Colorindo os meus dias Seguir história

txemin mandy

Park Jimin teve, há alguns a anos, uma notícia terrível no dia de seu aniversário. Jung Hoseok será aquele que irá trazer cor em seus dias nebulosos.


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#lgbt #hoseokdançarino #jimincantor #romance #hoseok #jhope #jimin #jihope #bts
Conto
3
4869 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Dias como este sempre estarão entre os meus favoritos. Tanto que até me esqueci, por alguns momentos, do "incômodo" de horas atrás. Sinto-me energizado com o público cantando todas as minhas canções. É indescritível estar em cima de um palco e ver e ouvir o fervor de uma multidão.

Amo meu trabalho, serei sempre grato.

A energia que meus fãs passam é tamanha, que uma hora de show cantando e dançando passou voando.

Despeço-me do público com uma profunda reverência, sendo ovacionado por uma salva de palmas seguido de um canto de parabéns. Não consigo segurar minhas lágrimas, é tão bom receber esse tipo de carinho. Infelizmente, quem é mais importante na minha vida, esqueceu de me parabenizar. Nem se quer uma mensagem me enviou! Não sei mais se minhas lágrimas são de tristeza ou felicidade. Provável que seja uma mistura dos dois.

Pois bem, vou me apresentar para vocês e contar o motivo de minha tristeza que possui nome e sobrenome.

Sou Park Jimin, cantor e dançarino de uma empresa coreana que não era muito conhecida – que felizmente consegui torná-la reconhecida –, estou fazendo 28 anos e meu noivo esqueceu completamente disso, saindo apressado do palco. Mas o problema não para por aí, Jung Hoseok – estamos juntos há muito tempo – sabe que o assunto "aniversário" é complicado para mim. Uma ferida não cicatrizada.

Vou contar para vocês como conheci meu noivo e o motivo pelo qual falar sobre meu aniversário é difícil.

No segundo ano de minha carreira, após meu debut, a empresa que me gerencia acreditou ser necessário contratar alguns dançarinos para fazerem meu show. O que era uma excelente ideia, visto que o palco ficava cada vez maior conforme eu ganhava reconhecimento pela minha música.

Foram abertas vagas para os interessados se inscreverem e por incrível que pareça, logo no início houve uma demanda muito grande de dançarinos inscritos, o que deixou toda a equipe bem contente.

As semana foram passando até chegar o momento do teste final para saber quem seriam os felizardos. Por conta disso, acabei sendo um dos avaliadores, já que eu também danço.

Havia 30 dançarinos e apenas 18 passariam e seu teste final consistia em duas etapas: a primeira seria uma avaliação de como os 30 dançavam juntos e a segunda, cada um teria que criar sua própria coreografia para provar seu talento. Logo de cara, Hoseok saltou aos meus olhos. Não por ser bonito e ter um corpo bem estruturado, mas por ser simplesmente incrível dançando! Seus movimentos eram precisos e ele tinha uma aura ao seu redor, uma presença marcante, mesmo que estivesse dançando com outros 29 e não estivesse no centro.

Obviamente, sua apresentação individual foi espetacular e a minha vontade de conhecê-lo era enorme. No entanto, isso teria que esperar. Eu e os outros jurados avaliamos todo mundo até entrarmos num consenso sobre quem seria os selecionados, o que fora nada fácil. Jung Hoseok fora um dos primeiros a ser chamado pelo meu coreógrafo – o que dá a "cartada final" – e com ele, os outros foram se juntando e mandados para um dormitório que dividiriam. Sim, eu ainda não entraria em contato com eles até que houvesse outro MV lançado e durante esse tempo, eles continuariam sendo treinados.

O tempo decorreu, eu até havia me esquecido sobre Hoseok por conta da quantidade de trabalho que tive ao escrever meu novo álbum. Passava noites em claro para poder arranjar um tempo para mim e minha família, que por sorte, morava em Seul assim como eu.

A preparação para meu comeback estava começando, fui apresentado para os novos dançarinos e juntos passamos a treinar arduamente durante um mês e meio. E Jung Hoseok? Assim como eu e todos os novos integrantes, levávamos o trabalho a sério e queríamos fazer bem, logo, mal trocávamos algumas palavras, o que acabei não me importando muito.

Ironicamente – ou não – meu comeback fora previsto para ir ao ar no dia do meu aniversário. Começaríamos performando em um dos diversos programas da Coreia, ao vivo. Estávamos eufóricos e ansiosos para saber qual seria a resposta do público, ainda mais se aceitariam toda a quantidade de dançarinos.

Naquele dia, quando já estávamos no programa, toda a minha equipe fez uma rápida comemoração antes de começarmos. E assim que ia entrar no palco para as gravações começarem, meu manager veio correndo até mim. Jamais me esquecerei de sua face; completamente branca, lábios tremendo, como se tivesse visto um fantasma.

– Jimin, seus pais sofreram um grave acidente de carro.

A pior notícia que recebi em toda a minha vida. Meu mundo pareceu dar uma volta de trezentos e sessenta graus para então parar. Desmaiei na hora e quando recobrei minha consciência, estava deitado em minha cama.

"Jimin, seus pais sofreram um grave acidente de carro."

A fala de meu manager ecoava na minha cabeça. Tinha que ser mentira. Ou por mais que tivesse acontecido, que todos eles estejam bem. Isso não podia estar acontecendo.

Corri até a sala, onde um aglomerado de gente estava. Procurei afoito meu manager no meio de tantos, até encontrá-lo escorado em uma parede ao lado da televisão. Meu coração falhou uma batida ao notar seus olhos inchados.

Não.

Não.

Não.

Não podia ser o que eu estava pensando.

– Lee-hyung? – Chamei. Todos na sala ficaram em silêncio e olharam para mim com pena. Não. Isso não está acontecendo. – M-meus pais… – Sem que eu pudesse terminar a frase, meu manager negou com a cabeça e abriu os braços para me receber. Fui o mais depressa até ele, chorando sem me importar com os outros a minha volta.

– Saiam todos. – Pude escutá-lo ordenar e enfim, ouvir os sons de passos deixando o cômodo até a porta ser fechada. – Eu disse todos, Jung Hoseok.

Virei no mesmo instante, mesmo que ainda estivesse chorando copiosamente. Afinal, o que ele queria? Não nos conhecíamos. E confesso que fiquei um tanto curioso, mas não queria conversar com ninguém.

– Quero conversar com ele. – Tudo o que eu menos queria. Iria abrir a boca para enxotá-lo, mas ele foi mais rápido. – Ao menos me deixe fazer companhia, passei por algo parecido. – Era só o que me faltava. Sem respondê-lo, saí correndo para o meu quarto, trancando-me para ficar sozinho. Só isso o que eu queria. Ficar só. Era difícil entender?

E quem disse que Jung Hoseok desistiu? Nos dias que se passaram, a empresa adiou meu comeback para o próximo mês, deixando-me ficar em casa. Eu, meu manager e Hoseok. Eu não entendia o porquê dele insistir em vir todos os dias. Tinha desistido de mandá-lo embora, então apenas o ignorava – acabei me sentindo mal pela minha atitude, mas ele podia entender, né? – e por isso, quando comecei a me sentir um pouco melhor, em um dia qualquer, sentei ao seu lado no sofá, pegando um pouco de pipoca que estava no balde em seu colo.

Sua cara de espanto fora cômica. A primeira vez que ri verdadeiramente durante todos esses dias de luto. Acabei pedindo desculpas por ter o ignorado tanto tempo, recebendo uma resposta de que me entendia completamente. Depois disso, ele continuou vindo em minha casa. Sempre serei grato por isso, porque Hoseok passou a colorir meus dias cinzentos, pouco a pouco. Nos tornamos amigos fácil e tê-lo ao meu lado me dava cada vez mais força para seguir em frente.

Ele era uma pessoa viva, cheia de carisma e um dia antes do meu comeback oficial, levou-me para visitar um aquário gigante alegando ser aquele o meu presente de aniversário; com direito a bolo e muitas risadas.

Desde então, Jung passou a ter um espaço muito importante em minha vida. Quando me dei conta... Estava perdidamente apaixonado por ele.

Umas das coisas que mais amo nele e que me levaram a amá-lo mais ainda, foi ter me proporcionado, durante anos, aniversários inesquecíveis e também, por conta disso, consegui superar e lembrar sem tristeza de meus tão amados pais.

Hoseok e eu namoramos escondidos por algum tempo. Minha carreira alavancava cada vez mais e o medo de pôr tudo abaixo era enorme. Infelizmente, a sociedade coreana é muito preconceituosa. Tanto que, meu relacionamento quase teve fim quando decidiram fazer um contrato com uma outra empresa e me fazer namorar uma cantora de um grupo novo! Aquilo fora a gota d'água para mim. Tive conversas sérias e longas com o CEO de minha empresa. Por sorte, meu manager estava do meu lado e depois de muito debater – tinham que levar em conta que eu era o único artista que fazia a empresa lucrar –, aceitaram minha decisão de assumir minha sexualidade publicamente.

Foram tempos difíceis. Muito difíceis. E Jung estava lá para me apoiar e passar por tudo de cabeça erguida.

Não direi que as pessoas esqueceram fácil, mas que o tempo amenizou a situação. Ainda sou um cantor muito prestigiado pelo país, não poderia pedir mais, já que nem tudo é do jeito que queremos que seja.

Por isso estou tão amuado e triste. Aquele que sempre fez meus aniversários serem inesquecíveis, pareceu ter se esquecido de mim. Justo hoje, onde toda uma enxurrada de lembranças viera com tudo em minha mente.

Andei cabisbaixo até meu camarim, recebendo tapinhas nas costas e palavras de conforto e felicitações.

Suspirei cansado antes de abrir a porta. Onde Hoseok se meteu para me esquecer assim?

Exausto, abri-a e joguei-me em cima da poltrona mais próxima, jogando minha cabeça para trás e fechando os olhos, desejando dormir. Fiquei nesta posição por alguns minutos até sentir meu pescoço doer e minha boca ficar seca. Levantei a contra gosto e lentamente, andei até o frigobar parando o ato de abri-lo ao notar um papelzinho ali colado. Peguei-o em minhas mãos, lendo-o curiosamente, deixando que um sorriso besta aparecesse em meu rosto.

"Me encontre no estacionamento. 

Ps: você foi incrível hoje."

– O que ele está aprontando desta vez? – Divaguei em voz alta e com o coração a mil, fui ligeiro até o local o qual sua letra bem desenhada instruía.

Estava um breu total, porém, ao andar um pouco mais, deparei-me com uma mesa repleta de comida e duas velas acesas. Hoseok estava em pé, com um sorriso no rosto e as mãos no bolso.

– Sempre inovando. – Falei em tom de brincadeira e escutei-o rir baixinho.

– Quase estraguei tudo indo te trazer até aqui. Estou morrendo de frio. – Rimos.

Aproximei-me até estar na sua frente. Pude olhá-lo melhor e maravilhei-me com suas vestes: terno e gravata.

– Gostou? – Perguntou.

Jung Hoseok está lindo. Lindo demais.

– E-eu... – Limpei a garganta – Você está lindo, Hobi-ah.

– Obrigado! Tenho um presente para você. Muito especial. – Senti meu coração sair pela boca quando de dentro do bolso esquerdo de sua calça, retirou uma caixinha escura e quando a abriu, dois anéis dourados ali estavam.

Senti meus olhos marejarem.

– Qual o dia perfeito para pedir o homem da minha vida em casamento, senão hoje? – Seus olhos também continham algumas lágrimas. – E então, Park Jimin, aceita se casar comigo e deixar com que eu faça com que todos os seus aniversários sejam os melhores de toda a sua vida?

Não meu aguentei e puxei-o para um beijo afoito e apaixonado. Jamais amei alguém como o amo.

Ainda com lágrimas teimosas insistindo em sair, afastei-me o suficiente para olhar em seus olhos e responder sinceramente:

– Aceito.

28 de Agosto de 2018 às 23:22 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

mandy escritora no social spirit: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/harryised

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~