deitar!

— Não deixe de comer antes, Jimin-ssi.

— Podemos jantar juntos. Mas quero algo leve, pra não ficar desconfortável.

— Eu deixo as coisas no meu quarto e depois vou pro seu e a gente escolhe.

Os dois conversavam quase como se estivessem a sós, mesmo com Namjoon ali. Não era como se o líder não estivesse acostumado. E nem como se se incomodasse. Sabia bem como era a relação e a intimidade entre os dois e gostava de vê-los tão felizes. Mas do jeito que as coisas estavam, gente demais podia ver também.

Assim, depois de mais alguns instantes de silêncio quando os dois mais novos concluíram seu planejamento para a noite, Namjoon puxou assunto.

— Seu pé está melhor, Jungkook? Vi que hoje você se movimentou mais.

— Está melhorando, mas eu dei uma exagerada hoje, hyung. Estava muito animado.

— É, eu percebi. Inclusive…

Jimin riu baixo, interrompendo.

— Sabia que você tinha vindo dar bronca.

Namjoon não pôde deixar de sorrir também. Não queria ter que conversar isso com eles - de novo - mas os gerentes demonstraram preocupação e era melhor que fosse o líder a abordar o assunto do que eles.

— Vocês estão cada vez menos cuidadosos.

Jungkook logo se aprumou.

— Me desculpe se eu exagerei hoje, é que estava tão feliz, uma energia tão grande.

— Não é só você, Kookie - Jimin logo interveio.

— E nem foi só hoje - RM completou. — Eu nem sei mais reagir quando vocês ficam desse jeito. Meu medo é uma hora vocês realmente esquecerem que estão em público.

— Mas nós temos a desculpa perfeita, hyung. E a gente faz mesmo nos momentos de fanservice…

— Eu sei. Mas na hora do discurso final… caramba, ainda bem que eu estava de óculos e ninguém pôde ver o quanto arregalei os olhos quando você foi daquele jeito na direção do Jungkook, Jimin.

Jungkook estava pronto para continuar justificando, mas Jimin fez um sinal e tomou a palavra, muito mais sério do que antes - porque mesmo que o assunto fosse importante, os três conversavam levemente, como os grandes amigos que são há tanto tempo.

— Namjoon-ssi, com todo respeito, nós sabemos. Sabemos que estamos passando um pouco do limite e você tem razão, naquela hora eu tive que me parar no último segundo pra não beijar o Jungkook ali mesmo. E talvez isso não pareça muito profissional da minha parte mas, me perdoe o palavreado, é foda controlar. Você se lembra como é estar apaixonado, certo? Se lembra como era quando estava namorando aquela moça…

— Sim, Jimin, mas é diferente…

— Exato. É exatamente onde quero chegar, hyung. Pra nós é diferente. Quando você namorava tinha medo de deixar transparecer, certo? Por isso vocês só se encontravam em locais reservados, eu me lembro. Mesmo quando viajavam tinha toda uma preocupação. Eu e Jungkook não temos essa opção.

— Mas Jimin, vocês têm muito tempo reservado. Moram juntos, têm tantos momentos pra isso longe de tantos olhos, tantas câmeras. É como a gente sempre combina, de não deixar o que quer que aconteça no dia a dia ir pro palco.

Nesse momento, Jungkook é que começou a falar.

— Hyung, é que… como explicar? Isso pode parecer algo que facilitaria pra nós, mas na verdade meio que dificulta. Eu não tenho certeza se é exatamente assim que o Jimin sente, mas pra mim… Bom, pra mim é difícil separar.

A gente dorme e acorda junto, a gente tem uma rotina e um jeito de se olhar, se tocar, se falar, que é o nosso natural. E não tem um botão que desligue isso.

Porque quando é algum desentendimento que acontece entre qualquer um de nós, que é quando a gente combina de não deixar isso passar para as nossas apresentações, é mais fácil de separar. Porque é algo ruim. É como um sapato apertado, fica incomodando, não dá pra esquecer. E isso faz com que seja mais fácil se policiar.

Mas o que sinto por Jimin, - Jungkook mirou os olhinhos pequenos do Park, que estavam completamente atentos a si — o que sentimos um pelo outro… É bom. É ótimo. É a melhor coisa que temos. É nosso conforto, nosso lar. É como uma roupa aconchegante.

É confortável e a gente sabe que está lá o tempo todo mas não consegue ter consciência disso a cada momento porque… é parte de nós. E é por isso que é difícil deixar pros momentos reservados. É por isso que acaba vazando.

O silêncio voltou a preencher o espaço e Jungkook baixou o olhar para sua mão que estava na perna de Jimin. Sentia o olhar dos outros dois sobre si e ficou um pouco constrangido. Não costumava falar tanto, jamais tinha dito tanto em palavras propriamente ditas sequer para o namorado, mesmo em quase 3 anos de relação.

Realmente seu coração estava exposto demais nessa noite.

No mesmo momento em que Jimin tocou seu rosto, num pedido silencioso para que o levantasse e o olhasse, Namjoon falou.

— Puta merda, que ódio de vocês, parem de ser tão lindos.

Os três riram. Jungkook enfim olhou para Jimin e este lhe direcionava um olhar tão apaixonado que o mais novo se sentiu constrangido de novo, por estarem sendo observados de perto por Namjoon.

Enfim, Jimin acrescentou:

— É isso, Joonie. A gente tenta mesmo não deixar tão óbvio, mas é nosso natural, às vezes vaza.

Namjoon suspirou. Queria muito a felicidade dos dois e admirava tanto o relacionamento que tinham construído que, mais uma vez, cedeu.

— Vocês tem sorte de terem mesmo a desculpa perfeita. Embora às vezes eu ache que na verdade querem mais é que todo mundo saiba…

Jimin e Jungkook se olharam cúmplices e não negaram a “acusação”, o que não passou despercebido pelo mais velho ali.

— Vocês são terríveis. Mas nós estamos ao lado de vocês, então talvez sejamos também. Estou falando por mim, pelo grupo, até pela empresa, vocês sabem. Nós temos um combinado e vocês sabem como seria complicado mudar isso, mas…

Estamos fazendo um ótimo trabalho e nada muda esse fato. Se vocês precisam demonstrar como se sentem, até se precisarem dizer, nós estamos aqui por vocês.

Jungkook e Jimin entrelaçaram os dedos e Namjoon chegou a prender a respiração esperando pela resposta.

— Obrigado, hyung. - Foi Jungkook que falou. — Significa muito.

A resposta não dizia muito e bem naquele momento o carro entrou na garagem do hotel. Logo os três começaram a ajeitar suas bolsas para sair do veículo e enfim poderem ter seu merecido descanso.

Poderia parecer que a conversa não tinha sido útil para nada, mas Namjoon não sentia isso. Na verdade tinha entendido mais seus dois amigos e conseguia perceber que, de alguma maneira, eles estavam sim no controle do que mostravam. E se chegasse a hora em que eles cruzassem a linha, bem, todos se uniriam ainda mais para lidar com isso.

Todos os membros se juntaram no elevador enquanto iam para o andar que lhes tinha sido reservado e falavam sobre o fim da tour e suas expectativas para os próximos dias. Logo, se despediram e foram cada um para seu quarto.

Algum tempo depois, Jungkook batia à porta de Jimin, já de banho tomado, roupas confortáveis e corpo quase relaxado. O mais velho tinha acabado de sair do banho também e comentou que já estava esquentando a água para comerem um ramen juntos.

Depois de jantarem e se deitarem juntos na cama, suspirando pelo alívio de enfim poder relaxar, voltaram ao assunto discutido no caminho até o hotel.

— Eu acho que daqui um tempo o Namjoon vai nos culpar por suas rugas e cabelos brancos que começarem a surgir, de tanto que ele se preocupa com a gente.

Jungkook riu do comentário de Jimin e se aconchegou mais a ele.

— Ele se preocupa, mas nos apoia.

— Sim, todo eles. Temos sorte.

— Temos.

Jungkook sentia o sono querendo chegar. Não era comum dormir tão cedo, então sabia que acabaria acordando em poucas horas, ainda na madrugada, mas não podia evitar. E também, estando com Jimin, acordar no meio da noite não seria um desperdício…

— Kookie.

— Hm?

— Sobre tudo o que você falou no carro, sobre nós... foi realmente bonito. Eu estou tão feliz de saber que você se sente assim.

Jungkook arrastou um pouco o corpo para conseguir estar na mesma altura que Jimin e deixou um beijo suave em seus lábios cheios e rosados.

— Desculpe se não digo sempre o quanto você, o quanto nós, significa pra mim.

— Mas você diz. - E os olhos de Jimin denunciavam que ele estava sendo totalmente sincero ao dizer tais palavras. — Você diz com suas atitudes. Mas… o que Namjoon falou, sobre nós podermos dizer para todos se precisarmos… eu não sei. Você gostaria disso?

Jungkook olhou bem para o homem em seus braços. Sabia o que Jimin sentia em relação a isso e concordava. Por mais que às vezes quisesse gritar à plenos pulmões que sim, “Jikook é real!”, sabia que isso traria complicações que ninguém estava pronto pra lidar. São profissionais, muito, suas carreiras são literalmente suas vidas e jamais colocariam isso em risco.

Ainda que fosse inevitável deixar que vissem... A cada vez que se olhavam com carinho, cada vez que se tocavam com mais intimidade, cada vez que declamavam certos trechos um pro outro durante as músicas, cada vez que buscavam primeiro um ao outro fosse nos momentos de alegria ou de tensão, cada vez que mostravam vídeos ou fotografias de seus momentos juntos…

Não precisavam assumir nada publicamente, não precisavam de definições com todas as letras para os outros, quando já tinham toda a certeza de que precisavam entre si. E mesmo assim, com cada uma dessas atitudes, davam seu jeito de demonstrar, pra quem soubesse ver, o quanto se amavam.

Então a resposta de Jungkook, recebida da melhor maneira pelo seu hyung não poderia ser outra a não ser:

— Nós já dizemos, à nossa maneira, Jimin-ssi. Assim é mais que suficiente.

1 de Novembro de 2018 às 14:45 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Isis Sentimentos viram palavras. E, já dizia Dumbledore, as palavras são nossa fonte inesgotável de magia.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~