Amanhecer Sangrento Seguir história

vanychan734 Vany-chan 734

Depois de anos vivendo com o intuito de assassinar o irmão mais velho, Sasuke finalmente realiza sua vingança. Entretanto, seu primo Shisui, com quem Itachi mantinha um relacionamento, é consumido pela Maldição do Ódio ao perder o homem que amava e jura se vingar do primo mais novo. Anos mais tarde, a Akatsuki arquiteta uma invasão a Konoha e o mestre de genjutsu vê nesta ocasião a oportunidade para ter a sua tão sonhada vingança.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#vingança #Clã-Uchiha #Maldição-do-Ódio #Canon-Divergence #Nom-Massacre #UN #Infanticídio #inkdisney #deathfic #angst #estupro #Tortura-Psicológica #sasusaku #shiita #naruto
Conto
8
5710 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Amanhecer Sangrento

Esta fanfic está participando do Desafio do Inkdisney. A música tema que inspirou a fic foi Música no Ar, de Rei Leão 2. As fanarts do meu artista favorito (Surfaçage) tbm me inspiraram.

SE VOCÊ É SENSÍVEL, NÃO LEIA. Contém: estupro, infanticídio e tortura psicológica.

Pra quem ainda vai ler, vou explicar o contexto da fic: Sasuke não sai de Konoha, Sakura o pede para ficar e ele fica, no entanto, seus treinos são intensificados com Kakashi, Anko e com os outros Uchihas vivos. Sim, não houve um massacre Uchiha total, só os ninjas mais fortes foram assassinados por Itachi E Shisui, ambos são namorados e vão juntos para a Akatsuki. 

---------------------------------------------------

Os passos firmes de Shisui faziam estalos no chão do esconderijo. A Akatsuki havia se reunido para finalmente decidirem as missões de captura dos dois últimos jinchuurikis que faltavam – o oito e nove caudas. O Uchiha, como nukenin da Folha, ficou responsável por guiar Pain e Konan à Konoha e, assim, se infiltrarem para capturar Naruto; no entanto, o real objetivo de Shisui em tal missão era Sasuke e o clã Uchiha.

- Eu sei o que está pensando... – Obito surgiu de repente atrás de si, a voz normalmente abobalhada estava séria, denunciando sua verdadeira personalidade por trás da máscara laranja, a qual apenas Shisui, Pain e Konan conheciam.

- Então não me atrapalhe – avisou, parando de caminhar e permanecendo de costas ao homem.

- Eu não vou interferir em seus planos, mas lembre-se que nossa missão é o jinchuuriki da Kyuubi. Não irei tolerar falhas...

Shisui riu anasalado e olhou por sobre o ombro para o mais velho, sorrindo torpe.

- Eu não dou à mínima para a porra dessa organização e você sabe disso. Se eu precisar matar o jinchuuriki para o que eu quero, eu vou. E você não vai conseguir me impedir, Obito – Shisui manteve o olhar sério, ainda que seu tom debochasse do homem – Certifique-se de que seus homens farão o trabalho deles.

- Cuidado, Shisui... – o nukenin pronunciou a ameaça velada, mas o Uchiha continuou a ignorá-lo.

Ele caminhou para seu quarto na instituição e pegou o colar posto na cabeceira de sua cama, tocou a gargantilha de ônix com delicadeza e um sorriso mórbido se fez presente em seus lábios. O mimo que havia dado a Itachi em vida era a única lembrança que trazia consigo após a morte do amado, um meio para lembrá-lo do pior dia de sua vida: àquele em que Sasuke matou o irmão por uma vingança tola e, consequentemente, tirara a razão de sua vida.

O exilado colocou o colar no bolso de sua capa akatsuki e depois caminhou para fora, lembrando-se de seus momentos junto ao namorado na organização criminosa. Eles haviam tentado parar o golpe Uchiha, mas Shisui foi pego desprevenido em um ataque da corja de Danzou que impediu seu plano de manipular o clã, obrigando a si próprio e a Itachi a assassinarem os melhores ninjas Uchihas a fim de enfraquecerem o golpe e, infelizmente, Fugaku e Mikoto foram alvos da espada de Itachi.

Naquela noite, Shisui havia se oferecido para realizar a execução dos sogros, mas Itachi fora enfático em contradizê-lo e em assumir a responsabilidade de seus atos, o mais velho então cuidou do restante do clã enquanto o amado lidava com os próprios pais. Tal cena fora vista por Sasuke pequeno que jurou vingança ao irmão e foi assim que ele buscou o treinamento suficiente para isso durante a vida inteira.

Shisui sempre soube que Itachi era excecional e que, mesmo com treinamento, Sasuke jamais chegaria ao nível do gênio Uchiha; ele só não contava, porém, com o desejo suicida de Itachi em se deixar morrer para dar paz ao irmão. Os Uchihas amavam obsessivamente e foi preciso que o companheiro morresse para que o mais velho entendesse a sentença que sempre ouviu durante a infância dentro do clã.

O nukenin deveria ter presumido que a missão solo indicada por Itachi era uma maneira de mantê-lo longe da batalha que desejava travar, mas o namorado nunca havia lhe dado motivos para desconfiança e por isso seguiu as ordens. Contudo, quando já estava a quilómetros de distância, percebeu o clima mudar de repente e em seguida um enorme dragão de raios incidiu sobre o Santuário Uchiha, onde ele e Itachi moravam. O prodígio chegou a ver o pico do susanoo de Itachi e, mesmo utilizando-se do shunshin, não conseguiu chegar a tempo de evitar o destino do amante.

Encontrou o corpo ensanguentado de Itachi sob uma chuva intensa, deixando o sangue espalhar-se numa poça ao seu redor. Ele estava com escoriações, um olho roxo, a pele cheirava queimado e, ainda assim, possuía um sorriso nos lábios finos.

Shisui caiu de joelhos diante dele. Durante os primeiros minutos não conseguiu sair de seu torpor, mas quando o fez, tocou o amado como se aquilo pudesse trazê-lo de volta à vida para si. As lágrimas rolaram por suas bochechas impetuosas e se misturaram a chuva intensa, seu corpo tremia em choque, a respiração estava desregulada, e quando finalmente apertou o corpo magrelo contra o seu, implorando desesperado por algum sinal de vida do menor, sentiu seu mundo ruir.

- Itachi! Itachi, por favor, por favor, não me deixe – ele repetia de modo patético, o braço esquerdo segurava o primo ao passo que a mão direita afagava sua bochecha ensanguentada e o cabelo úmido – Vamos, baby! Tachi, por favor, você não pode me deixar! – sua voz saía desesperada e ele sentia vontade de vomitar bem ali.

A pele do mais novo estava gelada e Shisui sabia que não era efeito da chuva. Ele sabia que Itachi havia sido assassinado e que sem o amado não havia mais razão para se viver! Ainda desorientado, olhou ao redor do santuário e gritou por ajuda várias e várias vezes; mesmo que sua ajuda fosse algum gato ninja Uchiha, ele precisava tentar salvar o mais novo, mas não houve nenhuma ajuda – e tampouco se houvesse, Itachi não estaria vivo de qualquer forma.

- Itachi! Seu bastardo controlador, eu exijo que você volte pra mim! – as lágrimas grossas impediam sua visão, então simplesmente fechou os olhos e encostou sua testa na dele, começando a soluçar em desespero – Nós tínhamos planos, Tachi... por favor.

A chuva parou após horas, mas ele continuou a implorar e a tocar o corpo falecido. Não quis deixar o namorado, mas quando o amanhecer pintou as nuvens do céu com tons alaranjados e vermelhos, Shisui lembrou-se de Itachi dizendo que o amanhecer era sempre um bom momento para recomeçar e também para lutar por um ideal. O ideal de Shisui sempre foi seguir os passos do mais novo e estar ali para apoiá-lo quando precisasse; mas agora que estava sem ele, seu objetivo seria vingá-lo.

- Eu nunca vou te esquecer – sussurrou após beijar os lábios arroxeados – Eu juro que não vou. Ele vai pagar por isso, Tachi.

Shisui finalmente se separou do corpo falecido e sabendo que havia a possibilidade de alguém procurar pelos olhos de Itachi, arrancou os globos oculares dele e os guardou no bolso da capa, assim como retirou o colar de ônix que Itachi usava. Em seguida, as lágrimas cristalinas que escorriam por suas bochechas começaram a engrossar e a se tornarem vermelhas, as íris cinzentas deram lugar às carmesins e logo estava sangrando pelos olhos.

- Amaterasu.

O belo corpo de Itachi fora consumido pelas chamas negras e Shisui ficou ali até que o amante se tornasse apenas cinzas, as quais foram levadas pelo vento. Ainda as seguiu com o olhar, sabendo que uma parte sua estava sendo levada por elas e quando olhou novamente para as nuvens, sentiu-se destruído. Shisui sentia que havia um espaço vazio dentro de si e que jamais iria recuperar, mas não iria aceitar tal realidade tão facilmente. Não foi muito difícil, então, que nos minutos seguintes seu corpo tremeu de ódio ao pensar no que Sasuke havia feito, o primo tolo havia sido responsável pela morte do amado e o nukenin jurou que se vingaria dele por isso.

Até então, Shisui não estava sob a Maldição do Ódio dos Uchihas, mas naquele momento a fúria tomava conta de sua mente e de seu coração.

- Você destruiu meu mundo, Sasuke, e eu vou destruir o seu.

O sofrimento que Shisui estava sentido naquele momento não seria nada comparado ao que ele iria inflingir a Sasuke e isso era o que o motivava a continuar vivendo os dias seguintes, planejando minuciosamente sua vingança contra o caçula Uchiha.

Ele faria Sasuke se arrepender de existir. Esse era seu ideal de vida atual.

Ao sair do esconderijo, Pain e Konan já o esperavam, Shisui caminhou até eles e os guiou pelas nações ninjas. Durante o caminho, se disfarçavam usando henges e capas mais discretas, evitando chamar a atenção e atrair qualquer confronto desnecessário. Quando entraram no País do Fogo, Shisui sentiu a ansiedade em seu peito crescer com a perspectiva de finalmente ter Sasuke em suas mãos, então logo explanou seu plano de infiltração para os companheiros.

Quando estivessem a quilómetros de Konoha, Shisui acessaria a barreira ninja com o jutsu que Itachi havia lhe ensinado em vida, o que permitiria a eles uma entrada sigilosa. Depois, ele entraria na Vila pela floresta da Morte que cercava o distrito Uchiha, começando o ataque contra àqueles que um dia foram sua família. Konan, por sua vez, entraria pela frente, no portão principal de Konoha e começaria a eliminar os ninjas ali, servindo como chamariz; adiante estavam o hospital e a Academia Ninja, os quais deveriam ser alvos de sua destruição também. E por último havia Pain, ele deveria entrar pela cadeia montanhosa que cercava a Vila e de lá invocar seus clones, tendo como prioridade destruir as celas da ANBU, libertando os presos para causar o caos na Vila, e depois seu foco seria a Torre Hokage.

Era um plano bom, atacariam por todos os lados e os shinobis não teriam tempo de salvarem os civis, dessa forma fariam um verdadeiro ataque às estruturas da Folha, a derrubando por completo. Em meio a isso, era óbvio que Naruto tentaria pará-los por causa de seu senso de herói irracional, mas Pain cuidaria dele e seus clones se responsabilizariam pelos outros shinobis da Vila. O líder da organização concordou com o planejamento e avisou que eles deveriam sair de Konoha em três horas após invadirem, porque depois desse tempo iria destruir a Vila com seu ataque final, o Shinra Tensei. Shisui concordou sorridente, sabendo que três horas seriam mais do que suficientes para si.

Quando atravessaram a barreira ninja de Konoha, cada um dos nukenins seguiu uma direção. Shisui viu o céu começar a clarear quando se infiltrou na floresta da Morte e assim que ele aterrissou no telhado de uma das casas Uchiha, o prodígio observou as nuvens com a mesma coloração de quando Itachi fora morto.

Eu vou vingá-lo, Tachi!

Os olhos cinzentos se tornaram carmesins assim que o primeiro estrondo de explosão na Vila fora ouvido e Sasuke saiu de sua casa em direção ao centro da Vila, que agora era um campo de batalha para Konan.

Shisui sorriu sádico com a brecha. Assim que o atual líder do clã cruzou os portões, sua chacina começou. Haviam casas adormecidas ainda, mas conforme ele se infiltrava e aniquilava a população despreparada, ninjas anbu apareciam para tentarem impedi-lo. Alguns reconhecia serem pertencentes a raiz ANBU, aqueles mesmos homens e mulheres que o haviam atrapalhado no passado e então não deve piedade. Ele desmembrou, queimou e decapitou todos os shinobis que apareciam diante de si. Em meio ao massacre, porém, ele se perguntava onde estava Danzou, o principal culpado por sua vida de nukenin.

- Traga-me Danzou – comandou para o ninja que acabara de derrubar e prender num genjutsu – Eu o quero aos meus pés.

O anbu assentiu rapidamente e obedeceu às ordens desaparecendo pela janela da casa em que estava. Em seguida, Shisui fez o mesmo caminho que o anbu e continuou a duelar com seus conhecidos, sentindo o cheiro de sangue se espalhar no ar, o lembrando do dia em que massacraram os Uchihas mais velhos, incluindo seu pai. Kagami havia lutado bravamente contra si, mas foi preso em sua ilusão e em seguida decapitado pela tantõ conhecida. Naquele dia, os olhos de Shisui arderam como nunca antes e ele soube que as habilidades de seu Mangekyou haviam se tornado ainda mais poderosas, as quais agora serviriam para massacrar Sasuke.

Todos os combatentes Uchihas estavam ao chão, mortos e sangrando, manchando as ruas do distrito. Ele olhou para o lado e viu uma criança parada em choque, segurando um ursinho consigo, Shisui sorriu lembrando-se de Sasuke pequeno com o dinossauro verde pertencente a Itachi, e assim que a memória veio à tona, ele cravou a tantõ no peito da criança.

- Boa noite, pirralho – chutou o corpo mole para um beco e retomou sua tantõ, olhando satisfeito para a lâmina manchada de vermelho.

Assim que outra explosão fora ouvida, Shisui viu Konan voando pela Vila formando mais um de seus tornados de papel ao passo que os clones de Pain cuidavam dos ninjas reminiscentes enquanto o original duelava contra Naruto e Sasuke. O Uchiha era o foco do mestre em genjutsu, mas antes desse confronto tão esperado, ele precisava encontrar a nova Uchiha, esposa de Sasuke.

E foi com grande felicidade quando Shisui observou três kunoichis cruzarem os telhados da Vila e irem em direção a Konan, a ex-Haruno estava entre elas e o Uchiha a seguiu. Quando Shisui se aproximou, Konan duelava com uma loira que ele desconhecia, mas assim que uma Hyuuga atacou a nukenin e a fez se desmanchar em papel, o prodígio sorriu com a luta que se mostrava à frente. Diferente de seu clã patético, aquelas jovens tinham um potencial absurdo e atacavam Konan em conjunto usando uma estratégia em grupo interessante. Contudo, Konan era uma kunoichi muito mais experiente e assim que o soco de Sakura fora desviado, a nukenin se desfez numa chuva de origami cortante.

A Hyuuga usou a técnica da família para proteger a si mesma e as amigas do ataque, no entanto, ela não contava com a bola de fogo que era direcionada a si.

- Katon: goukakyuu no jutsu! – Shisui gritou ao saltar do telhado em que estava, mirando nas mulheres.

Sakura rapidamente defendeu as amigas usando um escombro das destruições para usar de barreira contra a bola de fogo. Ela segurou as chamas do Katon enquanto a loira e a Hyuuga fugiam pelos telhados.

Tomando distância, Konan concentrou seu chakra e formou uma shuriken gigante de papel para em seguida arremessá-la nas mulheres à frente. Shisui pousou ao seu lado com um sorriso sádico, observando a mestre em origami fazer a shuriken de papel se dividir em três shurikens menores e caçar as kunoichis que corriam pelos telhados – incluindo Sakura agora.

- Eu fico com a de cabelo rosa – ele avisou.

- Hai! – ela concordou, em seguida criou clones de papel e seguiu as kunoichis da Folha.

Shisui correu pelos telhados da Vila, observando Sakura desviar da shuriken e depois usar a vibração de seu soco para destruir o papel. Antes que a atual Uchiha pudesse pensar numa estratégia para contra-atacar Konan, Shisui pousou à sua frente com um sorriso malicioso.

- Vocês não vão capturar o Naruto! – Sakura exclamou voraz, em posição de defesa.

- Oh, o jinchuuriki não me interessa. Eu estou aqui por você, querida.

As sobrancelhas rosas se franziram.

- Quem é você? – ela questionou, o estudando com o olhar.

- O Sasuke-kun não falou de mim? – ele retrucou, teatralmente ofendido – Onde estão os modos daquele garoto? Até parece que a tia Mikoto não ensinou bons modos a ele – o sorriso mordaz se fez presente quando a expressão dela se tornou surpresa.

- Você...

- Isso mesmo, querida, eu sou o seu cunhado e eu vim fazer uma visitinha – assim que acabou de falar, Shisui retirou a tantõ ao mesmo tempo que ativou o Sharingan e avançou.

Shisui notou que Sakura tinha uma esquiva invejável, sendo uma kunoichi de ataque curto, ela dependia de um bom treinamento em fuga, mas não era tão rápida quanto o moreno e muito menos tinha o Sharingan como vantagem. Logo, em poucos segundos de luta, a médica-nin já tinha um arranhão na bochecha esquerda e cortes sangrentos nos braços.

- SHANNAROOO! – ela gritou ao atingir o telhado em que estavam, desabando a estrutura do prédio.

Shisui saltou para o telhado detrás e reconheceu que deveria manter distância dos socos dela se quisesse terminar seu plano de vingança. Antes que pudesse avançar novamente, a onda de choque de uma explosão o arremessou para frente e o fez cair ao chão de modo desajeitado; ao olhar para cima, viu dois Pains atacando Sasuke com violência.

Os olhos carmesins se estreitaram.

- Sasuke-kun!a ex-Haruno gritou preocupada, correndo até o marido.

Shisui observou Konan na outra extremidade da Vila imobilizando a kunoichi loira numa prisão de papeis como se a estivesse mumificando ao passo que a Hyuuga seguia para a o conflito principal onde Naruto e o Pain original duelavam.

- Porra!

Usando o Shunshin, ele alcançou Sakura e interceptou sua corrida lançando kunais explosivas. Ela parou atrás de uma caixa d’água, preocupada com o amado e planejando uma estratégia para se livrar do nukenin, porém assim que decidiu avançar com clones, o Uchiha se materializou atrás de si e antes que conseguisse socá-lo, os olhos carmesins capturaram sua atenção e consciência.

- Muito lenta – ele sussurrou enquanto criava o genjutsu perfeito para dominá-la.

Demorou alguns minutos para que ele conseguisse dominar a mente dela por completo porque havia uma resistência surreal, no entanto, ao usar o Mangekyou ela não teve como resistir. O corpo tenso relaxou no mesmo instante e a expressão determinada se tornou serena, indicando que ela estava sob seu domínio.

- Sasuke-kun...

- Onde está a bebê? – ele questionou, perscrutando o rosto angelical.

- Sarada está segura, Anata – a resposta fez com que sorrisse malicioso.

- Traga-me ela. Eu te encontro em casa, baby – Sakura assentiu e depois correu até onde seria seu destino.

Quando se virou para ver o resto das batalhas ninjas, os clones de Pain continuavam destruindo a Vila e chamavam a atenção dos shinobis para si. Apesar disso, ele reconheceu a vibração do chakra de Sasuke aumentar, em seguida um dos Pains foi cortado ao meio pelo chidori nagashi e Shisui sorriu sádico quando os olhos de Sasuke focaram em si.

- Priminho! – acenou com diversão, ainda que seus olhos brilhassem cheios de malícia.

A expressão de Sasuke era de puro choque, mas assim que ele pensou em atacar o nukenin, Naruto voou em sua direção atingindo a montanha onde estava, a fazendo se destroçar. Shisui aproveitou a oportunidade para seguir até o distrito Uchiha e esperar pela vinda do anbu manipulado e a de Sakura.

Não foi preciso esperar muito pelo primeiro, no meio do caminho o anbu trouxe Danzou amarrado por cordas de supressão de chakra. O velho tinha a expressão furiosa que se tornou assustada de imediato ao reconhecer quem estava diante de si, Shisui o fitou com diversão e em seguida cortou a cabeça do anbu com sua tantõ, fazendo o sangue espirrar em Danzou.

- Quanto tempo – falou, observando a expressão de nojo que ele fazia – Você continua a mesma merda para mim – analisou, limpando a tantõ nas vestes do Conselheiro.

- O que está fazendo aqui, Shisui?! – Danzou disse, ainda com o tom autoritário que detinha.

Aquilo bastou para Shisui se irritar. Ele não era mais um shinobi da Folha e estava ali para consertar seu erro do passado – o erro de deixar escórias como Danzou vivas. O chute no tronco do velho fez com que atingisse o chão, em seguida seu pé apertou o diafragma dele, tornando a respiração uma tarefa difícil para o antigo Chefe da ANBU.

- Eu estou no comando aqui! – vociferou – Você é só um rato que se esconde enquanto a Vila é atacada – gritou, apertando o peito de Danzou – Eu iria te matar, mas acabo de perceber que isso seria muito fácil e misericordioso para você – sorriu sádico – Você mesmo vai fazer isso.

- O quê?

- Você vai se mutilar até que não sobre mais nenhuma parte inteira sua, até que você morra por hemorragia – o Sharingan rodava, tragando o conselheiro para seu genjutsu.

Quando Shisui se afastou, ele cortou as amarras da corda e jogou uma kunai para Danzou, que a pegou do chão e começou a se cortar. As coxas, pernas, braços eram seus alvos principais, ele rasgava a pele e urrava ao mesmo tempo.

- Sem pressa – Shisui advertiu – Eu quero você sentindo a dor e se lembrando que eu sou o responsável por isso – disse no ouvido do Conselheiro; em seguida se afastou, indo até a residência Uchiha.

- Boa diversão! – disse ao longe, ainda ouvindo os gritos sofridos de Danzou e o cheiro de sangue no ar.

Desviou de alguns corpos no chão, tomando cuidado para não manchar ainda mais sua capa akatsuki e entrou na casa principal, sabendo que aquela era a pertencente a Sasuke e Sakura. Ao caminhar pela sacada, ouviu os resmungos chorosos de um bebê vindos de dentro da residência.

Shisui se aproximou tranquilo, tocando a criança com delicadeza. A menina era pequena, tinhas as bochechas rosadas e redondas, os olhos negros reluziam enquanto olhavam fixamente para seu Sharingan. Shisui sorriu melancólico ao perceber o quanto ela o lembrava Itachi e refletiu sobre como o amado seria um ótimo tio... e tal pensamento trouxe de volta a ira assassina do Uchiha.

Sakura segurava a filha no colo com um sorriso resplandecente, apesar das manchas de sangue em seu corpo.

- Esse sangue não é seu... – ele notou, sorrindo cínico.

- Kurenai-sensei não quis me entregá-la, Anata – ela respondeu, ninando a filha enquanto cantarolava uma cantiga infantil.

- E o que você fez? – ele tocou o queixo de Sakura, a fazendo lhe olhar.

Shisui sabia que na mente da médica-nin, ela via Sasuke em seu lugar, sendo sua fantasia uma completa distorção da realidade.

- Eu a matei – respondeu com um bico descontente.

- Boa garota! – elogiou, fazendo um carinho na cabeça de Sakura, da mesma forma que ele fazia com os corvos de Itachi no passado.

- Vamos esperar a vinda do nosso convidado especial – Shisui disse ao sentir o chakra de Sasuke se aproximando velozmente.

- Hai, Anata.

A porta da residência Uchiha voou com o chute dado por Sasuke. Ele tinha escoriações pelo corpo e respirava com dificuldade, porém tinha o mesmo brilho assassino que os olhos carmesins de Shisui.

- Aí está você, priminho! – Shisui falou com zombaria, virando o corpo de frente para o outro Uchiha.

Sasuke focou em Sakura e na filha ao lado do akatsuki, checando a segurança delas antes de tomar alguma decisão precipitada.

- Saia de perto delas – praticamente rosnou, sacando a katana.

- Venha pegá-las! – Shisui tocou o queixo de Sakura e encostou seus lábios num beijo suave enquanto olhava para o mais novo do outro lado da sala, em seguida empurrou o corpo da kunoichi para trás ao ver Sasuke avançar contra si.

A katana dele foi parada por sua tantõ, o olhar assassino de Sasuke focava em si e o sorriso malicioso de Shisui era refletido pela lâmina polida da katana. Ao fundo, a bebê chorava angustiada pelos sons das armas e Sakura a levava para o jardim, atraindo a atenção de Sasuke.

- Olhos em mim ou vai morrer! – Shisui impulsionou seu corpo e chutou a lateral de Sasuke o fazendo se afastar.

Shisui rodopiou a tantõ em suas mãos e manteve o sorriso sádico. O choro da menina ainda continuava estridente, mas Sasuke optou por se concentrar no primo, assim, avançou usando a katana revestida pelo seu chidori e Shisui se esquivou com velocidade, contra-atacando com taijutsu.

Os Sharingans equilibravam a luta, mas quando Shisui se afastou e criou clones com os olhos de Itachi – os mesmos olhos que havia adquirido no dia de sua morte – o mais novo teve que se esforçar para manter distância do primo. Sasuke usou clones de raiton para interceptarem os ataques dos clones de Shisui e em seguida usou a técnica da família, expelindo uma enorme bola de fogo, obrigando Shisui a imitá-lo.

- Katon: goukakyuu no jutsu! – disseram juntos.

As bolas de fogo estavam equilibradas, mas quando a de Sasuke fora consumida pela de Shisui, o nukenin teve que desviar rapidamente das shurikens que eram lançadas contra si. Sasuke aproveitou sua distração para correr até o jardim, onde a esposa estava, e Shisui correu atrás dele, interceptando sua corrida ao invocar corvos.

Aquele era um jutsu típico de Itachi. Mas durante o tempo que ficaram juntos na akatsuki, ambos aprenderam a dividir suas habilidades e agora ele dominava todos os jutsus do amado que estavam ainda mais potencializados por ser o detentor de seus olhos.

Os corvos rodearam o mais novo, arranhando, bicando e grasnando ruidosamente. Sasuke se defendia cortando as invocações, mas por serem invocações mescladas a genjutsu sempre apareciam mais e mais, o que deixava o Uchiha caçula ainda mais enfurecido. Shisui se aproximou de Sakura novamente e pegou a criança de seu colo.

- Eu cuido dela, baby – Sakura assentiu dócil e depois franziu o cenho olhando para Sasuke que já se livrava dos corvos usando Katon – Vá pegá-lo – Shisui sussurrou, e Sakura o obedeceu no mesmo instante.

- Você não vai machucar minha família, shannaro! – ela concentrou chakra nos punhos e avançou contra o marido.

- Sakura! Sou eu! – Sasuke estava confuso lutando contra a própria esposa, tentava não atacá-la diretamente ao passo que se esquivava dos golpes letais e a empurrava para longe de si.

- Sakura! – os tomoes de seu sharingan rodaram ao tentar dispersar o genjutsu em que ela estava, no entanto, o controle mental de Shisui era muito mais resistente, e Sakura continuou desferindo golpes contra ele.

Ao mesmo tempo em que a batalha do casal se desenrolava outra explosão eclodiu na Vila, assustando a sobrinha no colo de Shisui que passou a chorar ruidosamente de novo, o akatsuki a ninou sem muito cuidado, observando o rosto preocupado de Sasuke se direcionar a ele. O mais novo desviou de um soco de Sakura e em seguida jogou o corpo dela contra a floresta atrás e correu em sua direção.

- Eu vou matar você! – ele sacou a katana e voltou a desferir golpes contra o nukenin.

Shisui, por sua vez, ria descaradamente enquanto se esquivava da lâmina certeira e ao ver a kunoichi correndo em direção a eles, jogou a bebê para médica-nin que a capturou no ar preocupada; o movimento atraiu o olhar de Sasuke e o distraiu por segundos, os quais foram suficientes para Shisui se aproveitar: o nukenin joelhou o diafragma do primo, o fazendo se curvar e depois sacou sua tantõ para cravá-la no ombro do mais novo, o empurrando em seguida.

Sasuke cambaleou para trás, levou uma mão ao machucado e retirou a tantõ de si a jogando ao chão, em seguida viu Sakura invocar lesmas e deixar Sarada sobre a proteção delas. Ele grunhiu vendo a esposa caminhar em sua direção com um olhar assassino, sem saber como agir diante da possibilidade de lutar contra ela.

- Devo admitir, Sasuke-kun, ela é uma kunoichi habilidosa – Shisui sorriu sádico, em seguida correu até o primo.

Sasuke lançou shurikens carregadas de raiton no primo e na esposa; não queria machucá-la, mas naquele momento, estava em desvantagem e precisava tirar Sarada dali. Sakura se esquivou de suas shurikens com perfeição, assim como o akatsuki que preparava um katon em sua direção.

Sasuke se desviou do ataque, porém foi acertado pelo soco potente vindo de Sakura que emergiu do chão. O sabor do sangue se alastrou na boca dele, mas antes que médica-nin continuasse seus ataques, o Uchiha agarrou seu braço e passou as pernas envolta dele, a prendendo numa chave para quebrar seu braço, Sakura urrou com o movimento e mordeu sua panturrilha, revoltada.

O Uchiha a libertou, assim que viu corvos de Shisui serem invocados novamente. Ele saltou para trás e invocou serpentes a fim de capturarem as aves do primo, depois carregou a katana com seu chidori e correu até Shisui, que avançou contra si.

Shisui usou o Shunshin para ser mais veloz e ganhou vantagem de Sasuke o surpreendendo com um corte na sua panturrilha que o fez se ajoelhar. O corpo do menor foi substituído por uma serpente que avançou contra o nukenin e Shisui se afastou para pegá-la no ar ainda atento ao redor e depois se virou para trás ao sentir o chakra de Sasuke se aproximar. Sasuke se materializou à sua frente e cravou a katana eletrocutada em seu abdômen.

- Eu disse que iria matá-lo! – o menor rosnou.

Shisui cuspiu sangue, mas em seguida olhou para cima e fitou os orbes ônix do primo com um sorriso debochado. Sasuke grunhiu pelo desafio explicito nos olhos vermelhos e espalhou o raiton pelo corpo de Shisui, que começou a tremer inconsciente. Sasuke arrancou a katana do primo e o viu se debater no gramado enquanto espumava pela boca.

O som das palmas, porém, atraiu sua atenção.

Do outro lado do jardim, próximo a Sakura, o mais velho se fazia presente batendo as mãos de modo teatral.

- Que cena medíocre! – congratulou, olhando para Sakura que cuidava do braço quebrado – Não acha, querida?

A ex-Haruno olhou para o Uchiha e concordou com um sorriso resplandecente, o que inflou a cólera de Sasuke. Ele queria decapitar o primo e esfolá-lo vivo por estar controlando a sua esposa, mas assim que ele sentiu o chakra de Sakura se concentrando, Sasuke voltou a se posicionar em defesa ao mesmo tempo que planejava uma estratégia.

A marca da maldição – selada há tantos anos – queimava como nunca antes e Sasuke desejou ativá-la novamente, contudo não o fez pela presença de Sakura, ele sabia que não conseguiria se controlar se libertasse seus poderes, como na luta contra o irmão; por isso apenas tomou distância de Shisui e preparou o Kirin. Era seu jutsu mais poderoso, teria que dar certo.

No entanto, assim que as nuvens começaram a se agitar, Sakura pisou no gramado causando deformidades no jardim Uchiha e depois arrancou os pedaços do terreno para jogá-los em Sasuke. O shinobi usou o chidori para sobrecarregar as rochas e assim destruí-las antes que o atingissem, em seguida avançou velozmente dividindo sua atenção entre Shisui e Sakura.

Sasuke chutou a esposa para longe, a fazendo voar pelo gramado, enquanto isso Shisui recuperava sua tantõ jogada no gramado e desferia ataques contra ele, Sasuke se distanciou para chutar o maxilar de Shisui e em seguida voltou-se para Sakura que já estava presente de novo.

Mais uma explosão eclodiu na Vila e Shisui soube que seu tempo estava acabando.

- Eu vou ter que acabar com nossa diversão, Sasuke-kun.

Assim que ele falou, Shisui se materializou atrás do primo e cravou sua tantõ na base de sua coluna o fazendo perder a mobilidade dos membros inferiores no mesmo instante, o menor urrou caindo à frente e Sakura concentrou chakra no punho direito terminando de quebrar os ossos da coluna do marido, o deixando tetraplégico.

- Já basta, querida – Shisui disse, segurando o próximo soco da Uchiha que era destinado ao crânio de Sasuke.

Sakura olhou para ele com determinação e sorriu orgulhosa, em seguida se afastou e foi até Sarada que continuava chorando de forma estridente, mesmo com as lesmas tentando acalmá-la. Shisui sorriu sádico e agarrou Sasuke pelos fios negros, puxando o corpo mole para cima de modo que o fitasse nos olhos.

- Eu sei que isso não é totalmente sua culpa, Sasuke-kun, mas isso não quer dizer que eu queira machucá-lo menos¹ – quando Shisui disse aquilo, seu Sharingan se transformou no Mangekyou e ele viu quando Sasuke se desesperou.

- Não!

- KotoAmatsukami – os tomoes rodaram e mesmo com a resistência típica de um Uchiha, Sasuke sucumbiu ao seu controle mental.

Diferente de Sakura, que estava imersa numa ilusão poderosa, Shisui deixou Sasuke ainda consciente, porém com seu corpo sob seu domínio completo. Era uma ilusão mais elaborada em relação a que usou em Danzou, mas seguia o mesmo princípio.

- Você quer saber de uma coisa, seu bastardo? – Shisui segurou Sasuke pelo queixo – Você selou seu próprio destino no dia em que enfrentou seu irmão e o tirou de mim. Você não é um vingador – Shisui rosnava e deixava o aperto ainda mais forte, marcando o rosto alvo – Você é um pirralho mimado que matou a pessoa que mais te amava na porra desse mundo! – ele gritou, atraindo a atenção de Sakura que se aproximava com a filha.

Os olhos ônix fitaram a Uchiha e a bebê desesperados e depois focaram em Shisui.

- Deixe elas em paz – a voz trêmula indicava seu temor e desespero.

- Oh – Shisui sorriu – Então você sabe o que é ter alguém que simbolize todo o seu mundo – a voz rouca era um chiado suave, principalmente quando os lábios cheios sussurram no ouvido do menor – Já imaginou como seria seu mundo sem elas?

Ele empurrou o corpo do primo contra uma das rochas levantadas por Sakura, Sasuke grunhiu quando atingiu a pedra e se manteve parcialmente sentado, vendo a família à frente. Sarada continuava chorando em desespero e ele gritou quando Shisui se aproximou de Sakura, sussurrando algo em seu ouvido, ela lhe sorriu e concordou deixando o coração do Uchiha acelerado e temeroso.

- Saia de perto delas! – gritou, remexendo a cabeça.

Shisui o fitou por um milésimo de segundo, em seguida tomou Sarada nos braços e a depositou no chão do gramado, próxima a Sasuke, depois levou um dedo a boca fazendo o sinal de “silêncio” ao mesmo tempo que colocava a menina num genjutsu, a fazendo se calar. Sarada, entretida em sua visão, sorriu e bateu palmas, depois se arrastou até Sasuke e deitou nas coxas dele.

O Uchiha sentiu os olhos umedecerem quando quis tocar a filha e não conseguiu, sabendo que nunca mais poderia ter o prazer de carregar a pequena em seus braços graças ao primo sádico e sua tetraplegia. As lágrimas de Sasuke rolaram definitivamente quando o mais velho se aproximou de Sakura e se pôs ao lado dela, os tomoes rodaram intensificando o genjutsu, Shisui envolveu sua cintura e puxou seu corpo contra si para beijá-la nos lábios, bem diante do primo.

- SAKURA! – Sasuke sentia seu interior vibrar com o ódio que consumia seu coração, mas ainda assim não conseguia mover nada além de sua cabeça e, muito menos, usar o Amaterasu ou Kirin contra o nukenin.

O Sharingan alheio continuava a fitá-lo com malícia, mas quando a kunoichi enlaçou seu pescoço e aprofundou o beijo, Shisui cerrou os olhos e começou a tocar o corpo volumoso.

- NÃO! NÃO FAÇA ISSO!

Os toques se intensificaram, as mãos de Sakura desceram pela capa da Akatsuki e libertaram o Uchiha mais velho. Shisui, por sua vez, sorria com sadismo para Sasuke, apertando o peito da kunoichi, a fazendo gemer desavergonhadamente, e quando se viu livre de sua vestimenta, Shisui se posicionou atrás de Sakura, beijando seu pescoço e tocando sua intimidade ainda coberta com uma das mãos.

- Ela é sempre tão preparada assim, priminho? – Shisui movimentava o dedo médio na médica-nin, que se remexia entregue ao prazer.

Sakura virou o rosto para trás buscando os lábios de Shisui e Sasuke não podia acreditar que estava presenciando o estupro da esposa a metros à frente sem poder fazer nada para defendê-la. Ele nem sequer conseguia conceber a ideia do primo fazer aquilo para afetá-lo, simplesmente para torturá-lo em seu jogo de vingança.

- Tire suas mãos dela! – rosnou – Por favor! Eu imploro! Faça qualquer coisa comigo, mas não toque nela! – lamuriou, chorando angustiado.

- Oh, não, Sasukinho – Shisui sorriu em meio ao beijo – Agora que eu comecei a me divertir?

Num movimento rápido, Shisui puxou a blusa de botões de Sakura, deixando seus seios à mostra para Sasuke à frente, depois o alvo do nukenin foi a calça da kunoichi, ele desceu o pano com velocidade e em seguida inclinou o corpo da mulher, que voluntariamente afastou as pernas e o guiou até sua entrada, sorrindo maliciosa – perdida em sua ilusão.

- SEU FILHO DA PUTA, SAIA DE PERTO DELA!

As íris carmesins focaram em Sasuke enquanto Shisui se introduzia devagar, Sakura gemia a cada investida e Sasuke já não olhava mais para os dois, ele não conseguia enxergar devido as lágrimas que banhavam seu rosto, sentindo-se medíocre e insignificante por não conseguir proteger a própria família – e muito menos proteger Sarada daquela visão hedionda. Mesmo que a menina não tivesse consciência do que presenciava, Sasuke sentia que era seu dever ao menos tapar sua visão, mas nem isso ele conseguia naquele momento, era uma verdadeira escória ninja.

- Ah, Anata! – Sakura gemeu ao se apoiar nos próprios joelhos, e Shisui sorriu continuando a invadi-la com brutalidade enquanto a ouvia resmungar o apelido carinhoso conferido ao marido.

Sasuke rugiu enquanto chorava ao ter consciência de que não havia esperança de que Sakura e Sarada se safassem com vida ainda, ele sabia que Shisui não iria parar ali e isso o atormentava ainda mais do que os gemidos da esposa. Shisui focava em Sasuke, estocando com precisão, intensificando os gemidos de Sakura.

- Você geme como uma cadela – ele rosnou para a mulher, atraindo o olhar revoltado e culpado de Sasuke. Em seguida, o nukenin puxou os cabelos rosados com força a fim de fazê-la se inclinar para trás, encostando suas costas no peitoral dele – Mas acho que pode fazer algo melhor com essa linda boca...

Sakura sorriu maliciosa e Sasuke sentiu ânsia ao vê-la se ajoelhar à frente de Shisui e começar a chupá-lo com deleite. O Uchiha mais novo se retorcia em ódio e desespero, perdido na imagem borrada pelas lágrimas que caíam.

Ele já não se importava de se humilhar àquela altura, só desejava o bem-estar da mulher e da filha e iria implorar pela vida delas.

- Por favor! Deixe elas irem embora! Por favor, não faça isso!

Shisui o ignorou e puxou os fios rosados novamente, intensificando o oral, como se fodesse a boca de Sakura, e quando finalmente atingiu seu ápice jorrando na cara da mulher, ele sorriu sádico, a afastando de si.

- Eu amo você, Anata – Sakura disse em alto e bom tom, sorridente.

- Eu amo você também, querida – Shisui a respondeu enquanto fitava Sasuke, depois estendeu a mão para Sakura se apoiar e levantar.

- Tire suas mãos dela... – Sasuke sussurrou, sentindo-se fracassado e desviando o olhar para Sakura que ajustava suas roupas, alheia ao seu sofrimento.

- Não se preocupe, priminho, ela é boa... mas o seu irmão era excepcional, em tudo – os olhos carmesins brilharam – Acho que nunca irei encontrar uma chupada como a dele.

Sasuke não apresentou reação diante da fala, ele tentava focar apenas em Shisui que arrumava a roupa escura, pensando no que o primo estaria planejando em seguida. Assim que outra explosão foi ouvida na Vila e Shisui fitou o céu com seriedade, Sasuke soube que logo iria descobrir o resto do plano do primo.

Sarada, que estava imersa no genjutsu, voltou a chorar com o estrondo e Sakura foi até ela de imediato, a médica-nin sequer olhou para Sasuke – como se realmente não o visse ali – e mesmo com seu chamado, o foco dela era apenas a filha.

- Sakura, me perdoe... – ele pediu, a voz saía trêmula.

Ele não se importava mais consigo, Sasuke só queria morrer e levar as duas razões de sua existência junto a si, sem sofrimento por parte delas. O Uchiha sabia que elas não mereciam aquilo, não mereciam estar à mercê de Shisui, e ele se sentia um lixo por não conseguir protegê-las sozinho. Sasuke ainda esperava – no fundo de seu coração – que Naruto conseguisse se livrar de Pain e as resgatasse no último instante.

O nukenin observou Sakura ninar Sarada enquanto se aproximava dele, resmungando palavras infantis à Sarada.

- Você não acha que ela está com fome, querida?

Os olhos de Sasuke encheram de lágrimas novamente com a perspectiva do que o seu primo psicopata poderia fazer com sua esposa e filha, mas enquanto diversas cenas aterrorizantes passavam por sua mente, ele viu Sakura ajeitar Sarada em seu colo e dar o peito para a filha mamar, que sugou ávida ao mesmo tempo que enroscava as mãos gorduchas nos fios róseos.

Shisui caminhou de volta até onde Sasuke estava jogado, estampando o mesmo sorriso cínico que ele cultivava desde que pôs os pés em Konoha, trazendo o colar de ônix em seus dedos, deixando-o na altura do olhar do primo.

- Reconhece esse colar, Sasuke-kun? – Sasuke engoliu a seco tentando focar a visão borrada no primo – Foi um presente, eu o dei a Itachi em seu aniversário de quinze anos – Shisui semicerrou o olhar e a voz se tornou mais sombria – É a única lembrança que tenho dele agora – assim que terminou de falar, Shisui socou o rosto de Sasuke com força.

Sasuke respirou fundo, até aliviado, ao ter o golpe direcionado a si e não à sua família e suspirou por isso, voltando a focar sua visão no primo de novo.

- Pode ficar com o colar, ele não me vale mais – Shisui disse, jogando o objeto aos pés do primo – Acho que eu prefiro levar essa chupeta com o símbolo Uchiha preso no vestido da minha sobrinha.

- Não ouse chegar perto dela – Sasuke rugiu, descontrolado pelo medo.

O tapa dado em sua bochecha foi estalado e ardido, deixando a marca da palma do akatsuki.

- Eu estou no comando aqui! Não se esqueça disso – sibilou.

Em seguida, Shisui se virou para as duas no jardim, entretidas consigo mesmas e sorriu sádico. Outra explosão em Konoha o levou a ter certeza de que deveria ir embora em minutos e então se virou para Sasuke.

- É realmente uma visão linda... – ciciou, indicando Sakura e Sarada à frente – Chega a ser emocionante, Sasuke-kun. É uma pena que ele você irá matá-las – a voz era um simples sussurro.

- Eu vou matar você – vociferou em resposta, remexendo a cabeça tentando se libertar do genjutsu do primo mais uma vez.

- Achei que já tínhamos passado disso, priminho. Agora você não passa de um aleijado, como acha que vai me derrotar?

Sasuke tentava ignorar as falas dissimuladas do primo e conservar a imagem da esposa e filha à frente. Notando seu olhar, Shisui fitou Sakura e seu sorriso se tornou ainda mais aberto.

- Você quer saber outra coisa, Sasuke-kun? Eu admiro a sua esposa e filha, elas são lindas... – ele olhava para Sakura, mas notou quando Sasuke o fitou com o Sharingan ativado, demonstrando uma fraqueza de seu genjutsu – Oh, não se preocupe – os tomoes rodaram intensificando o controle mental em Sasuke, que grunhiu com a dor que lhe era infligida – Eu não irei fazer nada contra elas... mas você vai.

- Querida, venha aqui conosco! – Shisui indicou com uma das mãos.

- Hai, Anata – ela sorriu, ninando e amamentando Sarada.

- SAKURA! NÃO! – Sasuke bradou, desesperado, as lágrimas começaram a rolar novamente por suas bochechas.

- Lembre-se, Sasuke-kun, isso é tudo culpa sua. Aliás, nosso confronto nunca teria acontecido se você não tivesse tido a brilhante ideia de lutar contra o seu irmão...tsc tsc – Shisui sussurrou em seu ouvido, fitando a Uchiha caminhando lentamente até eles – Sei que isso é mesquinho, mas pra que deixar viver?

- Não, não, não, não... – Sasuke apertou os olhos, inclinando a cabeça, tentando ir contra o controle mental de Shisui.

- Queime.

Porém, assim que a voz dele comandou, as íris carmesins apareceram, o Mangekyou de Sasuke rodou intensamente e deu início às lágrimas de sangue.

- NÃO! – o urro dele acompanhou o de Sakura e da filha que foram atingidas pelas chamas negras do amaterasu.

O fogo foi consumindo aos poucos tanto a mulher quanto a bebê, Sakura gritava seu nome e pedia socorro enquanto a filha se contorcia chorosa, a dor que Sasuke sentia era pungente e vivida, ele vomitou sem conseguir tirar os olhos de ambas que sucumbiam sob seu amaterasu.

- SAKURA! SARADA! – as lágrimas dele rolavam incessantemente pelas bochechas avermelhadas pelo choro sangrento.

O primeiro grito a cessar foi o de Sarada. Tendo o corpo pequeno, ela morreu queimada primeiro; porém, tal fato foi suficiente para causar ainda mais dor em Sakura que chorava desesperada gritando “Anata” e estendendo o braço em carne viva para tocar o marido, que por estar paralítico não conseguia se mover e tocá-la de volta.

- ANATA! – o último grito reverberou por todo o distrito.

O cheiro de pele queimada trazia paz ao coração de Shisui que sorriu pacifico ao ter a consciência de que seu plano finalmente se concretizara. Foram anos manipulando as aldeias e shinobis para saber o paradeiro de Sasuke e de sua família, portanto, estar diante do primo derrotado e psicologicamente torturado era um alívio.

- É como uma música no ar, não acha? Se eu fechar os olhos ainda consigo ouvir os gritos da sua bebê e esposa... – Shisui sorriu sádico ao perceber que Sasuke estava em estado de choque e sequer o notava ao redor, as lágrimas agora eram um sangue espesso e não paravam de manchar seu rosto.

- Minha tarefa aqui está cumprida – riu – Veja, Sasuke-kun, é cômico pensar que Itachi matou seus pais para deixá-lo em segurança... mas aí você o matou porque ele era um assassino da própria família. Diga-me – ele sussurrou novamente, colado ao ouvido do primo – como você se sente, sabendo que fez a mesma coisa com sua esposa e filha?

- Me mate – Sasuke pediu sem ânimo ou qualquer outra demonstração de sentimento.

Shisui entortou a cabeça divertido.

- Oh, não, eu vou deixá-lo vivo e agonizando – Shisui sorriu e deu tapinhas na bochecha do mais novo. Antes de ir embora de vez, o Mangekyou de Shisui rodou colocando Sasuke num genjutsu em que revivia a morte dos pais e da nova família num looping infinito. Ele queria torturar o primo até mesmo quando não estivesse por perto para vê-lo definhar – Até o inferno, Sasuke-kun.

Shisui desapareceu pelas árvores da Floresta da Morte assim que sentiu o poderoso chakra da kyuubi se aproximando. Naruto aterrissou no jardim Uchiha segundos depois, encontrando o amigo jogado na pedra e foi diretamente até ele.

- TEME! Você está bem? Onde estão a Sakura-chan e a Sarada-chan? – os olhos azuis cristalinos fitaram os ônix sem vida do amigo, perdido dentro da ilusão insana de Shisui.

Sasuke não o respondeu, apenas continuava respirando com dificuldade e chorando sangue, os olhos ardiam e seu coração dilacerado parecia sangrar. Ele revivia a morte dos familiares a cada segundo e não conseguia escapar do genjutsu, estando à mercê da própria mente manipulada.

- Oe, Teme, você tá me escutando? – O Uzumaki remexeu as mãos em frente ao rosto do amigo, sem obter sinal de resposta.

Shisui estava camuflando seu chakra na Floresta da Morta, ainda observando a cena no jardim dos Uchiha, sorrindo sádico. Sasuke não iria conseguir escapar de seu genjutsu e ele sabia que era o responsável por foder com o primo de uma maneira nunca antes sentida pelo menor.

O akatsuki fitou o céu sereno, a arte da vingança era algo que ele conhecia com propriedade e por isso celebrava o amanhecer sangrento em Konoha.


Vá dormir meu Kovu
Hora de sonhar...
Pois quando você crescer
Rei vai se tornar!

Exilada, perseguida
Condenada sem defesa
Quando me lembro de Simba
Eu fico um pouco tensa

Mas eu tive um lindo sonho
Que eu gosto de lembrar
Para alguns, talvez, medonho

Mas me ajuda a descansar

A voz de Simba a morrer
Sua filha a se contorcer
Sua leoa a gritar
É música no ar!

Essas pedras no caminho
Eu já tentei esquecer
Sei que isso é mesquinho
Mas pra quê deixar viver?

Pois agora tem alguém
Com quem Simba quer brigar
Uma guerra que já vem
E que vai ser de matar!

A melodia do terror
O contra-ponto do horror
A sinfonia vai tocar...
Música no ar!

Scar, se foi, mas Zira está aqui
Pra te ensinar
A arte da vingança...
O desejo de matar!

Durma, seu moleque!
Ahn, quer dizer
Volte a sonhar...
Pois quando você crescer...
Rei vai se tornar!

A guerra que eu sempre quis!
A vitória do meu aprendiz!
Vingança vamos, celebrar!
Eu já posso ouvir, sim!
Kovu vai reinar!!!
Vejo um mundo novo, a se levantar
Eu já posso escutar:
Música no ar!

----------------------------------

¹ - Fala retirada das fanarts do Surfaçage, que me inspirou na fic.

Partes sublinhadas nos diálogos são letras da música de Rei Leão.

Negrito é o nome da música tema do desafio.

Agora sim eu assinei minha carta de exílio dos fandons hahahah To rindo, mas to preocupada. É isso. Espero que tenham chorado, beijos!

2 de Junho de 2018 às 02:17 5 Denunciar Insira 4
Fim

Conheça o autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comentar algo

Publique!
Isis Isis
Wow. Que Shisui sádico. Eu não sofri tanto, rs. Provavelmente porque muito do sofrimento do Sasuke estava ligado à Sakura e eu tenho uma visão diferente da relação entre eles... Mas foi bem ruim de ver o estupro e pior ainda quando foi o próprio Sasuke a matá-las. Elas não tinham nada a ver com tudo isso e foi absurdamente cruel tudo o que o Shisui fez. Achei suas cenas de luta muito bacanas, super consegui visualizar. E a música casou perfeitamente. Eu não lembrava dos detalhes dessa letra e meu deus, como assim colocam uma coisa dessas num filme infantil, gente? kkk. Na verdade eu acho incrível como muitas animações têm sentidos e detalhes muito diferentes de acordo com a idade com que as assistimos. Por isso que é sempre bom ser uma pessoa que não supera essa fase e voltar a ver em vários momentos da vida! Ah, não posso deixar de dizer que simplesmente me identifico concordo 100% com o Shisui quando ele chama o Danzou de merda. Por fim, eu compreendo que Shisui foi atingido pela maldição, mas passei a história inteira pensando que Itachi o odiaria se soubesse o que ele fez... Vale a pena, Sui?
25 de Junho de 2018 às 11:13

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    AAAAAAA eu amei seu coment!! Sério! Eu tinha comentado com a Ray que ela não tinah sofrido tanto porque em tese a fic era SS, mas certeza que se eu fizesse SNS a coisa seria mais pesada HASUHASUAH Confesso até que pensei em fazer eles assim no rascunho, mas ai eu decidi pelo meu casal mesmo e por ninguem me xingar de hater USHASUHASUA As cenas finais (do estupro e morte) foi algo que eu poderia ter feito de um jeito bem pior, mas eu não ia conseguir, confesso, quando estava escrevendo eu me refreava várias vezes, pq me fazia mal; ainda assim, essa foi a versão mais 'light' da coisa UAHUAHSUASHA Eu amo o UN, amo principalmente as cenas de batalha e já que era uma invasão à Vila, eu pensei em explorar cenas de luta e principalmente as cenas das meninas <3 Fiquei muito feliz que você reparou isso <3 POIS É, MENINA, A DISNEY DEIXAVA UMAS COISAS APARECEREM Q EU SÓ FICO CHOCADA! MANO, A ZIRA REAL QUERIA MATAR TODO MUNDO DA FAMILIA DO SIMBA, é muito cruel. Concordamos 100% que o Danzou é um merda, pelo menos uma coisa sensata meu Shisuizinho fez. Por fim, eu acabo não acreditando muito na maldiçao do ódio, mas gosto de pensar que eles endoidaram com a morte um do outro (like o Itachi dando escandalo quando o acusaram de assassinar o shisui), mas como faz parte do universo Naruto, eu coloquei, e achei que combinou com meu princesinho sem limites HAUSUSHAUSHA Sobre o valer a pena: claramente não, Itachi ficaria full pistola com o Shisui, e o mais engraçado é que uma leitora pensou o mesmo e eu autorizei ela a fazer uma continuação com eles num limbo hihi, to super ansiosa pra ver como vai ser isso <3 Enfim, muito obrigada por ter dado uma chance à fic e por ter comentado <3 25 de Junho de 2018 às 11:42
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Que Shisui vingativo e cruel temos aqui, hahaha. Mas quando se fala do Itachi não tem como manter a sanidade não é mesmo? Acho que qualquer um no lugar dele faria algo parecido, principalmente sendo um Uchiha. A música parece que foi feita para esta historia, caiu como uma luva e todo o maquiavelismo da Zira está encorporado no Shisui (que, apesar de cruel, ainda é maravilhoso), além de todos os personagens estarem com as suas personalidades intactas. O rumo que você deu para a historia, fazendo com que nem todos os Uchihas fossem mortos no massacre, foi uma sacada muito boa, além de ter colocado o Shisui junto do Itachi na Akatsuki para aproveitarem um pouco o relacionamento que o Kishimoto se recusou a deixar acontecer no canon, mas... precisava mesmo matar o meu gênio Uchiha e ainda fazer o Shisui chorar com ele nós braços, poxa? (você é má) E tadinho do Sasuke também, ele não merecia passar por isso e eu juro que torci para o Naruto chegar e salvar todo mundo. O Shisui passou dos limites (mas vou ressaltar de novo que ele é maravilhoso) <3. Seria bom se você desse mais uma revisada, pois tem alguns errinhos ortográficos, mas não é nada grave. A historia fluiu bem e não foi cansativa de ler apesar de ser um pouco longa. Você desenvolveu muito bem os sentimentos de cada personagem, fazendo com que o leitor sinta vividamente toda a sede de vingança do Shisui e a angustia do Sasuke após matar a própria família. Parabéns por ter participado e cumprido o desafio, a fic está maravilhosa e sem nenhum problema grande a ser resolvido, foi muito gostosa de ler (mesmo sendo um angst violento de morrer). Até a próxima <3
23 de Junho de 2018 às 11:36
Karol  Karambola Karol Karambola
Mas que caralhaaaaa. Tu não me decepciona né? Tá maravilhosamente cruel e insano. Me sentir raiva do Shisui sabia? Caramba. Nunca fiquei tão feliz em abrir mão de uma música mano. Tá muito foda Vanessa. Adorei que tu colocou a luta das meninas. Fiquei com muita pena da Sakura e Sarada. Isso foi realmente muito insano e casou muiiitoooo com a música. "Sua filha se contorcer, sua leoa a gritar, é música no ar". A cena ficou incrível. Eu não teria feito melhor. Meus parabéns
1 de Junho de 2018 às 22:13

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    AAAAAAAAA Vc acredita que o seu era o coment q eu tava esperando MUIIIITO. Tipo, nós quisemos a mesma música, então quando vc me cedeu ela, eu quis me dedicar pra caramba pra não fazer feio! Siiiim, a letra casou tao bem com o plot que eu queria, parecia que tinha sido feita pra fic, foi muito insano enquanto eu tava escrevendo! Eu to muito feliz de ter te chocado e ganhado os parabens <3 <3 A luta das meninas foi algo que todo mundo quis e achei uma otima forma dele capturar a Saki. AAAAAAAA To muito grata pelo teu coment! sério, obrigada, anjo <3 <3 1 de Junho de 2018 às 22:32
~