Banquinho Seguir história

tiotobirama brener Silva

Se tivéssemos chance de escolher diferente o resultado das nossa ações mudaria?


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#suicidio #sai #ino #angst #naruto
2
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Fim

Antes de tudo deixo o aviso de que essa historia trata sobre os momentos finais de um suicida, então, por favor, não leia se você tiver gatilho em relação a essa situação.


________________________________________________________________________________________

     A meu amor me lembro até hoje da primeira vez que nos encontramos, naquele parque em um dia de primavera você estava sentando desenhando e eu vendendo flores na barraca dos meus pais na feira que sempre participávamos, eu me lembro de ficar curiosa sobre você oque aquele garoto passou dia desenhando? Dei um jeito de me aproximar e ver que você me desenhava, achei aquilo muito fofo, ainda mais pelo seu jeito todo envergonhado quando me viu, até hoje me lembro de sentar com você naquele banquinho do parque e conversar horas a fio me lembro até hoje das risadas que você me proporcionou, ali meu coração sabia era você.

     Me lembro também de me sentar em um banco de praça em frente a maternidade seis messes depois do começo do nosso namoro, eu tremia de ansiedade com aquele envelope na mão eu sabia o resultado, mas me preocupava em como você ia reagir a saber que eu carregava uma criança nossa, me lembro de ligar pra você e em minutos você chegar todo preocupado, então eu contei e comecei a chorar, espertando que você me xingasse, que me pedisse para abortar, eu sei que fui errada a final eu só chorei por dois segundos antes de você me levantar no ar sorrindo e me girando eu te olhei e vi felicidade vi o futuro e meu amor como era feliz.

     Também reverberavam em minha mente todo o mal estar que passei na gravidez do nosso menino, mas também estava na minha mente a sua paciência e força você foi o meu bastião cuidando de mim. Lembro dos enjôos que eu odiava que você visse, eu pensava que já te dava tanto trabalho, mas você ria do meu jeito e me ajudava sob protestos meus, eu chorava nos estágios mais avançados da gravidez às vezes por nada, mas qualquer que fosse o motivo você estava lá.

     Só que você se lembra não é Sai do pior ano das nossas vidas, quando Inojin nasceu, foi à pior época da gente, contas, brigas a doença do meu pai eu nunca menti para você eu tive medo de acabar ali, que nos acabacemos ali, mas juntos superamos, juntos nos tornamos melhores e depois disso veio a melhor época da minha vida, dez anos de felicidade pura, me lembro de tudo dos aniversários do nosso filho, das surpresas nos nosso aniversários, eu adorava cada segundo ao lado de vocês dois, eu vivia um sonho.

     Mas também me lembro de como tudo mudou, me lembro de quando encontrei uma amiga de infância que me convidou para o aniversario de sua filha, me lembro de te contar isso e você sentado em um banquinho na nossa cozinha disse sim, será que eu estaria aqui agora olhando para esse banquinho se você tivesse dito não? Será que eu estaria olhando para o teto para o laço que eu havia feito?

    Eu também lembro da chuva que caia naquele dia, você disse que talvez não fosse bom sair, mas eu na minha promessa besta de ir ao aniversario da filha de minha amiga disse que tudo ficaria bem, que seria legal, ledo engano. Me Lembro de Inojin pedir para sentar no banco da frente, queria ir do lado do pai e eu deixei afinal que mal teria, se eu tivesse dito não será que eu o teria comigo? Será que eu estaria aqui subindo nesse banco?

     Eu me lembro de Inojin mexendo no radio ele queria por uma musica que gostava, ele não tinha muito experiência com o rádio e acabou bagunçando tudo foi engraçado o som todo descontrolado, me lembro de você ajudá-lo rindo comigo da cara contrariada do nosso filho, me lembro do comentário cômico que fiz até Inojin riu e me lembro dos faróis altos que iluminaram nosso carro, você levantou a cabeça e freou tentou nos proteger até o ultimo momento tentando evitar batermos contra aquela carreta que vinha na contra mão, seria um motorista bêbado? Eu não sei eu só me lembro do impacto e do barulho, me lembro de girar ladeira abaixo, não me lembro da dor apesar de ter quebrado alguns ossos, oque me lembro é de quando o carro parou de girar me lembro de te olhar e ver seu rosto manchado, sem vida.

     Me lembro de dias depois te chamar e acordar em um hospital, me lembro daquela medica loira fazendo rodeios, não me contando oque aconteceu, me lembro de descobrir que vocês dois não estavam mais comigo e que nem me despedir eu podia, vocês já tinham sido sepultados, será que se eu tivesse me despedido estaria pondo o laço em volta do pescoço?

     Agora essas lembranças são novas para você afinal você já tinha partido, eu me lembro da psicóloga me dizer que eu tinha que superar, me lembro das pessoas próximas dando todo “apoio” delas, mas todos esse queriam que eu simplesmente deixasse dor de perder a minha vida pra trás, elas queriam que eu apagasse a minha vida e tivesse outra, todos diziam que eu ia superar que vocês queriam que eu superasse, mas ninguém estava disposto a estar comigo sempre, com o tempo me lembro de todos me visitando menos, de todos conversando menos, acho que se cansaram de tentar me fazer esquecer, será meu amor que se eu tivesse esquecido tudo eu não estaria empurrando o banquinho e finalmente sentindo um pouco da dor que minha cabeça apagou do dia que perdi tudo?

     São muitas perguntas meu amor, será que essa dor ira durar muito? Será que o a minha vida tinha futuro sem vocês? Será que quando não houver mais forças me ligando a vida eu vou te ver?

     Eu não sei nenhuma das respostas eu só sei que agora a minha vista escurece a minha garganta queima, minha cabeça parece uma panela de pressão será que vale a pena tudo isso que estou fazendo? Eu não sei, a única resposta que sei é oque eu quero ouvir quando acabar.

-Olá meu amor.

25 de Abril de 2018 às 21:10 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~