Love At First Sight? Seguir história

cutie_eonnie Cutie Unnie

[Sobrenatural] Uma vida cheia de segredos e mistérios rondavam a vida dela. A morte do seu pai, a sua repentina ideia de mudar de cidade, tudo havia acontecido muito rápido... De garota mimada ela passou a ser uma adolescente cheia de demônios pessoais. Mas para seu alívio ela conheceu seu guardião, Gradel, o garoto mais doce e gentil que teve o prazer de conhecer em toda sua vida . Ele a ajudou em seus momentos mais difíceis e nunca poupou esforços para fazer ela se sentir bem.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#Protetor #escolar #anjo #sobrenatural #v #taehyung #bts
3
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Beginning

S/N On

[...] “Está tudo tão escuro, porque não consigo me mexer??” – Começo a me debater tentado me soltar do que quer que fosse que estava me segurando.

- Calma vadiazinha, quem disse que você poderia sair? – Ouvi uma voz feminina familiar logo atrás de mim.

- Quem é você e o que pretende fazer comigo?? – Pergunto ainda forçando meu corpo tentado me soltar do que parecia ser uma corda.

- Você é uma vaca idiota né?? Não consegue nem me reconhecer – ouço a outra rir sínica, e logo depois se afastar ligando a luz...

- Você?? – Pergunto não acreditando no que estava vendo.

- Parece que alguém finalmente me reconheceu, mas isso não importa não é mesmo eu só quero te fazer sofrer do mesmo jeito que fiz com seu pai. – Ela pega uma faca e enfia em minha barriga [...]

Acordo chorando e suada pelo pesadelo que acabei de ter, ouço meu despertador e me levanto ainda a contragosto, esse pesadelo com certeza iria me atormentar pelo resto do dia. Pego algumas peças de roupa e me dirijo ao banheiro, tomo um banho, coloco a minha roupa e me vou para a cozinha.

- Mas que merda! – Solto ao tropeçar na escada que ia direto para a sala.

- Parece que alguém acordou de mau humor hoje – Diz o garoto saindo da cozinha.

- Não enche – Falo tacando uma almofada que estava próxima de mim e rindo da cara do mesmo.

- Isso é jeito de tratar seu Oppa? Estou magoado com a sua falar de educação– Diz ele fazendo drama e logo depois me puxando para a cozinha. – Agora quero ver um sorriso nesse rosto e não essa cara de quem comeu limão. – Disse apertando minhas bochechas, me causando uma risada anasalada.

-Aigo, já disse para não ficar me apertando Gradel, não sou mais criança – digo formando um pequeno biquinho em meus lábios

- Tão fofa... já disse que vc é péssima em esconder coisas? Porque você é... teve mais um daqueles pesadelos né? – Confirmo com a cabeça – Não se preocupe são apenas sonhos ninguém nunca teria coragem de encostar um dedo em uma pessoa tão fofa como você. – Ele diz me envolvendo em um abraço rápido. – Agora come porque saco vazio não para em pé.

- Tá bom “Omma” – Digo rindo e finalmente tomando meu café.

“Gradel sempre tão fofo, tenho sorte de ter encontrado ele. Ele me ajudou tanto quando me mudei para o Atlanta”

Flashback on

Estava entrando em um avião indo para EUA, não tinha nenhum plano, nenhum lugar para ficar. Depois do que houve com meu pai decidi pegar minhas coisas e ir para o mais longe possível daquela confusão.

-Com licença– Disse um garoto parado em ao meu lado, ele com certeza era Americano.

- Ah! Claro. – Disse me esquivando um pouco para que o mesmo sentasse na no banco ao meu lado.

- Oi, me chamo Gradel. – Disse o garoto estendendo a mão após se ajeitar no banco ao lado do meu.

- Oi, prazer S/N – Disse aceitando seu cumprimento.

- Você não é americana? – Perguntou o Gradel puxando assunto.

- Não, sou brasileira e você?

- Americano, mas meu pai também é brasileiro. Está indo visitar os EUA?

- Não estou me mudando para lá.

- Vai morar onde?

- Não acha que está sendo um pouco curioso. – Digo fazendo o mesmo arregalar os olhos. – Calma só estava brincando – falo dando uma breve risada. – Pretendo morar em Atlanta.

- Sério? Eu moro lá a um ano, é uma ótima cidade. Já tem lugar par ficar?

- Não, eu morava com meu pai no Brasil, porém ele morreu algumas semanas atrás então eu só peguei minhas coisas e começar uma nova vida em outro lugar. Mas e você, o que estava fazendo no Brasil?

- Meus pêsames. Bom, eu vim junto com meu pai, ele é dono da Building Architects e recentemente o CEO da filial brasileira faleceu então ele veio resolver algumas questões burocráticas.

“Só podia ser brincadeira “Building Architects”? ”

- Você disse Building Architects?

- Você conhece?

- Sim, meu pai era o CEO da filial brasileira.

- Eu sinto muito, então você é a filha do N/P? Espera você disse que não tinha lugar para ficar, não é? – Afirmei balançando a cabeça. – Você pode ficar comigo. – Ele disse animado me fazendo olha-lo assustada. – Quer dizer, eu estava procurando mesmo um colega de quarto, meu pai praticamente me expulsou de casa dizendo que eu tinha que ser responsável, ele até me deu um apartamento, mas morar sozinho é um pouco mais chato do que parece – Disse, olhando para baixo.

- Você tem certeza disso? Quer dizer nós acabamos de nos conhecer.

- Bom, até onde eu sei meu pai considerava vocês como parte da nossa família, não vejo motivo para não confiar em você, e você pode me considerar seu melhor amigo e irmão a partir de agora, então estamos combinados? –Disse sorrindo estendendo a mão e sorrindo.

- É acho que sim. – Disse apertando a sua mãe e sorrindo novamente.

Flashback off

“O Gradel realmente cumpriu o que disse, desde então ele cuida de mim como se eu fosse sua irmãzinha. Ele até atura o meu lado chato e marrento”

- S/N, S/N! – Disse Gradel balançando a mão na frente ao meu rosto.

- Ãn? O que você disse? – Disse o olhando confusa.

- Parece que alguém estava no mundo da lua – Ele disse rindo.

- Não estava no mundo na lua, estava pensando em como você é legal.

- Hahaha, falando assim nem parasse a menina que diz palavrão logo depois que acorda. – Disse debochando de mim. – Mas agora senhorita “estava pensando em você” acredito que você deveria se arrumar e ir para a escola ou vai se atrasar, não que isso seja alguma novidade, mas estou cansado de ouvir seus professores me chamando de irresponsável.

- Ai meu Deus! É verdade. – Digo saindo rápido quase caindo da minha cadeira.

- Ei! Tome cuidado.

[...]

Já no meu quarto peguei meu uniforme, que consistia em um saia xadrez, camisa branca combo brasão da escola, meias ¾ e um sapato preto, típico de escola particular.

- - - - - Q.T - - - - -

O caminho até a escola tinha sido tranquilo, mas a sensação ruim que aquele pesadelo tinha me trazido ainda estava presente.

Já na entrada da avistei as pessoas que eu mais odiava e talvez o grande motivo pelo qual eu odiava ir para a escola. Selina, Diane e Claire, as garotas mais populares do colégio, acham que todo mundo era inferior a elas, sei que parece um daqueles clichês de filme adolescente e de fato era só que real, em pensar que eu era como elas que fiz coisas piores que elas.

Passei por elas sem nem mesmo olhá-las, logo ouvi o sinal soar nos lembrando de irmos para nossas salas e assim eu fiz.

- Vejo que você finalmente chegou no horário senhoria S/N – Disse minha professora de matemática.

- Quis cumprir o horário só para variar, e também o Gradel não aguentava mas você ligando para ele. – disse debochada dando de ombros.

- Cheia de gracinhas, tá querendo ser mandada para diretoria mais cedo hoje? -apenas revirei os olhos, e sentei em meu lugar vendo a professora bufar irritada.

- Quero todos em seus lugares e em silêncio – disse ela chamando a atenção de todos. – Teremos novos alunos em nossa sala, eles foram transferidos de um colégio coreano, espero que os tratem bem. – Disse assim que dois garotos entraram na sala.

Eles eram bonitos, muito bonitos, tanto que tiraram gritinhos histéricos e suspiros das meninas da minha sala, quanto a mim apenas os observei enquanto tentava manter minha boca fechada.

- Olá eu sou Kim Taehyung – disse o mais antigo dos dois santo um sorriso quadrado, que logo desapareceu quando ele me olhou.

“Garoto estranho, tem alguma coisa em mim por acaso?”

- Oi eu sou Jeon Jungkook, irmão desse estranho aqui – disse tirando risadas da sala e do mesmo, revelando seu dentes levemente salientes, que faziam o mesmo parecer um coelho.

- Fofo – eu soltei sem nem ao menos perceber, fazendo ele me olhar. “Droga eu só pago mico”

- Podem se sentar ali – disse a professora apontando para as cadeiras que ficavam próximas de mim. “o universo só pode estar de brincadeira comigo”

Durante toda a aula eu senti o olhar do tal Taehyung queimar minhas costas. “Já entendi que você viu algo em mim mas não precisa tudo isso também”.

[...]

Finalmente havia terminado a aula, eu não aguentava mais ficar naquele lugar. Como o tempo estava bom decidi ir andando mesmo, minha casa não ficava muito longe.

Durante o percurso eu tive o estranho sentimento de estar sendo seguida, mas todas as vezes que olhei para trás não vi nada “que legal, estou paranoica agora”... “Ou talvez nem tanto”, pensei assim que que vi um grupo de garotos me seguindo. Aumentei a velocidade do meus passos e eles também.

“Droga, mil vezes droga, porque eu quis vir andando mesmo?”

Naquele momento eu já estava correndo, mas não conseguia despistá-los, até que ouvi gritos e os garotos simplesmente desapareceram.

2 de Julho de 2018 às 03:42 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Fighting For a Stranger

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas