tiatatu Tatu Albuquerque

Os mares e os céus da Inglaterra da rainha Vitória são assombrados pela presença dos temidos piratas com seus navios adaptados com as mais recentes e poderosas tecnologias que a era do vapor pode proporcionar. Na lida com os homens da Rainha, a capitã Haruno e as tripulantes de seu Shannaro acabam tendo a ajuda de alguém inusitado: o capitão Uchiha, rival e amante de Sakura.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas. © Todos os personagens são de propriedade intelectual de Masashi Kishimoto, eu só boto pra chorar.
7
5.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Mais uma vez os habitantes de londres assistiam, assustados e apreensivos, mais uma batalha nos céus cinzas por conta da fumaça emitida pelas novas indústrias de Londres.


Do dirigível oficial da guarda da rainha pulavam alguns homens, voando com a ajuda das pesadas máquinas à vapor que traziam nas costas, precisando mais do que nunca que as sanfonas e os filtros de tela que produziam e limpavam o ar que respiravam por aquelas máscaras de ar funcionassem perfeitamente, assim como que o carvão que os mantinham voando não acabasse antes do tempo. 


Usando os óculos de proteção, eles miravam o barco que tinha visíveis engrenagens de sua máquina de voo e tentavam derrubá-lo ou ao menos atingir os vidros da cápsula de ar que mantinha à salvo sua tripulação de piratas. 


Aos poucos balas de canhão eram disparadas em direção à eles e ao dirigível que com dificuldade desviava, enquanto as engrenagens lentas – talvez por precisarem de óleo ou por trazerem algo muito pesado nas cordas de bronze –, colocavam em funcionamento metralhadoras, a mais revolucionária arma daqueles tempos. 


Agarradas às cordas das escadas presas ao casco do navio, as piratas do Shannaro usavam suas armas melhoradas por pequenos apetrechos que aumentavam o poder de disparo, temendo que aquela arma mais potente lhe prejudicasse ainda mais. 


A batalha estava tão difícil que até mesmo a própria capitã Haruno era vista trabalhando arduamente, abastecendo com carvão as máquinas que sustentavam o voo do navio, usando até mesmo seu próprio suor como combustível, tal como já usava seu ódio. 


Bem que deveria ter ouvido Tenten e mudado a rota, passar por Londres só havia lhe trago problemas.


— Puxem as cordas! - disse Sakura ao ser informada do aparato real que certamente teria vitimado as garotas penduradas se não tivessem sido mais rápidas. 


Precisava pensar em algo mais prático, principalmente ao sentir o que deveria ser a aterrissagem dos oponentes em seu navio, passando a lutar com espadas ou continuando o tiroteio. 


Acionou o sistema mais recente que havia conseguido instalar no Shannaro e então seus canhões de ar foram disparados contra os homens da guarda real, fazendo com que as tramas da pele das asas das máquinas voadoras se rompessem, largando dos fios de cobre que lhe faziam formato e assim um a um iam caindo. 


Vez ou outra, era visto um homem ou outro sendo derrubado à força por elas, assim que tinham as armas, as poucas joias ou brasões e toda a parafernalha que tivessem que pudessem ser úteis depois tomada. 


As máscaras que usavam para respirarem ali em cima lhes tornavam mais lentas em combate por conta do peso, mas seria bem pior sem elas, por isso não reclamavam, pelo contrário, usavam o peso dela para bater nos oponentes e assim derrubá-los. 


Uma ou outra acabava ferida, por isso voltavam às pressas para a cápsula de vidro, buscando socorro e cedendo os respiradores para a próxima que estivesse em condições de batalha. 


Apesar de estarem indo bem, logo estariam perdendo a batalha e isso preocupou Sakura, que, assim que subiu à cápsula, pegando o respirador que antes era usado por Lee, e seguiu ao convés, escondendo melhor o braço protético direito de bronze, com suas molas amortecedoras e seu pistão de ar que ajudavam a pesar seu soco, o utilizando para lidar com os guardas. 


O único lado bom de ser subestimada por ser uma mulher era que isso os tornava mais fáceis de surpreender, principalmente por não saberem de sua “ajudinha da tecnologia”. 


Atingiu um, atingiu outro. O terceiro por pouco não lhe atingiu a garganta com faca na ponta de sua espingarda, mas por sorte Hanabi estava de prontidão e o acertou antes que fosse tarde, girando para ativar o campo de ar giratório que os óculos especiais que usava lhe propiciava fazer. 


Agradeceu à ela com um aceno e mais uma vez teve prova da lealdade da jovem que até pouco tempo fazia parte da coroa inglesa. Que continuasse assim! 


Ameaçava chover e trovejava. Um apagão nas luzes e nos propulsores elétricos aconteceu de repente e Sakura se perguntou se os cabos dos motores à vapor haviam sofrido algum dano. Como ainda não havia acabado o carvão, era apenas isso que podia ter acontecido. 


Por sorte, o cata-vento que servia para gerar alguma eletricidade que fosse ainda funcionava ao menos para manter o voo do Shannaro, mas aqueles cabos energizados caindo pela madeira eram perigosos e esse foi o único lado bom de não ter revestido ainda o barco com metal. 


A chuva que viria também era uma ameaça. Ainda assim havia o risco da explosão e por sorte tiram aparatos de borracha para evitar um maior contato com eles, o problema era conseguir chegar até lá. 


Respirou aliviada quando Karui absorveu a energia restante inteira na espada, ativando as engrenagens que botavam suas serras em funcionamento. Agora ela era quase indestrutível. 


Infelizmente, nem tudo era bom para elas. Entre o som dos trovões e a claridade dos raios naturais, uma nova rajada de tiros foi ouvida e Sakura engoliu seco. O Shannaro já estava bem desgastado e seria impossível usá-lo em seu modo anfíbio com tantos danos em seu casco, uma nova investida daquela arma poderia comprometê-lo por inteiro. 


Maldita hora que pediu a madeira mais barata à Yamato no último reparo, talvez a mais cara aguentasse mais. Rezou como nunca para que sua jornada nos mares e ares não se findasse ali. 


Suas preces foram atendidas e ela abriu os olhos ao ver que nada havia sido atingido em seu navio, pelo contrário, o abatido era o dirigível que emanava estática e caia, aos poucos e fumaçando, após ser atingido pelo canhão de raios de um outro navio. 


O nome “Sharingan” escrito em dourado deixava claro que aquilo era obra do capitão Uchiha, mas estava em situação muito crítica para deixar que a rivalidade falasse mais alto. 


No alto mastro do navio inteiro de ferro, era visto o capitão que usava a prótese de seu braço para captar a energia de um raio e aumentar a potência do canhão que basicamente destruiu o alvo com perfeição. 


As roupas dele rasgavam pelo visível esforço, o cabelo arrepiado pela eletricidade e de intacto basicamente só restava o monóculo acoplado em seu olho direito, com o mecanismo acionando a lente roxa que o permitia ver melhor dos aparatos do alvo tombado. 


Pior era que ele ficava sexy naquela posição…. Negou com a cabeça! 


Não tinha tempo para apreciar a beleza que insistia em negar existir no outro pirata e nem a queda do dirigível. Tratou de ordenar que toda energia agora fosse direcionada para voarem dali o mais rápido possível rumo ao estaleiro clandestino mais próximo que conheciam. 


Sasuke riu quando, em fuga, o barco dela passou ao lado do seu, apreciando o desgosto dela em ter que lhe agradecer pela ajuda. 


— Não vai me agradecer por te salvar? - perguntou diretamente para irritá-la e ela bufou. 


— Da próxima eu não vou precisar de você! - retrucou o fazendo rir, seguindo seu voo, com ele rindo da insistência dela em parecer indestrutível e infalível, mesmo com um barco quase destruído. 


Negou com a cabeça e deu ordem para segui-las, afinal, não podia confiar muito que ela não precisaria da sua ajuda de novo e seria muito interessante continuar essa viagem lado a lado. 

10 de Agosto de 2018 às 19:00 1 Denunciar Insira 3
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Tatu Albuquerque Mãe de Konohamaru, madrinha de Hanabi, adepta da Fé do Sagrado KonoHana. Você tem 5 minutos pra ouvir a palavra da minha igreja? Kaiten no cu e gritaria, kore!

Comentar algo

Publique!
brener Silva brener Silva
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa isso é uma steanpunk de respeito, eu já te falei como está foda já quero mais
August 10, 2018, 19:01
~