Indigno Seguir história

kitkenma Jamilly Tavares

Há quem diga que o amor prevalece sobre todas as dificuldades. Mas ninguém ensinou como supera-las sem ele.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#Incapaz #Decadência #Orihara-Izaya
Conto
1
4.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Aos que restaram



Ah, que insolência. Sua situação não faz jus ao seu nome, realmente era um ultraje para sua dignidade. Pois ficar preso em um chão frio não estava em seus planos, ainda mais quando não há nada segurando-o.


Quer dizer, na verdade eram suas pernas, suas pernas que mais pareciam pesar toneladas, impedindo-o de subir de volta em sua cadeira, ou até mesmo arrastar-se. E droga, seus braços doíam.


Sim, esse era o preço a pagar por enfrentar Heiwajima Shizuo, o homem mais forte vivo. 


Agora estava lá, aproveitando de sua solidão, incapaz de fazer qualquer coisa a não ser olhar a parede chata de sua sala. Estava ficando escuro, há quanto tempo ele estava ali mesmo? Dias? Semanas? Meses?


Tudo bem, foram apenas algumas horas, mas a dor equivalia a um ano inteiro. O quão patético o informante era? Que ridículo, submetendo suas necessidades à alguma ajuda? Era inútil.


Todos odiavam seu nome. Era fato. Sua personalidade terrível havia contribuído para isso. Aliás, ele foi o único a fazer o ódio transbordar sobre os olhos do bruto. Ele merecia. Merecia estar naquele chão sujo, merecia a dor de seus braços, merecia o peso de suas pernas, e principalmente estar confinado em uma cadeira de rodas.


Mas agora, olhando para todo seu passado, desde muito antes de Shizuo arruinar seu corpo, o corvo esperava algo assim.


Afinal, era uma luta de vida e morte. O informante perdera essa luta. Mas por que ainda estava vivo?



Maldição...



Orihara Izaya não está morto ainda, droga.


Ah, mas a morte parece tão convidativa. Como nunca foi antes, de uma maneira que qualquer outro pudesse duvidar. 


Na verdade, ele estava se agarrando a alguma coisa para se equilibrar, estava rindo, pois rir de sua própria desgraça ajudava a manter sua sanidade.


Não daria a Shizuo o luxo de fazê-lo chorar. Não, nunca! Aquele monstro era nojento, repugnante. Izaya sentia o descontentamento infiltrar em suas veias ao lembrar de quando a besta havia socado seus braços com toda força que pôde.


Ele estava sozinho, ele iria morrer sozinho. Naquele chão sujo, naquela tarde feia, naquela cidade nojenta, longe de Ikebukuro. Longe de Shizuo.


Isso soava muito bem, muito mesmo.


Já que vai morrer, não poderia estar em seu leito de morte junto a um monstro.



Mas Orihara Izaya ainda não está morto,  o mundo ainda não se livrou dessa escória. E mesmo ali, enfraquecido, inútil e patético, ele ainda era o temido informante de Shinjuku.


Pois nem mesmo aquela maldita cadeira de rodas o tiraria isso.


 Afinal, era tudo o que ele tinha.


E sua alma ferida se agarraria a este fio com toda sua força fraca, até se entregar a inexistência.






Orihara Izaya ainda respira. Mas está morto agora.











É uma pena.

20 de Setembro de 2018 às 01:07 1 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Litalea Draach Litalea Draach
Eu não sei nem como reagir ainda ♡♡
November 19, 2018, 08:56
~