Limbo Seguir história

azarashionna Azarashi Onna

Não há como pecar e não ser punido. A insanidade não isentou Shisui. Sua punição seria tão dolorosa quanto a dor que seus crimes geraram. [Continuação da fic Amanhecer Sangrento da @Vany-chan734 | ShiIta | Angst]


Fanfiction Para maiores de 18 apenas.

#itachi #shisui #shiita #amanhecer-sangrento
Conto
3
4925 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único

Notas: Olar. Essa é uma continuação da fic Amanhecer Sangrento, da @Vany-chan734. Fiaaaa, finalmente te dei sua fic. Espero que goste do dramalhão.

Obrigada a Karol Karambola que me ajudou a dar uns retoques finais na história.

E se você não leu Amanhecer Sangrento, recomendo lê-la antes de ler Limbo.

-

Sanguis meus tibi non iam perbibendus sit

Macula aeternitatis, nunquam detergenda

Quisnam surget et deteget, imaginem veritatis?*


Enquanto observava a cena que deixara no jardim dos Uchiha, Shisui deu a si mesmo a sensação de dever cumprido.

Passou horas da mesma forma, se regozijando com o prazer de destruir tudo o que pertencia àquele que destruiu a sua vontade de viver.

Sentia o chakra de seus colegas da Akatsuki e tratou de se esconder. O que faria agora, com a vingança consumada? O grupo não era mais um problema seu. Não queria mais ninguém o amolando com ambições que de nada lhe serviriam. Shisui satisfez o único interesse que lhe restara na vida, pensando que seria o suficiente para compensar sua solidão.

A verdade é que ao ser consumido pelo ódio, já não haviam mais resquícios de sanidade dentro de si, e ele ainda não havia percebido. Pensava estar com a razão.

Perdeu a conta das horas que se passavam. Apenas sentia a satisfação tomar conta de si, falando sozinho, como quem busca uma aprovação de seu falecido amante. Somente a insanidade faria alguém pensar que aqueles atos repugnantes seriam aprovados por uma pessoa tão pacífica como Itachi, ainda mais com o irmão que tanto amava.

- Eu fiz certo, não fiz, Tachi? Agora sim eu consegui tirar essa dor de dentro de mim, você viu, Tachi?

Shisui estava deitado, estendendo a mão em direção ao céu enquanto permanecia no estado verborrágico. Queria que Itachi estivesse ali, correspondendo, estendendo-lhe a mão de volta.

- Como eu queria que você tivesse visto isso, Tachi... Você se orgulharia de mim?

Entre frases, Shisui gargalhava. A fome e a sede ficaram insuportáveis, não poderia ficar lá mais tempo como se não houvesse mais nada na vida. Apesar disso, as necessidades fisiológicas eram a única amarra do Uchiha nesse mundo.

Se levantou para ir embora, sem rumo. Conforme se distanciava cada vez mais do local de seus crimes, o vazio voltava a preenchê-lo, pouco a pouco.

Longe de tudo, foi à caça para se alimentar. Conseguiu capturar um coelho rapidamente, atirando uma kunai. Após retirar as vísceras do animal, acendeu uma fogueira com um jutsu de fogo e se pôs a assar a carne.

Lembrou-se de quando saía para missões com Itachi e em breves pausas, se alimentavam ao redor de fogueiras similares àquela. Mais uma vez, a dor e o vazio ganhavam espaço.

Como que depois de tudo ainda havia espaço para dúvidas? Matar Sasuke e sua família não era o suficiente?

- Jamais! - Gritou enquanto esfregava o rosto. - Tudo acabou, eu consegui! Eu consegui!

Esperava que com isso pudesse ver a imagem de Itachi à sua frente, sem sucesso. A realidade não mudaria, jamais veria Itachi no plano físico novamente.

Shisui apertou os dentes e socou o chão, machucando o próprio punho. As lágrimas rolavam pelo próprio rosto, e a dor em sua mão não era nada comparado ao que sentia por dentro. Suas unhas rasparam a terra, e de mãos sujas, levou pedaços de carne à boca, tentando matar a própria fome.

- Ainda hei de encontrar você, Tachi! Eu sei disso... Sei que você está se escondendo de mim, mas eu hei de encontrar!

Após terminar de comer, deitou-se próximo a fogueira para dormir. Repassava em sua mente as abominações que cometeu. Ria sozinho, e cada vez mais falava sozinho.

- Os bastardos tiveram seu fim... Por minhas mãos... Gostaria de repetir!

Gargalhou tão alto, que acordaria mesmo alguém com o sono mais pesado. Mas a única companhia que tinha ali era a solidão.

Sem poder distinguir o que era a loucura e o que era sono, visualizou a figura de Itachi do outro lado da fogueira. Se arrastou rapidamente em direção do amado, tentando abraçá-lo.

- Os deuses me ouviram! Os deuses me ouviram! Tachi... - dizia tentando beijá-lo, com as lágrimas rolando pelo rosto.

Entretanto, quando terminou de beijar o que acreditava ser Itachi, viu a figura de Sakura com a bebê no colo. Ambas pálidas e com a escuridão no lugar dos olhos, exalando um odor de putrefação.

- Valeu a pena? Shisui... - Era o que ele ouvia.

- Não! Vão embora! Vocês estão mortas!

Shisui tentava usar a kunai para atingi-las. Quando piscou novamente, não via mais nada. Sequer cogitou que pudesse estar louco.

- Eu preciso dormir. - Disse a si mesmo.

Entretanto, teve dificuldade para adormecer. Sua mente repassava os acontecimentos anteriores, até que conseguiu dormir.

Nem em seus sonhos teve o que queria, apenas vinham para lhe trazer a verdade que negava.

Sonhou que andava em um caminho nebuloso, no qual via Itachi de costas no final. Gritava pelo nome do amado, que não o ouvia. Tentava correr, mas mãos o puxavam para o submundo, no qual ouvia apenas gritos e sentia o ar indo embora dos pulmões.

Acordou ofegante, sentindo os batimentos cardíacos acelerados. Olhou ao redor para verificar se haviam inimigos à espreita, não encontrando algum.

O único inimigo de Shisui era si mesmo.

Tentou adormecer novamente. Conseguiu dormir bem por algumas horas, até que começou a sentir a presença de suas vítimas deitadas ao seu lado.

As mãos de Sakura e Sarada envolviam seu pescoço lentamente, até que começavam a asfixiá-lo. Tentava gritar por socorro, mas não tinha voz.

Ao perceber que se tratava de um sonho, tentava acordar, até que conseguiu. Estava novamente ofegante e com taquicardia.

Não fazia sentido. Em nenhum lugar da consciência de Shisui havia remorso. Então, por quê?

- Não é possível, você mata alguém para se livrar e eles continuam atrás de você. Por quê, Tachi??

Decidiu que iria ainda mais longe. Quanto mais distante, quem sabe mais longe estariam as almas daqueles que matou?

Aconteceu o contrário.

O Uchiha andou por dias. Correu. Quando não tinha mais energia, se rastejou. Mas mesmo assim, cada dia mais, era atormentado pela visão de Sakura e Sarada. A figura de Itachi não aparecia mais, e era aquela que ele mais desejava ver.

Escutava a voz de Sakura e o cheiro da bebê no pé do ouvido.

- Sua vida não tem mais sentido e você torna a tentar preenchê-la com vazio...

- Eu não estou vazio, maldita!!! - Shisui gritava em meio à floresta. - Tachi!!!

Shisui nunca conseguia acertar golpes nas suas vítimas. Elas já estavam mortas. Assim como Itachi.

Parou em frente a um rio. A água era tão limpa, que podia ver seu reflexo. Ficou imerso em sua imagem, ouvindo palavras dolorosas de si mesmo, enquanto o reflexo tomava forma e o envolvia em um abraço.

- Você sabe... Não adiantou nada. Não trouxe o Itachi de volta. Nunca mais o verá.

- MENTIRA! EU ME SINTO ÓTIMO! - Shisui gritou em resposta.

- Então por que esse sentimento não acabou? Me diga... Por que você fez isso comigo? Estamos acabados. Você pecou.

- Não! E eu vou provar isso! Eu vou!

- Não há lugar no paraíso para nós, Shisui... - A alucinação tentava puxá-lo pelos pés.

- EU VOU PROVAR! EU VOU ENCONTRAR O TACHI! EU VOU! - Shisui negava a verdade.

Sacou uma kunai e cortou o pulso esquerdo, gritando de dor. Enquanto o sangue derramava e ele percebia que precisaria demais para ir para outro plano encontrar seu amado e acabar com a solidão, cortou o outro pulso.

Estava tão impaciente, mesmo que seu sangue estivesse tingindo o rio de vermelho, que se esfaqueou várias vezes no abdômen, visando acelerar o processo. Gritou de dor todas as vezes, até que por fim, sentiu-se cada vez mais fraco e perdeu a consciência. Seus olhos se fecharam, sentiu-se engolido pela escuridão. Fez uma declaração antes de dar um último suspiro:

- Itachi.. estou indo até você.

Como quem despertava de horas de sono, Shisui despertou sentindo as dores de suas feridas.

Não via mais a imagem de suas vítimas o importunando, apenas a neblina que o cercava. Não escutava mais as vozes perguntando se valeu a pena, apenas alguns gritos de agonia e choros de longe, seja lá de quem fossem.

- Será que alguém me trouxe para a vila da Névoa? - Se perguntou em voz alta.

Apesar disso, não fazia sentido. Suas feridas ainda estavam no corpo, sentia as dores, mas não sentia a fraqueza física que sentiu antes de perder a consciência.

Shisui se levantou, e começou a caminhar, com dificuldades de enxergar, devido à neblina. O chão era todo irregular, cheio de pedras, provocando um tropeço.

- Que merda de lugar é esse? - Se questionou mais uma vez.

O Uchiha se recompôs. Continuou vagando até se esbarrar em uma figura conhecida. Ambos trocaram olhares igualmente hostis.

- Seu maldito. - Sasuke partiu para cima.

- O QUÊ? - Shisui não entendia o que Sasuke fazia ali.

Shisui tentou realizar um jutsu de elemento fogo, sem sucesso. Ambos não tinham armas, e se jutsus ali não funcionavam, algo havia de errado.

- Fala para aquela vadia da sua esposa parar de me assombrar!!! - Shisui gritou.

Sasuke estranhou os dizeres, e ainda mais emocionalmente afetado, pegou uma das pedras no chão e atirou em Shisui.

- A Sakura... Ela tinha uma alma pura. Ela deve estar no paraíso, jamais seria condenada a ficar perto de você!!

Shisui tentou mais algumas vezes realizar jutsus, se desviando dos golpes de Sasuke, que conseguiu chutar seu queixo, sendo levado ao chão.

Ao cair no chão, Shisui teve sua boca chutada por Sasuke.

- Seu filho da puta do caralho!! - Sasuke subiu no tronco de Shisui, socando seu rosto. - Eu nunca vou te perdoar!

Shisui conseguiu tirar Sasuke de cima de si, e conseguiu socar Sasuke de volta. Entretanto, o mais novo conseguiu enforcá-lo. Apenas servia para causar dor e agonia, não o mataria.

- Infelizmente não tem como te matar aqui, sua desgraça. - Sasuke se levantou.

- Onde estamos? - Shisui perguntou, se recompondo.

Sasuke olhou surpreso.

- Você não sabe? Estamos no limbo, eternamente. - Respondeu.

- Mentira. Você está mentindo, seu filho da puta. - Shisui retrucou, partindo para cima de Sasuke.

- Não estou mentindo, porra nenhuma. A única coisa boa é que eu morri ao invés de ficar no seu genjutsu. Naruto tentou me salvar, mas eu definhei. - Empurrou Shisui, e saiu andando na direção oposta. - Infelizmente tenho que ficar aqui para olhar essa sua cara imunda o tempo todo. Fico feliz de ver que você também vai ficar na merda.

- Vá se foder. - Disse Shisui vendo a imagem de Sasuke desaparecendo na neblina.

No limbo não há noção de tempo. Poderiam ter-se passado minutos, horas, meses, mas Shisui não saberia dizer, apenas vagava. E nem sua estadia nesse lugar o fez mudar de ideia sobre seus atos, o motivo de estar no limbo.

- Eu não consigo achar o Tachi.. eu não consigo!

Gritou. Socou o chão novamente, chorou. Sentiu-se humilhado.

- Eu quero o Tachi!!! - Dizia entre soluços e lágrimas.

Tudo o que você pede aos céus, os céus dão a você.

Shisui se levantou e continuou a vagar. Chegou num ponto onde a neblina se dissipou e ele pôde ver de longe uma silhueta conhecida, que tanto queria ver.

Não estava crendo, depois de tanto tempo sem vê-lo. Queria sair correndo ali mesmo, tocá-lo, abraçá-lo, a felicidade não cabia dentro de si.

- Tachi! Tachi!!! Você... - Gaguejou enquanto tentava gritar.

Porém, como naqueles sonhos onde você tenta alcançar alguém e a pessoa só parece mais distante, Itachi ficava longe de Shisui, não voluntariamente.

Por um breve tempo, eles ainda poderiam ter uma conversa. Itachi escutou a voz de seu amante e respondeu.

- Shisui...

- Por quê eu não consigo chegar perto? Tachi...

Itachi estava indeciso entre felicidade por ver seu amado e tristeza pelo que Shisui tinha feito de tão repugnante. Ele estava ciente.

- Por quê você fez aquilo, Shisui?

Shisui impulsivamente começou a responder: - Porque eles mereciam, Tachi!

- Você não tinha que ter feito aquilo. Eu só estaria esperando por você... Você... Sabia que eu nunca quis o mal deles...

Shisui engoliu em seco. Tentou correr em direção a Itachi novamente, mas não adiantava, a distância entre eles nunca diminuía.

- Sasuke tirou o meu mundo de mim, eu queria tirar o dele...

Itachi ficou cabisbaixo. Apesar de tudo, era uma pessoa pacífica e nunca cairia na maldição do ódio.

- Eu te perdoo.

- Será que a gente pode virar a página e ser feliz aqui, Tachi?

- Eu acho que não...

Também como em sonhos, quando Shisui tentou rebater, não tinha mais voz. Tentava desesperadamente convencer Itachi, que percebeu seu desespero ao não entender o que estava acontecendo.

- Creio que sua punição é eu ser inacessível a você... Se ficaremos aqui pela eternidade, nunca mais poderemos ficar próximos um do outro.

Shisui caiu no chão e chorou desesperadamente. Não tinha mais voz para gritar, mas Itachi sabia o que ele devia sentir naquele momento. Só tinha uma explicação para aquilo.

- Acho que não podemos ficar juntos aqui, porque seu pecado foi maior que o meu...

A neblina engoliu Itachi. A eternidade seria cruel para ambos. Nesse mundo, não se peca sem castigo.

Dizem que limbo é um local para não-pecadores. Mas o pecado de Shisui foi tão abominável, que era a única maneira de ser punido à altura.

9 de Julho de 2018 às 02:06 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~