8
4931 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

one

Eu ainda lembro o dia em que você chegou à cidade, todo mundo só falava sobre aquilo, porque, afinal, era uma cidade pequena, e ninguém nunca entrava ali, apenas os adolescentes que haviam se formado e queriam fazer uma faculdade na capital que saiam.


Sempre achei que essa fofoca toda fosse besteira; mas aí, Taehyung, meu melhor amigo —possa se dizer assim— disse que a família Jung, que estava se mudando ali, iria abrir um pequeno mercado no centro da cidade e já haviam placas de contrata-se na frente da loja.


A voz da minha mãe dizendo que eu era um adolescente preguiçoso que só sabia ficar em casa o dia inteiro jogando videogame e comendo porcarias brotou na minha cabeça e a próxima coisa que eu me lembro é de estar na frente da loja — com meu uniforme da escola totalmente amarrotado, — segurando o panfleto que Taehyung havia me dado sobre a vaga de emprego e fitando a faixa de Fechado na frente.


Uma mulher não tão alta saiu pelas portas de vidro e me encarou com um sorriso leve.


Você está aqui pela vaga de emprego, querido?” foi o que ela perguntou, e eu sorri de volta, aquela mulher era simpática demais para não sorrir.


Eu balancei minha cabeça em sinal positivo e ela viu o panfleto na minha mão e o meu uniforme da escola.


“Você precisa pedir para um dos seus responsáveis te ajudar a preencher isso” ela me entregou uma folha de sulfite que parecia como uma autorização escolar, mas na verdade era uma ficha de emprego “e trazer aqui amanhã, está bem?”


Agradeci a ela e fui para casa.


Quando a minha mãe chegou, ela parecia mais feliz do que tudo ao ouvir que eu tinha ido atrás de um emprego. Ela se sentia incomodada com a ideia de seu filho estar em casa o tempo todo igual um vagabundo, não acha?


Em menos de uma hora aquela folha que a senhora havia me entregado pela tarde estava preenchida e no dia seguinte eu estava no mesmo lugar e, se não me engano na mesma hora.


Só que dessa vez, a placa estava dizendo Aberto, acabei entrando dentro do pequeno supermercado (que na verdade, estava mais para um lugar com várias prateleiras e de um tudo sendo vendido).


E foi quando eu vi você, Hoseok, com aquele sorriso brilhante, falando com a mesma senhora de antes enquanto arrumava alguma coisa nas prateleiras.


A primeira coisa que se passou na minha cabeça, é que eu nunca havia visto alguém brilhar tanto em toda a minha vida.

12 de Julho de 2018 às 21:20 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo two

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!