Por Favor Seguir história

kamysouza Kamy Souza

Ela sentia a falta dele, mas jamais admitiria. ♛ História também postada no Nyah! Fanfiction e Wattpad com o mesmo nome de usuário ♛ Continuação de Minha Rainha


Fanfiction Livros Todo o público.

#one-shot #themortalinstruments #osinstrumentosmortais #clastian #claryfray #clary #jonathan #jonathanmorgenstern #morgenstern #fanfic #incesto
Conto
1
5.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

–Jonathan... Jonathan é você? Onde você está?


Clary olhava a sua volta. Estava perdida na escuridão. Confusa sobre onde estava e quem - ou o que - se movia pelas sombras.


Ela podia sentir a presença dele, o garoto de cabelos platinados e olhos negros, mas não conseguia enxergar nem o próprio braço estendido à frente do corpo.


Estava frio e ela ainda estava vestida com o pijama que fora dormir. Sua voz era como um eco surdo no vazio em que se encontrava, e um sentimento de desolação e desespero começava a tomar conta de seu ser.


–Jonathan... -Foi interrompida por seu próprio soluço.


Não havia ninguém ali, o que quer que ela falasse ou demonstrasse não seria testemunhado. Era o momento perfeito para deixar vir à superfície o que vinha guardando desde que ele partira.


Lágrimas se derramaram por seu rosto enquanto cedia ao peso do próprio corpo.


–Eu sinto muito por não ter salvo você. Sinto por tê-lo deixado ir. -Ela chorava, abraçada a si mesma, se protegendo do exterior, agora que havia perdido o controle de seu interior. -Por favor, me perdoe. Por favor, Jonathan!




Posso ouvir você chamando por mim.


Clary se sobressaltou. Jurava ter ouvido a voz dele, e havia toda aquela escuridão a sua volta, mas agora, olhando em volta, se sentiu aliviada por estar de volta a segurança de seu quarto.


Tudo havia sido um sonho, tentou se convencer, mas ainda sentia as bochechas molhadas, uma fração do desespero que havia sentido, e o calor que ouvir sua voz a proporcionou.


Olhou para o desenho que tinha ao seu lado. Ela o havia desenhado aquela noite, como em muitos outros momentos. Nem mesmo Jace era retratado como ela o fazia com Jonathan. Não o via a algum tempo, e não tinha nada com o que comparar. Mas o desenho adornado por asas fazia com que ela sentisse que ele estava mais perto do que era possível. E de certa forma, olhá-lo, a acalmava.


Mas não naquele momento. Tudo o que sentia ao ver a face pálida era agitação.


Havia aquela frase, que ecoava em sua mente em um resquício do que deixara para trás em sonho.


A voz dele, e o que soou como uma promessa, a qual. ela ainda não tinha certeza de como se sentir.


Estou chegando, Clary

11 de Maio de 2018 às 20:24 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~