samuelpalmeira Samuel A. Palmeira

No coração do Império Persa, em Susã, Hamã, o poderoso vizir, tece uma rede de intrigas e estratégias para consolidar seu poder. Confrontado com desafios políticos e culturais, ele luta para manter sua posição sob o reinado de Xerxes, enquanto o destino de um império se desdobra ao seu redor.


#11 em Romance #2 em Religião ou Espiritualidade Todo o público.

#política #bíblia #maquiavel #rainhaester #hamã
23
17.7mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Terças-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sombras e Glórias de Susã




Sob o céu estrelado de Susã, a capital do Império Persa, a luz das tochas criava um balé de sombras nas paredes do palácio. Os relevos e afrescos, iluminados por essa luz cálida, narravam conquistas e glórias antigas, enquanto os tapetes persas, com seus desenhos intrincados, traziam cor e história ao mármore frio dos corredores. E bem no centro dessa cena, Hamã, o vizir do rei, caminhava com imponência pelos corredores, suas vestes luxuosas refletindo seu poder. Sua figura imponente destacava-se, vestido com roupas finamente tecidas, símbolo de seu status elevado e riqueza.


— Esta noite, as estrelas parecem sussurrar promessas de grandeza, — murmurava Hamã, seus pensamentos perdidos na grandiosidade do império.


Estou destinado a ser mais do que um mero vizir — refletia Hamã, perdido em seus pensamentos.


Ele atravessava os jardins ornamentais, onde o perfume do jasmim se mesclava com o aroma do deserto.


— Um império de intrigas... até onde poderei chegar? — questionava-se, contemplando o mosaico de culturas sob o reinado de Xerxes I.


Seus passos o levavam por entre os afrescos, iluminados pela luz quente das tochas, que contavam histórias de conquistas passadas.


A estrutura política e social do império era um pano de fundo constante para suas maquinações. Persas, judeus e outros povos coexistiam sob o governo centralizado do rei Xerxes I, uma coexistência marcada por tensões e alianças frágeis. Hamã sabia que, para manter sua posição, precisava ser hábil nessas águas turbulentas. (Maquiavel muito mais tarde, teorizaria sobre estas práticas).


— Aqui, onde persas e judeus coexistem, cada aliança é um passo em um jogo delicado, — refletia, sua mente traçando estratégias como um enxadrista.


Ao lembrar-se das celebrações do Nowruz, Hamã sorria. As ruas de Susã se transformavam, vibrantes com a alegria do festival persa que celebrava o ano novo. Durante o Nowruz, as ruas de Susã se transformavam, pulsando com a energia e a alegria da celebração. As praças e mercados eram decorados com fitas coloridas e lanternas, e em cada canto, músicos tocavam melodias tradicionais, enquanto dançarinos giravam em trajes vibrantes. Nos palácios e casas, as famílias se reuniam para os banquetes, onde mesas eram repletas de iguarias como o sabzi polo (arroz com ervas), o kuku (uma espécie de frittata de ervas), e o dolma (legumes recheados), acompanhados de frutas frescas e uma variedade de doces. Esses banquetes não eram apenas uma celebração da culinária persa, mas também um momento para fortalecer laços familiares e comunitários.


— Durante o Nowruz, a cidade ganha vida, — dizia para si mesmo, recordando as praças decoradas e a música que enchia o ar.


Ele imaginava os banquetes, mesas repletas de sabzi polo, kuku e dolma, onde famílias se reuniam, tecendo laços.


— Nestes banquetes, não é apenas a culinária persa que celebra-se, mas nossa comunidade, nossa cultura, — concluía Hamã, sentindo-se parte de algo maior, mesmo em meio a suas ambições.


Naquela noite, enquanto as sombras dançavam e as estrelas brilhavam, Hamã caminhava pelos corredores do palácio, cada passo um reflexo de sua jornada em um império de belezas e intrigas.


Um elemento central do Nowruz é a Haft-Seen, uma mesa cuidadosamente arranjada com sete itens que começam com a letra 'S' no idioma persa. Cada um desses itens simboliza um aspecto da vida, como renovação, amor, saúde e prosperidade. Entre eles, estão grãos germinados (representando renascimento), maçãs (simbolizando beleza e saúde), e alho (para medicina e cuidados com a saúde). Hamã, em meio a essas celebrações, via mais do que tradições. Para ele, o Nowruz era um período de diplomacia sutil, de manobras políticas entre os entusiastas da festa. Nos salões do palácio, enquanto o povo celebrava nas ruas, os nobres se reuniam, trocando cortesias e presentes. Era um jogo de poder e influência.


— O rei Xerxes confia em mim, mas até quando? — Hamã refletia, caminhando pelos corredores de mármore


O aroma doce e picante do incenso queimava em brasas nos cantos dos salões, uma prática comum nas cerimônias e festas persas, infundindo o ar com um perfume que era ao mesmo tempo exótico e familiar. Seus pensamentos voltavam-se para Mardoqueu, um judeu que ousava desafiar sua autoridade. A relação entre os judeus e os persas sob o domínio de Xerxes era complexa, marcada por momentos de tensão e cooperação. Hamã via em Mardoqueu não apenas um desafio pessoal, mas também um símbolo das delicadas dinâmicas culturais do império.


Caminhando, o frio das pedras de mármore sob seus pés contrastava com o calor das tochas.


— Subi ao topo, mas só eu sei a que custo — Hamã se pensava, enquanto as sombras nas paredes pareciam sussurrar dúvidas inquietantes que ele não estava pronto para ouvir.



À medida que a noite se aprofundava em Susã, os pensamentos de Hamã se tornavam mais introspectivos. O capítulo de suas reflexões sob as estrelas chegava ao fim, mas as sombras do palácio ainda tinham histórias a contar.




23 de Janeiro de 2024 às 00:06 10 Denunciar Insira Seguir história
10
Leia o próximo capítulo Entre a Grandeza e a Dúvida

Comente algo

Publique!
Drive 2021 Drive 2021
Parabéns!!!
April 29, 2024, 23:55
SERGIO BACKUP SERGIO BACKUP
OLÁ SAMUEL ACHEI MUITO CRIATIVA ESTA RELEITURA SOBRE HAMÃ! OS PENSAMENTOS DO PERSONAGEM, PARA MIM, SÃO BASTANTES CRÍVEIS! GOSTEI MUITO!
April 07, 2024, 18:29
Sócrates  Nikolaidis Sócrates Nikolaidis
BUEN DESARROLLO
April 06, 2024, 18:44
Marcelo Farnési Marcelo Farnési
Parabéns! Muito imersivo.
February 06, 2024, 10:14

Raquel Gloria Raquel Gloria
Muito bom
February 01, 2024, 18:38
Samuel A. Palmeira Samuel A. Palmeira
A história de Hamã no Império Persa ensina sobre as complexidades do poder, a importância da cultura e tradição, a dualidade da natureza humana, o valor da integridade e coragem, as consequências das ações e a interconexão social e política. Hamã, como vizir, exemplifica as nuances e desafios do poder, enquanto a celebração do Nowruz destaca o papel crucial da cultura e tradições na sociedade. Mardoqueu representa a resistência moral e a importância de se manter fiel aos princípios. A trama aborda como decisões, especialmente as de liderança, afetam outros, e ressalta a interligação entre política e relações sociais, ilustrando a complexidade da natureza humana e as responsabilidades do poder.
January 27, 2024, 22:08
Isaias Gst Isaias Gst
Gostei muito de ler ❤️
January 23, 2024, 01:09

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!