Te Quero Pra Mim Seguir história

estherliz96 Esther Liz

Era algo simples, era só dizer ao cara mais popular do colégio que o amava Simples, não? Claro que não, pelo menos, não para Bakugou


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Todos Os Direitos Reservados

#romance #yaoi #comedia #lemon #ua #bnha #dekubaku #boys-love #DekuSeme #Todoroki-Shouto #My-Hero-Academy #midoriya-izuku #Bakugou-Katsuki #BakugouUke
Conto
2
2.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

OneShot

Era para ser uma tarefa simples. Ele dizia a si mesmo. Repetindo como um mantra.

Mas então porque seu corpo não se movia?

Certo, sua mente lhe fez o favor de lembrar. Iria chamar Midoriya Izuku, o cara mais popular e gato do colégio para sair. Kirishima o incentivou, disse que era simples. Mas agora parado na porta da sala de Midoriya, notou que estava mais que ferrado.

-Bakugou? Tudo bem? – Midoriya veio em sua direção e Katsuki não conseguiu reprimir o arrepio ao ouvir seu nome saindo da boca do mais velho

-Hm? Ah sim – Disfarçou e coçou a nuca – Vai jogar hoje?

Ah sim, além de ser gostoso, ainda era do time de basquete. Era uma tentação vê-lo todo suado... A blusa colando em seu corpo... Certo, estava indo longe demais.

-Ah, hoje não tem jogo – Parecia que Izuku iria falar alguma coisa, mas foi impedido pelo professor entrando na sala – Depois conversamos

Seu coração quase parou quando Midoriya sorriu para si. Ok, estava muito fangirl e isso o irritava. Mas amava aquele bastardo maldito lindo.

Foi para a sua sala e ficou vagando em pensamentos, pensando em Izuku, em como era lindo, sexy. Um maldito jogador lindo. Sentava-se ao lado da janela e viu Izuku deitado no banco. O maldito estava matando aula.

Quando as aulas acabaram, encontrou com Izuku no portão. Era agora, iria chama-lo para sair. Se aproximou, mas quando ia falar, o maldito meio a meio o atrapalhou.

-A gente quer saber, se quer sair conosco Izuku – Todoroki falou, vendo a cara de ódio de Bakugou – Aceita?

-Claro, vamos aonde? – Izuku questionou, sorrindo para os dois

-Vamos para a hamburgueria que tem aqui perto – Bakugou sugeriu e Todoroki concordou

Os dois nunca se deram bem, ainda mais quando os dois descobriram que gostavam da mesma pessoa. Pode-se dizer que a convivência virou um inferno.

Caminharam em silencio, os dois encarando o maior que não largava o celular. Quando chegaram, escolheram uma mesa mais afastada e para a infelicidade dos dois, Izuku convenceu Todoroki a sentar-se com seu “colega de classe”.

Ah, mal sabe Izuku que os dois querem sentar com força em si, por isso se odeiam.

Os dois não faziam questão de esconder seus olhares de ódio, ou os apaixonados – estes, eram direcionados exclusivamente ao esverdeado – as alfinetadas eram distribuídas sem medo algum, e as indiretas sobre seus sentimentos eram mais frequentes que respirar.

-Gente, meu amigo está aqui perto e o chamei para vir aqui ok? – O esverdeado questionou, guardando o celular.

Quando iam responder, ouviram uma voz chamar Midoriya.

-Este é Inasa Yoarashi, ele faz parte do time de futebol – Midoriya comentou sorrindo – Inasa, estes são Bakugou e Todoroki

-Prazer em conhece-los – Inasa sorriu e pegou o cardápio.

Por estar apaixonado, Todoroki não notou os olhares de Inasa sobre si. Mas estes não passaram despercebidos pelo esverdeado que ria internamente. Seu amigo não sabia disfarçar.

Bakugou estava odiando aquilo. Ele só queria ter um encontro com Izuku e confessar seus sentimentos. Mas agora tinha dois abutres para atrapalhar. Estavam finalmente comendo seus lanches, mas perdera as contas de quantas vezes discutiu com Todoroki. Sentia mais raiva ainda quando Inasa ria das discussões. Tinha cara de palhaço?

Já estava escurecendo quando saíram. Izuku e Inasa seguiram para suas casas, enquanto discutia com o maldito que lhe atrapalhou. Chegou em casa cansado, se jogando na cama e amaldiçoando toda a família de Todoroki.

Já no dia seguinte, decidiu ir cedo para a escola. Tentaria falar com o esverdeado novamente. Quando chegou, não havia muitas pessoas. Mas o maldito Todoroki estava lá. Estranhou, o mesmo parecia meio nervoso. Decidiu segui-lo e descobrir o que estava acontecendo.

Aquilo não podia estar acontecendo...

O maldito estava se confessando para Izuku. Sentiu seu sangue ferver ao mesmo tempo que seu coração se apertava. E se Midoriya correspondesse ao ruivo? Sentia que poderia chorar a qualquer momento.

-Desculpa Todoroki, não posso corresponder – Izuku coçou a nuca, estava nervoso, mas não daria falsas esperanças – Sabe, tem alguém que eu gosto. Mas tem alguém que gosta de você também

-Não precisa me consolar Izuku – Todoroki respondeu, sorrindo tristemente

-Não. É verdade – O esverdeado riu e pegou o celular – Tem um amigo que gosta de você, se quiser posso passar o número dele.

-Certo – Todoroki aceitou, ainda meio desconfiado. Mas não rejeitaria alguém sem nem conhecer

Se despediram, mas antes de Bakugou poder sair dali, Izuku o viu e sorriu travesso. Caminhou em silencio até o loiro.

-Se divertindo muito? – Izuku questionou, assustando Bakugou

-Ah, eu... é.... Só estava passando – Bakugou desviou o olhar, ainda com vergonha de ter sido pego

-Sei... E para onde está indo? – Izuku sorria travesso – Que eu saiba, atrás da escola não tem nada

-Não importa. Até depois – Bakugou se virou para ir embora, mas foi surpreendido pelo esverdeado que agarrou seu braço e o empurrou contra a parede. Seus braços estavam ao lado de seu rosto, impossibilitando uma fuga. Izuku estava sério, e isso preocupava Bakugou ao mesmo tempo que o excitava

-Vai continuar fugindo? Não se importa de me ver ficando com outros? – Izuku questionou sério

-Do que está falando? – Bakugou indagou, ainda atordoado com a atitude repentina de Izuku

Midoriya deu risada e aproximou seu rosto, levando seus lábios até seu ouvido e sussurrando:

-Você é tão lento Katsuki... Vou ter que esperar quanto tempo até você assumir que gosta de mim?

-Desde quando sabe? – Bakugou questionou assustado. Não achou que era tão óbvio assim

-Desde que entrou na escola. Mas estive esperando, te dando seu tempo sabe? Mas... – Izuku roçou seus lábios, causando um arrepio no loiro – Estou cansando de esperar

Bakugou não sabe de onde tirou essa coragem, mas ao ouvir o maior, simplesmente puxou a blusa do seu uniforme e colou seus lábios. Sentiu medo ao pensar em perder Izuku e não permitiria isso.

Izuku se surpreendeu com a atitude, mas rapidamente segurou a cintura do loiro e aprofundou o ósculo. Explorava aquela boquinha que sempre desejou. Sentia vontade de marca-lo inteiro e, contrariando sua mente, faria isso. Não aguentava mais esperar. Finalizou o beijo, mordendo o lábio inferior de Katsuki, sentindo seu membro fisgar ao ouvir o menor gemer.

-Assim não vou me controlar – Sussurrou em seu ouvido

-E quem disse que é para se controlar? – Bakugou não queria mais saber se estavam na escola. Pensava só em Izuku e no prazer que estava sentindo

-Porra Katsuki – Bakugou foi pego de surpresa quando sentiu uma mordida em seu pescoço – Vem comigo. Agora.

Não contrariou, nem queria. Seguiu o maior para dentro da escola, foram até o terceiro andar, onde ficava as salas dos clubes e entraram na última. Era a sala do time de basquete. Mal entrou na sala e jogado contra a parede. Izuku mordia seu pescoço sem pudor.

-Eu devia te castigar sabia? – Midoriya sussurrou, aperando a bunda do loiro

-Izuku – Katsuki gemeu, não conseguia formular nenhuma frase. Sentia seu corpo queimar. Queria. Todo seu corpo clamava pelo esverdeado

-Continua gemendo assim – Izuku sussurrou e mordeu sua orelha – K-A-C-C-H-A-N

Katsuki sentiu seu baixo ventre fisgar com a voz rouca do maior. Sentia que iria derreter com seus toques. Mas queria mais... Muito mais.

Midoriya puxou o menor e o sentou na mesa, abrindo suas pernas e se encaixando ali. Retirou as blusas, que só estavam atrapalhando e atacou os mamilos de Katsuki. Se deliciava com os gemidos nada castos que o loiro soltava, mas estava com receio de o encontrarem ali.

-Izuku... m-me fode logo porra – Bakugou choramingou para o maior, sentindo-o sorrir

Sorriu divertido, pensando em tortura-lo mais. Mas uma frase fez seu corpo inteiro queimar

-Daddy... Por favor me fode – Katsuki pediu, lágrimas de prazer já se formavam nos seus olhos. Estava corado, ofegante, a boca entreaberta tentando recuperar o ar. Izuku não aguentou mais

-Puta merda – Izuku exclamou, virando o menor e puxando sua calça e cueca. Essa foi a gota d’agua. Já não conseguia pensar em outras coisas, somente em se enterrar naquela bunda deliciosa.

Abriu bem as pernas do loiro e se ajoelhou, ficou olhando aquela entrada pulsar, pedindo para ser preenchida e, sem esperar mais, a rodeou com a língua, ouvindo-o arfar em surpresa. Lambeu, chupou, penetrou, tudo para tentar evitar dor desnecessária. Usou dois dedos também, alargando-o o máximo que podia.

Quando sentiu ser o suficiente, retirou suas roupas e se masturbou, espalhando o pré-gozo que já vazava de seu membro.

-Katsuki, relaxe ok? – Pediu, já colocando a glande do seu membro na entrada do menor

-Só me fode logo Izuku – Bakugou já estava sem paciência e sem pensar em mais nada, empurrou sua bunda contra o membro de Midoriya, sendo penetrado de uma vez.

A ardência se fez presente, mas o loiro teve que ser sincero. Ele amou a dor juntou ao prazer.

Izuku apertou a cintura de Katsuki, se surpreendeu com a atitude, mas não podia negar que sentir seu membro ser engolido por aquela entrada gulosa só lhe causou mais prazer ainda. Esperou um pouco, afinal os dois precisavam se acostumar com a invasão.

Começou se mover devagar, num vai e vem torturante. Sua mente tomada apenas pelo prazer e concentrada em ouvir os gemidos de Katsuki. Aumentou o ritmo devagar, até que encontrou o ponto de prazer do menor, sorriu com isso. Iria faze-lo se arrepender pela atitude impaciente.

Colocou o menor de lado e apoiou uma perna em seu ombro, estocando novamente o loiro ao mesmo tempo que o masturbava. Surrava a próstata do menor, sentia que não aguentaria muito tempo. Ainda mais com a visão que tinha do rosto de Katsuki revirando os olhos, saliva escapando de sua boca, corado e gemendo sem pudor algum.

-Katsuki, eu te quero pra mim. Você é só meu. – Estocou com força – Entendeu?

Katsuki não conseguia formular uma frase, a única coisa que conseguiu foi assentir enquanto Izuku acabava consigo. Amava esse jeito do maior, aliás, amava tudo em Midoriya e não o deixaria escapar assim.

Bakugou não aguentou mais e se rendeu ao orgasmo, sentiu Izuku lhe preencher com seu gozo logo em seguida, caindo os dois cansados e ofegantes no chão.

Se vestiram devagar, trocando várias carícias, mas quando Katsuki estava colocando a blusa, a porta da sala se abriu. Resultado? Foram parar na direção.

Não se importava com a bronca que estavam levando, somente com Izuku que não parava de sorrir para si. É, amava demais aquele esverdeado.

25 de Novembro de 2018 às 07:24 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Esther Liz "Os livros acolhem a alma e enriquecem a mente..." Oii! Bem vindos ao meu perfil! Espero que aproveitem! ∆Amo Yaoi ∆Multishipper ∆Bissexual ∆Sofrer com filme pra que? Vamos ler fic que os Mozão morre .. sqn Tenho perfil em outras plataformas, Dá uma olhadinha lá https://getinkspired.com/pt/u/estherliz96/ https://www.wattpad.com/user/EsterLiz Dêem asas a imaginação, quanto mais, melhor! "Um livro, uma caneta, uma criança e um professor podem mudar o mundo" - Malala Yousafzai Xoxo

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~