Perfeita sintonia Seguir história

erincarmel E C

A mais perfeita sintonia familiar nem sempre é o que aparenta ser. [Desafio do dia dos pais|angst|original]


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Todos os direitos reservados

#original #angst #tiposdepai
Conto
5
5143 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O meu eu passado para você...

Notas iniciais: Olá! Antes que me matem sobre participar de um desafio e não atualizar o que é necessário... Isso foi meio que mais necessário, eu escrevo textos sempre sobre mim e a pouco comecei a publicá-los. Nesse caso, #tipodepai, é por conta da delicada relação que tenho com o meu e bem... Eu bati o olho no tema e BOOM... ele só veio. O tipo que escolhi foi Pai orgulhoso: Aquele que se orgulha de você e de tudo que você faz. Ele te acha o/a melhor em tudo.
AVISO: é muito angst isso aqui e pode ser pesado demais para algumas pessoas e gerar gatilhos, não existe nada explicito, mas existe a perda por morte (apenas mencionado!)

...um sempre fora a cópia do outro

Éramos como unha e carne. Nossos olhares se respondiam e nem sempre necessitávamos de palavras. Gostávamos das mesmas coisas e sempre discutíamos sobre elas, lembro bem dos inúmeros debates no almoço com ou sem a elevação de voz. Os confrontos ficavam rapidamente em esquecimento e agíamos, novamente, em sincronia – a presença de um já bastava para o outro. Pelo menos era dessa forma que eu me sentia e ainda, queria acreditar que pensava como eu. Assim como me lembro de como ria fácil para mim, brincava sobre o que eu fazia e, obviamente, eu revidava. Eu precisava te divertir, estava em nosso sangue. E como não lembrar de todos os choros que evitei? Fazia um ou outro agrado para que seu sorriso voltasse e só então, meu mundo se acalmava. 

Doei tudo de mim. Todos os dias de trabalho na chuva, nos feriados e celebrações perdidas. Você merecia o melhor, claro, era o pedaço perfeito que saiu daqui de dentro. E sempre quis que se aperfeiçoasse. Porque não pude realizar todos os meus sonhos ou terminar com os estudos, mas você tinha o mundo em sua mão se o quisesse. Ninguém estava acima de você, ninguém poderia sequer ultrapassar você. O fracasso não lhe apetece. 

Então, eu fiz o que qualquer pai faria em meu lugar, lhe dei as melhores opções. Nem com elas você precisou se preocupar, pois eu sabia o que era melhor para você. Ah, eu tinha certeza que aquilo lhe faria feliz e contribuiria mais para com nossa família.

Nosso sangue deveria ser forte, superar limites e quebrar barreiras. Expunha a todos o quão orgulhoso eu era – contava o que você fazia, como fazia, onde ia, com quem ia, como se comportava e, acima de tudo, quem você era.

Meu bebê.

Já tu, sorria e como sorria. Todos os planos para com o futuro e em como queríamos que voltássemos a ser uma família. Era o plano perfeito, ao menos em minha mente sóbria.

Tu lutavas por mim, mas eu, nem vi que por detrás de toda máscara você chorava. Talvez não gostássemos de tudo como eu pensava, ou que os debates realmente te perturbavam e que seus planos eram na realidade meus. Assim como é bem provável que em todo esse tempo eu tenha te sufocado.

Não te protegi o bastante, não te socorri quando pediu e neguei você quando mais precisou.

Eu destruí quem eu mais amava e não percebi. Deveria ter aberto os olhos enquanto era tempo, no tempo em que você conseguia respirar. Recuado qualquer sinal de opressão em ti e aceitado tudo o que tu eras de verdade.

Você apenas desejava ser meu maior orgulho e fazia tudo o que detestava para me agradar. Eu não a conheci e, embora o tempo não me permita mais, ainda direi – tu sempre serás meu maior orgulho. Não importava o que fizesse, se eu ainda te tivesse, já estaria orgulhoso o suficiente. Você lutou bravamente meu anjo e, infelizmente, nunca te disse o que mais queria ouvir de mim. 

Você não precisa ser perfeita para que eu sinta orgulho em tê-la como minha filha.

15 de Agosto de 2018 às 03:51 8 Denunciar Insira 11
Fim

Conheça o autor

E C Comecei a escrever por conta dos sentimentos ruins que tenho em mim, mas aos poucos comecei a escrever sobre os bons também. Então tem muito drama aqui, ele vem com facilidade. Mas tenho um pé no fluffy com umas pimentas 🌚 Porque a vida é puramente uma peça de teatro bem trágica 💜

Comentar algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, tudo bem? Então, eu estou perdida e nem sei muito bem por onde começar, vou começar pelo enredo. Eu gostei da técnica usada aqui, dá para perceber muito sentimento por trás de cada palavra escolhida, até a sensibilidade amorosa no sentido paterno. É simplesmente incrível, mesmo dando aquela embolada na garganta para conter o choro, a narrativa é tão maravilhosa que dá vontade de ler, ler e ler novamente. Isso é honesto porque narra da forma mais crua o arrependimento de qualquer ser humano que só nota o erro após perder seu bem mais precioso. É universal. E ao mesmo tempo que tem uma enxurrada de sentimentos, você consegue ser sutil. Isso é uma obra e tanto, talvez uma das melhores coisas que li em toda minha vida. É uma narrativa complexa, que tem vários elementos usados de maneira excepcional. Parabéns, e muito obrigada por uma contribuição tão linda quanto esta. Espero que tenha se divertido com o desafio! ♥️
4 de Setembro de 2018 às 00:24
Nathy Maki Nathy Maki
Chocada com o quanto parecia ser eu nas palavras, é quase como se tivesse visto a relação com meu pai e trancrito ela. Primeiro eu achei que fosse do ponto de vista da filha, mas aí percebi que era o pai e a culpa que ele sentia por ter sufocado ela com planos e ecpectativas enquanto ela só queria corresponder e estar a altura. Realmente não sei explicar o quanto de mim tava aqui e foi tão bem escrito, que por mais que eu esteja chorando foi como tirar um peso do coração. Eu já disse outras vezes, mas sempre bom repetir: VOCÊ É UMA ESCRITORA MARAVILHOSA E NÃO IMPORTA SE É ANGST OU FLUFFY, EU SIMPLESMENTE AMO LER!! Parábens por ter conseguido passar esse sentimento tão bem! Beijinhos ♡
25 de Agosto de 2018 às 09:43
Ocarina Ocarina
Que bela surpresa essa história. Achei muito emocionante e tocante. De início pensei que era o filho que estava narrando, mas aí descobrimos que na realidade quem está falando é o próprio pai. Isso deixou o enredo mais pesado e profundo! Uma história triste, porém com um gostinho de “felicidade, afinal, o pai tem orgulho de sua filha, certo? Ainda que as coisas tenham dado errado, ele a ama. Adorei! Beijos!
19 de Agosto de 2018 às 14:49
Corporação Masrani Corporação Masrani
Quando uma arte é transformada em letras nós chamamos de história. Mas quando uma história é transformada em arte nós chamamos isso de sucesso.
18 de Agosto de 2018 às 21:24
nic furuya nic furuya
Adorei ler isso, ainda estava tocando uma música bem lentinha no fone e pareceu aumentar o sentimento da história :') sua escrita é maravilhosa e dá um gostinho de "quero mais", adorei mesmo, mesmo <3
18 de Agosto de 2018 às 15:27
Ayzu Saki Ayzu Saki
Quando a arte imita a vida ela ou perturba ou emociona T-T
17 de Agosto de 2018 às 17:15
Katana Kuro Katana Kuro
Já falei no face mas vou repetir aqui: você me fez chorar mano, tipo muito. Apesar de seu tipo de pai não ser o meu você conseguiu passar tudo o que queria, era como se ao invés de lendo eu estivesse ouvindo você falar. Parabéns você tem talento.
15 de Agosto de 2018 às 15:35
Sr.  Artie Sr. Artie
ERICAAAAAAAA EU TINHA ESQUECIDO O QUÃO CERTEIRO ERAM OS SEUS ANGST, MDS EU TÔ SEM AÇÃO AINDA. Primeira coisa, eu achei que era a filha falando sobe o pai e que ele havia morrido, mas depois notei que o narrador era o pai, então acreditei que se tratava da distância física entre eles, quer fosse porque a filha precisa estudar longe, quer fosse porque precisava estudar. Só que não era nada disso, era o pai narrando sobre a dor de não ter mais a filha e se sentir culpado por afogá-la em todas as expectativas que despejou sobre ela. Mds, isso é tão pesado. Eu meio que sou essa filha que dar o orgulho na minha casa e esse pai orgulho é minha mãe e eu posso afirmar, com 100% de certeza, que se um dia eu chegasse a cometer algo desse tipo, a reação dela seria exatamente igual a desse pai. Essa história é tão minha relação com minha mãe, eu tô muito tocado. Ec, essa original tá maravilhosa, você com certeza tem o dor para o angst,, scrr. Parabéns, fada!
14 de Agosto de 2018 às 23:06
~