Toranzu Seguir história

amirac Amira Chiwa

Mais um dia que eu acordo e nessa minha vida cheia de mágoas, desejando apenas ser feliz. Me sentir tão triste quando me olho no espelho, não me reconhecendo naquele reflexo, vendo aquele rosto com aquela barba rala e pensando "sou eu mesma?". Sim, isso mesmo, eu sou uma menina transgênero. Nasci no corpo errado... Não sabem o quanto é difícil ser assim, os olhares, os sussurros contendo ofensas...


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#universo-alternativo #naruto #yaoi #lgbt
3
5.3mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um pouco de mim

Mais um dia que eu acordo e nessa minha vida cheia de mágoas, desejando apenas ser feliz. Me sentir tão triste quando me olho no espelho, não me reconhecendo naquele reflexo, vendo aquele rosto com aquela barba rala e pensando "sou eu mesma?". Sim, isso mesmo, eu sou uma menina transgênero. Nasci no corpo errado... Não sabem o quanto é difícil ser assim, os olhares, os sussurros contendo ofensas... e eu ainda nem passei pela transição, a única coisa que me serve de grito para a sociedade para mostrar quem eu realmente sou são meus cabelos compridos.

- Naruto, acorde logo ou vai se atrasar para escola. - Iruka meu antigo professor e atual tutor me chamando.

Como eu odeio ser chamada por esse nome que me lembra que eu estou presa em um corpo masculino, queria tanto passar pela transição, mas nem sei se terei coragem de me assumir para o mundo um dia. Ainda mais morando em Konoha,uma cidade pequena no Japão, onde o preconceito é enorme. Já sofro bullying apenas por ter os cabelos compridos e tento manter o meu rosto o mais feminino possível.

- Iruka-sensei já levantei. Estou me arrumando, não precisa se preocupar esse ano serei mais responsável.

Isso não era uma mentira, já que eu quero melhorar na escola esse ano pra, quem sabe, no futuro eu possa morar em outro lugar e me assumir como a mulher que eu sou.

Começo a me arrumar e penso como vai ser um longo dia. Terque conviver com todos aqueles que me fazem sofrer apenas por não me entenderem, e logo já estou pronta. Terei que ir de bicicleta porque nós somos relativamente bem de vida, Iruka trabalha bastante e tem semanas que eu o vejo tão pouco... agradeço tanto o esforço dele por mim... Por aceitar me criar após eu viver tantos anos em um orfanato, sem ao menos saber quem são os meus pais...

As vezes imagino-me tendo uma vida feliz com eles, com uma mãe que me aceite como eu sou e que me ajude a pentear os meus cabelos, que iria em lojas me ajudar a comprar roupas e essas coisas.

~~~

Chegando a escola encontro a Ino, uma garota linda, e olhando para ela imagino que se eu não tivesse nascido como menino seria igual a ela, com seus lindos cabelos loiros e olhos azuis como os meus, um rosto feminino que não fosse preciso fazer barba todos, que tenha seios como os delas e não tenha um pênis. Como eu odeio meu órgão genital, sempre ali me mostrando minha condição.

Logo entro para a sala de aula, fico no fundo desejando que todos se esqueçam da minha existência para que não tenha que ouvir aquelas palavras de ódio.

Com a minha hiperatividade é difícil me concentrar nas aulas, com os pensamentos a mil, nem percebo que está na hora do intervalo e estou sozinha na sala de aula. Percebo que esse é o momento de por meu plano em pratica.

Como eu não moro com nenhuma mulher nunca tive como experimentar objetos femininos, como eu quero ter a sensação de usar maquiagem, calcinhas e sutiã, me sentir uma menina não uma princesa presa dentro de um sapo.

Tem muitos dias que eu quero saber como é ter um batom em meus lábios, seria como a sensação de liberdade que eu tanto anseio?

Vou até a carteira da Ino e observo que sua mochila está lá, minha grande chance, abro e retiro de lá sua necessaire contendo seus produtos de maquiagem. Após alguns minutos escolhendo pego um brilho rosa algo que ela deve usar bem pouco e guardo suas coisas tendo o cuidado de deixar tudo no mesmo lugar.

Sai o correndo para o banheiro tão extasiada, finalmente irei realizar um desejo meu.

Verifico se o banheiro está vazio, nunca pensei que estaria tão feliz usando um banheiro masculino, vou para perto do espelho e vou passando o batom devagar e quando vejo o resultado mesmo que esteja um pouco borrado. Sou eu? Aquela menina refletida, solto meus cabelos para que pareça mais feminina e começo a chorar.

Nos meus 16 anos de vida só estive feliz assim quando o Iruka conseguiu a minha guarda e agora eu vejo no espelho a Naru e não o Naruto.

14 de Maio de 2018 às 23:25 2 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Indestrutível

Comentar algo

Publique!
E C E C
Aaaaaaaaaa Eu já tô toda emocionada! Depois dizem que eu escrevo angst, olha só isso. Já prevejo que vou chorar muito ao longo da fic. Mas vamos lá, eu confesso que não entendo como é passar por isso. Mas eu entendo a dor do deslocamento, se sentir o peixe fora d'água. É muito foda, e deve ser mais ainda preso em um corpo que não condiz com você. Por isso, eu sei o quão importante é escrever sobre isso para contar as pessoas como é. Não vejo outro veículo melhor do que uma fanfic para falar de trans. Meu Narutinho aqui será a Narutinha e mal começou e já quero protege lá. Eu amei a cena final, eu consegui ver ela chora de verdade com aquilo, tanto que quase chorei junto. Parabéns meu amore, até o próximo💛💛💛💛💛💛
May 15, 2018, 00:27

  • Amira Chiwa Amira Chiwa
    Muito obrigada a você por sempre me dar força para escrever <3. Naru vai sofrer tanto ainda.... tadinha o mundo não entende as pessoas diferentes May 28, 2018, 20:41
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas