jimin-ssi Jimin ssi

Taehyung só tinha uma missão: Não matar seu primo até o final das duas semana que o teria em sua casa, mas quem disse que Jeon Jungkook iria facilitar? |Taekook| |+18| |Short Fic| |Plágio é crime||Postado no Social Spirit @Taehukie|


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#topjk #bottomtae #vkook #taekook
22
4.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Um

Taehyung estava exausto. Um trapo, como diz seu amigo. Uma semana cheia de provas faz isso com uma pessoa, ainda mais, provas da faculdade. Uma atrás da outra, sem descanso, sem tempo para respirar. Covardia. Era o que o loiro achava disso. Mas sabia que era necessário e que logo acabaria aquelas tortuosas semanas de testes. Porém, não deixava de estar um caco.

Assim que o sinal tocou, Taehyung foi o primeiro a sair da sala. Havia acabado de fazer um teste sobre a história do teatro e sua cabeça e mãos estavam doendo. Nunca pensou e escreveu tanto numa prova quanto fez nessa.

Pôs sua mochila preta com detalhes verdes nas costas e foi em direção ao pátio. Lá estavam todos os estudantes. Os que cursavam música, os que faziam teatro consigo, os pintores e os dançarinos. Uma das coisas que mais amava sobre a faculdade de música era a diversidade. Você via singularidade de cada pessoa, cada estudante. Eles eram originais, descolados e com um estilo próprio.

Falando em originalidade, seu amigo de infância, estudante de dança, cabelos vermelhos e com um metro e meio, palavras de Taehyung, vinha em sua direção. Eles eram amigos desde de sempre, e o mais novo admirava o outro, uma vez que “Quando crescer quero ser igual a você, Jimin-hyung. “, o que lhe ocasionou alguns palavrões e lugares para ele visitar.

O mais velho chegou perto de Tae e lhe abraçou como de costume, “E aí, dongsaeng?” perguntou.

“E aí, hyung? Pronto para as férias? Nem acredito que chegou.” disse passando o braço no ombro de Jimin, abraçando-o de lado.

“Eu tô sempre pronto pra fazer exatamente nada.” disse sorrindo.

Os dois se encaminharam para fora da faculdade ainda abraçados. “Então seu primo realmente vai ficar na sua casa?” perguntou enquanto andavam pela calçada. A casa dos dois era para a mesma direção.

“Duas semanas, hyung. Duas looongas semanas.” disse, estendendo a letra O.

“Ah, fala sério, Taetae, ele não é tão ruim assim, vai!” tentou consolar o mais alto.

“Não, ele é pior!” falou em tom de choro tirando uma risada do ruivo.

“Só você, ‘saeng” brincou ainda rindo “Mas não se preocupe, eu vou te visitar nesses dias difíceis.” debochou, o que fez o mais novo simular uma cara de ofensa.

“Você ri, porque vai ficar as férias inteiras com o bonitinho do Min e eu com aquela cobra em casa.”

“Eu não vou ficar as férias inteiras com o Yoongi, e você só vai ter que aturar o Jungkook enquanto seus pais e os deles estiverem viajando.” explicou enquanto arrumava a mochila nas costas, ficaria satisfeito por não carregar aquele peso durante *dois meses. “Aliás, porque seus pais e seus tios estão viajando mesmo?” perguntou.

“Reconciliação. Minha mãe e minha tia tinham uma treta muito antiga e elas se resolveram. Minha tia começou a namorar o meu tio e parou de sair com a minha mãe e dar atenção pra ela, minha mãe ficou ‘pistola com ela e as duas pararam de conversar. Por esses dias, elas se resolveram viajar e deixar os filhos em casa. Mas como o meu “priminho” é muito responsável, meus tios não confiam em deixar ele sozinho, e com razão. Aí a criatura vai pra minha casa. Já deve estar lá aliás.” disse enquanto chutava algumas pedrinhas.

“Eles têm medo que ele leve gente pra casa?”

“Na verdade, pelo o que eu sei, o Jeon não é muito de ficar com muita gente. A minha tia reclama que ele sai muito com os amigos, mas nunca falou sobre ele ter levado gente pra casa deles. É um cafajeste com poucos corações quebrados na prateleira.”

“Cafajeste?” Jimin riu do termo.

“É, não é porque ele não fica muito que significa que ele não tenha ficado. Aquela peste a famoso entre os meninos e meninas. Mas porque a gente tá falando dele mesmo?”

“Você que está.”

“Não estou mais então.”

Eles andaram mais um pouco e logo chegaram na casa de Taehyung. O mais novo abriu a porta, os dois entraram e foram para a cozinha. Lá estava a mãe do castanho.

“Mãe, cheguei!” avisou enquanto entrava no cômodo.

“Oi, filho. Oi, Jimin.” comprimentou os dois enquanto fechava uma Tupperwere com comida.

“Oi, tia” respondeu sorrindo.

“Filho vai comprimentar seu primo, ele tá lá na sala, aproveita e leva o Jimin pra conhecer ele.”

“Não vou dar esse desgosto pro Jiminie.” disse com ironia.

“Deixa disso, Kim Taehyung, ele é da sua família.” repreendeu.

“Você é da minha família, omma. Ele é um parentinho daqueles que você não lembra o nome no natal.” disse.

“Assim você me ofende, Taehyungie.” Taehyung se surpreendeu com a voz que se intrometeu na conversa. Ele sabia de quem era a voz, lógico que sabia.

“Ah, me desculpa ofender seus sentimentos, priminho. Não foi a minha intenção.” falou com deboche.

“Meninos, sem briga, temos visita.” repreendeu a mulher.

“Não tem problema, tia.” Jimin respondeu com o sorriso doce. Não conseguia não sorrir doce para mãe de Taehyung, ela era sua segunda mãe.

“E quem é essa belezinha aqui?” Jungkook disse olhando para o ruivo que se assustou com as palavras, arregalando os olhos.

Taehyung se aproximou do mais velho e o segurou pelos ombros “Esse é o meu amigo e se você quiser continuar com as duas bolas é melhor nem pensar em se aproximar dele. Ele não é qualquer um que você tá acostumado a pegar.” disse olhando para o primo e logo após se virou para o mais baixo “Acho que é melhor você ir né, Jiminie? O ar aqui está tóxico.” O arrastou para a saída.

“Para com isso, Taehyung” Onde estão os bons modos?” quase gritou com o filho.

“Eu já estava de saída mesmo, tia. Tchau!”

“Tchau, gracinha.” Jeon piscou para o mais velho que corou. Taehyung fechou a porta e praticamente rosnou para o mais novo.

“Se você se aproximar dele eu acabo com você, tá me entendendo? Pega qualquer um que você quiser, deixa o Jimin em paz!” essa foi uma das únicas vezes que o Kim falou tão sério na sua vida. A ideia de ver seu hyung cair nas garras do seu primo sacana lhe assustava e muito.

“Vejo que começamos bem!” ironizou a mais velha vendo a confusão entre o filho e o sobrinho.

O castanho bufou e foi para o quarto. Trocou de roupa e deitou. Ficou um bom tempo mexendo no celular até escutar a porta abrindo e sua mãe entrando.

“Filho, eu já estou indo, vou pegar seu pai na empresa e vamos direto para o aeroporto. Tem comida na geladeira.” a mulher passou as instruções para Taehyung e ele desceu até a entrada da casa para ajudar a mãe com as malas e se despedir.

“Tchau, mãe. Vai com Deus e fala pro pai que eu amo ele. Da um beijo nos tios por mim.” disse abraçado com sua mãe.

“Amém, filho. Falo sim. Se cuida e toma conta do seu primo.” falou e riu da cara de desgosto do outro quando falou do sobrinho “Vocês ainda vão se acertar, além do mais, ele é bonitinho, aproveita.” piscou para o filho e entrou no carro.

“MÃE!”, mas já era tarde, sua mãe já havia dado partida no automóvel. Taehyung acenou pela última vez e entrou em casa.

“Agora somos só eu e você, priminho.”

2 de Julho de 2018 às 13:49 0 Denunciar Insira 4
Continua…

Conheça o autor

Jimin ssi Perfil no spirit: @Taehukie

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias

Manipulador das Sombras Manipulador das Sombras
Um café com amor... por favor Um café com amor... ...
Be Yours Be Yours