Fiozinhos Vermelhos Seguir história

kiefan Anna Luisa

Zhang Yixing era um caçador que não estranhava o fato de ter dois fios vermelhos em seu dedo mindinho ao invés de apenas um como todos deviam ter. Ele tenta entender o porquê daquilo e encontra em Oh Sehun e Park Chanyeol as respostas que procurava... Um vampiro e um lobisomem que eram suas almas gêmeas.


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#kpop #exo
Conto
1
4.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único.

- One Shot também postada no spiritfanfiction.

Capítulo Único

Byun Baekhyun e Wu Yifan já estavam prontos para ir dormir quando receberam a visita de Yixing.

― Oh céus, está todo machucado. ― O coreano disse ao ver o amigo entrar em sua casa.

― Imaginei que já estivessem dormido, mas eu precisava de uma ajudinha com meus machucados... Desculpe. ― Yixing resmungou.

― Não me importaria de acordar para ajudá-lo a se manter vivo. ― Yifan ajudou o outro a sentar. ― Onde conseguiu se machucar tanto assim?

― Estava voltando para cá, quando alguns moradores de uma vila um pouco longe acabaram pedindo por ajuda... Disseram que algumas bruxas estavam rondando a região e pegando crianças e mulheres para fazer rituais... ― Yixing suspirou e teve sua camiseta retirada. ― Elas tinham unhas enormes e gostaram de me empurrar contra as árvores, acharam divertido.

― Você conseguiu acabar com elas? ― Baekhyun voltou a se aproximar do amigo enquanto o Wu saia da casa para buscar água ali perto.

― Claro que sim! ― Yixing sorriu largo. ― Foi difícil, precisei da ajuda dos moradores... Mas, eu consegui e elas morreram com uma flechada certeira no coração ou seja lá o que elas tinham no peito.

― Muito bem, senhor caçador. ― Yifan voltou com a água necessária para a lavagem dos ferimentos. ― Agora sabe que terá que descansar um pouco, não é?

― Não quero atrapalhar. ― O Zhang disse rapidamente e gemeu baixinho quando o coreano começou a passar água por sua pele, para limpar o sangue seco e limpar seus machucados antes que pudessem infeccionar.

― Você nunca nos atrapalha, pelo contrário, é sempre ótimo ter sua companhia. ― Baekhyun sorriu fraco.

― Que bom... ― Yixing disse um pouco constrangido e os amigos sorriram.

Eram raros aqueles momentos em que o chinês acabava mostrando seus reais sentimentos e abandonava a expressão séria que sempre carregava em seu rosto.

― Bom, seus ferimentos foram todos superficiais. ― Yifan disse enquanto cuidava dos machucados que havia nas costas e o marido cuidava dos que estavam na parte da frente.

― Ainda bem que você deixa suas roupas aqui, estão todas lavadas e será bom você descansar com roupas limpas e não rasgadas ou sujas com sangue. ― O Byun começou a cobrir os ferimentos que havia nos braços do caçador.

― Não vou mesmo atrapalhar?

― Claro que não. ― O Wu foi quem respondeu. ― Faz um bom tempo que você não dorme por aqui, está sempre viajando e indo de vila em vila.

― É, eu não paro quieto... ― Yixing riu fraco.

― E nem pensa em parar? ― O coreano não demorou para perguntar aquilo e encarou o amigo.

― Parar? ― O caçador franziu o cenho.

Só de pensar naquela possibilidade, parecia ser uma realidade inalcançável para si.

― É, descansar um pouco e se estabilizar num lugar... Ter uma casinha e ficar perto dos amigos. ― Baekhyun sorriu fraco, tentando não fazer o amigo voltar a colocar sua máscara e esconder os sentimentos.

― Seria ótimo ter você como nosso vizinho. ― Yifan sorriu e o outro chinês assentiu, ainda sem saber muito como responder aquilo.

― Eu nunca pensei em parar. ― Yixing respondeu depois de ficar pensativo durante um bom tempo.

Lembrava-se das conversas que tinha com seu falecido pai, sempre enquanto tentavam se aquecer na fogueira improvisada que conseguiam fazer contra o frio congelante.

“Pessoas como nós, não param... A vida de caçador é uma vida que só tem fim com a morte.”

E seu pai realmente só havia parado quando foi acometido por uma doença e morreu devido a ela, não podendo mais lutar e já completamente sem forças.

Mas e Yixing que ainda era jovem e tinha o corpo bem resistente?

― Nunquinha? ― Baekhyun perguntou surpreso e acabou arregalando seus olhos. ― Você merece uma folga.

― Eu não tenho tempo para isso, preciso ajudar as pessoas e...

― Até as criaturas sobrenaturais devem tirar folga, você pode fazer o mesmo. ― Yifan lhe interrompeu. ― Pronto, os ferimentos aqui já estão cuidados e aí na frente?

― Quase... É bom que você fique quieto por um tempo, no mínimo durante amanhã. ― Baekhyun disse sério. ― Você pode sair caçando coisas e monstros, mas não esqueça que é um simples humano.

― Eu sei disso. ― Yixing resmungou.

― Um simples humano que tem que estar vivo para encontrar sua alma gêmea, huh? ― Yifan se afastou para pegar uma outra camiseta para o amigo.

― Não venha com essa história novamente... ― O Zhang revirou os olhos.

― Qual história? Aquela envolvendo almas gêmeas que todos tem, inclusive você? ― O Wu foi irônico e o coreano somente ficou observando a conversa entre os dois.

― Sim, essa história. ― Yixing suspirou. ― Isso ainda é confuso para mim e não gosto de ficar pensando.

― Você tem um fiozinho vermelho em seu mindinho como todos nós, não é? ― Baekhyun terminou de fazer o curativo. ― Não é confuso.

― É confuso pelo fato de eu ter dois fios amarrados no meu dedo, não somente um como todos...

Desde que começou a reparar mais em suas mãos, ele notou que tinha dois fiozinhos vermelhos em apenas um de seus mindinhos. Mesmo falando aquilo, ninguém poderia acreditar nele já que o caçador era o único que podia ver seus fios vermelhos.

Ao nascer, a criança já nascia com um fio em seu dedo e sendo a única pessoa capaz de vela. Se outra pessoa também conseguisse velo além de seu próprio, é por ela ser a alma gêmea e ter a outra parte do fio.

Mas, àquela explicação não servia para Yixing pelo simples fato de ele ter dois e não somente um. Como ele poderia esperar por sua alma gêmea, se nem tinha certeza se ela existia de fato...

― E se isso significar que eu não tenho alma gêmea? ― O caçador encarou os amigos. ― É possível, não é?

― Claro que não, nunca existiu alguém sem ter uma alma gêmea. ― Baekhyun disse confuso.

― Mas, também nunca existiu alguém com dois fios... ― O Zhang murmurou e acabou bocejando. ― Eu preciso descansar, minha cabeça já está ficando confusa.

― Tudo bem, eu levo você até o quarto. ― Yifan ajudou o amigo a se levantar.

. . .

Não precisou de mais dois dias para que Yixing já estivesse novamente se despedindo de seus amigos e partindo em mais uma viagem mesmo sobre os protestos do casal que queriam que ele ficasse um pouco mais e assim conseguisse descansar e cuidar melhor de seus ferimentos.

Mas, Yixing preferiu seguir viagem logo e já estava andando pelas estradas e florestas junto suas armas. Agradeceu Baekhyun ao ver que o amigo havia feito mais flechas para si e agora ele não precisaria parar por algum tempo para descansar e conseguir mais flechas.

― Senhor Zhang, senhor Zhang! ― Ouviu alguém gritar e então se virou.

― Como posso lhe ajudar? ― Perguntou já atento.

― Nossa vila está sendo cercada por um lobo durante as noites de lua cheia e acreditamos que ele irá atacar hoje e precisamos que o senhor nos salve. ― O homem disse desesperado. ― Nós pagamos qualquer quantia!

― Não se preocupe com isso, eu vou ajudar. ― Yixing sorriu e seguiu com o outro até a vila em que ele morava.

Ouvia os relatos de lobos ali por aquela região e lembrava-se que havia encontrado apenas um em toda sua vida e havia sido ainda na companhia de seu pai.

Quando a noite começava a chegar e ele ouvia os moradores combinando de se esconderem em suas casas, o chinês observou a lua cheia.

Sempre escutará histórias de que *Yuè Xià Lǎorén era quem concedia os fiozinhos vermelhos e fazia com que encontrassem suas almas gêmeas, o Deus lunar do amor morava na lua e exista a lenda sobre ele conseguir ajudar a encontrar sua alma gêmea ao lhe fazer um pedido.

“Faça com que minha alma gêmea me encontre, Deus do amor... Eu sinto que sou incapaz de encontrá-la, sozinho...”

Continuou encarando a lua cheia e quase riu de si mesmo, era apenas uma lenda boba e que provavelmente não iria funcionar. Ele estava apenas sendo um bobo ao pensar que poderia se enganar daquela forma estúpida...

― Ele está vindo! ― Ouviu alguém gritar e imediatamente começou a se preparar.

Não podia perder seu foco naquele momento.

Pegou uma de suas flechas e se preparou, apontando-a para o que viria em sua frente.

Se manteve firme, as mãos não estavam trêmulas e sua respiração era tranquila.

Não demorou para que o lobo preto surgisse em sua frente. Yixing acabou arregalando seus olhos ao velo e quase se distraiu, mas acabou atirando sua flecha contra o animal.

O lobo gritou raivoso e o chinês ficou surpreso ao ver que havia errado a flechada fatal e tendo somente acertado de raspão o corpo do animal.

Tentou acerta-lo mais uma vez e acabou não conseguindo.

Ele nunca havia errado daquela forma e era sempre certeiro!

Observou o lobo preto começar a correr para longe dali e avisou aos moradores da vila que iria segui-lo e iria mata-lo. Não iria mais desperdiçar suas flechas como já havia feito antes.

Ia andando com cuidado pela direção que o animal havia seguido e reconhecia as pegadas no chão, teria feito aquilo por mais algum tempo, mas acabou o encontrando e percebeu que ele estava ferido.

O lobo estava a poucos metros longe si e sangrava por culpa de uma de suas flechas. Mesmo tentando se manter concentrado, ele estranhava o fato da criatura parecer lhe encarar e continuar sem reagir, apenas esperando pelo golpe final que ele não hesitaria em dar.

Yixing voltou a se preparar e mirou o seu coração, tentando fazer o mínimo de barulho possível e tomando muito cuidado. Porém, ele não conseguiu executar aquela tarefa.

Ele sentiu que havia algo atrás de si e antes que pudesse se virar, seu braço foi arranhado e o caçador foi ao chão com o impactado das garras rasgando sua pele. Acabou se assustando ao ver outro lobo ali, mas o animal lhe ignorou e foi então socorrer o outro.

O chinês parou de prestar atenção no que acontecia próximo a si e voltou a olhar seu braço.

Sua camiseta estava quase um trapo do lado esquerdo e seu braço jorrava sangue por quatro cortes.

As garras do lobo quase arrancou seu braço fora... Ao olhar para frente, ele se assustou ao ver que estava sozinho. A dor que sentia começava a se tornar insuportável e sentia que seu braço esquerdo estava sem forças devido ao ferimento que tinha.

Levantou-se com dificuldade e começou a caminhar sentindo a dor latejante dos cortes.

. . .

Yixing caminhou e continuava caminhando fazendo o máximo de esforço possível, tentando aguentar.

Já estava fraco devido a quantidade de sangue que havia perdido e sabia que andava fazia horas, já que logo iria amanhecer.

As vilas ou caminhos para encontra-las pareciam ter sumido completamente e ele só conseguia encontrar mato e árvores. Estava perdido e não fazia a mínima ideia para mudar aquilo.

Fechou os olhos por um momento e suspirou. Iria mesmo morrer daquela forma?

Abriu os olhos ao sentir uma gotícula de sangue escorrer por sua mão e chegar ao chão, não faria nem um minuto que estava ali parado e uma poça de sangue começava a se formar ao redor.

Ele sentiu sua vista embaçar por conta das lágrimas que surgiam ao confirmar que sim, iria morrer ali naquele momento e daquela forma.

Acabou se assustando ao ouvir passos próximos de si e tentou pegar seu arco, porém a dor intensa em seu braço esquerdo lhe fez desistir e gemeu baixinho por conta do incomodo que sentia.

Sua visão já estava um pouco prejudicada por conta das lágrimas e pela dor, mas ele conseguiu enxergar a criatura que se aproximava de si. Viu os olhos vermelhos, as veias também da mesma cor e que desciam por ambas as bochechas daquele monstro.

Era um vampiro que devia ter chegado até si, vindo guiado por seu sangue.

Parece que seu fim havia sido alterado e seria ainda mais doloroso ao ter dentes cravados em seu pescoço perdendo assim o pouco do sangue que parecia lhe restar.

Yixing acabou cambaleando e se ajoelhou, suas pernas já estavam doloridas e era uma questão de tempo para que falhassem. Observou novamente a criatura se aproximar e então, o caçador desmaiou caindo com o corpo para frente.

Não viu que o vampiro desfez sua expressão demoníaca e voltou a cor original de seus olhos, sem desviar sua atenção do menor. Conseguia ouvir perfeitamente o som do coração dele batendo e o de sua respiração ficando um pouco mais leve.

Sehun acabou observando seu próprio dedo mindinho, vendo seu fio vermelho e foi descendo o olhar até chegar ao mindinho do outro. Notou ali os fios entrelaçados e deixou um sorriso escapar.

Havia encontrado sua alma gêmea depois de tantos séculos procurando e não deixaria que ela morresse ali. Retirou as flechas que o menor carregava e seu arco, os segurou e também colocou o corpo dele em seus braços.

Observou como sua pele estava pálida e os lábios quase brancos devido a fraqueza por conta da perda de sangue.

Um vampiro iria salvar o que deveria ser sua presa, sua vítima.

O Oh salvaria sua alma gêmea, custe o que fosse necessário para si.

. . .

Começou a despertar quando sentiu algo molhado contra seu nariz. Abriu os olhos, notando que um lobo preto lambia seu rosto parecendo querer que ele despertasse.

Estranhamente, não estava sentindo medo com a situação. Ergueu sua mão quando o animal voltou a se aproximar e acariciou as orelhas dele, enquanto fazia aquilo, ele sentiu um toque frio sobre seu rosto e não se virou para encarar quem fazia o carinho, sentia-se bem com aquele toque e parecia saber de quem ele vinha.

Estava se sentindo em paz...

Yixing abriu seus olhos, observando o teto do local e estranhou ao ver que não estava mais em meio ao mato como antes de desmaiar.

Se sentou com uma leve dificuldade, vendo que seu braço estava totalmente enfaixado e devidamente cuidado. Ele reparou que havia outro homem ali que parecia distraído demais para notar que ele já estava acordado.

Tentou se levantar sem fazer barulhos e acabou gemendo ao sentir uma fisgada em seu braço.

― Ei, você não deve se levantar. ― Ouviu o homem dizer e pode ver o outro se aproximando.

Agarrou ele pelo pescoço usando sua mão direita e o prensou contra uma das paredes do local.

― Quem é você? ― Yixing perguntou sério, sem afrouxar o aperto que fazia.

― Kim Minseok. ― Pode ouvi-lo dizer com dificuldade.

― Me diga... Onde eu estou?

― Se me soltar, eu conto tudo certinho... ― Minseok resmungou e foi solto. ― Céus, você é bem forte para apenas um humano.

― Obrigado. ― O caçador se afastou, mantendo-se ainda desconfiado e em estado de alerta.

― Volte a se sentar, pelo menos... É bom que não fique fazendo esforços. ― Apesar de ter quase sido sufocado, aquele Kim parecia não ter medo de si e queria mesmo lhe ajudar.

Ele confirmou aquele fato quando teve a ajuda do outro para que pudesse se sentar sem maiores dificuldades e sem precisar apoiar seu braço ferido.

― Quanto tempo estou aqui?

― Acho que já tem três noites e três dias. ― Minseok se aproximou e tocou a testa dele. ― Você ficou com febre e mesmo depois de recuperado, despertou somente agora... Como se sente?

― Meu braço, está doendo. ― Yixing suspirou.

― Acho que vai doer ainda por um bom tempo, foi difícil estancar o sangramento e foram feridas bem profundas... Foi um animal que fez isso, não é? ― O Kim tentava não ser muito invasivo.

― Um lobo... ― Yixing quase balbuciou sua resposta.

Wow... É um milagre você ter saído vivo depois de encontrar um lobo. ― Minseok murmurou surpreso.

― É.. ― Nem o chinês acreditava naquilo. ― Minha última memória é de... Meu Deus... ― Ele resmungou ao lembrar.

― O que foi? Algum problema? ― O outro perguntou preocupado.

― Eu desmaiei bem em frente a um vampiro! Como posso ainda estar vivo?! ― O caçador não conseguia acreditar que estava ali.

― Sehun não iria machucar você, ele o trouxe até aqui. ― Minseok sorriu fraco.

― Está dizendo que um vampiro me salvou? ― Yixing estava incrédulo. ― Como pode estar dizendo isso?

― É a verdade... ― O Kim franziu o cenho.

― Ele mantém você preso aqui? Não consegue fugir? ― O chinês não estava entendendo como que um humano conseguia defender um vampiro.

― Sehun?! Não, claro que não! ― Minseok balançou a cabeça negativamente. ― Ele nunca faria isso comigo.

― Então... Você está hipnotizado? ― Yixing supôs. ― Claro que é isso! Eu... Eu posso ajudá-lo, devo ter flechas o suficiente para matar todos e conseguirmos fugir para a vila mais próxima em busca de abrigo.

― O que?! ― Minseok quase gritou. ― Não pode estar falando sério, nem está em condições de conseguir segurar aquele arco!

― Não duvide, posso segura-lo independe de minha condição. ― Yixing voltou a se levantar. ― Posso mata-los agora mesmo e se tentar me impedir, farei com que você desmaie e desperte só amanhã. ― O caçador lhe encarou antes de voltar sua atenção para onde seu arco estava.

O pegou quase sentindo saudades dele e também pegou suas flechas.

Estava checando elas quando a porta do local foi aberta.

Yixing imediatamente pegou a que tinha em mãos, a ajeitou e disparou sem nem piscar um de seus olhos.

Ele tentou disfarçar sua surpresa ao ver que Sehun havia pegado ela com uma das mãos.

― Vejo que já está bem desperto... ― O vampiro quase riu com aquilo. ― E seu braço está melhor também, é bom velo assim.

― Eu preferia velo morto com minha flecha, mas ainda tenho tempo de fazer isso se tornar realidade. ― Yixing forçou um sorriso e pegou mais uma de suas flechas, voltando a se preparar para atirar. ― E eu não vou errar.

― Você pode não errar, mas eu irei pegar todas as outras. ― Sehun acabou sorrindo irônico.

A maneira que o chinês parecia querer lutar consigo acabava por lhe deixar animado, mesmo ele sabendo que nunca se permitiria lutar daquela forma contra sua alma gêmea.

― Você não pode forçar seu braço. ― Minseok se aproximou do homem ainda ferido.

― Está tudo bem, eu irei salva-lo. ― Yixing não lhe encarou.

― Salva-lo? ― O Oh franziu o cenho.

― Acha que eu não sei que ele está aqui hipnotizado e sendo obrigado a ficar? ― O Zhang arqueou uma de suas sobrancelhas.

― Não é isso... ― Minseok resmungou e encarou o namorado.

― Minnie não está sendo obrigado a ficar. ― JongIn respondeu, não tendo mais paciência para aguentar aquilo.

O caçador ainda mantinha seu olhar no vampiro Oh e atirou sua flecha contra JongIn, quase o acertou se não fosse pelo reflexo de Sehun e ali ele conseguiu o que queria.

Ao fazer com que o homem tivesse que proteger o outro vampiro, ele acabou baixando a guarda e Yixing atirou três flechas contra si.

Os outros dois que acompanharam a cena, ficaram assustados com a rapidez que o humano tinha contra a do vampiro.

― Incrível. ― Sehun murmurou enquanto ficava ereto, observando as flechas cravadas em seu corpo. ― Sabe que isso não provoca dor alguma, não é? ― Disse enquanto as retirava.

― A flecha de madeira que atravessará seu coração, fará esse favor para mim. ― Yixing disse ao novamente preparar seu arco.

Ele teria atirado, porém acabou parando ao voltar a sentir seu braço doer quase de forma alucinante lhe fazendo fraquejar.

― Está sangrando... ― O vampiro Kim reconheceu o cheiro, mas não fez menção de atacar.

― O que? Eu falei para você descansar e não forçar seu braço! ― Minseok quase gritou. ― Ainda não está recuperado da perda de sangue.

― Perda de sangue... ― Yixing balbuciou.

Lembrava de observar a poça vermelha sobre o chão e o líquido rubro descendo por seus dedos. Seus joelhos cederam sem aguentar seu peso e ele caiu tendo a certeza de que morreria ali mesmo ao ver que um vampiro estava lhe observando naquele momento.

― Você não me atacou quando eu estava vulnerável... ― Yixing franziu o cenho, começando a sentir sua visão embaçada e ficando confuso. ― E me trouxe até aqui? É um vampiro e salvou alguém como... Eu? ― O caçador voltou a sentir suas pernas falharem e Sehun foi mais rápido, impedindo que ele fosse ao chão.

― Ele está vivo? ― Minseok perguntou preocupado enquanto se aproximava.

― Está sim, o corpo ainda está fraco e não aguentou... Acredito que logo ele irá despertar. ― Sehun acabou acariciando as costas do homem menor que si.

― Você pode refazer o curativo ou eu faço? ― O Kim perguntou, notando aquele singelo carinho e sorrindo fraco.

― Eu refaço, consigo lidar com o cheiro do sangue. ― Sehun não se preocupava com aquilo, ele não precisava se controlar. ― Busquem água para mim, por favor.

JongIn e Minseok assentiram e não demorou para que eles novamente ficassem sozinhos.

― Você é tão teimoso, huh? ― O Oh disse enquanto colocava o corpo do outro no chão e afastava suas armas.

― Esse homem deve mesmo ser alma gêmea do Sehun. ― JongIn disse para o namorado.

― Eu já tenho certeza disso, Nini... Eles formam um belo casal. ― O humano acabou sorrindo.

― Espero que aquele homem também ache isso ou pelo menos, pare de tentar matar o Sehun quando acordar. ― JongIn resmungou.

― Acho difícil. ― Minseok acabou desfazendo seu sorriso. ― Não sei o nome dele e nem de onde veio, mas o corpo dele tem muitas cicatrizes e algumas até bem recentes, junto de outros curativos que eu também troquei... E ele foi atacado por um lobo antes de Sehun encontra-lo.

― Acha que... ― O vampiro franziu o cenho.

― Ele deve ser um caçador. ― Minseok não demorou para dizer.

― Isso não parece bom. ― JongIn balançou a cabeça.

. . .

O chinês voltou a despertar, horas depois quando já anoitecia. Observou as mãos sobre seu abdômen e encarou os fiozinhos vermelhos presos em seu dedo mindinho, notou que ele além de preso parecia também longe de si.

Foi encarando o fio até levar seus olhos a figura do vampiro conversando com o humano que havia cuidado de seus ferimentos. Ele não conseguia ouvi-los e nem se importou com aquilo no momento, acabou arregalando seus olhos ao conseguir enxergar o fio vermelho preso ao dedo do vampiro.

Viu que aquele fio também vinha de encontro ao seu.

Estavam entrelaçados...

Ele era sua alma gêmea?!

“Faça com que minha alma gêmea me encontre, Deus do amor... Eu sinto que sou incapaz de encontrá-la, sozinho...”

Seu desejo tinha sido atendido, parecia que ele tinha encontrado sua alma gêmea. Mas, justo aquele vampiro? Justo uma criatura que ele caçava?!

― Vejo que voltou a acordar. ― Sehun tirou ele de seus pensamentos. ― Está tudo bem? ― Notou que o menor parecia abalado com alguma coisa.

― Preciso ir embora. ― Yixing murmurou, tentando se recompor. ― Preciso ir para longe daqui. ― Teve dificuldades para conseguir sentar.

― Não irá conseguir andar nem para fora daqui, se continuar com essa ideia esquecendo que ainda está fraco. ― Sehun murmurou e se afastou, para pegar uma tigela. ― Minseok fez essa sopa para você, disse que irá lhe fortalecer.

O chinês continuava de cabeça baixa parecendo não saber como reagir.

― Já deve ter percebido nossos fios juntos... ― Sehun murmurou enquanto sentava ao lado dele e mexia na sopa. ― E entendido que somos almas gêmeas.

― Não pode ser verdade... ― Yixing balbuciou. ― Você é um vampiro e...

― E por isso eu não deveria ter alma gêmea? ― O Oh retrucou, não gostando daquilo.

― É um homem morto, não come, não respira e não tem coração. ― Yixing disse seco e não quis a sopa oferecida pelo outro.

― Em primeiro lugar, você vai tomar essa sopa! E em segundo lugar, eu não tive tempo o suficiente para que minha alma abandonasse o corpo, fui transformado poucos minutos após a morte e por isso mantive a chance de procurar minha alma gêmea e fiquei com todos os sentimentos humanos desde o ódio até mesmo o amor. ― Sehun suspirou, mesmo não precisando mais respirar, ele acabava fazendo aquilo. ― Já fazem séculos que procuro por você...

― Eu sou apenas um humano, caso não tenha notado. ― Yixing foi irônico.

― E que parece conhecer muito sobre criaturas sobrenaturais, já que foi atacado por um lobo, provavelmente era um lobisomem. ― Sehun levou a colher até o outro e quase sorriu quando o chinês lhe encarou, aceitando provar o líquido quentinho. ― Você é um caçador, não é?

― Sim. ― Yixing não hesitou em responder. ― Não sou a alma gêmea que você esperava.

― Eu esperava alguém que não tivesse medo do que sou e você não tem medo, só é muito desconfiado. ― Sehun voltou a lhe alimentar.

― E como não ser? ― O menor retrucou. ― Você é um vampiro.

― E você um caçador, mas não tenho medo do que pode fazer... Sei que não irá me machucar. ― O Oh quase sorriu irônico.

― O fato de ser minha alma gêmea, não significa que eu não irei machuca-lo... É da minha natureza matar criaturas como você. ― Yixing murmurou.

O caçador ficou confuso quando o outro afastou a tigela e o encarou.

Observou os olhos do coreano começarem a mudar, viu eles com a tonalidade vermelha e as veias surgindo embaixo dos mesmos. Não se afastou ao ficar tão perto daquela expressão demoníaca e também assassina.

Era como se Yixing tivesse um turbilhão de sentimentos naquele momento ao ver a face de sua alma gêmea transformada daquela forma. Sehun não escondeu sua surpresa quando o outro levou uma das mãos até seu rosto e o acariciou.

O toque era tão suave e tão cuidadoso, que nem o chinês entendia por qual motivo estava daquela forma.

― Você parecia mais assustador de longe... ― Yixing murmurou depois de ficar o encarando por certo tempo.

Sehun quase riu ao ouvir aquilo.

― Eu poderia arrancar o seu coração agora mesmo e acabar com o restante do sangue em seu corpo. ― O vampiro disse quase sussurrando.

― Não fará isso. ― O Zhang quase riu.

Mal perceberam o quão próximos seus rostos estavam, devido ao fato de nem desviarem seus olhares.

― Jamais. ― Sehun murmurou, com seus lábios quase encostando contra os do caçador.

E então, ambos fecharam os olhos...

E acabaram se beijando.

. . .

Depois de passar dias ali naquela vila cercado de vampiros e tendo em Minseok a única companhia humana, Yixing já estava pronto para partir.

Havia descoberto que ele namorava JongIn e que não tinha família, por isso não se importou em ficar naquele local onde se sentia protegido. Mesmo perto de criaturas que podiam acabar com a sua vida em segundos de uma forma dolorosa e que provocava arrepios no Zhang.

Apesar disso, ele estava completamente próximo do vampiro líder em tão pouco tempo de convivência. Suas almas estavam mais do que conectadas seja pelo fiozinho vermelho ou pelos sentimentos que ambos já tinham um pelo outro.

Mesmo devendo achar aquilo errado e inacreditável, Yixing aceitava aqueles sentimentos e não tentava ignora-los.

Se sentia em paz com o Oh, mas ao mesmo tempo, ainda sentia que faltava alguma coisa.

Apenas um dos fios que tinha estava completo e o outro ainda não. Além do mais, ele já havia passado muito tempo ali também longe de Yifan e Baekhyun... Deveria voltar para rever os amigos.

Seu braço já estava totalmente curado graças as ervas que Minseok havia colocado e graças ao sangue de Sehun que agiu rápido em seu ferimento e o deixou quase cicatrizado.

E agora iria agradecer pela hospedagem, pelo tratamento... Indo embora sem nem avisar.

Mas, ele era assim e não era de seu feitio avisar onde iria ou se iria retornar... O Oh iria lhe reencontrar pelo cheiro de seu sangue e por ser sua alma gêmea, ele não precisava se preocupar com uma despedida.

Era sempre ruim com aquelas coisas...

Segurou seu arco com um pouco mais de firmeza enquanto observava o Kim dormindo e se afastou saindo do local. Sehun e JongIn estavam longe caçando algo para se alimentar como o humano havia lhe contado antes de acabar dormindo.

Tinha certeza de que encontraria o Oh algum outro dia, não precisava se preocupar com aquilo.

. . .

― E é isso... ― Yixing terminou de contar a história e bebeu um pouco do chá.

Quase riu enquanto observava as caras e bocas que o casal fazia após ouvir a descoberta envolvendo uma de suas almas gêmeas e que ele era um vampiro.

― Isso é inesperado... ― Yifan disse enquanto o coreano continuava em silêncio.

― Como você está com tudo isso e essas novidades? ― Baekhyun perguntou ao caçador.

― Eu estou feliz como nunca me senti antes... Mesmo ele sendo um vampiro, um inimigo, ele me salvou e não deixou que eu morresse além de ter cuidado do meu ferimento durante esses dias.

― E você foi embora sem nem agradece-lo. ― O Wu ainda não conseguia acreditar.

― Ele vai sobreviver, não se preocupe. ― Yixing quase riu. ― Eu precisava ir embora, já estava parado fazia muito tempo e queria voltar para velos... Imaginei que estariam preocupados com meu sumiço.

― Se soubéssemos que tinha encontrado sua alma gêmea, nós iriamos ficar bem mais tranquilos. ― Baekhyun sorriu fraco, gostando de ver que o amigo parecia até mais leve após aquele encontro. ― E o que você fará agora?

― Preciso seguir viajando, cumprindo meu dever e tentando achar alguma explicação para o outro fio em meu dedo que não foi completado e acho que nem será. ― O caçador suspirou.

― Acho que esse Sehun pode ajudar você em alguma coisa... ― Yifan sugeriu.

― Eu não sei... ― Yixing encarou suas mãos. ― Pelo menos agora consigo segurar o arco com firmeza e sem dores.

― Como foi sobreviver ao ataque de um lobo? ― O Byun foi quem perguntou.

― Estranho... Eu não fui atacado pelo lobo que havia surgido na vila, eu o segui e quando lhe encontrei... Ele estava parado e me encarando... ― Yixing franziu o cenho ao lembrar daquilo. ― Ele não me atacou, mas os ferimentos que eu fiz não lhe impediam de tentar me arranhar... Outro lobo surgiu e conseguiu me ferir.

― Não os viu mais? ― Yifan franziu o cenho.

― Não... Eles desapareceram quando encarei meu braço e não os vi mais desde aquele momento. ― Ao voltar a ter lembranças do que havia acontecido, aquilo causou interesse no chinês.

O lobo ferido lhe encarando parecendo ter um olhar triste ao ver que o Zhang mirava uma flecha em seu coração e também parecendo estar preparado para aquele fim.

Aquilo era suspeito...

. . .

O caçador soltou um longo suspiro enquanto seguia sua caminhada pelas florestas, começava a ficar cansado e pensava se voltaria para a casa dos amigos ou se poderia fazer alguma visita para os vampiros.

Estava cansado, sentindo seus músculos doloridos e tinha certeza de que havia conseguido alguns ferimentos superficiais. Seria bom ir para a casa dos amigos ou procurar a vila que os vampiros viviam para conseguir alguma ajuda com seus machucados.

Porém...

― Sabia que espionar é muito feio? ― Parou de andar e perguntou aquilo em alto e bom som.

Ele se virou e acabou sorrindo.

― E me deixar sem ao menos um beijo de despedida, não é feio? ― Sehun disse enquanto se aproximava.

― Não gosto de despedidas e eu sabia que você iria me procurar. ― Yixing deu de ombros. ― Apenas fiquei esperando.

― Claro, imaginei que logo você estaria em perigo com alguma aventura... ― O Oh pegou um lenço e passou sobre o rosto do outro, o limpando. ― Não irá mesmo largar essa vida de caçador, não é?

― Não. ― Yixing balançou a cabeça, sentindo o maior começar a acariciar seu rosto com a ponta dos dedos. ― Terá que lidar com isso.

― Está bem, eu posso aguentar. ― O vampiro sorriu.

Eles já estavam prontos para se beijar, porém algo acabou captando a atenção do chinês.

Imediatamente pegou uma de suas flechas e atirou contra o que ele sentia que estava quase perto deles.

― Quando disse que espionar é muito feio, também falei para você. ― Yixing pegou mais uma de suas flechas. ― Eu não vou errar na próxima vez!

― Está bem, está bem! ― O moreno saiu quase correndo de trás da árvore. ― Aish, suas flechadas doem... Não quero experimenta-las novamente.

― O que? ― Yixing balbuciou confuso.

― Park Chanyeol! ― Sehun gritou ao reconhece-lo.

― Oh Sehun! ― O outro revirou os olhos.

― Quem é ele? ― O chinês encarou o vampiro.

― É um lobisomem idiota que ainda mal caminha com as próprias pernas. ― Sehun revirou os olhos. ― Os pais morreram e ele virou o alfa líder entre eles.

― Ei! Eu não virei o alfa líder por causa dos meus pais e sim, sozinho sem ajuda! ― Chanyeol gritou parecendo estar emburrado.

― Você é o lobo que eu quase matei aquele dia, não é? ― Yixing suspirou. ― O que estava fazendo assustando os moradores?

― Não era eu quem assustava os moradores, bando de medrosos... Eu segui o seu cheiro para ver se... Hm... ― O lobisomem começou a brincar com seus dedos, claramente tentando esconder a vergonha que parecia sentir.

Ao olhar mais atentamente as mãos dele, o chinês acabou arregalando os olhos ao enxergar ali o fiozinho vermelho preso em um de seus mindinhos. Ficou encarando o fio no chão e percebeu que ele estava entrelaçado ao que ele tinha.

― Também somos almas gêmeas... ― Disse sem acreditar no que via.

― O que? ― Sehun se aproximou do chinês e começou a entender o que ele dizia. ― Seu outro fio... ― Ambos encararam o lobo.

― O que é?! ― Chanyeol perguntou desconfiado.

― Você ainda é um pirralho, como pode ter uma alma gêmea?! ― O Oh quase gritou sem acreditar. ― E ainda sendo a mesma que a minha... ― Disse baixinho para si mesmo.

― Eu não sou um pirralho, não tenho culpa se você é trezentos anos mais velho que eu e um chato que só sabe reclamar! ― O lobo também não acreditava.

Eram de espécies diferentes e nunca conseguiam se suportar quando se encontravam e agora, tinha um motivo para que eles sempre se encontrassem.

E talvez nunca mais se separassem...

― Podem parar vocês dois. ― Yixing se aproximou e ficou entre ambos, impedindo que eles se aproximassem ainda mais. ― Não acredito que tenho duas almas gêmeas e ambos são criaturas que eu devia abominar e matar.

― Nós somos bons e não malvados como os outros... ― Chanyeol fez um leve bico com os lábios enquanto encarava o menor. ― Por falar nisso, me desculpe pelo arranhão que o Kyung deu em você... Eu queria ter ficado lá, esperando minha transformação acabar, mas ele não deixou e me levou embora.

― Precisou de uma babá, nada surpreendente... ― Sehun riu baixinho.

― Fica quieto, idiota! ― O Park revirou os olhos.

E já foi o suficiente para que eles começassem a discutir novamente.

Yixing acabou sorrindo ao ouvir eles discutindo e não tentou mais separa-los ou interromper o falatório, era engraçado ficar observando eles.

Ficou passando as mãos pelo próprio corpo em busca de algum ferimento e acabou gemendo baixinho ao encontrar alguns cortes em suas costas.

E assim ao sentirem o cheiro de sangue vindo dele, não demorou para que a discussão fosse encerrada.

― Quem lhe feriu dessa forma? ― Sehun se aproximou do menor e acabou sendo empurrado pelo lobo.

― Está doendo muito?! Eu posso ajudar, nosso vilarejo não é longe e você pode passar a noite lá. ― Chanyeol sorriu fraco, apesar de ainda estar preocupado.

― Eu estou bem, ainda posso ir caminhando e vou até a casa dos meus amigos. ― Yixing sorriu fraco. ― Eles podem cuidar dos meus ferimentos.

― Eu posso cuidar dos seus ferimentos. ― O vampiro resmungou enquanto seguia o chinês.

― E eu também! ― Não demorou para o lobo dizer aquilo.

O caçador acabou se assustando fracamente quando ele estava caminhando e sentiu o Oh pegar uma de suas mãos e o Park também fazer o mesmo.

Mesmo querendo fingir não se importar com aquilo, Yixing acabou ficando envergonhado e não conseguiu esconder seu sorriso.

E a ligação que eles tinham por aqueles fiozinhos vermelhos, lhe fazia ter certeza de que agora estava em paz. 

25 de Outubro de 2018 às 06:53 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Anna Luisa 💕💕 Sou a kiefan do spirit 💕 💕• Ficwriter • 💕 ••EXO-L•• 💕

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~