Insaciáveis — Jikook Seguir história

queen_of_lemon Briell QueenOfLemon

JungKook parecia ser só mais um garoto normal com poucos 16 anos, mas escondia um apetite sexual que poderiam julgar mais alto que o normal para a sua idade. E claro que, como o adolescente que era, não disperdiçou a oportunidade de mudar o trajeto da própria escola junto de seu melhor amigo, para se aventurar pelo desconhecido com dois estranhos. PWP - Lemon Jikook - Vhope - Vmin - Hopekook


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#jikook-bts-jimin-jungkook-lemon
40
5647 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

 

 

POV Jungkook

 

 

— Vai ficar me ligando toda manhã agora é?


— "Sim senhor, pra ter certeza que você não vai se atrasar de novo."


— Tae.. Eu não vou me atrasar.... Aaarh... De novo.. Eu... Ahhr..


— "Jungkook eu não acredito que você ta se masturbando enquanto fala comigo, de novo!"


— Tae... Sabe que não consigo levantar antes de fazer isso.... Aah..


— "Sabe que ta ficando viciado nisso né?"


— Eu sei.... Meus dedos não estão sendo o suficiente... — brincou.


— "Jungkook!!! Me poupe!"


— Preciso de algo maior.... 


— "CHEGA! Olha eu vou desligar, espero que esteja pronto antes das 07:00, ou vou invadir sua casa e te arrastar pelos cab...."


— Huuumm... 


— "JEON JUNGKOOK EU TE ODEIO. — Desligou.

Joguei meu celular de lado, enquanto me contorcia nos lençóis, e gemia abafado, com o rosto no travesseiro, e as mãos entre as pernas."


 O suor descia descontrolado, por minhas têmporas. Precisava terminar logo com aquilo ou Taehyung me mataria. 

 

Minhas mãos trabalhavam rápidas,  uma envolvia meu membro, enquanto a outra me penetrava três dedos, tive que ser rápido, o mas rápido possível, mordi os lábios contendo um gemido alto, que com certeza acordaria meus pais, e senti os jatos quentes em meu peito, enquanto sentia meu interior comprimir meus dedos.


Respirei fundo permitindo todo ar antes preso nos pulmões, saír descontrolado.


Fazer isso toda manhã já estava se tornando um hábito cada vez mais incontrolável pra mim. Começou com uma pequena curiosidade de me tocar logo de manhã cedo. Sempre acordava duro mas nunca tinha pensado em resolver o problema ao invés de tomar um banho frio.


O horário e o silêncio só contribuíram para meus hormônios entrarem em ação. Me ver sózinho em meu quarto somente com o som da minha respiração acelerada e a calça moletom abaixada até os joelhos enquanto me tocava de todas as formas por debaixo dos lençóis, tinha se tornado minha melhor rotina, e já não me via levantando da cama antes de fazer isso.


Levantei rapidamente, sentindo uma leve tontura, pela rapidez, entrei no banheiro, tomei uma ducha quente, e fiz minha higiene necessária.


Já eram 06:40, quando sai do banheiro, corri para frente do guarda roupas, pegando minha farda e vestindo rapidamente. Reparti meus cabelos negros, ao meio, e delineei meus olhos como sempre fazia todas as manhãs, deixando-os marcados. 


Desci rapidamente pegando uma maçã na fruteira, e jogando a mochila nas costas. Assim que sai de casa meu “vizinho barra melhor amigo barra troca saliva - e outras coisas mais - das tardes de tédio” já me esperava de braços cruzados na calçada.


— Você está atrasado 5 minutos.


— Eu sei foi mal, demorei de achar um objeto grande o suficiente.. — Brinquei e recebi um tapa em troca.


— Yaa jungkook, pelo amor de deus.


— Quê? Vai dizer que não faz o mesmo? — Disse enquanto começávamos a andar .


— Não, não faço, sabe que tenho os utensílios certos.


— E até hoje espero você ir lá em casa pra usa-los de novo. — Ri provocando.


— Você tá virando um maníaco sabia?


— To começando a perceber também, mal consigo andar direto, ou me sentar, ou quando alguém esbarra em mim, meu corpo todo se arrepia e eu já começo a pensar em coisas... Imaginar cenas e situações quentes.. em todo tipo de lugar e pessoas, sei lá, meus hormônios estão descontrolados.


— Você precisa de um medico isso sim.


— Você tem razão, mas é capaz de eu transar com ele também. — Ri jogando o talo da maçã, fora.


— Yaaaaa jungkook! Fala serio.

 

...

 

Chegamos finalmente na estação de trem que não era tão distante de nossas casas, e ficamos na fila esperando o mesmo.


 A estação estava cheia, aquele horário era dos estudantes e os trabalhadores, com certeza nos atrasaríamos muito hoje, o trem ainda passaria pelo subúrbio do bairro, um lugar perigoso, e longe.


 Nosso colégio ficava a sete paradas, estávamos ferrados, já estava cogitando na possibilidade de não irmos mais, quando ouvimos o apito da locomotiva se aproximando.

Assim que os passageiros do mesmo desceram, nós entramos calmamente, escolhendo nossos acentos já perto da porta. Alguns minutos depois, a locomotiva já  percorria os trilhos.

...

— Tae.. — Sussurrei me aproximando.


— Quê?


— Olha aquele coroa.. — Mostrei com o olhar, o homem de terno e gravata que me encarava.


— O que tem?


— Ele tá' olhando de mais pra gente.


— E dai?


— Vamos? — O encarei falando de uma forma que já deixava a entender o que eu propunha.


— É sério isso? — Me encarou incrédulo.


— Claro, vamos, só um pouquinho. — Implorei esfregando minha cabeça em seu ombro como um gatinho.


— Aish certo, mas dessa vez vamos ser discretos. 


Eu e Tae já éramos acostumados a fazer esse tipo de brincadeira em locais públicos, sempre tentando tirar o juízo dos coroas e outras pessoas que demonstravam certo desejo ao nos secar de longe.


Como combinado de sempre, ele se virava pra mim apoiando seu braço no recosto do meu banco, e com a outra mão, começava acariciar minha coxa lentamente.

 

O rapaz do banco à frente (que era de lado) começava a observar cada movimento que a mão de meu amigo fazia, cada vez mais perto da minha virilha, em um massagear lento e insinuativo.


 Já eu mantinha meus olhos, provocativos presos, encarando os do homem engravatado, e este começava a suar, cada vez mais. 


Porém assim que meu amigo levou sua mão até o meio de minhas pernas, a voz robótica e feminina nos auto falantes, anunciou a próxima parada, despertando o senhor de seus pensamentos, e o fazendo se levantar e sair como muitos outros.


— Ah que chato.. Ele se foi tão rápido. — Disse Tae decepcionado já envolto pela aurea da brincadeira.


— Daqui a pouco encontramos outro. — Ri pondo os fones de ouvido, e dividindo a música que ouvia, através do meu infra, com o celular de meu amigo, como sempre fazíamos para ouvir a mesma música em ambos celulares.


Assim que o trem se movia novamente, a paisagem mudava aos poucos, já estávamos entrando no subúrbio, lá os prédios eram pichados, e as ruas cheias de carcaças de carros queimados, mendigos se amontoavam nas calçadas, e sem demorar paramos naquela estação, toda deteriorada, e estragada por grafite nas paredes.


O trem freou no trilho, fazendo-nos ouvir o rangido do ferro enferrujado soar, vários passageiros desceram, e uma grande quantidade de estudantes com uma farda de colégio publico, adentrou o local.


Começamos a cantar baixinho a música de rock, que tocava em nossos fones, e a nos balançar freneticamente no ritmo da música, enquanto riamos. 


 Tae fingia tocar uma guitarra, enquanto eu fingia movimentos de bateria, abri meus olhos assim que o refrão da música acabou, e notei dois pares de olhos no observando como se fossemos a graça da li.


— Tae... — Chamei sacudindo seu braço.


— Pera porra.. — Pediu não querendo ser interrompido na sua parte favorita da música.


— Tae para com isso.. — Pedi vendo os garotos - sentados no lugar onde antes o coroa havia sentado - rirem ao observar meu amigo empolgado com a música.


— Agora não caralh..


— Tae porra, olha... 


— O quê.. — Perguntou irritado tirando um dos fones.

Apontei com olhar para os garotos que nos olhavam e sussurravam um com o outro, olhei para meu amigo ao lado e o mesmo sorria fútil para os garotos.


— Para com isso, ta parecendo uma vadia sorrindo desse jeito. — Sussurrei vendo suas caras e bocas sexys.


— Me deixa, eles são muito gatos.


E parando para observar melhor, eram mesmo, os dois usavam bonés pretos, virados para trás, o da esquerda tinha alguns piercings, mas os dois, tinham várias tatuagens pelos braços e pescoço, eles vestiam camisas cheias de estampas de grafite, e eram cheios de anéis, e brincos. 

 

Subi meu olhar ao da esquerda, ele me fitava, e eu não desviei meu olhar, ele era sexy,  lhe mandei meu melhor sorriso sugestivo, e ele pareceu entender assim que sorriu de volta.


— O que você tava falando mesmo, sobre sorrir que nem uma vadia? — Disse Tae me encarando, vendo que eu flertava com o garoto do piercing no lábio.


— Cala boca.. — Disse entre dentes.


Notei os dois garotos sussurrarem e logo em seguida, o maior se levantou e veio em nossa direção, meu coração acelerou, e senti meu amigo cravar suas unhas em minha perna, em um sinal de nervosismo. 


— E ai, tudo tranquilo? — Disse o rapaz se sentando ao banco vazio a nossa frente, com um sotaque cheio de gíria.


 Tudo sim. — Respondi, já que meu amigo ficara mudo ao meu lado.


— Então... — Começou apoiando os braços nos joelhos para ficar mais inclinado e mas perto de nós dois. — Eu e meu amigo alí -olhou para trás- queríamos saber, se podíamos conhecer vocês dois. — Desta vez encarou meu amigo ao lado.


— Huum, e você e o seu amigo tem nome? — Tae perguntava cruzando os braços.


— Ah, foi mal, me chamo Hoseok, e ele.. PARK CHEGA AI... — Chamou, e o amigo pegou as duas mochilas, e se sentou ao lado do outro. — Esse é o Jimin. — Disse e o mesmo fez uma rápida continência com dois dedos.


— Hum.. Me chamo Taehyung, e ele é o Jungkook.


— Desculpa perguntar mais vocês são.... — O maior apontou pra nós dois sugerindo algo.


— Ahhh não, não, somos amigos. — Respondi.


— Aah que bom. — Riu.


— E então, veio só saber nossos nomes ou propor algo mais indecente? — Foi direto ao ponto, e o dei uma cotovelada.


— Taehyung!!! — Falei indignado.


— Você é rápido em. — Disse o mesmo rindo.


— Desculpe meu amigo, ele não consegue conter a língua. — Falei sem jeito.


— E você, os seus hormônios! — O fuzilei com o olhar, senti vontade de mata-lo naquele momento.


— Woow — Riu o mais baixo. — Te entendo perfeitamente. — Abriu um sorriso sacana. 


— Viu só Kookie, vocês tem algo em comum. — Disse sugestivo.


— Huuum... quem sabe um não resolve o problema do outro? — Disse o baixinho botando os braço atrás da cabeça.


— Não sei se tem capacidade pra isso. — Larguei.


— Woooooa .— Atiçou, o amigo ao lado com a mão sobre a boca.


— Me dê uma chance  e veremos.

 

Ri sacana, e já sentia o calor crescer em mim. Encarei meu amigo e ele parecia interessado também


— Então... Nós vamos descer na próxima parada. — Dizia o mais alto. — Se quiserem, sei lá... — Piscou um olho pra gente. — Beber algo, conversar..


— Pode ser. — Disse sem pensar.


— Agora? Kookie e o colégio? 


— Damos um jeito depois. — Disse e meu amigo concordou quieto.


— Então tudo certo, vamos. — Disse o mais baixo se levantando, e apenas concordamos.



Continua...


27 de Junho de 2018 às 17:24 3 Denunciar Insira 9
Leia o próximo capítulo Capítulo 2.

Comentar algo

Publique!
Sir_Jeon Sir_Jeon
Essa fanfic também é postada nowattpad??
7 de Junho de 2019 às 22:08
Ana Santos Ana Santos
Pow tem que continuar isso ta bom demais!
27 de Junho de 2018 às 19:40

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!