Idílico Seguir história

thammirb Thammi RB

A guerra havia terminado. A União Shinobe venceu. Kaguya estava selada e aqueles que partiram podiam finalmente descansar em paz. Mas para o jinchuuriki de Kurama não sentia a felicidade que devia sentir... Teria forças para assistir Sasuke partir mais uma vez?


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#narusasu #bl #yaoi #manga #anime #sasuke #naruto
5
5079 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único

❤ Hello ❤
História com spoiler do capitulo do mangá 699
Não está exatamente igual porque foi baseada em algumas imagens que eu vi em um grupo do face Família SasuNaru (grupo divoso por sinal).
É, mas uma idéia que ficou presa na minha cabeça e eu escrevi em uma agenda no horário de trabalho e digitei na madruga
Viva a insônia auhauhsuahs
Aproveitem...

~*~

A promessa foi comprimida.

Finalmente Naruto havia conseguido trazer Sasuke de volta para Konoha.

Os olhos que facilmente rivalizavam com a cor do céu, encaravam a imensidão azul com angústia que muitos julgariam infundada. Ele era o grande herói da guerra. Reconhecido como um dos maiores shinobes, não só em Konoha mais em todas as nações.

E o mais importante de tudo ele estava de volta.

Então por que? Por que estava doendo tanto? O que era aquela avalanche de sentimentos estremecendo seu corpo?

Suspirou irritado sentindo o braço fantasma formigar. A prótese que Tsunade estava desenvolvendo ficaria pronta em alguns dias, mas não se importava de verdade com isso. A perda do membro não tinha sido tão assustadora assim...

O comunicado de Kakashi por outro lado era aterrorizante.

...

O Uzumaki estava ereto, Sakura ao seu lado na mesma posição. Ambos em frente ao Rokudaime Hokage que o encarava de volta da forma tranqüila e inexpressiva que lhe era tão característica. Era nítido que os dois jovens a sua frente estavam se contorcendo por dentro para saber das notícias.

- Sasuke está livre – anunciou vendo-os suspirar de puro alivio. – Todos os seus crimes foram perdoados e serão esquecidos.

- Então ele vai ficar? – Sakura apertou as mãos.

Naruto firmou o queixo – movimento que não passou despercebido ao seu sensei -, tentando desesperadamente não deixar o monstro emocional chamado de ciúmes crescer contra sua amiga mais querida. Ela não tinha como saber que desde do momento em que se reencontraram após Sasuke ter matado Danzou, ele finalmente enxergou qual era a verdadeira natureza dos seus sentimentos pelo Uchiha.

Claro que de cara negou aquilo.

Mas quando Hagoromo contou que eles eram irmãos em uma vida passada, amigos em outra e pela terceira vez se encontraram, não pode mais lutar. Sasuke Uchiha e Uzumaki Naruto eram almas gêmeas. Seu maior temor, no entanto era descobrir se o moreno também se sentia assim.

Ele era o único no mundo com capacidade de amar Sasuke, era também único que tinha esse direito. Quando todos desistiram do ex-ninja renegado, foi ele quem continuou acreditando. Compreendia as razões daquele ódio, o aceitava, o purificava.

O mais novo Hohake da aldeia da folha juntou as mãos frente ao rosto.

- Ele já pediu minha permissão para partir. Ele não vai ficar.

O jinchuuriki sentiu o coração apertar, mas não protestou como faria antigamente. Não. A guerra o havia amadurecido muito. O amor o havia amadurecido muito. E também, Sakura já estava protestando com ênfase pelos dois.

Seria mentira se não dissesse que já esperava por aquela escolha. A verdade sobre o clã Uchiha e as decisões de Itachi ainda eram obstáculos a serem digeridos pelo moreno.

- Ele disse quando pretende ir? – Indagou sem olhar para ninguém quando Sakura finalmente se deu por vencida.

- Assim que receber alta... O que deve ser amanhã.

...

O teto do seu quarto nunca pareceu tão interessante. Naruto gemeu se espreguiçando e rodou na cama já completamente bagunçada. Há essa hora, Sasuke já devia ter saído do hospital e provavelmente estava sendo escoltado por Kakashi e Sakura para os portões da vila. Não foi julgado por não comparecer, mas francamente, estava se sentindo um covarde.

Para quem tinha encarada uma deusa e a selado, não conseguir olhar nos olhos de Sasuke devia ser o cúmulo do absurdo.

Sabe que entrar em negação não vai resolver nada, não sabe?

Engoliu a seco ao escutar a voz de Kurama dentro da sua consciência. Esperava de coração que a raposa ainda estivesse dormindo. A presença do ser místico a muito aceita, no momento era um pouco invasiva, pois nem ele mesmo compreendia o que estava acontecendo.

Como não compreende seu idiota? – A raposa soou irritada. – Você ama aquele Uchiha e ficar trancado dentro do quarto não vai impedir que ele vá para longe de você mais uma vez.

Kurama eu não posso pedir que ele fique aqui, não depois das coisas terríveis que ele descobriu.

Saltou da cama e começou a andar em círculos pelo quarto como um animal enjaulado.

Além disso, mesmo que eu o ame, não significa que o sentimento é recíproco.

Você não pode imaginar a emoção que é para mim ouvir você pensando em palavras difíceis como “recíproco”.

O demônio não pode deixar de caçoar, primeiro para aliviar o clima e segundo porque realmente era uma grande vitória Naruto falar palavras com mais de quatro sílabas.

Isso não ajuda!

O tom levemente choroso do Uzumaki pareceu apiedar a raposa que ficou alguns segundos quieta, ponderando sobre o que falar para acalmar aquela energia sentimental extensa.

Se não for recíproco, o que eu duvido muito que não seja, você pelo menos vai colocar um ponto final nessa história toda. Ela já durou tempo demais, Naruto. Foram três vidas.

Aquele era um argumento inquebrável e Kurama sabia disso tanto quanto ele que se calou após martelar aquilo para Naruto. Nas duas primeiras vezes o ódio e a inveja conseguiram fazer com que se matassem. Pelo menos na terceira isso não viria acontecer.

- A terceira vez sempre é a decisiva – riu triste da constatação.

Seu maior medo era ir até lá, expor cada um dos seus sentimentos, entregar seu coração para Sasuke e não adiantar absolutamente nada.

Nãos sabia se teria forças para vê-lo indo embora mais uma vez.

...

Sasuke respirou fundo, a despedida de Sakura e Kakashi não foi nada além do esperado. Eles haviam respeitado sua decisão ainda que não a compreendessem. Bom, talvez seu antigo mestre entendesse um pouco.

Ódio, inferioridade, inveja, arrogância, ambição tudo isso tinha se acumulado no seu coração e o cegado para as coisas maravilhosas que tinham no mundo. Era por isso que tinha que ir. Precisava ver as coisas incríveis que a vida podia oferecer sem aquela nuvem negra de sentimentos ocres.

E tempo.

Tempo para digerir e se acostumar aos sentimentos que sentia pelo herói de Konoha. Acostumar-se-ia a eles e nunca, jamais tentaria apagá-los, porque depois do amor que sentiu pelo seu irmão aquela era a coisa mais bonita poderosa que podia sentir.

Era um amor idílico, maravilhoso, suave, utópico...

Um pequeno sorriso nasceu nos lábios bem desenhados e respirou fundo tomando o caminho que o levaria para longe de Naruto mais uma vez.

Não tinha direito de tê-lo, não depois de tantos erros e decisões equivocadas e egoístas. Ele seria o próximo Hokage, guiaria o mundo shinobe para um lugar melhor, seria o prólogo de um tempo onde nenhuma criança precisaria crescer em meio à guerra e todos os sacrifícios de Itachi valeriam à pena.

Sentiu cada músculo do corpo tencionar aquela presença ensolarada. Virou-se lentamente, seu sol estava apoiado em uma árvore. A expressão decidida, mesma expressão que usou na batalha no Vale do Fim.

Os dois se encaram com firmeza, seus sentimentos entalados nas gargantas, fazendo com que os corações bastassem em um ritmo tão frenético que repercutia em seus ouvidos. Entre eles tudo era assim. Forte, intenso e enlouquecedor.

Tentando disfarçar o quão trêmulo estava Naruto estendeu a bandana riscada guardada por tanto tempo e usada como símbolo para sempre reforçar a promessa de nunca desistir do seu amigo que posteriormente descobria que era a sua alma gêmea. Os olhos negros amoleceram e não julgava o aparente nervosismo do jinchuuriki, sabia o quanto aquele momento significava para ele.

O agora, ex-ninja renegado pegou o objeto com ternura e sentiu o coração parar por um minuto quando teve a mão segurada com firmeza pela do Uzumaki. Seu corpo foi puxado com certa violência, mas sabia que era pura ânsia, aquele era o primeiro abraço que recebia em muito tempo. Deixou o ar escapar por entre seus lábios com satisfação e, ser embalado por aquele corpo quente.

Naruto fechou os olhos e afundou o rosto na curva do pescoço e ombro alheio, inspirando o cheiro natural do Uchiha. Um arrepio gostoso desceu pela sua espinha e o desejo de senti-lo por inteiro cresceu dentro do si. Por um momento considerou que seus batimentos cardíacos estavam no mesmo ritmo.

Com relutância se afastou do moreno com o olhar baixo. Tinha que deixá-lo ir. Não podia exigir que ficasse no local que causou tanta dor á ele, que traiu sua família e sacrificou seu adorado irmão mais velho sem nenhuma piedade. Não. Sasuke merecia a chance de viver uma vida decente longe daquelas lembranças tenebrosas. A hora finalmente havia chego. Ia perdê-lo de novo e dessa vez, talvez, fosse para sempre. Um suspiro frágil escapou ao sentir que Sasuke estava aproximando seus rostos com um objetivo claro. Mas um medo descomunal, um que nunca sentiu o antes fez com que espalmasse a mão no peito branco coberto pela roupa de viagem e o afastou agitado.

A inesperada rejeição quebrou o coração do moreno e por um momento, só por um momento deixou transparecer na sua expressão a tristeza e o remorso. Naruto sempre foi como um livro aberto ainda mais para ele e estava claro a apreensão naqueles bonitos olhos azuis.

O que esperava?

Depois de tantas vezes que o magoou, seria arrogância demais esperar que o elo que os unia ainda fosse o mesmo e a tola esperança de que seus laços evoluiriam para algo a mais se apagou como uma tocha deixada a mercê de uma tempestade.

Suavizou a expressão sentindo pela primeira vez de verdade o peso das suas decisões. Era o preço a se pagar. Retraiu a mão que ainda estava presa entre os dedos bronzeados, apertou a bandana surrada pelo tempo com força. Aquela era a última relíquia do tempo que tiveram juntos.

Recomeçou seus passos com a postura ereta, recusando-se a olhar novamente para a face do Uzumaki. Preferia não ver as emoções expostas lá. A cada centímetro que se destanciava era como uma nova ferida na sua alma.

Naruto ofegava silenciosamente ouvindo o som dos pés de Sasuke o levando para cada vez mais longe.

Faça algo antes que se arrependa!

A voz de Kurama soou alta dentro da sua cabeça.

Vamos pirralho! Ele é a sua felicidade.

Naruto apertou o peito na região do coração.

- Teme!

Sasuke parou de andar imediatamente, mas não teve coragem reunida para olhar para trás.

-... No dia que eu for nomeado Hogake eu quero você aqui do meu lado, ta ouvindo?! – Aquilo tremulando a sua voz não eram lágrimas, tentou se convencer. – E quando esse dia chegar você já vai ter andado por todo o mundo, porque se não tiver feito não vai ter outra chance de fazê-lo. Porque eu nunca mais vou deixar você ir de novo, entendido?!

O Uchiha sorriu de canto sentindo os olhos marejarem. Ergueu a mão em sinal de entendimento. Não iria se virar e nem abrir a boca para dar uma resposta verbal á àquele idiota. Caso o fizesse provavelmente desistiria de tudo e Deus sabia o quanto precisava daquele tempo para se encontrar. Mas não importava... Ele realmente tinha para onde retornar.

- Usuratonkanchi – falou alto. – Não demore muito para se tornar hokage.

- Deixa comigo!

Aquele sorriso vibrante estava de volta, não precisava ver o rosto dele para saber disso e Sasuke se permitiu sorrir verdadeiramente também. Ficaria tudo bem. Tinha alguém esperando por ele, criando um lar para quando retornasse.

~*~

Talvez eu escreva um reencontro deles já no universo da nova geração. Não seria uma continuação direta dessa One, mas teria um significado...
Vamos ver...
Beijos, beijos


Atualizado 15/03/2019


Parte 2: https://getinkspired.com/pt/story/65401/idoneo/

+

17 de Abril de 2018 às 00:25 0 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~