Doce de Segunda-feira Seguir história

chimint ℓσσℓє

Quando Namjoon reflete sobre como pode ser maravilhoso acordar numa segunda-feira somente por ter Park Jimin ao seu lado.


Fanfiction Todo o público.

#yaoi #bts #nammin #minjoon #namjoon #kimnamjoon #jimin #parkjimin
Conto
3
4660 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

O sol raiva lá fora. O despertador do celular estava enlouquecido em cima da cômoda. A obrigação chamava. O chuveiro soltava jatos congelantes mesmo que estivesse configurado para o verão. A comida seria mais uma vez deixada de lado. Carros parando no meio-fio da avenida para as crianças descerem e adentrarem os portões das escolas. O trânsito cada vez mais infernal. Indo trabalhar com um sorriso lapidado na falsidade somente para não fazer feio na frente do chefe. Segunda-feira.

Pensar tudo isso era totalmente depressivo, concordam? Mas algo naquele início de semana transformava todo o pique desgastante da rotina em algo bom. A pedra no feijão, como dizia Mario de Andrade, interpretando de um jeito bonitinho (por que eu queria que fosse assim), o toque especial.

Era um evento único e que por mais de simples que pudesse parecer, na verdade, não era. Ter aqueles braços relaxados encostados no meu peito, a respiração suave e os gestos involuntários de seu corpo colado ao meu era indescritível.

Eu amava a minha risonha idiotice por achar essa manhã tão diferente de todas as outras manhãs em que acordávamos longe um do outro. A diferença deliciosamente arrebatadora. Isso por que corríamos entre as incertezas para termos sempre um final de semana juntinhos em meio a tantas atribulações que demandavam em nossas vidas pessoais.

Então acordar e constatar que aquele dia era uma segunda-feira e ele ainda estava ali iniciando novamente aquela a rotina semanal ao meu lado, representava o meu momento de me sentir enfim completo. Sentia como se naquela fração de tempo pudéssemos fazer tudo o que queríamos, porque o nosso amor era nosso escudo contra todos. Naquele exato segundo eu via que valia a pena essa rotina, pois ele e seus cabelos dourados espalhados em meu colchão eram a carga de estamina que eu precisava para encarar mais um dia cheio de pessoas loucas e momentos estressantes.

Transbordando significâncias.

Com um certo custo abri meus olhos, afim de ver seu semblante sonolento, porém dei-me de cara com seu rosto já bem desperto, encarando-me com seus olhinhos fofos esmagados por suas bochechas mais fofas ainda enquanto sustentavam um sorriso acalentador. Ali, somente por olhá-lo, eu me sentia em casa. O meu doce lar.

Maravilhoso era ter o seu corpo pequeno encaixado ao meu, com nossas pernas uma por cima da outra criando a mais linda camada. Contemplar aqueles olhos castanhos brilhantes e perceber o mesmo amor que eu sentia pulsar por cada fibra minha, esquentava o meu peito do tanto amor que se enchia e derramava. E, por fim – mas não menos importante –, beijar aquela boca cheiinha tão carente da minha era como ser transportado para o paraíso mais doce que eu poderia achar.


— Bom dia, meu Ji. – Abracei-o e beijei sua testa.


— Bom dia, meu Joonie. – Seus olhos procuram o meu, fixando-se neles como se o tempo congelasse, eternizando os segundos que transcorriam acima de nós.


— Você sabia que eu amo segundas-feiras? – Sorrimos com o nosso amor mais uma vez vazando até por nossos poros.


Acarinhei o rostinho amassadinho após uma boa noite de sono, todo carregado de uma expressão de preguicinha adorável me empurrando para o encantador precipício que era vislumbrar essa estonteante pessoa, meu Jiminnie.

Como um ato involuntário e tão costumeiro, minhas mãos escorreram para seu braço coberto pela blusa do pijama e, por que não, desceram mais um pouco, chegando ao seu quadril. Por mais safado que eu fosse, naquele momento eu só queria curtir a sua presença juntinha a minha.


— Acho que devemos levantar. – Olhei para a tela acesa do celular, o qual tive que me esticar um tantinho para pegar. — Queria ficar o dia todo assim, mas você já faltou demais minhas aulas e eu não quero reprovar você nessa cadeira. – Funguei um sorrisinho tosco contra a pele macia de seu pescoço.


— Você não seria capaz de fazer isso de qualquer jeito. – Seu sorrisinho debochado me motivou a fazer de cócegas naquela pestinha.


A face redondinha tingia-se de vermelho e o corpo retorcia abaixo do meu numa tentativa de escapar, deixando os olhinhos fechadinhos e lábios emitindo melódicas gargalhadas. Como eu era um maldito sortudo. Aos poucos fui parando e voltando a deitar ao seu lado. Meus braços envolveram seu corpo, embalando aquele pacotinho fofo num abraço gostoso e apertado.


— Sei que às vezes coisas não são nada fáceis para nós, mas devagarzinho conseguiremos nosso espaço nesse mundão, tá? – A mãozinha fofa de dedinhos gordinhos traçava um caminho acalentador por cada traço dos meu rosto.


— Eu te amo, meu Ji. Tanto, tanto. – Meus lábios fervilhavam ao se encontrarem repetidas vezes contra os seus. — Você foi o caminho que eu precisava para encontrar a felicidade. Obrigado por aturar esse desastrado, meu loirinho.


E no fim tudo se tornava mais doce quando tínhamos um ao outro.

24 de Julho de 2018 às 19:40 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

ℓσσℓє 21 anos • Minjoon | Namgi | Jikook | Showho • mesmo user no spirit ♡

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~