Bem Querer Seguir história

vanychan734 Vany-chan 734

Uma missão de invasão e roubo era algo simples para Itachi e seu esquadrão, mas para Shisui, era a possibilidade do amado morrer e nunca mais voltar para si. Para acalmar o coração angustiado do primo, Itachi mostrou que não havia motivos para preocupação porque, no fim, ele sempre iria voltar para Shisui.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#fluffy #romance #homossexualidade #lgbt+ #lemon #itachi #shisui #shiita #UN #naruto
Conto
11
5.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Bem Querer

Olaaar! Essa fanfic nasceu porque eu to descontrolada e estão se aproveitando disso pra me mandar fanart. Enfim, fanfic lemon + super fluffy para satisfazer às safadas e às amorzinhas.

Beijocas.

Capa editada pela Raylanny, créditos das imagens aos artistas. O mesmo crédito vale para o autor da fanart

-------------------------------------

A mesa estava repleta de documentos e mapas. Itachi já estava devidamente vestido com seu uniforme anbu e planejava a melhor estratégia para seguir com seu esquadrão, ainda que já tivesse revisto seus planos duas vezes. Ele não se dava ao luxo de ter falhas e consequentemente ser responsável pelas vidas que poderiam ser perdidas.

Não era uma missão difícil, no entanto. Iriam invadir o território da Grama, interceptar o grupo de ninjas que levava pergaminhos preciosos e antes de voltarem a Konoha iriam encobrir os rastros que poderiam levar à Folha a ser incriminada.

Por isso, o gênio Uchiha continuava analisando o mapa da Grama e planejando planos de emergência, mas quando a cadeira ao seu lado foi arrastada e um corpo musculoso se fez presente, ele soube que continuar concentrado seria uma tarefa árdua.

- O que está fazendo? – a voz familiar disse, enquanto ele se inclinava sobre o ombro de Itachi, vendo seus rabiscos no papel.

- Planos B e C – respondeu sucinto, ainda analisando os mares de morros apresentados no mapa.

A risada anasalada do companheiro chamou sua atenção minimamente, mas assim que o fitou de esguelha e viu o sorriso apaixonado de Shisui, ele voltou a focar no mapa com rapidez.

- Sabe, você é muito precavido... – o homem ciciou, aproximando seu corpo.

- Um bom shinobi sempre deve ser precavido – respondeu – Kakashi-senpai me ensinou isso.

- Entendo... – a fala continuava com a rouquidão sensual, instigando o namorado.

Itachi fingia continuar alheio àquela aproximação indevida, assim manteve-se quieto e continuou a rabiscar o papel, considerando seus homens e habilidades.

– Mas você se esforça demais, Tachi.

Após o apelido de anos, Shisui roçou os lábios no pescoço do menor, o fazendo arrepiar-se e segurar um suspiro. O mais velho conhecia seus pontos e por isso tirava vantagens em momentos como aquele, beijando, lambendo e mordiscando a pele alva.

- Shisui, eu preciso me concentrar – o cortou, tirando a mão libertina de sua coxa e o fazendo se afastar.

- Não, você não precisa. Eu conheço você e sei que já fez isso no mínimo duas vezes – a birra do namorado ainda era verdadeira e Itachi não conseguiu evitar rolar os olhos.

- Estou trabalhando e você deveria fazer o mesmo, senhor policial – disse irônico, e Shisui franziu o cenho incomodado.

- O meu turno já acabou – comentou direto, inclinando-se novamente sobre o companheiro – e estou com saudades, Tachi.

Shisui mordiscou o lóbulo da orelha do primo, o fazendo inclinar a cabeça. Ainda que quisesse revisar seus planos e estivesse irritado pela tentativa do maior em impedi-lo, Shisui era como um ímã para si, o atraindo mesmo contra sua vontade. A boca do namorado trilhou um caminho de beijos pelo maxilar perfeitamente aparado e chegou à boca, roubando um beijo apaixonado, Itachi retribuiu ao beijo, mas logo se afastou sabendo a intenção do mais velho – a mão novamente em sua coxa era um claro indicativo.

- Eu estou ocupado, Shisui – repetiu, esperando tolamente que o outro se afastasse.

Shisui semicerrou o olhar, mas concordou com um aceno, retirou a mão e voltou a se sentar ereto na cadeira. Itachi, desconfiado do comportamento dele, o olhou mais uma vez antes de reler suas anotações no mapa, contudo, no mesmo instante, ele sentiu uma mordida forte na sua região mais sensível: a união entre o maxilar e o pescoço. A surpresa fora tanta que pulou na cadeira e olhou revoltado para o primo.

- Shisui!

O sorriso normalmente alegre e resplandecente estava devasso, e o menor sentiu suas bochechas queimando por isso.

- Você está saindo em missão daqui a algumas horas, eu quero passar esse tempo com você – ele ainda conservava o tom rouco e sensual, mas o olhar era sério nesse momento.

- Shisui...

- Itachi – ele chamou pelo nome, indicando sua seriedade – eu fico preocupado quando você sai em missão sem a minha companhia.

- Está dizendo que eu não estou apto à missão? – ele arqueou uma sobrancelha e questionou indignado.

O primo balançou a cabeça em negativa e riu anasalado com a retórica do menor. Assim que os olhos cinzentos focaram no rosto de Itachi novamente, ele declarou aquilo que o anbu já ouvira tantas vezes.

- De modo algum! Você é excepcional, Itachi! – o sorriso que acompanhava sua fala era inconsciente, mas em seguida a expressão boba de Shisui se tornou sóbria – Eu nunca duvidei de suas capacidades ninjas e lealdade, e é isso que me preocupa. Eu sei que você se entregaria ao inimigo se isso garantisse o sucesso da missão e de Konoha.

Itachi desviou o olhar para a janela do quarto. Ele conseguia ver o jardim da casa e Sasuke treinando shurikens com sua mãe ali, a visão o fazia ter certeza de que, sim, ele se entregaria se isso garantisse a segurança de Sasuke no futuro. Itachi aceitava todas as consequências de seus atos, mas saber que o amado sofreria com isso era algo que o fazia sentir-se culpado.

- Cada vez que você sai sem mim, eu penso que não poderei mais vê-lo. Incidentes podem acontecer e esse pode ser o nosso último momento juntos – Shisui continuou a falar, mas Itachi ainda não olhava, seu foco estava no olhar determinado do irmãozinho.

- Eu não quero perdê-lo – a confissão veio junto a voz trêmula do mais velho, atraindo o olhar de Itachi. Shisui tinha os olhos úmidos e cheios de preocupação.

- Eu não vou morrer.

- Você não pode me prometer isso – rebateu.

Itachi e Shisui continuaram se entreolhando por alguns instantes, até que o menor se aproximou e roubou um beijo necessitado de Shisui. O mais velho estava certo, ele não poderia prometer que voltaria vivo para a Vila, mas poderia expressar o amor que sentia enquanto estivessem juntos.

As mãos de Shisui puxaram seu cabelo, desfazendo o rabo de cavalo baixo e jogando a máscara anbu no chão. Itachi saiu de sua cadeira e sentou-se em seu colo, ainda mantendo as bocas coladas e as línguas se tocando afoitas, as mãos pequenas tocaram a barriga do primo e levantaram a blusa azul marinho.

Se separaram para deslizarem o pano para cima. Shisui respirava com dificuldade e Itachi se aproveitou da posição para beijar o pescoço dele, enquanto remexia o quadril e sentia arrepios atravessando sua coluna. Shisui o ajudava a se movimentar, apertando as mãos na bunda do mais novo, remexendo o corpo pequeno sobre si enquanto gemia.

Quando o gênio Uchiha sentiu a ereção do outro começar a despontar, ele saiu de seu colo e se ajoelhou à frente dele. As mãos de Itachi subiram por suas coxas, apertando-as e indo até o cós da calça, descendo o tecido logo em seguida.

- Er... – Shisui engoliu a seco com a visão do amado entre suas pernas e o massageando daquela forma.

O Sharingan se ativou automaticamente quando a língua de Itachi se arrastou por seu membro, rodopiando a cabeça no fim e a instigando apenas com a ponta da língua. Suas mãos agarram os fios longos e então forçou a cabeça de Itachi, que não esperou nenhum sinal a mais para abocanhar o amado.

Itachi começou a chupar o parceiro lentamente, mas assim que as mãos em sua cabeça o forçaram mais, aumentou a velocidade em que se movia. O vai e vem continuou incessante, ora ou outra fechava os olhos e imaginava que ali era como um dango, o qual precisava de toda sua atenção e cuidado; e quando Shisui começou a se remexer demais, Itachi soube que ele estava prestes a gozar. Sabendo que aquela poderia ser a última vez em que se viam, continuou a chupá-lo, dessa vez, comprimindo as bochechas e indo até a base do parceiro.

Não demorou muito para que o mais velho atingisse o ápice com um gemido rouco e preenchesse a boca de Itachi, até uma fina camada de esperma escorrer pelo canto de sua boca fina. Shisui ainda fitava o mais novo engolir tudo, sorrindo malicioso no fim, e admirado com a visão, puxou o cabelo longo até que Itachi ficasse novamente em pé e se inclinasse para beijá-lo.

Ele sentiu o próprio gosto e achou que poderia morrer com o ósculo que era toda a situação em que estavam.

- Você ainda vai me matar um dia – disse, quase sem fôlego.

Itachi sorriu e sussurrou em seu ouvido:

- Só se for de prazer – após a fala desavergonhada, ele mordiscou o lóbulo da orelha e se afastou para ver a reação do mais velho.

O Sharingan continuava brilhando, deixando o primo ainda mais bonito, a boca cheia estava avermelhada pelo beijo e ele tinha pequenas gotas de suor na testa, deixando alguns cachos grudados ali. Era uma visão bela e Itachi queria maculá-la melhor forma possível: possuindo o namorado.

O gênio Uchiha puxou o primo pela mão, saindo da cadeira e indo tropegamente até a cama ao passo que trocavam mais beijos necessitados. Shisui e ele caíram na cama, mas o mais novo logo rolou por cima, esfregando se contra o outro e retirando o resto de sua calça com as pernas.

Normalmente, Shisui era o ativo da relação, mas em momentos como aquele, Itachi sabia que ele desejava ser possuído. O anbu queria ser um só com o amado e estar por cima tornava a relação ainda mais intensa, por isso continuou a beijá-lo com dominância, deixando clara sua intenção.

As mãos fortes de Shisui agarraram sua bunda por dentro da calça e começaram a abaixá-la, Itachi ainda continuava vestido com a armadura, mas ela demorava tempo demais para ser retirada, então continuariam daquele modo mesmo. Seria interessante, no fim.

Itachi arranhava as coxas do parceiro e beijava seu tronco demoradamente, arrastando a língua pelos músculos definidos, marcando àquele que era seu. Sem pensar muito, o mais novo se inclinou sobre Shisui, pegando o lubrificante e o preservativo na cômoda ao lado da cama, eles estavam um de frente para o outro e Itachi estava entre as pernas torneadas do primo.

Sentou-se sobre as próprias panturrilhas e espalhou o gel em seus dedos, os lambuzando, depois se inclinou novamente sobre o mais velho e usou a mão livre para empurrar a perna direita dele, facilitando sua entrada. Shisui respirou fundo quando sentiu os dedos gelados tocando sua região sensível e suspirou quando o primeiro dedo entrou, ele se remexeu desconfortável, mas vendo seu desconforto, o parceiro voltou a beijar seu pescoço.

Uma das mãos de Shisui apertava a bunda de Itachi enquanto a outra segurava sua própria perna. Ele não era tão flexível quanto o mais novo, ainda assim queria estar daquela forma porque era maravilhoso presenciar e apreciar Itachi à sua frente com tanto deleite, por isso o beijou também, marcando o pescoço alvo.

O segundo dedo entrou e Shisui gemeu incomodado no mesmo instante, fazendo o primo diminuir o ritmo que se movimentava e buscar os lábios cheios de novo ao passo que se esfregava contra a intimidade dele, tentando aliviar a tensão que o acometia. Após alguns minutos, Shisui ainda mantinha a careta de dor e Itachi se apoiou no cotovelo esquerdo para olhá-lo.

- Ainda está doendo? – ele movimentava os dedos com lentidão agora.

- Hum, sim... faz tempo que não fazemos isso.

Itachi riu e concordou.

- Segure suas pernas, eu vou tentar algo.

Shisui o obedeceu prontamente, vendo o companheiro se sentar sobre os calcanhares de novo e jogar mais lubrificante sobre sua entrada, a invadindo de novo. Ele procurava seu ponto com a mão direita, já a esquerda ia até seu membro e começava a estimulá-lo, o vai e vem constante em ambas as partes deixaram o prodígio desnorteado, mas quando Itachi voltou a roubar beijos luxuriosos, Shisui se viu completamente imerso em prazer.

Os dedos finos de Itachi foram substituídos pelo seu pau protegido e lubrificado. Shisui o observou se preparar com expectativa e deleite, por isso agradeceu quando se sentiu ser invadido com facilidade. Itachi se movimentou devagar, apoiando a mão livre na perna direita de Shisui e intensificando as investidas conforme os gemidos dele aumentavam, assim como sua estimulação.

- Tachi...

O mais velho resmungou inconsciente, apertando o corpo do mais novo contra si num abraço acolhedor e ao mesmo tempo necessitado. O membro entre eles passou a ser estimulado com o próprio movimento dos corpos se mexendo, e Itachi considerava toda a sensação luxuriosa.

Shisui tinha os olhos úmidos, a testa suada e respirava com dificuldade. Itachi vendo a reação positiva dele, começou a aumentar sua velocidade de saída e entrava no parceiro, buscando atingir o ponto sensível dele enquanto sentia a entrada expulsá-lo e apertá-lo deliciosamente.

- Porra! – Shisui gritou ao ter a próstata atingida.

Itachi também sentia o prazer se alastrar em seu ventre, mas tentou controlar a respiração e durar mais. O coração batia acelerado e o sangue parecia ferver em suas veias, ainda assim ele capturou o pescoço roxo de Shisui a fim de mordê-lo e beijá-lo, deixando explícitas suas marcas de posse sobre o mais velho. Tomou a mão de Shisui na sua e forçou o aperto a cada nova investida, encostando suas testas e focando-se apenas em dar prazer ao companheiro.

- Eu amo você – Itachi confessou investindo com intensidade em Shisui, o fazendo chorar.

A sentença foi repetida a cada nova estocada e aperto de dedos.

Shisui continuava gemendo e chorando, sem conseguir responder à declaração com propriedade, então apenas mordia o ombro desprotegido de Itachi, xingando alto, e o abraçava com seu braço livre até o momento que finalmente se libertou, sujando a si mesmo e a armadura do amado.

- Porra! – Shisui repetiu num rosnado rouco.

O mais novo sentiu o interior do primo pressioná-lo para fora com mais força e sentindo o corpo trêmulo abaixo, se permitiu gozar também, preenchendo o preservativo e sentindo a respiração falhar ao passo que o corpo travava. Em seguida se contorceu a cima do namorado e desfaleceu sobre ele.

- Porra... – Shisui resmungou sonolento.

Eles permaneceram abraçados por alguns instantes até Itachi rolar para o lado a fim de retirar o preservativo, depois arrumou a calça arriada e foi para o banheiro limpar a armadura suja e refazer o rabo de cavalo baixo. Shisui, ainda languido, sorriu anestesiado ouvindo o zumbido em seus ouvidos que denunciavam o coração acelerado e acompanhou com o olhar o parceiro desaparecer pela porta do banheiro privativo.

Itachi voltou com já arrumado e recolheu a máscara caída no chão, a expressão tinha um sorriso sereno e ele fitou Shisui com atenção, o amado permanecia deitado no colchão, respirando com dificuldade, porém a expressão dolorosamente prazerosa de antes fora substituída por uma de genuína preocupação.

- Tome cuidado – falou com dificuldade.

- Não precisa se preocupar comigo – respondeu, aproximando-se da cama e sentando-se ao lado do companheiro nu.

- Eu amo você, é impossível não me preocupar – Shisui retrucou, sentando-se na cama e ficando na mesma altura do mais novo, olhando fixamente para seu rosto.

Itachi sorriu e depois encostou seus lábios num selinho demorado.

- Estou pensando em raptá-lo e impedir sua missão – o prodígio Uchiha falou com graça, e Itachi riu divertido, encostando suas testas.

Aproveitando-se da posição, Shisui tocou o nariz de Itachi com o seu, a carícia era suave e tornava o clima mais terno entre os dois.

- Estarei de volta antes que sinta saudades.

- Impossível, estou sentindo saudades de você agora mesmo – o mais velho falou sorridente antes de distribuir selinhos no rosto do amado.

Itachi riu e depois se levantou, pegando o equipamento da missão. Antes de sair do quarto, porém, ele se virou para cama e observou a expressão aflita do parceiro, ponderando se deveria se despedir apropriadamente, então voltou a se aproximar e tocou o queixo de Shisui com carinho.

- Não há nenhuma paz que eu deseje, se você não estiver ao meu lado para desfrutá-la. Você e Sasuke são as pessoas mais importantes da minha vida, mas você é o único que tem meu coração. Eu sempre irei voltar para você, Shisui – confessou, olhando no fundo dos olhos do parceiro.

Os olhos cinzentos umedeceram de novo e ele abraçou Itachi com força, o trazendo para a cama junto a si, atordoado e feliz pela declaração.

- Tachi!

-------------------------------------

Espero que tenham gostado! Link do grupo shiita> https://www.facebook.com/groups/CSSHIITA/

29 de Maio de 2018 às 00:52 0 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~